A luta contra os agrotóxicos e transgênicos:
Impactos e perspectivas

Leonardo Melgarejo - GEA/NEAD-MDA - melgarejo.leonar...
Síntese

Articulação de Interesses
(Economia do Agronegócio)
Descaso às evidências

Perspectivas?
Reações convergentes!
Uma breve Revisão : A TECNOLOGIA DO DNA
RECOMBINANTE

DNA do organismo
doador

DNA da planta
receptora

Transformação
gené...
Fragilidades do Dogma Central
Interactoma do
verme C. elegans
Genoma
sequenciado
17mil genes

Uma
Proteína
A distância entre intenções e gestos  uma “ciência” pra lá de imprecisa
O surgimento de novos problemas
Nome da espécie resistente ao
Bt

Família

Tipo de
cultivo
envolvido

Proteína

País onde
...
A EVOLUÇÂO: partindo de mais do mesmo para receitas mais perigosas

Benzoato de emamectina?
2,4-D ?
Benefícios e lucros maiores, riscos menores? Mais comida e menos veneno?

“Riscos e Liberação de OGM no Meio Ambiente” - A...
Evolução da Produtividade e da Área Cultivada com Soja – Brasil 1991-2010

Catacora-Vargas, G., Galeano, P., Agapito-Tenfe...
A Soja no Rio Grande do Sul - produtividade média e a expectativa de
rendimento períodos 1990-2001 X 2005-2013 em Kg/ha/an...
Onde estão ocorrendo os tais ganhos de produtividade?
A Lei de Biossegurança expandiu o uso de agrotóxicos?
A lei de Biossegurança acelerou a liberação de OGMs no Brasil - Com segurança?

Lei n° 11.105 – Lei de Biossegurança, de 2...
Aspectos recorrentes – o cotidiano nas avaliações de risco

1. Estudos insuficientes e elaborados pelos
próprios interessa...
Uma inovação na forma de examinar evidências?

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=359186500853897&set=a.1623
97510532...
Inovação no Monitoramento RN5 RN9
Soja RR, Anos 3-4, Processo CTNBio 01200.000516/2006-64.
RN 5 - compara sistema RR X Co...
Inovação no Monitoramento
Soja RR, Anos 3-4, Processo CTNBio 01200.000516/2006-64

RN 9 - Monitoramento geral
1.
2.
3.
4.
...
Reunião Plenária CTNBio, Outubro 2013
Reunião Plenária da CTNBio – Outubro de 2013.
Inovação no Monitoramento

RN5 RN9

Soja RR, Anos 3-4, Processo CTNBio 01200.000516/2006-64

Monitoramento Específico  C...
Como fica o monitoramento dos eventos com vários genes exógenos?

Algumas LCs de Milho GM
PROCESSO

Deliberação Evento

01...
Séralini, G.-E., et al. Long term toxicity of a Roundup herbicide and a
Roundup-tolerant genetically modified maize. Food ...
Criando mecanismos para isenção de
análises e apostando na excelência de
decisões técnicas, com desprezo às
percepções da ...
Campanha Brasil Livre de
Transgênicos e Agrotóxicos

Criação do GEA-NEAD/MDA
Posicionamentos CFN
Mesas Temáticas do CONSEA...
O que é o Desenvolvimento?
OBRIGADO!
Apresentação leonardo melgarejo   cba agroecologia 2013
Apresentação leonardo melgarejo   cba agroecologia 2013
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação leonardo melgarejo cba agroecologia 2013

921 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
921
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação leonardo melgarejo cba agroecologia 2013

