SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Aspectos de SST em Supermercados, Redes,
Centros de Distribuição, Atacados e Panificações
Alessandra Gilibert de Oliveira
Elizabete Fernandes Cavalcante
Gilson Cesar Braga di Lucca
Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Rio de Janeiro
Seção de Segurança e Saúde no Trabalho - SEGUR
SEGUR
Dr. Narciso Guedes – chefe Seção
Dr. José Veríssimo Junior – chefe SEFIS
NR - 13
VASOS DE PRESSÃO
TÓPICOS
• CONSCIENTIZAÇÃO;
• ENTENDENDO A NR-13;
• OUTRAS EXIGÊNCIAS PARA
SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COM
AMÔNIA;
• INVENTÁRIO DE MATERIAIS
PERIGOSOS.
COM A BENÇÃO DE DEUS!!!!!
PORÉM!!!!
ÁFRICA 2004
Tubo de Aerossol
Tubulação de amônia rompe e mata trabalhador em
Carambeí
Por causa do forte cheiro de amônia, cerca de 500 trabalhadores foram dispensados para evitar novas
contaminações
26/10/2009 | 19:42 | RODRIGO KWIATKOWSKI DA SILVA, ESPECIAL PARA GAZETA DO POVO
O operário Cláudio Domingos Pavin morreu após o rompimento de uma tubulação de amônia na indústria de
alimentos Perdigão, na cidade de Carambeí, nos Campos Gerais do estado. Ele estava trabalhando na
manutenção dos tubos, no final da manhã desta segunda-feira (26), quando aconteceu o acidente. Cláudio teve
queimaduras graves no rosto e morreu minutos depois, após ser atendido pela equipe de primeiros socorros da
empresa e ser levado ao posto médico da cidade. O produto é utilizado para refrigeração.
O trabalhador tinha 51 anos e morava em Valinhos, São Paulo. Ele executava serviços para a empresa Mebrafe
Instalações e Equipamentos Frigoríficos, contratada pela Perdigão. Por causa do forte cheiro de amônia, cerca
de 500 trabalhadores foram dispensados para evitar novas contaminações.
A Brasil Foods, proprietária da Perdigão, divulgou nota nesta tarde. Segundo a empresa, “todos os
procedimentos de emergência e contingência foram realizados, de forma que nenhum outro incidente,
envolvendo pessoas, foi constatado”. Ainda conforme a nota, será realizado um inquérito administrativo para
apurar as circunstâncias da ocorrência, “uma vez que existe todo um protocolo para esse tipo de atividade”.
Segundo o delegado em Carambeí, Marcus Vinícius Sebastião, a Polícia Civil irá abrir inquérito para investigar
as circunstâncias do acidente de trabalho. Nesta terça (27) será realizada uma perícia no local. “Por enquanto
as informações são superficiais. Precisamos verificar se havia equipamentos de segurança e vamos investigar”,
afirma.
Os sistemas de refrigeração por amônia consistem de uma série de vasos e tubulações interconectados, que
comprimem e bombeiam o gás para um ou mais ambientes, com a função de resfriá-los. O contato com o
produto ocasiona queimaduras, pois a função da amônia é absorver o máximo possível de calor do ambiente e
dos produtos que estiverem no local.
ENTENDENDO A NR -13
VASOS DE PRESSÃO
•CONTÉM FLUIDOS SOB PRESSÃO
•PRESSÃO INTERNA OU EXTERNA
•GEOMETRIAS VARIADAS
•GASES , LÍQUIDOS, SÓLIDOS OU MISTOS
•INDÚSTRIAS, NAVIOS, PLATAFORMAS,HOTEIS,
HOSPITAIS.
ENTENDENDO A NR -13
PROFISSIONAL HABILITADO
• Quem tem competência legal para o
exercício da profissão de engenheiro
conforme regulamentação vigente;
• Quem define competência é o conselho de
classe;
• Não é necessário inscrição na DRT;
• PH pode ser autônomo, da empresa ou
prestadora de serviço.
ENTENDENDO A NR -13
Constitui Risco Grave e Imininente (RGI) a
falta de qualquer um dos seguintes itens:
• Válvula ou dispositivo de segurança com abertura
ajustada em valor igual ou inferior a PMTA, instalada
diretamente no vaso ou no sistema que o inclui;
• Dispositivo de segurança contra bloqueio inadvertido da
vávula quando esta não estiver instalada diretamente no
vaso;
• Instrumento que indique pressão de operação.
ENTENDENDO A NR -13
Todo vaso de pressão deve ter afixado em seu corpo,
em local de fácil acesso e bem visível, placa de
identificação indelével com, no mínimo, as seguintes
informações:
a) Fabricante;
b) Número de identificação;
c) Ano de fabricação;
d) Pressão máxima de trabalho admissível;
e) Pressão de teste hidrostático;
f) Código de projeto e ano de fabricação.
Também realizar a sinalização, identificando a
Categoria do Vaso de Pressão.
ENTENDENDO A NR -13
Todo vaso de pressão deve possuir, no
estabelecimento onde estiver instalado , a
seguinte documentação devidamente
atualizada:
a) Prontuário do vaso de pressão a ser fornecido
pelo fabricante;
b) Registro de Segurança
c) Projeto de instalação
d) Projetos de alteração e reparo
e) Relatórios de Inspeção
ENTENDENDO A NR -13
Prontuário do Vaso de Pressão
• Código de projeto e ano de fabricação;
• Especificação dos materiais;
• Procedimento utilizados na fabricação, montagem e
inspeção final e determinação da PMTA;
