TCC - Kinect para Reabilitação Fatec Carapicuíba

2.257 visualizações

Publicada em

TG apresentado no dia 30 de julho de 2014 e aprovado pela banca.
Tema: Kinect para Reabilitação.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TCC - Kinect para Reabilitação Fatec Carapicuíba

  1. 1. FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CARAPICUÍBA Henrique Kostriuba Lucas Kauê Borgato Tamires Nonato Fontana Vanessa Alves Nascimento Kinect para Reabilitação Trabalho de Graduação Carapicuíba - SP 2014
  2. 2. Henrique Kostriuba Lucas Kauê Borgato Tamires Nonato Fontana Vanessa Alves Nascimento Kinect para Reabilitação Trabalho apresentado como exigência para obtenção do Título de Tecnólogo em Jogos Digitais, da Faculdade de Tecnologia de Carapicuíba. Orientador: Prof. Álvaro Gabriele Rodrigues Carapicuíba - SP 2014
  3. 3. Nº CDD Ficha Catalográfica - Trabalho de Graduação (consulte a bibliotecária para elaboração) Ficha Catalográfica
  4. 4. Henrique Kostriuba Lucas Kauê Borgato Tamires Nonato Fontana Vanessa Alves Nascimento Kinect para Reabilitação Esta pesquisa foi julgada e aprovada para a obtenção do Título de Tecnólogo em Jogos Digitais, da Faculdade de Tecnologia de Carapicuíba. Carapicuíba, 30 de Julho de 2014. Prof. Dra. Marcia Luiza Pires de Araújo Diretora da Fatec - Carapicuíba Banca examinadora _________________________ Prof. Álvaro Gabriele Rodrigues (orientador) _________________________ Prof. Patricia Lima Rocha _________________________ Prof. Renato Fava Martelli
  5. 5. AGRADECIMENTOS Ao orientador Prof. Álvaro Gabriele, Pela ajuda e força concedida para a realização deste projeto. Aos professores da Patrícia Lima Rocha, Renato Fava Martelli e Mauro Ohara, pelas sugestões e colaboração de nosso projeto. Á Eloá Maria dos Santos Chiquetti, por ter nos concedido a entrevista para responder ao formulário. Ao Diretor Executivo Marcelo Mendonça, por ter nos ajudado com o Kinect for Windows. Aos nossos pais pelo apoio e confiança. E todos que contribuíram para a realização desta pesquisa.
  6. 6. “Que nossos esforços desafiem as impossibilidades, lembrai-vos de que as grandes proezas do homem foram conquistadas do que parecia impossível.” Charles Chaplin
  7. 7. RESUMO Este projeto tem como fundamento a elaboração de um jogo para auxílio na fisioterapia de jovens e adultos que possuem lesão no plexo braquial. Assim como também incentivar a realização de movimentos de reabilitação e facilitar o acompanhamento médico de deficientes ou jovens que tenham sofrido algum tipo de acidente e a partir disso tenham adquirido o trauma no braço. O projeto contará com pesquisas realizadas na área da fisioterapia para reabilitação de pacientes. Entrevistas com profissionais da área para entender quais tipos de exercício são aplicados para pessoas com lesão, opinião desses profissionais sobre o jogo como recurso de fisioterapia, além de pesquisas sociais a respeito do mundo dos jogos e como estes influenciam na vida de pessoas que passam por tratamentos intensivos de recuperação. Com o intuito de motivar as pessoas que passam por fisioterapia, o jogo tem como principal meta torna-se um aliado na área de reabilitação motora do plexo braquial, trazendo estímulo e ajudando na melhora continua do tratamento. Pois com o jogo as pessoas se sentirão mais confiantes a praticarem os exercícios da fisioterapia, além de se divertirem e ficarem alegres, o que são pontos importantes para o sucesso de qualquer tipo de tratamento. O jogo será desenvolvido com a ajuda da Engine Unity, junto com o Kinect for Windows. Terá como auxílio o Blender para parte de modelagem de cenário e codificado em C#. Rodará na plataforma de Sistema Operacional Windows, e os movimentos serão captados através do sensor Kinect for Windows. Palavras-chave: Kinect, reabilitação, sensor, Windows.
  8. 8. LISTA DE TABELAS Tabela 1- Organização da inicial da equipe, membros e suas respectivas responsabilidades .....................................................................................................27 Tabela 2 - Softwares, hardwares e recursos humanos utilizados no projeto ............28 Tabela 3 - Cronograma do Projeto............................................................................29 Tabela 4 - Custos do Projeto por fase.......................................................................31 Tabela 5 - Riscos Mapeados.....................................................................................33 Tabela 6 - Métodos para o Teste de Função ............................................................35 Tabela 7 - Métodos para o Teste de Interface de Usuário ........................................36 Tabela 8 - Métodos para o Teste de Performance....................................................36 Tabela 9 - Ferramentas Utilizadas ............................................................................37
  9. 9. LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Localização do Plexo Braquial e imagem do Plexo visto por dentro ........17 Figura 2 - Em A e B, aspecto pré-operatório, demonstrando limitação do ombro e incapacidade para extensão de punho, mão e dedos. Em C, D e E no 5º ano de pós- operatório, com abdução em 70 graus e extensão de punho, mão e dedos.............18 Figura 3 - Paciente realizando fisioterapia para recuperação dos movimentos do braço .........................................................................................................................20 Figura 4 - Sensor Kinect............................................................................................21 Figura 5 - Pessoas jogando com o sensor Kinect.........................................................................................................................22 Figura 6 - Caixa do Sensor Kinect for Windows, com imagem do mesmo................22 Figura 7 - Paciente realizando reabilitação por meio de Nintendo Wii ......................23 Figura 8 - Processos da metodologia Scrum.............................................................25 Figura 9- Kanban, utilizado para visualização das atividades no Scrum...................27 Figura 10- Paleta de cores realistas..........................................................................42 Figura 11- Sala de fisioterapia...................................................................................42 Figura 12- Sala de fisioterapia e local no qual o avatar ficará para movimento no jogo ..................................................................................................................................43 Figura 13- Recepção.................................................................................................43 Figura 14- Entrada ....................................................................................................44 Figura 15-Acesso para sala de fisioterapia ...............................................................44 Figura 16- Avatar de jogo..........................................................................................45 Figura 17- Tela do unity como jogo sendo desenvolvido ..........................................48 Figura 18- Pessoas realizando tratamento por meio de jogos ..................................49 Figura 19- Criança em tratamento recebe visita do cão da raça Golden Retriever...51
  10. 10. LISTA DE ABREVIATURAS, SIGLAS E SÍMBOLOS Abreviaturas Ex. Exemplo Sist. Sistema XP Extreme Programming Siglas SO Sistema Operacional TI Tecnologia da Informação Símbolos T Tesla © Copyright
  11. 11. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO......................................................................................................13 1.1. Justificativa.........................................................................................................13 1.2 Objetivos .............................................................................................................13 1.2.1. Objetivos do Projeto ........................................................................................14 1.2.2. Objetivos do Produto.......................................................................................14 1.3 Metodologia.........................................................................................................14 1.3.1 Metodologia de Desenvolvimento ....................................................................14 1.3.2 Metodologia de Gerenciamento de Projeto ......................................................16 1.3.3 Metodologia de Pesquisa .................................................................................16 1.4. Conceito do Jogo ...............................................................................................16 1.4.1. Gênero ............................................................................................................16 1.4.2. Classificação etária .........................................................................................16 1.4.3. Look & Feel .....................................................................................................16 1.4.4. Visão geral do conceito do jogo ......................................................................16 1.5. Plataforma(s) / Sistema(s) Operacional (is) .......................................................16 2. CONTEXTUALIZAÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO .........................................17 2.1. Plexo braquial.....................................................................................................17 2.1.1. Lesão do plexo braquial ..................................................................................17 2.1.2. Paralisia braquial em adultos ..........................................................................18 2.2. Fisioterapia.........................................................................................................19 2.2.1. Fisioterapia para lesões braquiais...................................................................19 2.3. Kinect .................................................................................................................20 2.3. Kinect for Windows.............................................................................................22 2.4. Efeitos da Realidade Virtual em Paciente Adulto com Paralisia Braquial...........23 3. GERENCIAMENTO E ANÁLISE DO PROJETO..................................................25 3.1 Metodologia de gerenciamento do projeto ..........................................................25 3.2. Organização inicial do projeto ............................................................................27 3.3. Escopo do projeto ..............................................................................................28 3.4. Recursos ............................................................................................................28 3.5. Entregas.............................................................................................................29 3.6. Premissas...........................................................................................................29