  1. 1. A luta contra os agrotóxicos e transgênicos: Impactos e perspectivas Leonardo Melgarejo - GEA/NEAD-MDA - melgarejo.leonardo@gmail.com
  2. 2. Síntese Articulação de Interesses (Economia do Agronegócio) Descaso às evidências Perspectivas? Reações convergentes!
  3. 3. Uma breve Revisão : A TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE DNA do organismo doador DNA da planta receptora Transformação genética Gene desejado Planta transgênica + Efeitos esperados e estabilidade hereditária?
  4. 4. Fragilidades do Dogma Central Interactoma do verme C. elegans Genoma sequenciado 17mil genes Uma Proteína
  5. 5. A distância entre intenções e gestos  uma “ciência” pra lá de imprecisa
  6. 6. O surgimento de novos problemas Nome da espécie resistente ao Bt Família Tipo de cultivo envolvido Proteína País onde apareceu a resistência Número de anos entre primeiro cultivo da planta e detecção da resistência ao Bt Busseola fusca Lepidóptera Milho Cry1Ab África do Sul 8 Diabrotica virgifera Coleóptera Milho Cry3Bb EUA 7 Spodoptera frugiperda Lepidóptera Milho Cry1F EUA 3 Helicoverpa zea Lepidóptera Algodão Cry1Ac EUA 6 Helicoverpa zea Lepidóptera Algodão Cry2Ab EUA 2 Pectinophora gossypiella Lepidóptera Algodão Cry1Ac Índia 6
  7. 7. A EVOLUÇÂO: partindo de mais do mesmo para receitas mais perigosas Benzoato de emamectina? 2,4-D ?
  8. 8. Benefícios e lucros maiores, riscos menores? Mais comida e menos veneno? “Riscos e Liberação de OGM no Meio Ambiente” - Aspectos socioeconômicos
  9. 9. Evolução da Produtividade e da Área Cultivada com Soja – Brasil 1991-2010 Catacora-Vargas, G., Galeano, P., Agapito-Tenfen, S.Z., Aranda, D., Palau, T. , Nodari, R.O. Producción de Soya em las Américas: Actualización sobre el Uso de Tierras y Pesticidas.Genok/UFSC/REDES/BASE. Cochabamba, Bolivia. 2012. 43p., p.11.
  10. 10. A Soja no Rio Grande do Sul - produtividade média e a expectativa de rendimento períodos 1990-2001 X 2005-2013 em Kg/ha/ano e “safra transgênica” de 2003 Rendimento Previsto (Expectativa) A SAFRA Safra TRANSGENICA DE 2002-2003 2001/2002 Evolução sobre Previsão Evolução no Rendimento Evolução na Previsão Safra Média 2002/2003 1999/2002 -25% 25% -11% 91% 142% 100% 108% 102% 100% (Fonte: EMATER/RS)
  11. 11. Onde estão ocorrendo os tais ganhos de produtividade?
  12. 12. A Lei de Biossegurança expandiu o uso de agrotóxicos?
  13. 13. A lei de Biossegurança acelerou a liberação de OGMs no Brasil - Com segurança? Lei n° 11.105 – Lei de Biossegurança, de 24/03/2005
  14. 14. Aspectos recorrentes – o cotidiano nas avaliações de risco 1. Estudos insuficientes e elaborados pelos próprios interessados 2. Estudos inadequados, de curto prazo e apoiados em métodos estatísticos mal documentados. 3. Desprezo a informações problemáticas contidas nos processos. 4. Desprezo a normas da CTNBio . 5. Omissão de dados necessários para conferência dos resultados apresentados. 6. Descaso a aspectos sócio-econômicos.
  15. 15. Uma inovação na forma de examinar evidências? https://www.facebook.com/photo.php?fbid=359186500853897&set=a.1623 97510532798.29566.100002876515675&type=1&theater Estudos de “equivalência” Conclusões precipitadas  Monitoramento?
  16. 16. Inovação no Monitoramento RN5 RN9 Soja RR, Anos 3-4, Processo CTNBio 01200.000516/2006-64. RN 5 - compara sistema RR X Convencional em regiões representativas do cultivo da soja, avaliando: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. características físico-químicas do solo banco de diásporas (sementes) de plantas daninhas no solo comunidades de plantas daninhas no campo; resistência de plantas daninhas ao herbicida glifosato fluxo do gene de resistência ao glifosato das PGMs para plantas de soja convencionais resíduos de glifosato e AMPA em grãos de soja resíduos de glifosato e AMPA no solo diversidade microbiana do solo microflora degradadora de glifosato no solo fixação biológica do nitrogênio; biomassa microbiana respiração edáfica e quociente metabólico atividade enzimática do solo processos de dinâmica de nutrientes no solo diversidade de fungos micorrizicos vesículo-arbusculares protozoários do solo; nematoides do solo e raízes artopodofauna do solo e da superfície do solo artropodofauna aérea e produtividade da cultura da soja