• Conjunto de desenhos e demais dados necessários para
o monitoramento de sua vida útil;
• Características funcionais;
• Dados dos dispositivos de segurança;
• Ano de fabricação;
• Categoria do vaso.
ENTENDENDO A NR -13
Registro de Segurança
Deve ser constituído por livro de páginas numeradas, pastas
ou sistema informatizado ou não, com confiabilidade
equivalente, onde serão registrados:
a) Todas as ocorrências importantes capazes de influir nas
condições de segurança dos vasos;
b) As ocorrências de inspeção de segurança.
É importante que sejam registrados neste livro somente as
ocorrências que possam afetar a integridade física do ser
humano, exemplo típico destas ocorrências: explosões,
incêndios, vazamentos, ruptura de componentes, operação
fora dos valores previstos, prazos de inspeção
ultrapassados, funcionamento irregular de válvulas de
segurança etc.
ENTENDENDO A NR -13
INSTALAÇÃO DE VASO DE PRESSÃO
AMBIENTE ABERTO
DUAS SAÍDAS INDEPENDENTES
ACESSO SEGURO PARTES ALTAS
TER ILUMINAÇÃO CONVENCIONAL
TER ILUMINAÇÃO EMERGÊNCIAL
RGI
ENTENDENDO A NR -13
INSTALAÇÃO DE VASO DE
PRESSÃO
AMBIENTE FECHADO
DUAS SAÍDAS INDEPENDENTES
ACESSO SEGURO PARTES ALTAS
TER ILUMINAÇÃO CONVENCIONAL
TER ILUMINAÇÃO EMERGÊNCIA
VENTILAÇÃO PERMANENTE
RGI
ENTENDENDO A NR -13
UNIDADES COM VASOS CATEGORIA I, II E III
FAZER PROJETO DE INSTALAÇÃO
ASSINADO POR P.H.
ASSINADO POR ESPECIALISTA, CASO
NECESSÁRIO
ENTENDENDO A NR -13
Instalação de Vaso de Pressão sem atender
os requisitos da Norma, que configure RGI:
1) Elaborar “Projeto Alternativo de
Instalação” contendo medidas concretas
para atenuação dos riscos;
2) Responsabilidade de Profissional
Habilitado;
3) Acordo com a representação sindical da
categoria profissional predominante no
estabelecimento.
ENTENDENDO A NR -13
Projetos de Alteração e Reparo
• Devem ser concebidos sempre que as condições de
projeto forem modificadas ou sempre que forem
realizados reparos que possam comprometer a
segurança;
• Ser concebido ou aprovado por PH;
• Determinar materiais, procedimentos de execução,
controle de qualidade e qualificação profissional;
• Ser divulgado para os funcionários dos estabelecimento
que possam ser envolvidos com o estabelecimento;
• Sempre que houver soldagem em partes submetidas a
pressão, esta deve ser seguida por teste hidrostático,
que deverá seguir determinados parâmetros, entre eles
de segurança, que deverão constar do Relatório de
Inspeção de Segurança.
ENTENDENDO A NR -13
INSPEÇÕES DE SEGURANÇA
SEGURANÇA INICIAL
• Feita antes de sua entrada em
funcionamento;
• No local definitivo de instalação;
• Exame externo, interno e teste
hidrostático( considerando as limitações);
• As inspeções realizadas na dependência
do fabricante, não são aceitas.
ENTENDENDO A NR -13
INSPEÇÕES DE SEGURANÇA
PERIÓDICA
• Realizadas de acordo com prazos
estabelecidos em Norma;
• A abrangência da inspeção é definida
pelo PH, com base no histórico do vaso;
• Baseada em códigos em códigos e normas
internacionalmente conhecidas e
conhecimentos de engenharia.
ENTENDENDO A NR -13
INSPEÇÕES DE SEGURANÇA
Extraordinária
• No caso de danos por acidente ou outra
ocorrência que comprometa sua
segurança;
• Reparos ou alterações importantes;
• Em caso de estar parado por mais de
12(doze) meses;
• Mudança do local de instalação.
ENTENDENDO A NR -13
RELATÓRIO DE INSPEÇÃO
a) Identificação do vaso de pressão;
b) Fluidos de serviços e categoria do vaso de pressão;
c) Tipo de vaso de pressão;
d) Data de início e término da inspeção;
e) Descrição dos exames e testes executados;
f) Resultado das inspeções e intervenções executadas;
g) Conclusões
h) Recomendações e providências necessárias;
i) Data prevista para a próxima inspeção;
j) Nome legível, assinatura e número do conselho profissional
do PH, e assinatura e nome legível e assinatura de técnicos
que participaram da inspeção;
k) ART.
ENTENDENDO A NR -13
OPERAÇÃO DE VASOS
• Os instrumentos e controles de vasos de pressão devem ser mantidos
calibrados e em boas condições operacionais;
• Constitui Risco Grave e Iminente(RGI), o emprego de artifícios que
neutralizem seu sistema de segurança;
• Todo o vaso de pressão enquadrado na categoria I e II, deve possuir
manual de operação próprio com procedimentos de partida e paradas,
procedimentos e parâmetros operacionais e rotina, procedimentos para
situações de emergência e procedimentos gerais de segurança, saúde e
de preservação do meio ambiente;
• Vasos de categoria I E II devem ser operados por profissional com
Treinamento de Segurança em Operação de Unidades de Processo,
sendo que o não atendimento a esta exigência configura risco grave e
iminente(RGI);
• O responsável por treinar é o dono;
• Não existe número de vasos por operador( Não confundir com
sistemas).
OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA
1. Dotar a empresa de plano de alerta e evacuação
para situações de vazamento de amônia e combate
ao fogo, que deverá está previsto no PPRA,
realizando-se exercícios de simulação, pelo menos,
Semestralmente;
2- Prever, no PCMSO, ações de saúde relativas à
prevenção e ao atendimento de vítimas de
vazamento de amônia;
3- Dotar o local de trabalho de vias de fugas
sinalizadas e desobstruídas para a rápida retirada
do pessoal em serviço em vazamentos de amônia
OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA
4. Dotar a empresa de portas de emergência
sinalizadas e equipadas com dispositivo
interno de abertura imediata em caso de
sinistro, que deverão abrir no sentido da
saída, sendo proibido o seu fechamento a
chave ou cadeado durante o horário de
trabalho;
5- Dotar a empresa de sistema de alarme,
audível em todo o local de trabalho, com
pontos de acionamento nas áreas comuns de
acesso dos pavimentos;
OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA
6- Dotar a “casa de máquinas” do sistema de
refrigeração industrial com máscara autônoma
para utilização em caso de emergência, a qual
deverá ser acondicionada em armário próprio,
sinalizado e passar por inspeção mensal anotada
em ficha própria, treinando-se todos os
trabalhadores do setor de refrigeração para seu
uso;
7- Dotar o sistema de compressores de amônia de
dispositivo de parada de emergência, automático
e/ou manual, que possa ser acionado em caso de
emergência, desligando todo o sistema;
OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA
8- Realizar inspeção de segurança nos vasos sobre pressão
contendo amônia e treinar operadores, de acordo com o
que estabelece a NR 13 e seus anexos;
9- Dotar a sala de compressores de amônia de ventilação
exaustora forçada, que garanta rápida troca de ar
ambiente em caso de vazamento de amônia, devendo
haver mais de uma botoeira de acionamento da
exaustão colocadas em lugares de acesso comum.
10- Dotar o estabelecimento de equipamento que
permita monitorização quantitativa contínua das
concentrações de amônia nos ambientes do trabalho.
OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA
11 - A jornada de trabalho em locais frigorificados deve obedecer as seguintes faixas:
Faixa de Temperatura de Bulbo Seco (ºC) Máxima Exposição Diária Permissível para
Pessoas Adequadamente Vestidas para Exposição ao Frio.
+15,0 a -17,9 *
+12,0 a -17,9 **
+10,0 a -17,9 ***
Tempo total de trabalho no ambiente frio de 6 horas e 40 minutos, sendo quatro períodos
de 1 hora e 40 minutos alternados com 20 minutos de repouso e recuperação térmica
fora do ambiente de trabalho.
-18,0 a -33,9 Tempo total de trabalho no ambiente frio de 4 horas alternando- se 1 hora de
trabalho com 1 hora para recuperação térmica fora do ambiente frio.
-34,0 a -56,9 Tempo total de trabalho no ambiente frio de 1 hora, sendo dois períodos de 30
minutos com separação mínima de 4 horas para recuperação térmica fora do ambiente
frio.
-57,0 a -73,0 Tempo total de trabalho no ambiente frio de 5 minutos sendo o restante da
jornada cumprida obrigatoriamente fora de ambiente frio.
Abaixo de -73,0 Não é permitida a exposição ao ambiente frio, seja qual for a vestimenta
utilizada.
INVENTÁRIO DE LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS E INFLAMÁVEIS
1. Gasolina, Álcool, Diesel e GLP;
2. Quantidade de Tanques e Vasos de
Pressão;
3. Volume dos tanques e vasos;
4. Planta baixa da instalação;
PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM – CURSOS TÉCNICOS
1. Identificação
Curso TSEG 2014 N2 Unidade Xanxerê
Coordenador da S.A Moisés Kluska
Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s) Docentes
Programas em Segurança do Trabalho Tamara/Péricles
Saúde e Segurança a Emergência Moisés Kluska
Gestão em Saúde e Segurança do
Trabalho
Italo Antoniolli Soares
Metodologia Para Elaboração de Projetos Eliane Maria Calegari Beber
Saúde e Segurança do Trabalhado II Tamara/Jucely
Módulo
Básico Específico 01 Específico 02 Específico 03
2. Tipo
Estudo de Caso Situação Problema Pesquisa Projeto
Outro Visita Técnica para coleta, análises discussão de dados.
3. Tema1
Realizar coleta, análise e discussão de dados de risco e sistema preventivo de emergência
de uma Empresa.
4. Contexto2
Realizar visita em uma empresa, visando a indentificação dos principais riscos (Fisícos,
químicos, biológicos, ergonômicos e de acidentes), através de coletas destes riscos e
posteriormente desenvolver análise e discussão dos mesmos, para a elaboração de
relatório e apresentação em sala aula.
Etapas:
- Divisão dos Grupos no máximo cinco (05) alunos por grupo;
- Realizar visita técnica in loco;
Obrigado por sua atenção!!!!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 1_SRTE_CD.ppt

APOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.ppt
APOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.pptAPOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.ppt
APOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.ppt
ssuser22319e
 
Sobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.ppt
Sobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.pptSobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.ppt
Sobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.ppt
luasiq47
 
Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02
Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02
Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02
Heverton Marchetto
 
Treinamento nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...
Treinamento   nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...Treinamento   nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...
Treinamento nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...
Cristian Briet
 
NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...
NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...
NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...
RobertoFailache1
 

Semelhante a 1_SRTE_CD.ppt (20)

Vaso pressão
Vaso pressãoVaso pressão
Vaso pressão
 
Vaso pressão (1)
Vaso pressão (1)Vaso pressão (1)
Vaso pressão (1)
 
APOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.ppt
APOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.pptAPOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.ppt
APOSTILA.SEGURANCA.E.SAUDE.NO.TRABALHO.COM INFLAMAVEIS E COMBUSTIVIES.NR.20.ppt
 
Nr 13
Nr 13Nr 13
Nr 13
 
Válvulas - dispositivos de segurança
Válvulas -  dispositivos de segurançaVálvulas -  dispositivos de segurança
Válvulas - dispositivos de segurança
 
slide_ENTENDENDO NR 13_FIM_1.pptx
slide_ENTENDENDO NR 13_FIM_1.pptxslide_ENTENDENDO NR 13_FIM_1.pptx
slide_ENTENDENDO NR 13_FIM_1.pptx
 
1268972.ppt
1268972.ppt1268972.ppt
1268972.ppt
 
Sobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.ppt
Sobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.pptSobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.ppt
Sobre a NR-13 p Caldeiras e Vasos de Pressão.ppt
 
Interpretacao de normas leis TAC SP
Interpretacao de normas leis TAC SPInterpretacao de normas leis TAC SP
Interpretacao de normas leis TAC SP
 
