Gestos técnicos de base do guarda redes

2.342 visualizações

Publicada em

Publicada em: Esportes
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
85
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestos técnicos de base do guarda redes

  1. 1. Gestos técnicos de base do Guarda-redes de Futebol Posição básica É fundamental que a execução correta da posição básica seja feita a partir de um correto tónus muscular. Assim a cabeça deve encontrar-se erguida de forma a acompanhar a bola com o olhar, o tronco ligeiramente inclinado à frente, braços ligeiramente fletidos e à frente com as mãos à altura dos joelhos, pernas semiflectidas e afastadas formando uma boa base de sustentação, os pés podem assumir duas posições: (a) Com toda a superfície plantar em contacto com o solo; (b) apenas a parte anterior contacta com o solo. Fig. 1 - Superfície plantar para a adoção de uma correta posição básica. Receção A receção como a utilização dos membros superiores de modo a facilitar a posse ou o controlo da bola com as mãos ou os braços, reduzindo parcial ou totalmente a velocidade da bola. A receção é classificada de acordo com a posição do Gr em relação à trajetória da bola, assim a receção pode ser:
  2. 2. Receção alta Realizada acima da linha dos ombros, sempre à frente ou sobre o eixo longitudinal corporal, e com os braços estendidos. Esta ação técnica pode ser executada em salto ou em apoio e sempre com os polegares juntos (mãos em forma de concha). Fig. 2 - Posição das mãos para a receção alta Recepção média Realizada entre a linha dos ombros e a linha da cintura, as mãos situam-se no plano frontal para que o corpo constitua uma segunda barreira entre a bola e a baliza. Fig. 3 - Proteger sempre a bola com o corpo
  3. 3. Receção baixa Esta ação técnica é realizada entre a linha da cintura e solo, com um joelho fletido e apoiado no chão, o tronco fletido à frente e com os braços estendidos (procurar juntar os antebraços). Fig. 4 - Proteger sempre a bola com o corpo Receção em queda Realizada, com qualquer superfície corporal em contacto com o solo (queda lateral) à exceção dos apoios plantares. Com os braços estendidos, flexão e abdução da perna que entra em contacto com o solo e dedos das mãos afastados. Para maior segurança, no final da ação técnica, levar a bola ao peito pressionando-a com os braços, antebraços e mãos. Fig. 5 - Braços estendidos no prolongamento do corpo
  4. 4. Receção com encaixe A receção com encaixe pode ser definida como a ação técnica que possibilita ao Gr a posse da bola através de uma única ação, reduzindo totalmente a velocidade da bola através do contacto desta contra o peito e a simultânea pressão realizada pelos antebraços e mãos contra o corpo do Gr. Fig. 6 - É importante que a ação dos braços e antebraços seja coordenada com o impacto da bola no peito
  5. 5. Esta ação técnica é classificada como: Receção com encaixe médio Fig. 7 - Encaixe médio Receção com encaixe em queda Fig. 8 - Encaixe em queda Desvios Os desvios são ações técnicas que consistem em modificar a trajetória e/ou o sentido da bola, dando-lhe uma direção determinada com propósito defensivo. Os desvios podem ser classificados de acordo com a superfície de contacto com a bola, deste modo temos:
  6. 6.  Desvio com a mão - realiza-se quando a bola descreve uma trajectória área, o contacto com a bola é precedido de um deslocamento frontal e nunca deve ser efectuado em apoio. Esta ação técnica deve ser utilizada quando a receção da bola seja inadequada ou quando a sua posse não seja garantida.  