O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Análise transacional

1.218 visualizações

Publicada em

Análise transacional

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Análise transacional

  1. 1. ANÁLISE TRANSACIONAL Prof. Ms. Valdec Romero Castelo Branco
  2. 2. ANÁLISE TRANSACIONAL Autor: Eric Berne - Desenvolveu a teoria no final da década de 50. “Todos nós nascemos príncipes e princesas, mas às vezes nossa infância nos transforma em sapos”. Análise transacional é uma teoria da personalidade e uma psicoterapia sistemática para o crescimento e a mudança pessoal.
  3. 3. ANÁLISE TRANSACIONAL Análise transacional serve como modelo de estudos do interior das pessoas e modelo de aprendizagem em substituição do modelo da “enfermidade mental”, pois possui uma visão mais positiva do ser humano, que acredita que todos nós nascemos OK.
  4. 4. ANÁLISE TRANSACIONAL ESTADOS DE EGO Conjunto de pensamentos, sentimentos e condutas registrados ao longo da experiência de vida da pessoa e que determinam seu modo de agir, pensar e sentir atualmente. V 14
  5. 5. OS ESTADOS DO EGO Os Estados do Ego são agrupados em três categorias: Pai, Adulto e Criança e cada qual possuem suas subcategorias. Eles possuem relacionamento entre si, como por exemplo, quando as relíquias do Estado do Ego Criança permanecem no Adulto.
  6. 6. ANÁLISE ESTRUTURAL  EXTEROPSIQUE - Estado de Ego PAI.  NEOPSIQUE - Estado de Ego ADULTO.  ARQUEOPSIQUE - Estado de Ego CRIANÇA.
  7. 7. ESTUTURA DA PERSONALIDADE • PAI – O QUE DEVO FAZER. • ADULTO – O QUE CONVÉM FAZER. • CRIANÇA – O QUE QUERO FAZER.
  8. 8. Estado de Ego PAI Assemelham-se à figura parental  PAI CRÍTICO: julgamentos, críticas, preconceitos, acusações, controles, ordens, imposições, censuras, exigências, limites e punições.  PAI PROTETOR: manifestações de apoio, estímulo, proteção, orientação, ajuda, o dar segurança, permissão, conforto, a preocupação com o bem estar do outro.  PAI PRECONCEITUOSO: é o dono da verdade, o sabe tudo, não aceita divergência ou questionamento. Possui idéias preconcebidas e caráter inflexível. V 15
  9. 9. Estado de Ego ADULTO  ORGANIZADO – ADAPTÁVEL – INTELIGENTE.  PENSAMENTO LÓGICO E ANALÍTICO.  FOCADO NO AQUI E AGORA. CONJUNTO AUTÔNOMO DE SENTIMENTOS, ATITUDES E PADRÕES DE COMPORTAMENTO QUE SÃO ADEQUADOS À REALIDADE. V 16
  10. 10. Estado de Ego CRIANÇA  CRIANÇA NATURAL: é livre, impulsiva, emoções autênticas da criatividade, da curiosidade, espontaneidade e autenticidade.  CRIANÇA ADAPTADA: SUBMISSA: obedecendo a regras. REBELDE: se opondo a regras ou procrastinando (adiar). Mundo íntimo de sensações, experiências e adaptações da infância. V 17
  11. 11. TRANSAÇÕES Ocorrem quando alguém se relaciona com uma outra pessoa. Cada Transação é formada de um estímulo e de uma resposta e as Transações podem proceder do Pai, Adulto ou Criança de uma outra pessoa. Precisa ocorrer uma resposta ao estímulo, para existir uma Transação. V 18
  12. 12. ESTRUTURA DO TEMPO Surge a necessidade de estruturação do nosso tempo, de programarmos o tempo disponível, necessidade essa em boa parte vinculada com a fome de estímulos uma vez que a tendência será preenchê-lo de maneira que nos forneça estímulos, físicos e humanos. V 19
  13. 13. CARÍCIAS Carícia é o reconhecimento que uma pessoa dá a outra. As Carícias são essenciais à vida de uma pessoa. Os adultos aprendem a trocar carícias verbais: carícias positivas, como elogios ou expressões de apreciação ou carícias negativas, como julgamentos negativos ou depreciativos. V 20
  14. 14. SÓ CARÍCIAS QUE LINDO! EI VOCÊ NÃO QUER PARTICIPAR?
  15. 15. EMOÇÕES Emoções Autênticas X Falsas Emoções As Falsas Emoções são os sentimentos favoritos aprendidos na infância, segundo Eric Berne. Esses sentimentos são aprendidos através dos pais e se transforma num reflexo condicionado que poderá persistir na vida. Na infância ao mostrar as Emoções Autênticas, estas são às vezes desqualificadas ou censuradas assim as crianças aprendem a mascará-las. A criança então passa a utilizar esses sentimentos na maioria das situações, seja apropriado ou não. V 21
  16. 16. POSIÇÃO EXISTENCIAL No processo de desenvolver uma identidade, as pessoas definem para si mesmas, cedo na vida, qual o significado de sua existência. Algumas pessoas decidem que são OK e que terão uma boa vida, mas muitas pessoas decidem que não são OK e que fracassarão de alguma forma.
  17. 17. São quatro Posições Existenciais ou modos de ver o mundo: 1) Eu estou OK, você está OK; 2) Eu estou OK, mas você não está OK; 3) Eu não estou OK, você está OK; 4) Eu não estou OK, você não está OK.
  18. 18. A primeira posição é a única saudável: o indivíduo tem atitudes positivas em relação a si mesmo e também aos outros. Logo, tende a ter relacionamentos e comunicações maduras, assertivas e espontâneas. Quando ele se desqualifica, passa a gostar de levar pancada - ou pelo menos passa a aceitar isso como se fosse natural, quer menos para si, obtém menos. Se desqualifica os outros, adota posturas arrogantes, agressivas, céticas, o que leva a afastamento e relações improdutivas. Se acha que ele próprio não tem valor, nem outros, adota o cinismo e a descrença como regras orientadoras e não produz nada que preste.
  19. 19. JOGOS PSICOLÓGICOS São séries de transações ulteriores, aparentemente racionais, que progridem em direção a um resultado previsível e bem definido. Neles os envolvidos inter-atuam em dois níveis: Social (consciente, moralmente aceitável). Psicológico (inconsciente, passível de desaprovação).
  20. 20. SCRIPT DE VIDA Pode também ser chamado de Argumento de Vida. Script é um plano inconsciente de vida ou ainda um programa em marcha, que o indivíduo desenvolve na primeira infância sob influência parental e que irá dirigir a sua conduta nos aspectos mais importantes de sua vida.
  21. 21. DINÂMICA DE GRUPO É qualquer agregação social com um limite externo e pelo menos um limite interno. Imago Grupal é a captação do grupo segundo cada indivíduo. É baseado no princípio da diferenciação com o objetivo de classificar as relações mais importantes que se ocultam por trás das relações formais do grupo. V 22

×