Tst aula 07
Tst   aula 07Tst   aula 07
Tst aula 07
 
Nbr 12177 2 - 1999 - inspeção caldeiras aquatubulares
Nbr 12177 2 - 1999 - inspeção caldeiras aquatubularesNbr 12177 2 - 1999 - inspeção caldeiras aquatubulares
Nbr 12177 2 - 1999 - inspeção caldeiras aquatubulares
 
Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02
Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02
Nbr12177 2-1999-inspeocaldeirasaquatubulares-150212164823-conversion-gate02
 
383658421 laudo-de-compressor
383658421 laudo-de-compressor383658421 laudo-de-compressor
383658421 laudo-de-compressor
 
Apresentação NR13.pptx Apresentação NR13.pptx
Apresentação NR13.pptx Apresentação NR13.pptxApresentação NR13.pptx Apresentação NR13.pptx
Apresentação NR13.pptx Apresentação NR13.pptx
 
SLIDE NR 12 - 01.pptx
SLIDE NR 12 - 01.pptxSLIDE NR 12 - 01.pptx
SLIDE NR 12 - 01.pptx
 
Treinamento NR 12.pptx
Treinamento NR 12.pptxTreinamento NR 12.pptx
Treinamento NR 12.pptx
 
TREIANMENTO DE NR13 - SEGURANÇA EM OPERAÇÃO EM CALDEIRAS
TREIANMENTO DE NR13 - SEGURANÇA EM OPERAÇÃO EM CALDEIRASTREIANMENTO DE NR13 - SEGURANÇA EM OPERAÇÃO EM CALDEIRAS
TREIANMENTO DE NR13 - SEGURANÇA EM OPERAÇÃO EM CALDEIRAS
 
Apostila de Vida Residual - Básica
Apostila de Vida Residual - BásicaApostila de Vida Residual - Básica
Apostila de Vida Residual - Básica
 
Treinamento nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...
Treinamento   nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...Treinamento   nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...
Treinamento nr 20 - segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combust...
 
NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...
NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...
NR 33 - Adequação dos espaços confinados das usinas sucroalcooleiras à nova N...
 

