PROTOCOLO CÂNCER DE TIREÓIDE
INTRODUÇÃO <ul><li>Indicações tireoidectomia: </li></ul><ul><li>Fenômeno compressivo (traqueal ou esofageano) </li></ul><u...
<ul><li>Guideline para abordagem primária de nódulos tireoidianos </li></ul><ul><li>Fatores de risco ( ↑ malignidade): </l...
NÓDULO TSH / T4L ECOGRAFIA CÍSTICO HETEROGÊNEO SÓLIDO PAFF POSITIVA NEGATIVA ECOGRAFIA 6/6 MESES E TSH/ T4 L  ( 1 ou mais ...
<ul><li>* SEGUIMENTO ( 2 OU + FR = CIRURGIA </li></ul><ul><li>**DISCUTIR CIRURGIA: CONSISTÊNCIA E MOBILIDADE DO NÓDULO E F...
CARCINOMA  ANAPLÁSICO CÁLCIO, TSH, HMG, TC CERVICAL, RX TÓRAX LOCALMENTE RESSECÁVEL IRRESSECÁVEL TIREOIDECTOMIA, AVALIAR R...
CARCINOMA  MEDULAR CALCITONINA, CEA,  FEOCROMOCITOMA(CATECO= LAMINAS URINÁRIAS 24H), CÁLCIO,  MOBILIDADE CORDA VOCAL > OU ...
CARCINOMA  MEDULAR 2/3 MESES DE  PÓS-OPERATÓRIO: CALCITONINA E CEA POSITIVA NEGATIVA=OBSERVAÇÃO IMAGEM POSITIVA OU DOENÇA ...
CARCINOMA  FOLICULAR RX TÓRAX, ECO (?), RM OU TC PARA LESÕES FIXAS,  MOBILIDADE CORDAS VOCAIS TIREOIDECTOMIA SE NEO INVASI...
<ul><li>•  SUPRESSÃO DO TSH COM LEVOTIROXINA </li></ul>CARCINOMA  FOLICULAR SEM DOENÇA RESIDUAL GROSSEIRA TSH E  TIREOGLOB...
CARCINOMA FOLICULAR = SEGUIMENTO <ul><li>Exame físico, TSH, Tg e Ac ant-Tg a cada 6 meses e depois anual se livre de doenç...
<ul><li>SEGUIMENTO IDEM  </li></ul><ul><li>PARA FOLICULAR </li></ul>CARCINOMA  HÜRTHLE RX TÓRAX, ECO (?), RM OU TC PARA LE...
<ul><li>SEGUIMENTO IDEM  </li></ul><ul><li>PARA FOLICULAR </li></ul>CARCINOMA PAPILÍFERO RX TÓRAX, ECO (?), RM OU TC PARA ...
<ul><li>•  SUPRESSÃO DO TSH COM LEVOTIROXINA </li></ul>CARCINOMA  PAPILÍFERO SEM DOENÇA RESIDUAL GROSSEIRA TSH E  TIREOGLO...
<ul><li>•  SEGUIMENTO IDEM DE FOLICULAR </li></ul>CARCINOMA  PAPILÍFERO (PÓS DOENÇA  BENIGNA) ECO CERVICAL E DE TIREÓIDE; ...
METÁSTASES <ul><li>Única em SNC = considerar neurocirurgia; ou,  terapia com radio iodo, TSH recombinante e profilaxia com...
ESTADIAMENTO / TUMOR (T) T4a tumor anaplásico restrito a tireóide – cirurgicamente ressecável T4b tumor anaplásico além da...
ESTADIAMENTO / (N) N1b metástases unilaterais, bilaterais ou cervical contra-lateral ou região superior do mediastino N1a ...
