Aula 2 grandes debates alunos

5.949 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.949
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
60
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Problemas e eventos do cenário global estimulam o aprendizado de RIs no século XX. O pensamento de RI é influenciado por outras disciplinas (História, filosófica, Direito, Economia) e correspondem aos desenvolvimento no mundo real.  FORMA DE PENSAR.
  • Vamos a partir de agora fazer um mapeamento do campo teórico, enfatizando as correntes que buscam defender seus conceitos e métodos como os mais adequados e confiáveis para entender a realidade. Várias propostas teórias que ora dialogam entre si ora travam embates.
  • E. H.Carr, diplomata britânico. A caracterização feita por Carr, que difiniu um segundo grupo de estudiosos como realistas (sintonizada com as dimensões do poder e do interesse que permeiam a política internacional.
  • Realismo - Poder como elemento central da política int’l Centralidade do Estado Anarquia - Estados como agentes racionais, autônomos e unitários
  • Diferenças mais no estilo e no método do que na substância.
  • Críticas aos Tradicionalistas: Conceitos excessivamente gerais que eram apresentados equivocadamente como leis universais da política
  • Representantes de paradigmas dominantes não conseguiram elaborar respostas suficientes para explicar tanto o fim da bipolaridade entre Estados Unidos e União Soviética quanto o colapso não-belicoso desta última. A insatisfação generalizada com os instrumentos analíticos dispostos pelas teorias do mainstream criou espaço favorável para a entrada de novos programas de pesquisas e discursos acadêmicos nas RI.
  • Conhecimento mutável em razão da evolução da sociedade.
  • Aula 2 grandes debates alunos