  12. 12. 3.7. Restrições ..........................................................................................................29 3.8. Cronograma .......................................................................................................29 3.9. Estimativa de Custos..........................................................................................31 3.10. Limites do Projeto.............................................................................................31 3.11. Processos.........................................................................................................31 3.12. Análise de Riscos.............................................................................................32 3.13. Viabilidade Técnica ..........................................................................................33 3.14. Viabilidade Econômica .....................................................................................34 3.15. Plano de testes e Controle de qualidade..........................................................34 3.15.1. Teste Funcional.............................................................................................34 3.15.2. Teste do Ciclo de Negócios...........................................................................34 3.15.3. Teste da Interface do Usuário .......................................................................35 3.15.4. Perfil da Performance....................................................................................35 3.15.5. Teste de Stress .............................................................................................35 3.16. Ferramentas e técnicas....................................................................................36 4. GAME DESIGN.....................................................................................................38 4.1 Game play...........................................................................................................38 4.1.1 Imersão ............................................................................................................38 4.1.2 Objetivos do jogo..............................................................................................38 4.1.3 Fluxo de jogo....................................................................................................38 4.2 Mecânica do jogo ................................................................................................38 4.2.1 Regras implícitas e explícitas do jogo ..............................................................39 4.2.2 Objetos.............................................................................................................39 4.3 Projetos de fase ..................................................................................................39 4.4 Projetos de interface ...........................................................................................40 4.4.1 Sistema visual ..................................................................................................40 4.4.2 Sistema de controle..........................................................................................40 4.4.3 Fluxo de telas...................................................................................................40 4.4.4 Opções de jogo ................................................................................................40 4.4.5 Sistemas de ajuda............................................................................................41 5. ARTE.....................................................................................................................42 5.1 Guia de cores e estiloes gráficos ........................................................................42 5.2 Assit List..............................................................................................................42 5.2.1 Ambientes ........................................................................................................42
  13. 13. 5.2.2 Avatar...............................................................................................................44 6. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA ..............................................................................46 6.1 Requisitos de sistema .........................................................................................46 6.2 Engenharia de Software......................................................................................46 6.3 Hardware (s) específico (s) ................................................................................47 6.4 Software(s) secundário(s) ..................................................................................47 6.5 Game engine.......................................................................................................47 6.6 Programação e scripting......................................................................................47 7. CONCLUSÃO .......................................................................................................49 REFERÊNCIAS ........................................................................................................51 APÊNDICES
  14. 14. 13 1. INTRODUÇÃO O jogo tem como objetivo facilitar as atividades desenvolvidas por fisioterapeutas que tratam de jovens e adultos que sofram da lesão traumática chamada paralisia braquial, que afeta o nervo do pescoço e/ou braço e impossibilita ou dificulta os movimentos do membro lesionado. Atualmente, a evolução psicomotora do paciente durante as atividades propostas depende fortemente do incentivo de familiares, amigos, etc., e da abordagem do fisioterapeuta e/ou assistente que está realizando o acompanhamento. Com o uso do jogo, essa necessidade de incentivo passa a ser mais abstrata, sendo um complemento à fisioterapia. Esta questão do ser humano é melhor resolvida: o processo interativo é psicologicamente mais agradável e incentivador. A reabilitação motora e o momento de diversão podem estar inclusos numa só atividade. O projeto será desenvolvido para Windows, utilizando-se da ferramenta Kinect, que se trata de um sensor: os movimentos dos jogadores são captados e projetados em movimentos na tela. Este simulador traz uma forma inovadora de entretenimento ao paciente jovem e adulto que, diferentemente das crianças que podem fazer uso de brinquedotecas, por exemplo, ficando mais restritos quanto à diversão. 1.1 Justificativa Este projeto foi desenvolvido devido às dificuldades em incentivar adultos que tenham sofrido lesões nervais a realizarem movimentos durante a reabilitação. Hoje este apoio é de natureza unicamente moral, por parte dos fisioterapeutas, familiares e amigos do paciente. Outro ponto é o fato de a maioria dos jogos dependerem de movimentos dos dois membros superiores do jogador, o que exclui um individuo com paralisia braquial, pelo fato de conseguir movimentar apenas um dos membros.
  15. 15. 14 1.2 Objetivos 1.2.1. Objetivos do Projeto O objetivo do jogo é entreter e incentivar a realização de movimentos corporais durante a reabilitação motora de pacientes com paralisia braquial. 1.2.2. Objetivos do Produto Este projeto objetiva o desenvolvimento de um jogo, simulador de movimentos, criando uma alternativa para a realização de movimentos fisioterápicos, e auxiliando o tratamento/recuperação da paralisia braquial através de um software interativo. 1.3 Metodologia 1.3.1 Metodologia de Pesquisa Serão utilizados dois tipos de metodologia, a de pesquisa social e a pesquisa teórica. A pesquisa social é toda pesquisa que busca respostas e novos conhecimentos de um determinado grupo social. Na pesquisa social temos duas frentes, a pesquisa pura e a pesquisa aplicada. A pesquisa pura busca o progresso da ciência, visando desenvolver conhecimentos científicos sem preocupações com as conseqüências práticas de suas aplicações. A pesquisa aplicada apresenta pontos de contato com a pesquisa pura, pois depende das descobertas. Tem como ponto fundamental o interesse na utilização e conseqüências dos conhecimentos. Conforme Roberto Jarry Richardson esclarece, “o método quantitativo representa, em princípio, a intenção de garantir a precisão dos resultados, evitar distorções de análise e interpretação possibilitando, conseqüentemente, uma margem de segurança”.
  16. 16. 15 Para o projeto será utilizado à pesquisa pura, pois iremos desenvolver com base nas descobertas e conhecimentos adquiridos. Para isso será utilizado o método quantitativo, que visa medir opiniões, atitudes e preferências de uma determinada população, assim pode-se gerar medidas precisas e confiáveis que permitem uma análise estatística. Para a coleta de dados, um questionário foi montado. O questionário é um instrumento de coleta de dados, constituído por uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas sem a presença do pesquisador. Esse questionário foi feito online, no qual cem pessoas responderam questões a respeito de jogos, se costumam jogar jogos, se possuem aparelhos para jogar esses jogos, dentre outras. Baseamo-nos nessas metodologias, com base em Santos Filho, que afirma que os métodos quantitativos não possuem falhas. Ele cita: “[...] permitindo discriminações mais refinadas e sumários econômicos de dados que facilitem a análise, sendo em certos casos mais eficientes” (SANTOS FILHO, 2001, p. 5). Também será realizado um formulário, usado para designar uma coleção de questões que são perguntadas e anotadas por um entrevistador numa situação face a face com outra pessoa. Essa entrevista será realizada com um profissional de fisioterapia, na qual contemplará questões como tempo de recuperação de pacientes que sofreram paralisia braquial, opinião a respeito de novas tecnologias que ajudam na recuperação entre outras. A pesquisa teórica tem por finalidade conhecer e aprofundar conhecimentos em determinado assunto ou área. Esse tipo de pesquisa não necessita de coleta de dados como na pesquisa social. Busca compreender um espaço para discussão de determinado tema ou questão intrigante da realidade (Tachizawa e Mendes, 2006). Na Educação, a pesquisa teórica visa o aprofundamento de estudo de conceitos, biografias de educadores, discussões de visões de ensino-aprendizagem. A forma de pesquisa teórica básica é a bibliográfica e é a mais realizada em escolas e universidades. Os objetivos são comumente compreender e discutir a literatura sobre o tema de pesquisa. Isto ocorre por consulta e estudo de livros, artigos, trabalhos monográficos, jornais e enciclopédias. (Demo, 2000). A pesquisa teórica entrará em foco para compreender a fisioterapia, a paralisia braquial, os processos de recuperação de pessoas que sofreram lesões braquiais, as atividades que essas pessoas costumam praticar no início na recuperação. Também para analisar e discutir como o jogo tem influenciado na vida
  17. 17. 16 das pessoas, as tecnologias que já existem na área de medicina, o sensor Kinect e como ele vem sendo utilizado nas diversas áreas. 1.4. Conceito do Jogo O jogo consiste em um simulador, no qual o corpo do jogador será identificado pelo sensor Kinect para realização dos movimentos propostos. 1.4.1. Gênero Serious Game / Fisioterapia 1.4.2. Classificação etária Classificação indicativa: livre para todos os públicos – não expõe crianças a conteúdos potencialmente prejudiciais. 1.4.3. Look & Feel O jogo será no ambiente de uma sala de fisioterapia, com aparelhos e objetos usados para a prática de exercícios relacionados à reabilitação de pacientes. 1.4.4. Visão geral do conceito do jogo O jogador executará as atividades de fisioterapia. Os níveis de atividades serão modificados a cada ciclo completo. Para essa fase de desenvolvimento será implementado apenas um nível. 1.5. Plataforma(s) / Sistema(s) Operacional (is) O jogo poderá ser executado nas plataformas: Windows 7 e Windows 8, com processador a partir do dual core com no mínimo 2GB de memória.