ESTADIAMENTO (M) M1 metástases à distância M0 sem metástases à distância MX metástases à distância não podem ser avaliadas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Protocolo de Tireóide

7.495 visualizações

Publicada em

Dra. Fabiane Marques

Publicada em: Esportes, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.495
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
135
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Protocolo de Tireóide

  1. 1. PROTOCOLO CÂNCER DE TIREÓIDE
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>Indicações tireoidectomia: </li></ul><ul><li>Fenômeno compressivo (traqueal ou esofageano) </li></ul><ul><li>Efeito estético </li></ul><ul><li>Nódulos / bócios não responsivos a tratamento clínico </li></ul><ul><li>carcinoma </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Guideline para abordagem primária de nódulos tireoidianos </li></ul><ul><li>Fatores de risco ( ↑ malignidade): </li></ul><ul><li>> 4 cm de diâmetro </li></ul><ul><li>< 15 anos ou > 45 anos </li></ul><ul><li>Sexo masculino </li></ul><ul><li>Exposição à irradiação </li></ul><ul><li>Feocromocitoma, hiperparatireoidismo, síndrome de Gardner, PAF </li></ul><ul><li>Alta chance: crescimento rápidiro, nódulo muito firme, fixo, história familiar, paralisia de cordas vocais, invasão de estruturas cervicais </li></ul>
  4. 4. NÓDULO TSH / T4L ECOGRAFIA CÍSTICO HETEROGÊNEO SÓLIDO PAFF POSITIVA NEGATIVA ECOGRAFIA 6/6 MESES E TSH/ T4 L ( 1 ou mais FR = cirurgia) TIPOS DE CARCINOMA
  5. 5. <ul><li>* SEGUIMENTO ( 2 OU + FR = CIRURGIA </li></ul><ul><li>**DISCUTIR CIRURGIA: CONSISTÊNCIA E MOBILIDADE DO NÓDULO E FR (30% SÃO CARCINOMAS MESMO COM PAAF NEGATIVA) </li></ul>ECOGRAFIA ( HETEROGÊNEO OU SÓLIDO) CINTILOGRAFIA HIPERCAPTANTE NORMOCAPTANTE HIPOCAPTANTE ↓ TSH TSH NORMAL CIRURGIA SEGUIMENTO 6/6M POR 1 ANO E ANUAL APÓS PAAF POSITIVA = CIRURGIA NEGATVA = DISCUTIR ** PAAF + = CIRURGIA PAAF - = SEGUIMENTO *
  6. 6. CARCINOMA ANAPLÁSICO CÁLCIO, TSH, HMG, TC CERVICAL, RX TÓRAX LOCALMENTE RESSECÁVEL IRRESSECÁVEL TIREOIDECTOMIA, AVALIAR RESSECÇÃO LOCAL E REGIONAL DE ESTRUTURAS ACOMETIDAS E LNF TRAQUEOSTOMIA PRECOCE CONSIDERAR RT E QT CONSIDERAR RT E QT
  7. 7. CARCINOMA MEDULAR CALCITONINA, CEA, FEOCROMOCITOMA(CATECO= LAMINAS URINÁRIAS 24H), CÁLCIO, MOBILIDADE CORDA VOCAL > OU = 1CM OU BILATERAL < 1CM E UNILATERAL TIREOIDECTOMIA TOTAL E DISSECÇÃO CERVICAL***; RT T4a (?) TIREOIDECTOMIA TOTAL E DISSECÇÃO CERVICAL BILATERAL RT T4a (?)