1_SRTE_CD.ppt

  • 1. Aspectos de SST em Supermercados, Redes, Centros de Distribuição, Atacados e Panificações Alessandra Gilibert de Oliveira Elizabete Fernandes Cavalcante Gilson Cesar Braga di Lucca Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Rio de Janeiro Seção de Segurança e Saúde no Trabalho - SEGUR SEGUR Dr. Narciso Guedes – chefe Seção Dr. José Veríssimo Junior – chefe SEFIS
  • 2. NR - 13 VASOS DE PRESSÃO
  • 3. TÓPICOS • CONSCIENTIZAÇÃO; • ENTENDENDO A NR-13; • OUTRAS EXIGÊNCIAS PARA SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COM AMÔNIA; • INVENTÁRIO DE MATERIAIS PERIGOSOS.
  • 4. COM A BENÇÃO DE DEUS!!!!!
  • 8. Tubulação de amônia rompe e mata trabalhador em Carambeí Por causa do forte cheiro de amônia, cerca de 500 trabalhadores foram dispensados para evitar novas contaminações 26/10/2009 | 19:42 | RODRIGO KWIATKOWSKI DA SILVA, ESPECIAL PARA GAZETA DO POVO O operário Cláudio Domingos Pavin morreu após o rompimento de uma tubulação de amônia na indústria de alimentos Perdigão, na cidade de Carambeí, nos Campos Gerais do estado. Ele estava trabalhando na manutenção dos tubos, no final da manhã desta segunda-feira (26), quando aconteceu o acidente. Cláudio teve queimaduras graves no rosto e morreu minutos depois, após ser atendido pela equipe de primeiros socorros da empresa e ser levado ao posto médico da cidade. O produto é utilizado para refrigeração. O trabalhador tinha 51 anos e morava em Valinhos, São Paulo. Ele executava serviços para a empresa Mebrafe Instalações e Equipamentos Frigoríficos, contratada pela Perdigão. Por causa do forte cheiro de amônia, cerca de 500 trabalhadores foram dispensados para evitar novas contaminações. A Brasil Foods, proprietária da Perdigão, divulgou nota nesta tarde. Segundo a empresa, “todos os procedimentos de emergência e contingência foram realizados, de forma que nenhum outro incidente, envolvendo pessoas, foi constatado”. Ainda conforme a nota, será realizado um inquérito administrativo para apurar as circunstâncias da ocorrência, “uma vez que existe todo um protocolo para esse tipo de atividade”. Segundo o delegado em Carambeí, Marcus Vinícius Sebastião, a Polícia Civil irá abrir inquérito para investigar as circunstâncias do acidente de trabalho. Nesta terça (27) será realizada uma perícia no local. “Por enquanto as informações são superficiais. Precisamos verificar se havia equipamentos de segurança e vamos investigar”, afirma. Os sistemas de refrigeração por amônia consistem de uma série de vasos e tubulações interconectados, que comprimem e bombeiam o gás para um ou mais ambientes, com a função de resfriá-los. O contato com o produto ocasiona queimaduras, pois a função da amônia é absorver o máximo possível de calor do ambiente e dos produtos que estiverem no local.
  • 9. ENTENDENDO A NR -13 VASOS DE PRESSÃO •CONTÉM FLUIDOS SOB PRESSÃO •PRESSÃO INTERNA OU EXTERNA •GEOMETRIAS VARIADAS •GASES , LÍQUIDOS, SÓLIDOS OU MISTOS •INDÚSTRIAS, NAVIOS, PLATAFORMAS,HOTEIS, HOSPITAIS.
  • 10. ENTENDENDO A NR -13 PROFISSIONAL HABILITADO • Quem tem competência legal para o exercício da profissão de engenheiro conforme regulamentação vigente; • Quem define competência é o conselho de classe; • Não é necessário inscrição na DRT; • PH pode ser autônomo, da empresa ou prestadora de serviço.
  • 11. ENTENDENDO A NR -13 Constitui Risco Grave e Imininente (RGI) a falta de qualquer um dos seguintes itens: • Válvula ou dispositivo de segurança com abertura ajustada em valor igual ou inferior a PMTA, instalada diretamente no vaso ou no sistema que o inclui; • Dispositivo de segurança contra bloqueio inadvertido da vávula quando esta não estiver instalada diretamente no vaso; • Instrumento que indique pressão de operação.
  • 12. ENTENDENDO A NR -13 Todo vaso de pressão deve ter afixado em seu corpo, em local de fácil acesso e bem visível, placa de identificação indelével com, no mínimo, as seguintes informações: a) Fabricante; b) Número de identificação; c) Ano de fabricação; d) Pressão máxima de trabalho admissível; e) Pressão de teste hidrostático; f) Código de projeto e ano de fabricação. Também realizar a sinalização, identificando a Categoria do Vaso de Pressão.
  • 13. ENTENDENDO A NR -13 Todo vaso de pressão deve possuir, no estabelecimento onde estiver instalado , a seguinte documentação devidamente atualizada: a) Prontuário do vaso de pressão a ser fornecido pelo fabricante; b) Registro de Segurança c) Projeto de instalação d) Projetos de alteração e reparo e) Relatórios de Inspeção
  • 14. ENTENDENDO A NR -13 Prontuário do Vaso de Pressão • Código de projeto e ano de fabricação; • Especificação dos materiais; • Procedimento utilizados na fabricação, montagem e inspeção final e determinação da PMTA; • Conjunto de desenhos e demais dados necessários para o monitoramento de sua vida útil; • Características funcionais; • Dados dos dispositivos de segurança; • Ano de fabricação; • Categoria do vaso.