  18. 18. 17 2. CONTEXTUALIZAÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO 2.1. Plexo braquial Plexo braquial é um conjunto complexo de nervos, que mede cerca de 15 cm nos adultos, se origina na medula espinhal na altura do pescoço, e se estende até a axila. Pode-se ver esse nervo com mais detalhes na figura 1. Figura 1 - Localização do Plexo Braquial e imagem do Plexo visto por dentro. Fonte: Nervus - Acervo digital sobre lesões 2.1.1. Lesão do plexo braquial Trata-se de uma lesão nervosa que pode ocorrer em recém-nascidos no momento do parto, e em adultos, em acidentes, geralmente ocorridos no trânsito e esportes de contato. Normalmente afetam as funções motoras e sensitivas do membro afetado. Dependendo da gravidade ou da extensão da lesão, podem ocasionar uma lesão parcial ou total do plexo. O primeiro relato deste tipo de lesão foi feito em 1764 por William Smellie, pioneiro no ensino de obstetrícia na Universidade de Glasgow, Escócia. Em 1874, Guillaume Duchenne e Erb de Boulogne falaram sobre a paralisia das raízes superiores e, quase uma década mais tarde, Klumpke descreveu a paralisia das
  19. 19. 18 raízes inferiores. Contudo, a reconstrução cirúrgica foi realizada primeiramente apenas no ano de 1903, Kennedy. 2.1.2. Paralisia braquial em adultos Existem três tipos de paralisia braquial: - Paralisia de Erb: o paciente apresenta um bom ou moderado movimento dos dedos, mas um pequeno ou nenhum controle dos dedos, pois é afetada a parte superior do plexo braquial. - Paralisia de Klumpke: o paciente consegue movimentar o braço, porém tem pouco ou nenhum controle dos dedos. - Paralisia completa: o paciente não apresenta função motora e sensitiva no braço; não realiza nenhum tipo de movimento. Para melhor acompanhar os tipos de lesões do Plexo Braquial, veja Figura 2. Figura 2 - Em A e B, aspecto pré-operatório, demonstrando limitação do ombro e incapacidade para extensão de punho, mão e dedos. Em C, D e E no 5º ano de pós-operatório, com abdução em 70 graus e extensão de punho, mão e dedos. Fonte: SCIELO - Acervo digital Scielo Brazil
  20. 20. 19 2.2. Fisioterapia Fisioterapia é um conjunto de técnicas usadas no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças e lesões. Durante os anos 4.000 A.C- 395 D.C além do uso da eletroterapia através de peixes elétricos, a ginástica também era usada para combater as doenças denominadas na época de “diferenças incômodas”. Esta terapia que envolvia o movimento corporal era feita exclusivamente por sacerdotes. Na Idade Média, tanto a ginástica como os estudos na área da saúde foram interrompidos, as doenças que eram tratadas passaram a ser considerada algo a ser exorcizado. No Renascimento, com o humanismo, as artes e o culto ao físico os estudos foram retomados, e a preocupação com o corpo saudável também. Mercurialis apresentou princípios para uma ginástica médica que mantinha regularidade nos exercícios, para indivíduos doentes, sedentários e para pessoas que precisavam se recuperar de alguma doença. Somente no século XX entre a I e a II Guerra Mundiais exercícios passaram a caracterizar a Fisioterapia como ela é hoje. Durante as guerras surgiram as primeiras escolas de cinesioterapia para tratar ou reabilitar os lesados, ou mutilados que necessitavam readquirir condições para retornar a uma atividade social. A partir disto, a Fisioterapia passa a integrar a "Área da saúde" atuando através de diversos recursos, com o objetivo de reabilitar ou recuperar os movimentos perdidos. Na figura 5, podemos ver um exemplo de exercício de fisioterapia, para recuperação de movimentos. 2.2.1. Fisioterapia para lesões braquiais A reabilitação é imprescindível para manter a amplitude dos movimentos nas articulações e reduzir o grau de atrofia muscular, visando evitar um bloqueio do uso funcional do membro quando a regeneração começar. A fisioterapia no caso de lesões braquiais deve ser iniciada brevemente após o acidente, e ser mantida por meses.
  21. 21. 20 O único período que o paciente ficará sem reabilitação é as três semanas iniciais de pós-operatório, quando o membro superior afetado estará imobilizado. Figura 3 - Paciente realizando fisioterapia para recuperação dos movimentos do braço. Fonte 1: YTIMG - Acervo digital de imagens 2.3. Kinect Kinect é um sensor de movimento desenvolvido para ser utilizado no vídeo game Xbox-360 da Microsoft, junto com a empresa Prime Sense. Hoje também utilizado no mais recente lançamento, Xbox-One. Esse sensor permite ao jogador interagir com os jogos sem a necessidade de possuir um controle/joystick em mãos. O sensor Kinect tem 23 cm de comprimento e possui 5 recursos principais: 1º - Câmera RGB (Red, Green, Blue) que permite o reconhecimento facial perfeito da pessoa que está em frente do console. 2º - Sensor de profundidade (Infra Vermelho), que permite que o acessório escaneie o ambiente a sua volta em três dimensões. 3º - Microfone embutido, que além de captar as vozes mais próximas, consegue diferenciar os ruídos externos. Dessa forma, barulhos ao fundo não atrapalham o andamento do Kinect. O microfone também é capaz de detectar várias pessoas diferentes em uma sala (só não se sabe se a precisão é perfeita, já que é comum, por exemplo, irmãos com vozes parecidas).
  22. 22. 21 4º - Próprio processador e software. 5º - Detecta 48 pontos de articulação do nosso corpo, ou seja, possui uma precisão sem precedentes. Figura 4 - Sensor Kinect Fonte: WIKIPÉDIA - Ficheiro de Imagens O detector de movimentos (Figura 4) identifica facilmente gestos sutis como mover os dedos, girar o pulso ou mesmo suas expressões faciais e até identificar seu batimento cardíaco. É possível até identificar a força empregada em um movimento, como um soco. Funciona tanto em ambientes mais abertos como mais fechados. Pode captar e interpretar os movimentos de até seis pessoas ao mesmo tempo, mesmo sem iluminação (Figura 5). Além disso, o microfone do Kinect permanece ativo em todos os momentos para que ele possa receber comandos de voz do usuário, quando necessário.
  23. 23. 22 Figura 5 - Pessoas jogando com o sensor Kinect. Fonte: MICROSOFT - Ficheiro de Imagens 2.3.1 Kinect for Windows O Kinect para Windows (Figura 6) funciona da mesma forma que o Kinect para Xbox, porém ele oferece a possibilidade e somente de interagir com computadores e dispositivos com o Windows incorporado, não sendo possível sua utilização no Xbox. O Kinect for Windows tem um profundo entendimento das características humanas, incluindo rastreamento esquelético e facial e reconhecimento de gestos O reconhecimento de voz oferece uma dimensão adicional da compreensão humana.
  24. 24. 23 Figura 6 - Caixa do Sensor Kinect for Windows, com imagem do mesmo. Fonte: MICROSOFT - Ficheiro de Imagens 2.4. Efeitos da Realidade Virtual em Paciente Adulto com Paralisia Braquial Segundo estudo realizado por Bianca Soares Rodrigues, Aline de Souza Pagnussat, Eloá Maria dos Santos Chiquetti, em que submetem pacientes adultos com paralisia Erb-Duchenne à utilização do console Nintendo Wii como agente terapêutico, a intervenção aumenta a força dos músculos testados e a amplitude do movimento em flexão de ombro. Não demonstra aumento na extensão do cotovelo e causa fadiga muscular ao longo das sessões realizadas. Além desses fatos, há também o efeito da diversão e da motivação dos pacientes de fazerem a fisioterapia por meio de jogos de vídeo game. Torna-se algo divertido, um desafio de conseguir realizar determinada tarefa no jogo para ganhar pontos ou passar de fase. A fisioterapia pode ser vista como algo eficiente e motivador, pois por meio da realidade virtual, perde a textura de ser depressivo e algo voltado para doenças, deixando assim os pacientes mais encorajados e ao mesmo tempo felizes, porque a cada fase avançada será um avanço em sua reabilitação. Podemos acompanhar um paciente fazendo fisioterapia com o Nintendo Wii na Figura 7.
