Preconeito e os Dados Estatísticos

6.099 visualizações

Publicada em

A partir dos dados do IBGE é possível mostrar o quanto o preconceito racial está ativo no Brasil, infelizmente.

Publicada em: Ciências
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.099
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.242
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Preconeito e os Dados Estatísticos

  1. 1. POSTADO NO UNIVERSO REDECK 2014 Esse trabalho mostra como o preconceito está presente em nossa sociedade, e quais são as consequências desse terrível problema social.
  2. 2. Considerações Iniciais O preconceito racial é um problema ainda vigente no Brasil, apesar do país adotar uma legislação com leis que busquem minimizar ao máximo esse problema, ou até mesmo acabar com esse problema, o racismo ainda esta em constante manifestação. A existência do racismo pode ser verificada de diversas formas, tanto em agressões diretas mostradas na mídia, como em dados estatísticos, que comprovam a menor acessibilidade dos negros aos principais serviços sociais, que estar ligado as dificuldades que a sociedade ainda impões ao negro. O Brasil, um país com um sistema de leis que buscam dificultar a prática racista e possibilitar aos negros os mesmos direitos que todo cidadão brasileiro, ainda não é o suficiente para acabar com o problema. Mesmo com leis anti-racistas, a sociedade ainda busca meio para dificultar a presença do negro nos principais serviços sociais, as praticas de agressões verbais ainda são constantes e o negros ainda possui dificuldades de se inserir na sociedade. Todos esses problemas podem ser verificados por meio de analise estatística, com dados do IBGE, como será discutido a seguir.
  3. 3. Figura 1: gráficos mostrando o perfil da distribuição do trabalho informal entre negros, brancos e pardos na área rural de alguns estados do Brasil, segundo pesquisas de Amostra de Domicílios realizadas entre 2000 e 2012 pelo IBGE.
  4. 4. Figura 1: gráficos mostrando o perfil da distribuição do trabalho informal entre negros, brancos e pardos na área rural de alguns estados do Brasil, segundo pesquisas de Amostra de Domicílios realizadas entre 2000 e 2012 pelo IBGE.
  5. 5. Figura 2: Distribuição percentual da população, por cor ou raça - Brasil - 1999/2009
  6. 6. Figura 3: Distribuição percentual da população, por cor ou raça, segundo as grandes regiões - Brasil – 2009
  7. 7. Figura 4: Proporção das pessoas de 25 anos ou mais de idade com ensino superior concluído, segundo a cor ou raça – Brasil – 1999/2009
  8. 8. Figura 5: Distribuição do rendimento familiar per capita das pessoas de 10 anos ou mais de idade, com rendimento, entre os 10% mais pobres e o 1% mais rico, em relação ao total de pessoas, segundo a cor ou raça - Brasil - 1999/2009.
  9. 9. Figura 6: Proporção da população eurodescendente e indígena ou afrodescendente vivendo com menos de um dólar por dia, segundo alguns países da América Latina e Caribe – 2000
  10. 10. Considerações Finais Contudo conclui-se que o preconceito ainda é um problema vigente no Brasil, apesar das leis contra o racismo, esse ainda é um problema constante no Brasil, que pode ser constatado tanto por meio da analise de dados estatísticos, como através de registros noticiários com casos de agressão verbal que demonstram o problema.
  11. 11. Referências IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2000/2012. Disponível em:<http://servicodados.ibge.gov.br/Download/Download.ashx?http=1&u=biblio teca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv66777.pdf>. Acessado em: 08 abr. 2014. IBGE. Teen. Mão na Roda. Cor ou raça. Disponível em:<http://cod.ibge.gov.br/235HC>. Acessado em: 08. abr. 2014.

×