Desvios com o pé - com o novo quadro de regulamentos esta ação técnica foi valorizada. Alguns dos erros mais comuns são desviar a bola para as zonas centrais e desviar a bola sem contudo a tirar do centro do jogo. Colocação e orientação A colocação do Gr é fundamental para o correto desempenho da sua função táctica. O Gr deve modificar a sua colocação em função da direção da bola, dos seus companheiros e dos seus adversários. O conceito de orientação do Gr surge quando este se desloca no terreno com o objetivo de intervir no jogo, refere como pontos de referência para a orientação do Gr as esquinas da grande área, o semicírculo da grande área e a marca da grande penalidade. A orientação do Gr quando a equipa se encontra em posse de bola deve ter em atenção:  Evitar abandonar as zonas centrais da grande área;  Situar-se no semicírculo da sua grande área, com o objetivo de dar profundidade à sua linha defensiva. Saídas Esta ação técnica é realizada pelo Gr quando saí da sua área de proteção no sentido intervir sobre a bola utilizando para tal um gesto técnico especifico (receção ou desvios). A execução técnica da saída divide-se em dois momentos distintos, (a) o deslocamento e (b) a intervenção sobre a bola. A bola encontra-se na
  7. 7. posse do adversário que a conduz na direção da baliza. Na ação de condução de bola, diferencia-se dois momentos, (1) um em que a bola se encontra fora do controlo motor do atacante (2) e outro em que o jogador está em contacto com a bola. É pois, no primeiro momento (1) que o Gr deve intervir sobre a bola, de forma rápida e decidida. Fig. 9 - Momento da intervenção do Gr sobre a bola As saídas, com orientação defensiva, classificam-se de acordo com o tipo de deslocamento feito pelo Gr, assim temos:  Saída frontal - deslocamento frontal.  Saída lateral - deslocamento lateral. Reposição de bola em jogo Define-a como a ação realizada pelo Gr em posse de bola com o objetivo de dar continuidade ao jogo. Em função da superfície corporal utilizada para a realização do gesto técnico, pode-se classificar a reposição de bola em jogo como reposição com o pé e reposição com a mão.
  8. 8. Reposição com o pé Para uma correta execução deste tipo de reposição é fundamental que o Gr realize em simultâneo um deslocamento frontal e uma extensão completa do braço que lança a bola para o pé. Fig. 10 - Deslocamento frontal e extensão completa do braço que lança a bola para o pé Alguns dos erros mais comuns na realização da reposição de bola com o pé são:  Fletir o braço que lança a bola;  Executar a reposição para fora do terreno de jogo;  Realizar o gesto técnico a partir de uma posição estática.
  9. 9. Reposição com a mão Como critérios de execução para este gesto técnico o autor refere a extensão completa do braço e o olhar dirigido para a zona alvo. Fig. 11 - Extensão completa do braço e olhar dirigido para a zona alvo Alguns dos erros mais comuns na realização da reposição de bola com a mão são:  Fletir o braço que executa;  Realizar um lançamento de precisão em que a bola contacta com o solo antes de contactar com o jogador.
  10. 10. Proposta metodológica de exercícios para os gestos técnicos de base. Exercício 1 Forma - fundamental III Numero - Gr + 1 + (J) x 1 + Gr Espaço - 35 x 20 metros Preocupações - Saídas, receções, colocação e orientação. Descrição - jogo reduzido no sector central (35 x 20 metros) em que a equipa em posse de bola e em superioridade numérica, após realizar 5 passes consecutivos invade a área atacante adversária, e sem oposição tenta finalizar.
  11. 11. Exercício 2 Forma - fundamental III Numero - Gr + 1 (J) x 1 + Gr Espaço - 35 x 20 metros Preocupações - Saídas, receções, colocação e orientação. Descrição jogo reduzido no sector central (35 x 20 metros) em que a equipa em posse de bola e em superioridade numérica procura o golo com remates de fora da área tracejada.
  12. 12. Exercício 3 Forma - fundamental III Numero - Gr + 2 + (J) x 2 + Gr Espaço - 30 x 30 metros Preocupações - Saídas, receções, colocação e orientação. Descrição - jogo reduzido, em que não existe oposição nas faixas laterais, sendo obrigatório que o jogador em posse de bola e que nelas se encontre fazer cruzamento das zonas demarcadas. A equipa em posse de bola encontra-se em superioridade numérica.

×