  25. 25. 24 Figura 7 - Paciente realizando reabilitação por meio de Nintendo Wii Fonte: NINTENDO BLAST - Acervo de Imagens Além desse estudo específico para Plexo Braquial, existem diversos outros estudos sobre os efeitos da realidade virtual em pacientes que sofram algum outro tipo de lesão em outro membro do corpo, quem comprovam que o uso dessa tecnologia pode beneficiar a área da fisioterapia e o paciente. É o caso do estudo de caso de Influência da Realidade Virtual no Equilíbrio de Paciente Portador de Disfunção Cerebelar, das (o) fisioterapeutas Alessandra Maria Schiavinato, Bruna de Carvalho Machado, Marcela de Araújo Pires e Cristiano Baldan. O estudo demonstrou que a aplicabilidade desse tipo de tratamento, por meio de jogos, além de fácil, estimula os sistemas sensoriais, motor e cognitivo do paciente, oferecendo um alto grau de motivação durante a terapia.
  26. 26. 25 3. GERENCIAMENTO E ANÁLISE DO PROJETO 3.1 Metodologia de Gerenciamento do Projeto O projeto será desenvolvido com base na metodologia Scrum. O Scrum é uma metodologia ágil elaborada por Ken Schwaber, em parceria com Jeff Sutherland. Basicamente o Scrum descarta as etapas de planejamento e os passos são definidos em tempo real. Uma pesquisa da Microsoft revelou que, em 2009, 83,8% de todas as companhias participantes dos eventos de gestão de ciclo de vida de aplicações usavam Scrum em algum nível. As etapas do Scrum são iterativas. São chamadas de Sprints. Cada Sprint representa uma atividade ou tarefa que deve ser realizada num determinado período de tempo, geralmente entre duas a quatro semanas. Figura 8- Processos da Metodologia Scrum Fonte: BRQ IT Services - Repositório digital da empresa
  27. 27. 26 As funcionalidades que serão implementadas no projeto ficam em uma lista chamada de Product Backlog. Quando uma Sprint começa realiza-se o Sprint Planning Meeting ou Reunião de Planejamento, na qual o Product Owner ou em outras palavras o Gerente do Projeto, prioriza os itens do Product Backlog e a equipe seleciona as atividades que irá desenvolver ou implementar durante o Sprint. Depois de finalizada a Sprint, as atividades que foram executadas são mantidas no Sprint Backlog. A equipe também possui um quadro de trabalho, que é chamado de Kanban. Esse quadro é utilizado para organizar as atividades do Backlog da Sprint, separando-as em quatro status, conforme a Figura 2: A fazer, Em andamento, Em Testes e Concluído. Em alguns casos coloca-se o status: Impedimentos, que pode ocorrer caso a atividade encontre algum empecilho no caminho para ser realizada ou finalizada. Quando uma Sprint está em andamento, diariamente é feita uma reunião chamada de Daily Scrum de no máximo 15 minutos, onde todos os participantes ficam em pé e apresentam como está o andamento das atividades da Sprint. Ao final da Sprint é feita uma Sprint Review Meeting ou Reunião de Revisão, na qual a equipe apresenta tudo o que foi desenvolvido na Sprint e faz-se uma Retrospectiva para identificar e avaliar o que funcionou, o que precisa ser melhorado e para planejar a próxima Sprint. Nosso projeto contará com Sprints semanais. As reuniões de alinhamento acontecerão às quartas- feiras. Definição de Papéis: Product Owner – Vanessa Alves Nascimento ScrumMaster – Tamires Nonato Team – Henrique Kostriuba Team – Lucas Borgato Na reunião de alinhamento da quarta-feira acontecerá a sessão de planejamento, na qual os itens do backlog para uma Sprint serão definidos e também a retrospectiva, na qual todos os membros da equipe refletem sobre a Sprint passada. Para facilitar o desenvolvimento do projeto, uma planilha do Google
  28. 28. 27 Docs., será compartilhada com a equipe que servirá como o Kaban para acompanhar as atividades do Backlog. As reuniões diárias serão feitas na Fatec no horário de aula. Os processos do Scrum podem ser visualizados na Figura 9. Figura 9 - Kanban, utilizado para visualização das atividades no Scrum Fonte: BRQ IT Services - Repositório digital da empresa 3.2. Organização inicial do projeto Inicialmente a equipe contava com apenas três integrantes, dos quais desses, um representa a parte de desenvolvimento e dois a parte de documentação e análise. Devido à dificuldade de seguir rigorosamente o cronograma do projeto para evitar atrasos, houve a necessidade da inclusão de mais um integrante para complementar a parte de desenvolvimento e documentação. Assim sendo, segue a disposição da equipe na Tabela 1: Tabela 1- Organização da inicial da equipe, membros e suas respectivas responsabilidades. NOME POSIÇÃO Henrique Kostriuba Documentação e Desenvolvimento Lucas Kaue Borgato Desenvolvimento
  29. 29. 28 NOME POSIÇÃO Tamires Nonato Fontana Documentação e Análise Vanessa Alves Nascimento Documentação e Análise Fonte: Elaborada pelo Autor 3.3. Escopo do projeto O projeto, inicialmente, conta com uma fase de nível inicial e três tipos diferentes de atividades para serem realizadas. O jogador escolhe a atividade que deseja realizar, e só poderá passar para próxima atividade assim que terminar a que começou. Ao longo do jogo, o jogador deverá realizar os movimentos corporais propostos, que serão captados através do sensor Kinect, com o objetivo de ajudar na reabilitação dos movimentos braquiais. 3.4. Recursos Os recursos necessários para a realização do projeto constam na Tabela 2. Tabela 2 - Softwares, hardwares e recursos humanos utilizados no projeto. RECURSOS ESPECIFICAÇÕES Notebook/PC Windows 7, 4GB RAM, Frameworks Kinect Sensor Kinect Sensor Kinect for Windows Unity Unity 5 Blender Blender 2.10ª Dois Desenvolvedores Conhecimentos em Unity e Blender
  30. 30. 29 RECURSOS ESPECIFICAÇÕES Três recursos para Análise e Documentação Conhecimentos em UML e Gerenciamento de Projetos Fonte: Elaborada pelo Autor 3.5. Entregas Os seguintes itens serão parte das entregas desse projeto: 1. Documentação do Projeto 2. Jogo pronto, dentro do que foi documentado 3.6. Premissas As seguintes premissas foram identificadas ou comunicadas pelos envolvidos: 1. Prazo para desenvolvimento: Nove Meses. 2. Disponibilidade do Sensor Kinect. 3. Recursos com conhecimentos em Unity e Blender. 3.7. Restrições As seguintes restrições foram identificadas ou comunicadas pelos envolvidos: 1. Somente será desenvolvido o que foi proposto no escopo do projeto. 3. Somente serão utilizados nove meses para desenvolvimento do projeto. 3.8. Cronograma A seguir na Tabela 3, o cronograma do projeto, com todas as atividades descritas e o tempo necessário para realização de cada tarefa.