  17. 17. Inovação no Monitoramento Soja RR, Anos 3-4, Processo CTNBio 01200.000516/2006-64 RN 9 - Monitoramento geral 1. 2. 3. 4. Relatórios de encontros técnicos ; Serviço de atendimento ao consumidor (SAC); questionários aos usuários ; artigos científicos ou relatórios de agências governamentais; 5. Sistemas oficiais de notificação. Monitoramento Específico  Caso a CTNBio entenda que o efeito adverso esteja relacionado com o OGM, “a requerente deverá submeter uma proposta de experimentação científica” (Art. 12 - § 3º), que deverá “ser específica para o efeito adverso constatado no monitoramento geral (Art. 14).
  18. 18. Reunião Plenária CTNBio, Outubro 2013
  19. 19. Reunião Plenária da CTNBio – Outubro de 2013.
  20. 20. Inovação no Monitoramento RN5 RN9 Soja RR, Anos 3-4, Processo CTNBio 01200.000516/2006-64 Monitoramento Específico  Caso a CTNBio entenda que o efeito adverso esteja relacionado com o OGM, “a requerente deverá submeter uma proposta de experimentação científica” (Art. 12 - § 3º), que deverá “ser específica para o efeito adverso constatado no monitoramento geral (Art. 14). Diante das normas atuais, o Monitoramento propriamente dito só ocorrerá após a comprovação dos problemas que o Monitoramento deveria evitar.
  21. 21. Como fica o monitoramento dos eventos com vários genes exógenos? Algumas LCs de Milho GM PROCESSO Deliberação Evento 01200.007232/ 119ª 2006-07 11/12/2008 01200.001016/ 127ª 2009-92 15/10/2009 01200.000926/ 126ª 2009-58 17/09/2009 01200.003952/ 138ª 2009-38 18/11/2010 01200.001455/ 139ª 2010-39 16/10/2010 01200.003895/ 143ª 2010-21 16/06/2011 Gene Caracteristica Resistência a TC 1507 Cry 1F/pat Insetos/Tolerância a herbicidas Resistência a TC 1507 x Cry 1F/epsps Insetos/Tolerância a NK603 herbicidas Resistência a MON 810 x Cry 1Ab/epsps Insetos/Tolerância a NK603 herbicidas MON 89034 x Cry1A.105/Cry2A Resistência a Insetos/Tolerância a b2/epsps NK603 herbicidas MON89034x Cry1A.105/Cry2A Resistência a TC1507 x b2/ Cry 1F/pat Insetos/Tolerância a epsps herbicidas NK603 TC1507 x Resistência a MON810 x Cry 1F/pat/ Cry Insetos/Tolerância a 1Ab herbicidas NK603 Proponente DuPont/Dow DuPont/Dow Monsanto Monsanto Monsanto/Dow Du Pont
  22. 22. Séralini, G.-E., et al. Long term toxicity of a Roundup herbicide and a Roundup-tolerant genetically modified maize. Food and Chemical Toxicol. (2012), http://dx.doi.org/10.1016/j.fct.2012.08.005 Long term toxicity of a Roundup herbicide and a Roundup-tolerant genetically modified maize (http://www.stopogm.net/webfm_send/746) ...results can be explained by the non linear endocrine-disrupting effects of Roundup, but also by the overexpression of the transgene in the GMO and its metabolic consequences.
  23. 23. Criando mecanismos para isenção de análises e apostando na excelência de decisões técnicas, com desprezo às percepções da sociedade, a CTNBio estaria contribuindo para o descrédito do governo e suas instituições? Flexibilização as normas de biossegurança – O Caso do Monitoramento Pós-Liberação Comercial de Plantas Geneticamente Modificadas, no Brasil. - Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia – Porto Alegre/RS – 25 a 28/11/2013
  24. 24. Campanha Brasil Livre de Transgênicos e Agrotóxicos Criação do GEA-NEAD/MDA Posicionamentos CFN Mesas Temáticas do CONSEA Seminário 10 anos de transgênicos Cursos GENOK-UFSC Audiência Pública MPF Perspectivas / tendências – O que está acontecendo?
  25. 25. O que é o Desenvolvimento?
  26. 26. OBRIGADO!

×