  8. 8. CARCINOMA MEDULAR 2/3 MESES DE PÓS-OPERATÓRIO: CALCITONINA E CEA POSITIVA NEGATIVA=OBSERVAÇÃO IMAGEM POSITIVA OU DOENÇA SINTOMÁTICA CALCITONINA E CEA ANUAL; ECO(?); MAIS ESTUDOS(?) IMAGEM NEG OU ASSINTOMÁTICO LOCORREGIONAL, METÁSTASES… CALCITONINA E CEA ANUAL; ECO (?); MAIS ESTUDOS
  9. 9. CARCINOMA FOLICULAR RX TÓRAX, ECO (?), RM OU TC PARA LESÕES FIXAS, MOBILIDADE CORDAS VOCAIS TIREOIDECTOMIA SE NEO INVASIVO, METÁSTASE OU OPÇÃO PCTE LOBECTOMIA/ ISTMECTOMIA CÂNCER INVASIVO (EXTENSÃO VASCULAR)) = COMPLEMENTAR TIROIDECTOMIA MÍNIMA INVASÃO = COMPLEMENTAR TIREOIDECTOMIA OU OBSERVAÇÃO ADENOMA = OBSERVAÇÃO LNF POSITIVO= DISSECÇÃO CERVICAL CENTRAL OU LATERAL SUPRESSÃO TSH COM LEVOTIROXINA
  10. 10. <ul><li>• SUPRESSÃO DO TSH COM LEVOTIROXINA </li></ul>CARCINOMA FOLICULAR SEM DOENÇA RESIDUAL GROSSEIRA TSH E TIREOGLOBULINA E AC ANTI-TG EM 1 A 3 SEM PÓS-OP DOENÇA RESIDUAL IRRESSECÁVEL RESSECÁVEL TSH, TIREOGLOBULINA E AC ANTI-TG APÓS 1 A 3 SEM. CINTILOGRAFIA CORPO SEM MELHORA = RT E SUPRESSÃO TSH CINTILOGRAFIA + TTO COM RADIO I + CINTILOGRAFIA APÓS + RT SUPRESSÃO TSH NOVOS EXAMES APÓS 12 SEM E CINTILOGRAFIA Tg<1 E CINTILO - = OBSERVAÇÃO • CINTILO + = IODO 131 E REPETE CINTILO • METÁSTASE= IDEM ACIMA • Tg>1 E CINTILO - = IDEM ACIMA •
  11. 11. CARCINOMA FOLICULAR = SEGUIMENTO <ul><li>Exame físico, TSH, Tg e Ac ant-Tg a cada 6 meses e depois anual se livre de doença </li></ul><ul><li>Ecografia periódica </li></ul><ul><li>????? </li></ul>
  12. 12. <ul><li>SEGUIMENTO IDEM </li></ul><ul><li>PARA FOLICULAR </li></ul>CARCINOMA HÜRTHLE RX TÓRAX, ECO (?), RM OU TC PARA LESÕES FIXAS, MOBILIDADE CORDAS VOCAIS TIREOIDECTOMIA: NEO INVASIVO, METÁSTASE OU OPÇÃO PCTE LOBECTOMIA + ISTMECTOMIA CÂNCER INVASIVO (EXTENSA INVASÃO VASCULAR) = TIROIDECTOMIA MÍNIMA INVASÃO = COMPLEMENTAR TIREOIDECTOMIA OU OBSERVAÇÃO ADENOMA = OBSERVAÇÃO SUPRESSÃO TSH COM LEVOTIROXINA (IDEM FOLICULAR) LNF POSITIVO= DISSECÇÃO CERVICAL CENTRAL OU LATERAL
  13. 13. <ul><li>SEGUIMENTO IDEM </li></ul><ul><li>PARA FOLICULAR </li></ul>CARCINOMA PAPILÍFERO RX TÓRAX, ECO (?), RM OU TC PARA LESÕES FIXAS, MOBILIDADE CORDAS VOCAIS TIROIDECTOMIA TOTAL: <15a OU >45A; IRRADIAÇÃO; METÁSTASE; DOENÇA BILATERAL OU ALÉM DA TIREÓIDE; >4CM; HX FAMILIAR LOBECTOMIA + ISTMECTOMIA(TODOS): 15-45a; SEM IRRADIAÇÃO; SEM META; SEM EXTENSÃO ALÉM DA TIREÓIDE; <4CM; SEM HX FAMILIAR LNF = DISSECÇÃO CERVICAL CENTRAL OU LATERAL VARIANTE AGRESSIVA, MACRO MULTIFOCAL, MARGENS +; LNF + MARGEM NEGATIVAS; LFN NEGATIVO COMPLEMENTAR TIREOIDECTOMIA DOSAR Tg E SUPRESSÃO TSH