  31. 31. 30 Tabela 3 - Cronograma do Projeto NOME DA TAREFA DURAÇÃO INÍCIO TÉRMINO RESPONSÁVEL (IS) Abertura do Projeto e Definição do Escopo 33 dias Ter 01/10/13 Sex 01/11/13 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Inicio da Documentação 32 dias Seg. 04/11/13 Qua 04/12/13 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Definição de Cenários e Personagens 34,25 dias Qui 05/12/13 Seg. 06/01/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Definição Final do Jogo 46,5 dias Ter 07/01/14 Qui 20/02/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Construção do Cenário do Nível 1 55 dias Sab 22/02/14 Ter 15/04/14 Lucas Finalização da documentação para Qualificação 38 dias Qua 02/04/14 Ter 10/05/14 Henrique, Tamires e Vanessa. Elaboração do PPT para Qualificação 7 dias Sab 10/05/14 Sab 17/05/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Apresentação da Qualificação 1 dia Qua 28/05/14 Qua 28/05/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Implementações dos Movimentos do Nível 1 32,13 dias Qui 01/05/14 Sab 31/05/14 Henrique e Lucas Testes das Fases de Implementações do Nível 1 9,38 dias Sab 31/05/14 Dom 10/07/14 Tamires e Vanessa Finalização da Documentação para Defesa 25 dias Sab 17/05/14 Seg. 10/07/14 Henrique, Tamires e Vanessa. Correções dos Bugs das Implementações 12,38 dias Seg. 10/06/14 Sab 21/07/14 Henrique e Lucas Ajustes Finais para Apresentação da Defesa 6,13 dias Seg. 23/07/14 Sab 28/07/14 Henrique e Lucas
  32. 32. 31 NOME DA TAREFA DURAÇÃO INÍCIO TÉRMINO RESPONSÁVEL (IS) Elaboração do PPT para Apresentação da Defesa 7,25 dias Ter 17/07/14 Seg. 23/07/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Encadernação Adequada da Documentação 7,25 dias Seg. 23/06/14 Dom 29/07/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. Apresentação da Defesa 1 dia Seg. 30/07/14 Seg. 30/07/14 Henrique, Lucas, Tamires e Vanessa. 3.9. Estimativa de Custos As estimativas de custos dispõem-se abaixo na Tabela 4. Tabela 4 - Custos do Projeto por fase FASE CUSTO HORASTOTAL Análise e Documentação R$20,00/H 3672 R$73.440,00 Desenvolvimento R$20,00/H 1800 R$36.000,00 Testes R$20,00/H 160 R$3.200,00 Recursos para Execução R$ 1.000,00 - - Transporte e Alimentação R$ 5.400,00 - Total Geral R$119.040,00 Fonte: Elaborada pelo Autor 3.10. Limites do Projeto Este projeto é limitado às atividades estabelecidas neste escopo. O projeto não prevê a cura total ou parcial de pessoas que sofreram acidentes e perderam os movimentos dos braços. O projeto não prevê que haja melhora na recuperação dos movimentos dos braços. O projeto não prevê uso de banco de dados para armazenamento de informações de usuários.
  33. 33. 32 O projeto não prevê o acompanhamento médico para utilização do jogo. 3.11. Processos Este projeto baseia-se e utiliza-se dos 12 princípios do manifesto ágil visando seguir processos devidamente definidos e detalhados, sendo que esses 12 processos ágeis são respectivamente os seguintes: - Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de software de valor. - Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adéquam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas. - Entregar software funcionando com frequência, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos. - Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diariamente, durante todo o curso do projeto. - Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho. - O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara. - Software funcional é a medida primária de progresso. - Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de manter indefinidamente, passos constantes. - Contínua atenção a excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade. - Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito. - As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto- organizáveis. - Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajustam e aperfeiçoam seu comportamento de acordo. Não seguimos um grupo de processos como os que o PMBOK descreve, mas lidamos de uma maneira diferente com alguns que o livro descreve,
  34. 34. 33 como por exemplo, controle de cronograma, qualidade e planejamento de riscos, foram definidos dentro de Sprints, do Scrum. 3.12. Análise de Riscos Abaixo, na Tabela 5, estão os riscos mapeados para o projeto. Tabela 5 - Riscos Mapeados RISCO PROBABILIDADE IMPACTO PLANO DE AÇÃO Recursos Doentes Baixa Atraso no desenvolvimento do projeto e nos entregáveis. Substituir o Recurso doente por algum outro membro da equipe. Atraso nas Entregas Média Maiores custos no desenvolvimento. Monitorar as causas dos atrasos e planejar cada atividade executá- las dentro do prazo, caso haja necessidade de maior tempo de execução, sempre solicitar antes. Indisponibilidade do Transporte Público Alta Atraso no desenvolvimento do projeto e nos entregáveis. Monitorar os web sites dos transportes públicos para conhecimento de operações. Fonte: Elaborada pelo Autor 3.13. Viabilidade Técnica O fato de possuirmos conhecimentos adquiridos ao longo de dois anos de estudo e até de trabalhos práticos, possibilita o desenvolvimento desse projeto, além
  35. 35. 34 dos conhecimentos teóricos e práticos, temos também algum conhecimento profissional adquirido em estágio em empresas. Utilizaremos nossos próprios computadores, foi adquirido o Kinect for Windows, já com todas as licenças e frameworks necessários para o funcionamento do jogo. Foi utilizado o software do SEBRAE “Software Plano de Negócios 2.0”, para gerar um plano de negócios, onde foi possível visualizar de maneira mais ampla projeções financeiras, custos, estimativas, estratégias de marketing entre outras informações importantes para nosso projeto. Com base em todas essas informações a viabilidade técnica do projeto é possível. 3.14. Viabilidade Econômica Como estamos realizando um trabalho independente, a viabilidade econômica torna-se possível, pois estamos usando nossos próprios computadores e disponibilizando nosso tempo para a realização do projeto. As licenças da Microsoft foram adquiridas junto com a compra do sensor Kinect, que é um modelo exclusivo para desenvolvedores. Contudo, caso nosso produto seja de interesse de profissionais da área, será realizado um cálculo para que o custo estimado seja aplicado de forma justa a cada unidade comercializada. 3.15. Plano de testes e Controle de qualidade 3.15.1. Teste Funcional Verifique que qualquer usuário possa acessar o sistema através dos sistemas operacionais Windows 7 e Windows 8. Verifique que o sensor Kinect responde aos movimentos quando o sistema é iniciado. Pode-se visualizar com mais detalhes as técnicas na Tabela 6.
  36. 36. 35 3.15.2. Teste do Ciclo de Negócios Verifique se as atividades para reabilitação estão sendo exibidas corretamente. Verifique se o tratamento de exceções está correto Verifique se a pontuação aparece a cada atividade completa. Verifique se a cada atividade completa a próxima é liberada. 3.15.3. Teste da Interface do Usuário Verifique se cada tela de interface gráfica pode ser facilmente entendida e utilizada. Verifique que se os objetos são apresentados corretamente na tela. Pode-se visualizar com mais detalhes as técnicas na Tabela 7. 3.15.4. Perfil da Performance Verifique o tempo de resposta dos movimentos feitos. Verifique o tempo de resposta da troca de telas. Pode-se visualizar com mais detalhes as técnicas na Tabela 8. 3.15.5. Teste de Stress Verifique como o sistema se comporta em situações onde são realizados varias operações e movimentos. Verifique como o sistema se comporta em situações onde há pouca memória RAM disponível e/ou pouca memória em disco. Tabela 6 - Métodos para o Teste de Função Objetivo do Teste: Garantir que as funcionalidades do sistema, especificadas no escopo do projeto, estão gerando os resultados esperados.
  37. 37. 36 Técnica: Executar cada caso de uso funcional através de seu fluxo principal e secundário, usando dados válidos e inválidos, para verificar o seguinte: Os resultados esperados ocorrem quando dados válidos são usados. As mensagens de erro ou aviso apropriadas são exibidas quando dados inválidos são usados. Cada regra de negócio é aplicada apropriadamente. Critério de Finalização: Todos os testes planejados foram executados. Todos os defeitos identificados foram corrigidos. Fonte: Elaborada pelo Autor Tabela 7 - Métodos para o Teste de Interface de Usuário Objetivo do Teste: Verificar a navegação, objetos e características de janelas, cenários e telas tais como menus, tamanho, posição, estado e foco conformam-se aos padrões. Técnica: Criar ou modificar os testes para cada cenário, janela e tela para verificar a navegação e os estados de objetos apropriados para cada janela e objetos da aplicação. Critério de Finalização: É verificado que o usuário consegue usar a interface sem precisar de treinamento e a considera agradável e está de acordo com o especificado no escopo. Fonte: Elaborada pelo Autor Tabela 8 - Métodos para o Teste de Performance Objetivo do Teste: Verificar os comportamentos do sistema em relação seu desempenho sob as seguintes condições: Carga de trabalho normal Carga de trabalho no pior caso Técnica: Fazer movimentos repetitivos entrando e saindo de atividades, mudando de telas e cenários em um tempo elevado.