    1. 1. Ponto de partida:• As teorias e a linguagem especializada de RIs são desnecessárias?• Os conceitos são meramente exemplos de jargão ou de pretensão acadêmica?• Para uma análise acadêmica basta conhecer os fatos?
    2. 2. Observando a realidade...• Construção da realidade- Processamento da informação- Lentes- Experiências- Formação profissional- Valores- Informação em si
    3. 3. Por que a teoria é importante?• Descrever• Explicar• Prever• Entender- Não existe conhecimento nem entendimento sem teoria- Políticos e tomadores de decisão a utilizam.
    4. 4. Objeto de estudo distinto• O espaço internacional:- Abstrato- Anarquia- Estado como ator central- Interações para além das fronteiras territoriais Corpo de teorias que dê conta dessa especificidade
    5. 5. Os Grandes Debates
    6. 6. I GM (1914-1918) e LN (1919-1946)Exército de grandes proporções Objetivos principais:Duração e consequências não impedir a guerra eimaginadas (Cerca de 10 milhões assegurar a paz.de mortos;10 milhões derefugiados;5 milhões de viúvas)
    7. 7. • 1) Quais as principais causas da IGM e o que na “velha ordem” levou os governos nacionais a optarem pela guerra?• 2) Quais as principais lições da IGM?• 3) Com base em que valores a nova ordem deve ser criada? Como as instituições internacionais, particularmente a Liga das Nações, podem assegurar que os Estados respeitem os princípios desta nova ordem?
    8. 8. Enquanto isso, no campo teórico...• Valores liberais:- a humanidade aprende com seus próprios erros a significância da guerra e busca mecanismos para evitar sua recorrência.- Possibilidade de um mundo mais pacífico: livre comércio, democracia e direito internacional- Harmonia de interesses entre os Estados.- A guerra é resultado da anarquia internacional e das ânsia de políticos que não respondem à uma opinião pública.
    9. 9. Expoentes da tradição liberal NORMAN ANGELL “A GRANDE ILUSÃO”, 1909. WOODROW WILSON “QUATORZE PONTOS DE WILSON”, 1918.
    10. 10. A crítica• Edward Carr“Vinte Anos de Crise – 1919-1939”- Crítica contundente ao liberal-idealismo- Utópicos: retratam o mundo como deve ser e não como ele realmente é. Luta de poder negligenciada – cegos pelos problemas ético-morais
    11. 11. Primeiro debate:• Realistas X Liberais utópicos (1920-1940)•  Debate ontológico (sobre o que estudar).• Utópicos: mundo mais pacífico• Realistas: sobrevivência
    12. 12. II GM (1941-1945)• Mudanças no cenário internacional:- Fracasso da Liga das Nações- Lógica da sobrevivência
    13. 13. Fim do primeiro debate• Cenário pós-Segunda Guerra Mundial e início da Guerra Fria: validade das teses realistas.• Ao final, houve o declínio do idealismo e o fortalecimento das teses realistas;
    14. 14. • Hans Morgenthau“A Política entre as Nações”, 1948.
    15. 15. Contribuições teóricas• Arcabouço de análise que diferenciou das RIs de outros eventos• Ofereceram a futuros teóricos ferramentas teóricas para entender episódios similares• Entendimento sobre a natureza da política internacional
    16. 16. Segundo debate:Tradicionalistas (realistas clássicos) X Behavioristas (1950-1970)  Debate de ordem metodológica Como estudar?Guerra Fria: exigiu dos tomadores de decisão um maiorgrau de previsibilidade no cenário internacional
    17. 17. Tradicionalistas- Querem entender a realidade;- Pautam-se pelas normas e valores, pelo julgamento e pelo conhecimento histórico;-- Utilização da Filosofia, do Direito e da História para a compreensão das relações internacionais
    18. 18. Behavioristas- Buscam explicar a realidade por meio de métodos científicos;- Prioridade dada à comprovação de hipóteses e à coleta e mensurabilidade de dados;- Inspiração em modelos oriundos da Matemática ou da Física para prever o comportamento dos Estados.
    19. 19. Debate interparadigmático: (1970-1980) Realismo / Neo-realismo X Liberalismo / Neoliberalismo X Marxismo / Estruturalismo
    20. 20. Década de 1970Na high politics: 1) Após a Crise dos Mísseis, détente; 2)Novo foco de atenção nos EUA com a Guerra do Vietnã. Menor importância da política de poder.Na low politics: 1970: maior importância das organizaçõesmultilaterais e das empresas transnacionais.
    21. 21. – Mundo multicêntrico;– Ênfase na integração;– Participação de atoresnão-estatais, transnacionaise sub-estatais;– Crítica às ambiguidades do poder e destaca papel das interpretações erradas;– Política externa pode ser explicada por fatores domésticos.
    22. 22. Ataque: Interdependência complexa e Institucionalismo NeoliberalTransnational Relations andWorld Politics , de 1971Power and Interdependence: World Politics in Transition , de1977. Robert Keohane Joseph Nye
    23. 23. Resposta: Neo-realismo• Kenneth Waltz, A Teoria Política internacional (1979)
    24. 24. Marxismo• “Polvo de múltiplas cabeças e poderosos tentáculos”: retira a riqueza da periferia enfraquecida para o centro.• Atores: Classes e forças e relações de produção• Dinâmica: Economia: enfoca os modelos de dominação dentro e entre as sociedades• Estado: Representante dos interesses de classe
    25. 25. Fim da Guerra Fria• Representantes dos paradigmas dominantes sem explicações satisfatórias para o fi da bipolaridade e o colapso não- belicoso da União Soviética.• Abertura do campo para a entrada de perspectivas que contestam o modelo estadocêntrico, bem como leis objetivas e universais.
    26. 26. Terceiro debate: (1980-2000) Positivismo X Pós-Positivismo(construtivismo, Teoria Crítica e feministas)
    27. 27. ResumoPrimeiro debate: Realismo X Idealismo (1920-1940)Segundo debate: Realismo Clássico X Behaviorismo (1950-1970)Debate interparadigmático: Realismo / Neo-realismo XPluralismo / Liberalismo / Neoliberalismo X Marxismo /Estruturalismo (1970-1980)Terceiro debate: Racionalismo X Reflexivismo /Interpretativismo / Pós-Positivismo (1980-2000)
    28. 28. Exercício: Relacione as colunas.• A) Kenneth Waltz  1) Liberal-utópico• B) Hans Morgenthau  2) Realismo• C) Joseph Nye  3) Neo-realismo• D) Edward Carr  4) Neoliberalismo• E) Norman Angell• F) Robert Keohane• G) Woodrow Wilson• F) Raymond Aron

    ×