Apolônio de Tiana

268 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
268
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apolônio de Tiana

  1. 1. Sábio, Profeta e Renovador dos Mistérios
  2. 2. O Cenário • zênite do Império Romano • questões políticas insitavam banimentos • garantia de liberdade religiosa • existência de diversas associações privadas (caráter superior e inferior) • muitas pessoas devotadas à vida religiosa
  3. 3. O Biógrafo Flavius Filostrato era um homem letrado que viveu entre 175-245 d.C. Informações foram coligidas: • das cidades por onde passou o filósofo • dos templos cujos ritos e regulamentos ele restaurou • dos que outros disseram a seu respeito • de suas próprias cartas • das anotações de Damis, seu discípulo
  4. 4. Os Primeiros Anos de sua Vida • Nasceu em Tiana, cidade ao sul da Capadócia, nos primeiros anos da era cristã • Seus pais eram de uma antiga família e tinham razoável fortuna • Desde tenra idade apresentou prodigiosa memória • Com 14 anos foi enviado para Tarso para completar os estudos • Estudou todos os sistemas de pensamento e aprofundou-se nas lições da escola pitagórica • Aos 16 anos, atingiu o ápice do conhecimento pitagórico
  5. 5. Os Primeiros Anos de sua Vida • Aos 20 anos, perdeu o pai e recebe fortuna considerável • Fez voto de silêncio por cinco anos. Depois, vai para Antióquia • Distribuia metodicamente seu tempo: devotava a manhã à ciência e a tarde à instrução acerca da ética e vida prática
  6. 6. As Viagens Egito Grécia Roma Índia
  7. 7. • Procurou ajudar seus ouvintes, quaisquer que fossem, da forma mais apropriada a cada um deles. Simplesmente procurava purificar e explicar melhor aquilo em que eles já acreditavam e o que praticavam • Além de seu ensinamento público, tinha uma vida secreta que nem mesmo seu discípulo favorito teve acesso • Controvérsia: Hierocles x Eusébio, Lactâncio, Agostinho • Plágio da vida de Jesus Como era visto em seu tempo
  8. 8. • Sidônio Apolinário (Bispo de Claremont): ... Um homem procurado pelos ricos e que, no entanto, nunca procurou as riquezas; que amava a sabedoria e desprezava o ouro; um homem frugar em meio às festanças, vestido de linho em meio àqueles vestidos de púrpura, austero em meio ao luxo... Enfim, para falar francamente, nenhum historiador encontrará talvez nos tempos antigos um filósofo cuja vida seja igual a de Apolônio” Como era visto em seu tempo
  9. 9. Profeta e Operador de Milagres • Foi um filósofo pitagórico (o que isso significa?) • Admirador entusiástico da sabedoria da Índia • Repudiava a ideia de vaticinador, embora a maior parte dos feitos de Apolônio são casos de profecia, ou de visão do futuro (presciência), de ver à distância e ver o passado, de cura dos doentes ou cura dos casos de obsessão ou possessão • Tinha ciência da natureza divina por meio de seu daemon
  10. 10. Seu Modo de Vida • Seguidor da disciplina pitagórica • não se vestia com nada que tivesse origem animal • não comia nada que tivesse tido vida • não consumia vinho • não admitia sacrifícios de sangue • mantinha a regra do silêncio em relação à ciência divina • não impunha seu modo de vida aos outros • orava e meditava três vezes ao dia
  11. 11. Seu Modo de Vida • Ensinava de forma clara e direta • Não usava a dialética, mas conseguia total atenção de seus ouvintes • Usava como exemplos acontecimentos comuns • Viveu sem medo de nada e fiel ao seu elevado ideal • Recusava qualquer soma em dinheiro por seus serviços • Apesar de sua disposição geralmente grave, às vezes brincava com seus ouvintes para mostrar-lhes a tolice (mesmo em momentos de grande perigo)
  12. 12. Seu Círculo Traços  Teve uma presença especialmente charmosa e uma disposição adorável Seus discípulos  Musônio  Demétrio  Dioscórides  Mênipo  Fédimo  Nilo  Dâmis
  13. 13. Os Escritos • acredita na prece, mas julgava uma blasfêmia a ideia de que os Deuses pudessem modificar o curso da reta justiça pelas súplicas dos homens • “Dai-me, ó Deuses, o que me é devido” • “Concedam-me, ó Deuses, ter pouco e não necessitar de nada”
  14. 14. Os Escritos • “Observem a tripulação de um barco. Enquanto alguns tripulam o barco, outros levantam as âncoras e as colocam em posição, outros estendem as velas para aproveitar o vento, e outros aindam cuidam da proa e da popa. Porém, se um único homem não executar um destes deveres ou se o fizer mal feito, eles velejarão mal e terão a tempestade criando-lhes problemas. Mas se estimularem uma rivalidade saudável, sendo sua única disputa a que nenhum pareça pior do que os demais companheiros, boa sorte terá tal barco, e bom tempo e bonança os acompanharão”
  15. 15. Os Escritos • “A lei obriga-nos a morrer pela liberdade, e a natureza irdena-nos morrer por nossos pais, nossos amigos e nossas crianças. Todos os homens são compelidos por estes deveres. Porém, um dever mais elevado é dado ao sábio, ele deve morrer por seus princípios e pela verdade, que ele preza mais do que a vida. Não é a lei que determina esta escolha para ele, não é a natureza, é a força e a coragem de sua alma”
  16. 16. Apolônio foi cidadão do mundo e sacerdote da religião universal

×