  14. 14. <ul><li>• SUPRESSÃO DO TSH COM LEVOTIROXINA </li></ul>CARCINOMA PAPILÍFERO SEM DOENÇA RESIDUAL GROSSEIRA TSH E TIREOGLOBULINA E AC ANTI-TG EM 1 A 3 SEM PÓS-OP DOENÇA RESIDUAL IRRESSECÁVEL RESSECÁVEL TSH, TIREOGLOBULINA E AC ANTI-TG APÓS 1 A 3 SEM. CINTILOGRAFIA CORPO SEM MELHORA = RT E SUPRESSÃO TSH CINTILOGRAFIA + TTO COM RADIO I + CINTILOGRAFIA APÓS + RT SUPRESSÃO TSH NOVOS EXAMES APÓS 12 SEM E CINTILOGRAFIA Tg<1 E CINTILO - = OBSERVAÇÃO • CINTILO + = IODO 131 E REPETE CINTILO • METÁSTASE= IDEM ACIMA • Tg>1 E CINTILO - = IDEM ACIMA •
  15. 15. <ul><li>• SEGUIMENTO IDEM DE FOLICULAR </li></ul>CARCINOMA PAPILÍFERO (PÓS DOENÇA BENIGNA) ECO CERVICAL E DE TIREÓIDE; RX TÓRAX >4CM, MARGENS POSITIVAS OU INVASÃO ALÉM TIREÓIDE LNF SUSPEITO, LESÃO CONTRALATERAL, VARIANTE AGRESSIVA, MACRO MULTIFOCAL, > OU = 1CM COMPLEMENTO TIREOIDECTOMIA OU DOSAR Tg E Ac MARGEM NEG. SEM LESÃO CONTRALATERAL, <1CM, SEM LNF COMPLEMENTO TIREOIDECTOMIA DOSAR Tg E Ac TERAPIA COM LEVOTIROXINA PARA TSH ↓ OU NORMAL • TERAPIA COM LEVOTIROXINA PARA TSH ↓ OU NORMAL •
  16. 16. METÁSTASES <ul><li>Única em SNC = considerar neurocirurgia; ou, terapia com radio iodo, TSH recombinante e profilaxia com corticóide se cintilografia positiva; RT </li></ul><ul><li>Óssea = cirurgia paliativa em extremidades; iodoterapia se cintilografia positiva e/ou RT; terapia com bifosfonado; embolização de metástases </li></ul><ul><li>Outros locais: considerar ressecção cirúrgica; e/ou terapia com idod; e/ou QT sistêmica </li></ul>
  17. 17. ESTADIAMENTO / TUMOR (T) T4a tumor anaplásico restrito a tireóide – cirurgicamente ressecável T4b tumor anaplásico além da tireóide – cirurgicamente irressecável Todos os tumores anaplásicos são considerados T4 T4b tumor invade fáscia pré-vertebral ou artéria carótida ou vasos do mediastino T4 tumor de qualquer tamanho além da cápsula da tireóide invadindo tecidos moles subcutâneos, laringe, traquéia, esôfago ou nervo laringeo recorrente T3 tumor maior do que 4cm limitado a tireóide ou qualquer tumor com mínima extensão além da tireóide (músculo esternotireoideo ou tecidos moles adjacentes) T2 tumor maior que 2cm e menor que 4cm limitado a tireóide T1 tumor de 2cm ou menos limitado a tireóide T0 sem evidência de tumor primário TX tumor primário não pode ser avaliado
  18. 18. ESTADIAMENTO / (N) N1b metástases unilaterais, bilaterais ou cervical contra-lateral ou região superior do mediastino N1a metástase nível IV (pré-traqueal, paratraqueal e pré-laringeo) N1 metástases linfonodais N0 sem metástases para linfonodos NX linfonodos regionais não podem ser avaliados
  19. 19. ESTADIAMENTO (M) M1 metástases à distância M0 sem metástases à distância MX metástases à distância não podem ser avaliadas

×