  • 15. ENTENDENDO A NR -13 Registro de Segurança Deve ser constituído por livro de páginas numeradas, pastas ou sistema informatizado ou não, com confiabilidade equivalente, onde serão registrados: a) Todas as ocorrências importantes capazes de influir nas condições de segurança dos vasos; b) As ocorrências de inspeção de segurança. É importante que sejam registrados neste livro somente as ocorrências que possam afetar a integridade física do ser humano, exemplo típico destas ocorrências: explosões, incêndios, vazamentos, ruptura de componentes, operação fora dos valores previstos, prazos de inspeção ultrapassados, funcionamento irregular de válvulas de segurança etc.
  • 16. ENTENDENDO A NR -13 INSTALAÇÃO DE VASO DE PRESSÃO AMBIENTE ABERTO DUAS SAÍDAS INDEPENDENTES ACESSO SEGURO PARTES ALTAS TER ILUMINAÇÃO CONVENCIONAL TER ILUMINAÇÃO EMERGÊNCIAL RGI
  • 17. ENTENDENDO A NR -13 INSTALAÇÃO DE VASO DE PRESSÃO AMBIENTE FECHADO DUAS SAÍDAS INDEPENDENTES ACESSO SEGURO PARTES ALTAS TER ILUMINAÇÃO CONVENCIONAL TER ILUMINAÇÃO EMERGÊNCIA VENTILAÇÃO PERMANENTE RGI
  • 18. ENTENDENDO A NR -13 UNIDADES COM VASOS CATEGORIA I, II E III FAZER PROJETO DE INSTALAÇÃO ASSINADO POR P.H. ASSINADO POR ESPECIALISTA, CASO NECESSÁRIO
  • 19. ENTENDENDO A NR -13 Instalação de Vaso de Pressão sem atender os requisitos da Norma, que configure RGI: 1) Elaborar “Projeto Alternativo de Instalação” contendo medidas concretas para atenuação dos riscos; 2) Responsabilidade de Profissional Habilitado; 3) Acordo com a representação sindical da categoria profissional predominante no estabelecimento.
  • 20. ENTENDENDO A NR -13 Projetos de Alteração e Reparo • Devem ser concebidos sempre que as condições de projeto forem modificadas ou sempre que forem realizados reparos que possam comprometer a segurança; • Ser concebido ou aprovado por PH; • Determinar materiais, procedimentos de execução, controle de qualidade e qualificação profissional; • Ser divulgado para os funcionários dos estabelecimento que possam ser envolvidos com o estabelecimento; • Sempre que houver soldagem em partes submetidas a pressão, esta deve ser seguida por teste hidrostático, que deverá seguir determinados parâmetros, entre eles de segurança, que deverão constar do Relatório de Inspeção de Segurança.
  • 21. ENTENDENDO A NR -13 INSPEÇÕES DE SEGURANÇA SEGURANÇA INICIAL • Feita antes de sua entrada em funcionamento; • No local definitivo de instalação; • Exame externo, interno e teste hidrostático( considerando as limitações); • As inspeções realizadas na dependência do fabricante, não são aceitas.
  • 22. ENTENDENDO A NR -13 INSPEÇÕES DE SEGURANÇA PERIÓDICA • Realizadas de acordo com prazos estabelecidos em Norma; • A abrangência da inspeção é definida pelo PH, com base no histórico do vaso; • Baseada em códigos em códigos e normas internacionalmente conhecidas e conhecimentos de engenharia.
  • 23. ENTENDENDO A NR -13 INSPEÇÕES DE SEGURANÇA Extraordinária • No caso de danos por acidente ou outra ocorrência que comprometa sua segurança; • Reparos ou alterações importantes; • Em caso de estar parado por mais de 12(doze) meses; • Mudança do local de instalação.
  • 24. ENTENDENDO A NR -13 RELATÓRIO DE INSPEÇÃO a) Identificação do vaso de pressão; b) Fluidos de serviços e categoria do vaso de pressão; c) Tipo de vaso de pressão; d) Data de início e término da inspeção; e) Descrição dos exames e testes executados; f) Resultado das inspeções e intervenções executadas; g) Conclusões h) Recomendações e providências necessárias; i) Data prevista para a próxima inspeção; j) Nome legível, assinatura e número do conselho profissional do PH, e assinatura e nome legível e assinatura de técnicos que participaram da inspeção; k) ART.
  • 25. ENTENDENDO A NR -13 OPERAÇÃO DE VASOS • Os instrumentos e controles de vasos de pressão devem ser mantidos calibrados e em boas condições operacionais; • Constitui Risco Grave e Iminente(RGI), o emprego de artifícios que neutralizem seu sistema de segurança; • Todo o vaso de pressão enquadrado na categoria I e II, deve possuir manual de operação próprio com procedimentos de partida e paradas, procedimentos e parâmetros operacionais e rotina, procedimentos para situações de emergência e procedimentos gerais de segurança, saúde e de preservação do meio ambiente; • Vasos de categoria I E II devem ser operados por profissional com Treinamento de Segurança em Operação de Unidades de Processo, sendo que o não atendimento a esta exigência configura risco grave e iminente(RGI); • O responsável por treinar é o dono; • Não existe número de vasos por operador( Não confundir com sistemas).