  38. 38. 37 Critério de Finalização: Finalização com sucesso sem nenhuma falha e dentro do tempo especificado Fonte: Elaborada pelo Autor 3.16. Ferramentas e técnicas Lista de ferramentas e técnicas utilizadas para o desenvolvimento deste projeto, na Tabela 9. Tabela 9 - Ferramentas Utilizadas FERRAMENTA DESCRIÇÃO Google Docs. Pacote de aplicativos do Google baseado em AJAX. Funciona totalmente on-line e gratuitamente. WhatsApp Aplicativo de mensagens multiplataforma que permite trocar mensagens pelo celular. Fonte: Elaborada pelo Autor
  39. 39. 38 4. GAME DESIGN 4.1. Gameplay 4.1.1. Imersão O jogador será envolvido no jogo por meio do cenário típico de sala de fisioterapia e prática de exercícios, no qual serão apresentadas atividades para que ele possa realizá-las, tendo como desafio capturar moedas para conseguir avançar para próximos níveis e fases de exercícios. 4.1.2. Objetivos do jogo A meta do jogo é conseguir deixar o jogador imerso, auxiliando na fisioterapia e reabilitação dos movimentos do plexo braquial, por meio de exercícios que contenham desafios, como capturar moedas e fazer um determinado número de pontos. 4.1.3. Fluxo de jogo A curva de desafio é crescente exigindo novas perspectivas do jogador com desafios que avaliam se está apto a prosseguir adiante com as atividades de reabilitação. 4.2. Mecânica do Jogo 4.2.1. Regras implícitas e explícitas do jogo As regras básicas do jogo serão apresentadas no menu de Ajuda do jogo. - O jogador não poderá passar de atividade enquanto não terminar a fase que começou.
  40. 40. 39 - O jogador só poderá passar de fase assim que conseguir completar o desafio da primeira fase: - O jogador deverá realizar os movimentos propostos, como por exemplo, levantar o braço na direção da cabeça para conseguir coletar as moedas. - No nível fácil o jogador deverá pegar uma moeda de cada lado, uma moeda para cada braço totalizando 2 moedas. - No nível médio ele deverá pegar 2 moedas de cada lado, 2 para cada braço totalizando 4 moedas, - No nível difícil 3 moedas de cada lado, 3 para cada braço totalizando 6 moedas. 4.2.2. Objetos O ambiente é simulado em uma sala de fisioterapia com alguns objetos usados para reabilitação, mas que não serão usados na fisioterapia, o jogo contém uma esteira, uma bicicleta, uma cama de trampolim um pequeno ambiente para alongamentos e aquecimentos. 4.3. Projeto de Fases Fase #1 Iniciante (Nível Fácil) A fase começa com o jogador no meio da sala de fisioterapia e com uma moeda de cada lado. Ele deverá realizar o movimento proposto de levantar o braço na direção da cabeça para conseguir coletar as moedas, uma em cada lado. Ao coletar as duas moedas será exibida uma mensagem de parabéns e ele poderá escolher entre mudar o nível da atividade ou passar para próxima fase. Fase #1 Iniciante (Nível Médio) A fase começa com o jogador no meio da sala de fisioterapia e com duas moedas de cada lado. Ele deverá realizar o movimento proposto de levantar o braço na direção da cabeça para conseguir coletar as moedas, uma em cada lado. Ao coletar as duas moedas será exibida uma mensagem de parabéns e ele poderá escolher entre mudar o nível da atividade ou passar para próxima fase.
  41. 41. 40 Fase #1 Iniciante (Nível Difícil) A fase começa com o jogador no meio da sala de fisioterapia e com quatro moedas de cada lado. Ele deverá realizar o movimento proposto de levantar o braço na direção da cabeça para conseguir coletar as moedas, uma em cada lado. Ao coletar as duas moedas será exibida uma mensagem de parabéns e ele poderá escolher entre mudar o nível da atividade ou passar para próxima fase. 4.4. Projeto de Interface 4.4.1. Sistema Visual A) Menu in game: Menu de Voltar B) Câmera: terceira pessoa 3D 4.4.2. Sistema de Controle O sistema de controle serão as movimentações realizadas com os braços, assim como para poder pausar ou escolher opções no menu, apenas movimentando os braços, assim interagindo com o sensor Kinect. 4.4.3. Fluxo de Telas
  42. 42. 41 4.4.4. Opções do jogo - No nível fácil o jogador deverá pegar uma moeda de cada lado, uma moeda para cada braço totalizando 2 moedas. Ao realizar os movimentos por esse nível o jogador terá um número total de pontos menor e um nível de desafio baixo para movimentar os braços. - No nível médio ele deverá pegar 2 moedas de cada lado, 2 para cada braço totalizando 4 moedas. Ao realizar os movimentos por esse nível o jogador terá um número total de pontos maior e um nível de desafio moderado para movimentar os braços. - No nível difícil 3 moedas de cada lado, 3 para cada braço totalizando 6 moedas. Ao realizar os movimentos por esse nível o jogador terá um número total de pontos muito maior e um nível de desafio maior para movimentar os braços. 4.4.7. Sistema de ajuda O sistema de ajuda será acessado no menu principal na opção Tutorial. AO acessar a opção será apresentada uma tela com as funcionalidades do jogo e como deve ser jogado, mostrando exemplos.
  43. 43. 42 5. ARTE 5.1. Guia de cores e estilos gráficos Figura 10 – Paleta de Cores realista Fonte: Elaborado pelo autor 5.2. Asset List 5.2.1. Ambientes Aspecto final dos ambientes do jogo. Figura 11 – Sala de fisioterapia
  44. 44. 43 Figura 12 – Sala de fisioterapia e local no qual o avatar ficará para movimentos no jogo. Figura 13 – Recepção
  45. 45. 44 Figura 14 – Entrada Figura – 15 – Acesso para sala de fisioterapia
  46. 46. 45 5.3.2 Avatar Aspecto final do avatar do jogo Figura – 16 – Avatar do jogo
  47. 47. 46 6. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA 6.1. Requisitos de sistema 1. Windows 7/8 com processador duo core 2. 2 a 4GB Ram. 3. Mouse e teclado 4. Sensor Kinect for Windows 6.2. Engenharia de Software Caso de uso simples do jogo.
  48. 48. 47 6.3. Hardware(s) Específico(s) O hardware específico para o desenvolvimento do jogo que foi utilizado é o sensor Kinect for Windows, usado para capturar os movimentos e realizar a programação do jogo em cima desses movimentos captados. 6.4. Software(s) Secundário(s) Foi usado o Blender como um software secundário para desenvolver o cenário e o personagem do jogo e para aplicação de texturas. 6.5. Game Engine Utilizamos o Unity como Game Engine, também conhecido como Unity 3D, é uma game engine e também uma IDE criado pela Unity Technologies. É similar ao Blender, em relação a sua forma primária de autoria de jogos: a sua interface gráfica. Suas principais características são;  Programação em Boo, C♯ ou JavaScript;  Suporte ao PhysX, incluindo detector de colisão, soft body e ragdoll;  Compatibilidade com os navegadores (via o plugin Unity Web Player): Internet Explorer, Firefox, Safari, Opera, Google Chrome e Camino;  Compatibilidade com Blender, 3ds Max, Maya, Cinema 4D, Cheetah 3D, Softimage, modo, ZBrush, Lightwave, Photoshop, Fireworks, e Substance. 6.6. Programação e Scripting Foi usada a linguagem C#, pois é uma das principais linguagens de programação para o desenvolvimento do jogo utilizando o Kinect for Windows, além de interagir muito bem com o Unity e ser a linguagem oficial da Microsoft, desenvolvedora do Kinect.
  49. 49. 48 Figura 17 – Tela do Unity com jogo sendo desenvolvido.