  • 26. OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA 1. Dotar a empresa de plano de alerta e evacuação para situações de vazamento de amônia e combate ao fogo, que deverá está previsto no PPRA, realizando-se exercícios de simulação, pelo menos, Semestralmente; 2- Prever, no PCMSO, ações de saúde relativas à prevenção e ao atendimento de vítimas de vazamento de amônia; 3- Dotar o local de trabalho de vias de fugas sinalizadas e desobstruídas para a rápida retirada do pessoal em serviço em vazamentos de amônia
  • 27. OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA 4. Dotar a empresa de portas de emergência sinalizadas e equipadas com dispositivo interno de abertura imediata em caso de sinistro, que deverão abrir no sentido da saída, sendo proibido o seu fechamento a chave ou cadeado durante o horário de trabalho; 5- Dotar a empresa de sistema de alarme, audível em todo o local de trabalho, com pontos de acionamento nas áreas comuns de acesso dos pavimentos;
  • 28. OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA 6- Dotar a “casa de máquinas” do sistema de refrigeração industrial com máscara autônoma para utilização em caso de emergência, a qual deverá ser acondicionada em armário próprio, sinalizado e passar por inspeção mensal anotada em ficha própria, treinando-se todos os trabalhadores do setor de refrigeração para seu uso; 7- Dotar o sistema de compressores de amônia de dispositivo de parada de emergência, automático e/ou manual, que possa ser acionado em caso de emergência, desligando todo o sistema;
  • 29. OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA 8- Realizar inspeção de segurança nos vasos sobre pressão contendo amônia e treinar operadores, de acordo com o que estabelece a NR 13 e seus anexos; 9- Dotar a sala de compressores de amônia de ventilação exaustora forçada, que garanta rápida troca de ar ambiente em caso de vazamento de amônia, devendo haver mais de uma botoeira de acionamento da exaustão colocadas em lugares de acesso comum. 10- Dotar o estabelecimento de equipamento que permita monitorização quantitativa contínua das concentrações de amônia nos ambientes do trabalho.
  • 30. OUTRAS EXIGÊNCIAS - SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO POR AMÔNIA 11 - A jornada de trabalho em locais frigorificados deve obedecer as seguintes faixas: Faixa de Temperatura de Bulbo Seco (ºC) Máxima Exposição Diária Permissível para Pessoas Adequadamente Vestidas para Exposição ao Frio. +15,0 a -17,9 * +12,0 a -17,9 ** +10,0 a -17,9 *** Tempo total de trabalho no ambiente frio de 6 horas e 40 minutos, sendo quatro períodos de 1 hora e 40 minutos alternados com 20 minutos de repouso e recuperação térmica fora do ambiente de trabalho. -18,0 a -33,9 Tempo total de trabalho no ambiente frio de 4 horas alternando- se 1 hora de trabalho com 1 hora para recuperação térmica fora do ambiente frio. -34,0 a -56,9 Tempo total de trabalho no ambiente frio de 1 hora, sendo dois períodos de 30 minutos com separação mínima de 4 horas para recuperação térmica fora do ambiente frio. -57,0 a -73,0 Tempo total de trabalho no ambiente frio de 5 minutos sendo o restante da jornada cumprida obrigatoriamente fora de ambiente frio. Abaixo de -73,0 Não é permitida a exposição ao ambiente frio, seja qual for a vestimenta utilizada.
  • 31. INVENTÁRIO DE LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS E INFLAMÁVEIS 1. Gasolina, Álcool, Diesel e GLP; 2. Quantidade de Tanques e Vasos de Pressão; 3. Volume dos tanques e vasos; 4. Planta baixa da instalação; PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM – CURSOS TÉCNICOS 1. Identificação Curso TSEG 2014 N2 Unidade Xanxerê Coordenador da S.A Moisés Kluska Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s) Docentes Programas em Segurança do Trabalho Tamara/Péricles Saúde e Segurança a Emergência Moisés Kluska Gestão em Saúde e Segurança do Trabalho Italo Antoniolli Soares Metodologia Para Elaboração de Projetos Eliane Maria Calegari Beber Saúde e Segurança do Trabalhado II Tamara/Jucely Módulo Básico Específico 01 Específico 02 Específico 03 2. Tipo Estudo de Caso Situação Problema Pesquisa Projeto Outro Visita Técnica para coleta, análises discussão de dados. 3. Tema1 Realizar coleta, análise e discussão de dados de risco e sistema preventivo de emergência de uma Empresa. 4. Contexto2 Realizar visita em uma empresa, visando a indentificação dos principais riscos (Fisícos, químicos, biológicos, ergonômicos e de acidentes), através de coletas destes riscos e posteriormente desenvolver análise e discussão dos mesmos, para a elaboração de relatório e apresentação em sala aula. Etapas: - Divisão dos Grupos no máximo cinco (05) alunos por grupo; - Realizar visita técnica in loco;
  • 32. Obrigado por sua atenção!!!!