  50. 50. 49 7. CONCLUSÃO Após nove meses de projeto, desenvolvendo e pesquisando, foi possível compreender melhor as dificuldades de quem porta algum tipo de lesão ou deficiência através do mundo dos jogos. Entender o quão importante é o incentivo, e como o jogo pode estar diretamente relacionado com a recuperação dessas pessoas e, parte essencial deste trabalho, a produção de um jogo para pacientes com lesão nos membros superiores. Aprofundou-se o conhecimento sobre lesões do plexo braquial, para o desenvolvimento de atividades de recuperação motora de um modo mais agradável e lúdico. De acordo com a pesquisa online realizada, a qual 100 pessoas responderam (homens e mulheres de faixa etária entre 18 e 50 anos), que o jogo para fisioterapia seria de grande agrado para adultos, e seria praticado tanto em consultórios quanto em casa. A parcela de 76% dos indivíduos perguntados faria a fisioterapia por meio de jogos em casa; 60% se sentiriam mais motivados; e 93% consideram ótima ou boa a idéia de poder realizar fisioterapia através de jogos. Figura 17 - Pessoas realizando tratamento por meio de jogos Por meio do questionário respondido pela Profª Ms Eloá Maria dos Santos Chiquetti (Fisioterapeuta, Mestre em Fisiologia do Exercício (UNIFESP), professora assistente da Universidade Federal do Pampa – Unipampa, Uruguaiana-RS), a qual,
  51. 51. 50 junto à uma equipe de mais duas pessoas, desenvolveu pesquisa e análise da evolução de pacientes com lesões braquiais utilizando-se do console Kinect para a fisioterapia, foi constatado que, principalmente no caso de jovens é essencial a utilização do jogo, pois a motivação é um dos princípios necessários para a reabilitação. Com base em nosso projeto e nas pesquisas realizadas, pode-se concluir que o mundo virtual dos jogos é um excelente recurso, não só para a área de fisioterapia, mas também para a área em geral da saúde. Ressaltando as áreas de neurologia e tratamentos de pessoas que sofrem de doenças degenerativas, que necessitam de um tratamento intenso em hospitais ou até mesmo em casa. A utilização de cachorros como recurso motivador e que leva diversão para crianças ou adultos que estejam realizando o tratamento para câncer e outras doenças, hoje em dia é destaque para o sucesso da cura. E cada vez mais novas formas que ajudam no tratamento surgem e o jogo aparece nesse cenário tornando- se um recurso importante. Por meio dele as pessoas tornam-se motivadas a realizar os procedimentos necessários para cura da doença, no qual, o desafio de conseguir atingir o objetivo no jogo traz a diversão, estimulando o cérebro e trazendo a alegria, um dos fatores mais importantes para qualquer tratamento. Figura 18 - Criança em tratamento recebe visita do cão da raça Golden Retriever
  52. 52. 51 REFERENCIAS AGILE Atlas. Disponível em: <http://agileatlas.org/>. Acesso em: 12 abr. 2014. BOND Blog: Kinect for Windows. Disponível em: <http://www.bondblog.com.br/wp- content/uploads/2012/06/Kinect-for-Windows.jpg>. Acesso em: 28 mar. 2014. DEV Media: Extreme Programming. Disponível em: <http://www.devmedia.com.br/conceitos-basicos-sobre-metodologias-ageis-para- desenvolvimento-de-software-metodologias-classicas-x-extreme- programming/10596>. Acesso em: 12 abr. 2014. ELLU Brasil: História da Fisioterapia. Disponível em: <http://www.ellubrasil.com.br/saude/fisioterapia/historia>. Acesso em: 28 mar. 2014. FISIOPED: Plexo Braquial. Disponível em: <http://fisioped.files.wordpress.com/2013/01/plexo_braquial2.jpg>. Acesso em: 28 mar. 2014. MANIFESTO Ágil: História da origem do paradigma de desenvolvimento ágil. Disponível em: <http://www.agilemanifesto.org/iso/ptbr/>. Acesso em: 12 abril 2014. METODOLOGIAS Ágeis: Scrum. Disponível em: <http://www.brq.com/metodologias- ageis/>. Acesso em: 12 abr. 2014. NERVUS: Paralisia Braquial em Adultos. Disponível em: <http://www.nervus.com.br/o-que-tratamos/lesao-traumatica-do-plexo-braquial-em- adultos.html>. Acesso em: 28 mar. 2014. NINTENDO Blast: Contribuições dos Vídeo Games. Disponível em: <http://www.nintendoblast.com.br/2012/09/o-fim-de-uma-era-as-contribuicoes- e.html>. Acesso em: 28 abr. 2014. PEDAGOGIA em Foco: Métodos e Técnicas de Pesquisa. Disponível em: <http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/met04.htm>. Acesso em: 12 abr. 2014. Rodrigues et al. Efeitos da Realidade Virtual em Paciente Adulto com Paralisia Braquial Obstétrica. doi: 10.4181/RNC.2012.20.720.9p. Publicado em: 23/07/12. Disponível em: http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2012/RN2004/relato%20de%20caso %2020%2004/720%20rc.pdf. Acesso em: 25/07/2014. SCIELO: Progressão da Fisioterapia. Disponível em: <http://www.scielo.br/img/revistas/rbcp/v28n1/a30fig01.jpg>. Acesso em: 28 mar. 2014. SCRUM Overview: Projeto Eclipse. Disponível em: <http://epf.eclipse.org/wikis/scrumpt/>.>. Acesso em: 12 abr. 2014.
  53. 53. 52 SCHIAVINATO, Alessandra Maria et al. Influência da Realidade Virtual no Equilíbrio de Paciente Portador de Disfunção Cerebelar - Estudo de Caso. Publicado em: 03/05/10. Disponível em: http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2011/RN1901/relato%20de%20caso /523%20relato%20de%20caso.pdf. Acesso em: 25/07/2014. UFSC: Métodos e Técnicas de Pesquisa. Disponível em: <http://www.das.ufsc.br/~andrer/ref/bibliogr/pesq/pesq1.htm>. Acesso em: 12 abr. 2014. WIKIPÉDIA: Desenvolvimento de Software. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Desenvolvimento_ágil_de_software#Metodologias>. Acesso em: 12 abr. 2014. WIKIPÉDIA: Programação Extrema. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Programação_extrema>. Acesso em: 12 abr. 2014. WIKIPEDIA: Sensor Kinect. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Kinect#mediaviewer/Ficheiro:KinectSensor.png>. Acesso em: 28 mar. 2014.
  54. 54. 53 ANEXOS
  55. 55. 54 APÊNDICES Desenvolvemos um material que não consta no corpo da pesquisa, mas que foi muito útil para sentir a aceitação do jogo e projeto. Trata-se de um questionário online, respondido por cem pessoas a respeito de fisioterapia com jogos. Além desse material há também a entrevista realizada com a fisioterapeuta Eloá. 1 – Como uma pessoa pode paralisar os movimentos do braço? Resposta: A paralisia de membro superior (braço) pode se dar por uma lesão do tipo periférica (lesão do sistema nervoso periférico: plexos nervosos ( como no caso da Paralisia Obstétrica ou lesão traumática do plexo braquial, muito comum em acidente de moto) ou nervos isolados) ou lesão do tipo central (sistema nervoso central – lesão cortical ...).exemplo seqüela de um AVC (acidente vascular cerebral) ou TCE (traumatismo crânio encefálico). 2 – Qual a faixa etária que mais apresenta essa paralisia? Resposta: A paralisia Obstétrica ocorre na hora do parto e os bebes acometidos por essa lesão iniciam a fisioterapia o mais precoce possível e deverá se manter no tratamento, pelo menos, até o término do crescimento. Os adultos jovens (18 a 30 anos) são os mais propensos a acidentes motobilísticos. No caso de lesão do sistema nervoso central temos várias idades, podendo ser crianças (portadoras de paralisia cerebral congênita), adultos e idosos (casos de AVC). 3 – As pessoas gostam de fazer fisioterapia? Resposta: se for um tratamento criativo, funcional e motivante eles gostam bastante. 4 – Elas se sentem motivadas ou não? Resposta: depende muito do caso. Em crianças e adolescentes o lúdico SEMPRE tem que estar presente na intervenção. 5 – Quais são os níveis da paralisia? Resposta: depende de QUAL paralisia......mas podemos dizer que pode ser leve, moderada ou grave. 6 – Existe cura? Resposta: Lesão nervosa não há “cura” , porém as melhoras ocorrem através da neuroplasticidade. 7 – O que se deve fazer para recuperar os movimentos? Resposta: Intervenções através da fisioterapia e Terapia Ocupacional 8 – Quais os exercícios mais indicados para recuperar os movimentos? Resposta: exercícios que envolvem repetição da tarefa, de forma funcional e com graduação da demanda, ou seja , iniciando pelo mais fácil e dificultando com as melhoras apresentadas
  56. 56. 55 9 – Com que frequência é necessário praticar esses exercícios? Resposta: Há vários protocolos já estudados e divulgados com resultados satisfatórios, mas a frequência diária é a mais recomendada. 10 – Com quais exercícios devemos começar a fisioterapia de um paciente que acabou de perder os movimentos do braço? Resposta: isso também depende de qual tipo de lesão, mas pelos pressupostos teóricos da teoria maturacional do desenvolvimento motor, nas metodologias usadas nas técnicas de reabilitação. Os exercícios são direcionados de proximal para distal, ou seja, iniciando com movimentos de ombro/cintura escapular e evoluindo para a mão com atividades de agarrar, soltar, manipulação fina etc. 11 – Como verificar se uma pessoa progrediu com os exercícios passados e pode passar de nível para novos exercícios? Resposta: há vários instrumentos de avaliação realizados pré e pós-tratamento. Alguns destes testes são quantitativos e outros são qualitativos. Depende de seu objetivo. No meu estudo mesmo utilizamos um teste quantitativo. 12 – Quais seriam os exercícios para um paciente que progrediu nessa primeira fase da fisioterapia? Resposta: os objetivos da reabilitação SEMPRE é recuperar a função do paciente. Novamente: depende do tipo de lesão, da idade do paciente, do nível de lesão. 13–Você acha que a tecnologia ajuda essas pessoas a recuperarem esses movimentos? De que forma? Resposta: Ajudam, pois promovem um dos princípios necessários para a reabilitação que é a MOTIVAÇÂO. 14- Você acha que jogos poderiam incentivar as pessoas com essa deficiência a fazerem fisioterapia? Resposta: Muito!!!! É mais agradável fazer fisioterapia de uma forma prazerosa e lúdica.... 15 – O que você acha da inovação, onde jogos fazem parte da recuperação de movimentos de pacientes que sofreram algum tipo de lesão? Resposta: Uma grande contribuição para a reabilitação. 16 – Você apóia esse incentivo de jogos na área da fisioterapia? Resposta: sim e utilizo na minha pratica profissional. 17 – Como você vê a medicina e os jogos no futuro? Resposta: Parceiras!!!!
  57. 57. 56 Quantos anos você tem? 13 03/07/2014 19:05 Ver respostas do questionado 30 03/07/2014 18:36 Ver respostas do questionado 35 03/07/2014 18:29 Ver respostas do questionado 49 03/07/2014 13:15 Ver respostas do questionado 38 03/07/2014 09:36 Ver respostas do questionado 22 03/07/2014 01:10 Ver respostas do questionado 30 02/07/2014 20:13 Ver respostas do questionado 31 02/07/2014 18:39 Ver respostas do questionado 50 02/07/2014 16:59 Ver respostas do questionado 20 02/07/2014 14:17 Ver respostas do questionado 22 02/07/2014 14:13 Ver respostas do questionado 25 02/07/2014 12:02 Ver respostas do questionado 55 01/07/2014 23:44 Ver respostas do questionado 30 01/07/2014 22:15 Ver respostas do questionado 24 01/07/2014 20:59 Ver respostas do questionado 57 01/07/2014 19:07 Ver respostas do questionado 23 01/07/2014 18:46 Ver respostas do questionado 39 01/07/2014 17:11 Ver respostas do questionado 24 01/07/2014 16:57 Ver respostas do questionado 41 01/07/2014 16:12 Ver respostas do questionado 23 01/07/2014 14:56 Ver respostas do questionado 55 01/07/2014 14:48 Ver respostas do questionado 26 01/07/2014 14:35 Ver respostas do questionado 20 01/07/2014 14:33 Ver respostas do questionado 33 01/07/2014 14:30 Ver respostas do questionado 21 01/07/2014 13:02 Ver respostas do questionado 22 01/07/2014 12:48 Ver respostas do questionado 26 01/07/2014 12:34 Ver respostas do questionado 25 01/07/2014 11:50 Ver respostas do questionado 25 01/07/2014 11:47 Ver respostas do questionado 24 01/07/2014 11:30 Ver respostas do questionado 24 01/07/2014 11:25 Ver respostas do questionado
  58. 58. 57 24 01/07/2014 11:18 Ver respostas do questionado 19 01/07/2014 11:15 Ver respostas do questionado 33 01/07/2014 11:13 Ver respostas do questionado 19 01/07/2014 11:11 Ver respostas do questionado 24 01/07/2014 11:07 Ver respostas do questionado 22 01/07/2014 11:06 Ver respostas do questionado 26 01/07/2014 11:03 Ver respostas do questionado 23 01/07/2014 10:59 Ver respostas do questionado 23 01/07/2014 10:56 Ver respostas do questionado 33 01/07/2014 10:34 Ver respostas do questionado 21 01/07/2014 10:25 Ver respostas do questionado 51 30/06/2014 21:15 Ver respostas do questionado 38 30/06/2014 20:40 Ver respostas do questionado 41 30/06/2014 19:03 Ver respostas do questionado 40 30/06/2014 16:44 Ver respostas do questionado 52 30/06/2014 15:50 Ver respostas do questionado 49 30/06/2014 15:49 Ver respostas do questionado 27 30/06/2014 15:22 Ver respostas do questionado 29 30/06/2014 15:22 Ver respostas do questionado 39 30/06/2014 15:21 Ver respostas do questionado 36 30/06/2014 15:01 Ver respostas do questionado 22 30/06/2014 14:31 Ver respostas do questionado 53 30/06/2014 14:31 Ver respostas do questionado 46 30/06/2014 14:26 Ver respostas do questionado 37 30/06/2014 14:11 Ver respostas do questionado 46 30/06/2014 13:56 Ver respostas do questionado 57 30/06/2014 13:56 Ver respostas do questionado 53 30/06/2014 13:54 Ver respostas do questionado 61 30/06/2014 13:53 Ver respostas do questionado 52 30/06/2014 13:44 Ver respostas do questionado 48 30/06/2014 13:42 Ver respostas do questionado 22 30/06/2014 13:38 Ver respostas do questionado 25 30/06/2014 13:37 Ver respostas do questionado 22
  59. 59. 58 30/06/2014 13:36 Ver respostas do questionado 37 30/06/2014 13:28 Ver respostas do questionado 44 30/06/2014 13:22 Ver respostas do questionado 41 30/06/2014 13:18 Ver respostas do questionado 31 30/06/2014 13:18 Ver respostas do questionado 25 30/06/2014 13:13 Ver respostas do questionado 29 30/06/2014 13:08 Ver respostas do questionado 31 30/06/2014 13:06 Ver respostas do questionado 34 30/06/2014 13:06 Ver respostas do questionado 48 30/06/2014 12:58 Ver respostas do questionado 22 30/06/2014 12:45 Ver respostas do questionado 51 30/06/2014 12:29 Ver respostas do questionado 51 ANOS 30/06/2014 10:56 Ver respostas do questionado 44 29/06/2014 16:51 Ver respostas do questionado 39 29/06/2014 15:37 Ver respostas do questionado 24 28/06/2014 14:33 Ver respostas do questionado 32 28/06/2014 00:15 Ver respostas do questionado 25 27/06/2014 15:11 Ver respostas do questionado 23 27/06/2014 14:37 Ver respostas do questionado 33 27/06/2014 14:29 Ver respostas do questionado 47 27/06/2014 14:09 Ver respostas do questionado 25 27/06/2014 14:02 Ver respostas do questionado 25 27/06/2014 14:02 Ver respostas do questionado 22 27/06/2014 14:01 Ver respostas do questionado 20 27/06/2014 14:00 Ver respostas do questionado 24 27/06/2014 13:46 Ver respostas do questionado 34 27/06/2014 13:43 Ver respostas do questionado 21 27/06/2014 13:42 Ver respostas do questionado 26 27/06/2014 13:34 Ver respostas do questionado 28 27/06/2014 13:21 Ver respostas do questionado 20 27/06/2014 13:20 Ver respostas do questionado 24 27/06/2014 13:13 Ver respostas do questionado 39 27/06/2014 13:10 Ver respostas do questionado 28 27/06/2014 13:09 Ver respostas do questionado
  60. 60. 59 32 27/06/2014 13:04 Ver respostas do questionado
  61. 61. 60
  62. 62. 61
  63. 63. 62
  64. 64. 63
  65. 65. 64
  66. 66. 65
  67. 67. 66
  68. 68. 67
  69. 69. 68
  70. 70. 69
  71. 71. 70
  72. 72. 71
  73. 73. 72
  74. 74. 73
  75. 75. 74
  76. 76. 75
  77. 77. 76
  78. 78. 77
  79. 79. 78
  80. 80. 79
  81. 81. 80
  82. 82. 81
  83. 83. 82
  84. 84. 83
  85. 85. 84

×