SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Biomecânica Ocupacional
Professor: Daniel Moura
Disciplina: Ergonomia
Curso: Graduação em Engenharia de Produção
Biomecânica ocupacional
Estuda as interações entre o trabalho e o homem, do ponto de
vista músculo-esquelético, e suas consequências;
Analisa basicamente:
Posturas no trabalho;
Aplicação de forças.
ERGONOMIA
Importância
Redução do esforço físico necessário;
Diminuição da fadiga excessiva.
Tipos de trabalho
Trabalho estático: é aquele que exige contração contínua
de alguns músculos, para manter uma determinada
posição. Ex.: Trabalho em pé;
estado de contração prolongado;
manutenção de postura.
Trabalho dinâmico: é aquele que permite contrações e
relaxamentos alternados dos músculos. Ex.: Martelar,
caminhar, serrar.
alternância entre contração e relaxamento.
Dores musculares
contração >15% da capacidade máxima:
trabalho e repouso;
persistência:
↓ força normal;
metabólitos;
manuseio de cargas;
alongamentos excessivos e inflamação do músculo, tendões e
articulações;
força;
posturas;
repetições de movimentos;
Quanto maior a força exercida ou maior a
tensão do músculo, mais rapidamente
ocorre a fadiga.
Ergonomia
Traumas musculares
esforços repetitivos: afastamentos;↑
Ergonomia
Fadiga
• redução reversível da capacidade do organismo;
• degradação qualitativa do trabalho:
– intensidade e duração do trabalho;
– monotonia;
– falta de motivação;
– fatores ambientais e organizacionais;
Ergonomia
Conseqüências
ERGONOMIA
• fatores fisiológicos:
– ↓ força;
– ↓velocidade;
– ↓ precisão dos movimentos;
– ↑ dos erros;
– ↓ do tempo de resposta;
• fatores psicológicos:
– disperso;
– cansaço geral;
– ↑ irritabilidade;
– desinteresse;
– sensibilidade a certos estímulos;
Ergonomia
Sugestões de medidas preventivas contra o trabalho
estático:
Alternância de postura;
Melhoramento da posição de peças e ferramentas;
Apoios para as partes do corpo que estão sujeitas ao trabalho
estático;
Pausas durante a jornada de trabalho.
Biomecânica ocupacional
postura ideal:
envolve a ↓ quantidade de esforço e sobrecarga;
uso do corpo com ↑ eficiência;
cada atividade  postura ideal;
posturas básicas do corpo:
posição deitada;
posição sentada;
posição de pé;
Ergonomia
Projetos inadequados de
postos de trabalho
POSTURA RISCO DE DORES
Em pé Pés e pernas
(varizes)
Sentado sem
encosto
Músculos extensores
do tronco
Assento muito
alto
Parte inferior das
pernas, joelho e pés
Assento muito
baixo
Dorso e pescoço
Braços esticados Ombros e braços
Pegas
inadequadas em
ferramentas
Antebraços
Quadro 1 - Localização das dores no corpo, provocadas pelas posturas inadequadas.
Fonte: Adaptado de IIDA, 1993, p.85
Do ponto de vista ortopédico e fisiológico, é altamente
recomendável um local de trabalho que alterne o
trabalho sentado com uma postura de pé, já que os
grupos de músculos utilizados nessas posturas não são os
mesmos.
Características dos movimentos:
Precisão: realizados com as pontas dos dedos;
Ritmo: movimento suaves, curvos e rítmicos;
Movimentos Retos: difíceis e imprecisos;
Terminações: posicionamentos precisos, com acompanhamento
visual, são difíceis e demorados. Devem ser terminados com
um posicionamento mecânico, como um botão.
Aplicação de Forças
As forças humanas são resultantes de contrações musculares;
adaptadas às capacidades do operador nas condições
operacionais;
medida na posição exata de instalação;
postura corporal do trabalhador;
tipo de deslocamento efetuado;
resistência da alavanca;
trabalhadores experientes  gasto energético;↓
• ex.: implantação de uma alavanca;
Ergonomia
Aplicação de forças
• Fatores que influenciam:
– força para empurrar e puxar
– alcance vertical
– alcance horizontal
• braços: pouca resistência em manter cargas estáticas;
• tempo não deve ser > 1 a 2 min;
postura
antropometria
sexo
atrito
peso
altura
tempo
peso
altura
tempo
Ergonomia
Levantamento de carga
Classificação:
levantamento esporádico de cargas:
capacidade muscular do trabalhador;
levantamento repetitivo:
duração do trabalho;
capacidade energética e física do trabalhador;
partes do corpo mais comprometidas:
coluna e joelhos;
Força para movimentos
não repetitivos (Kgf)
MULHERES HOMENS
95% 50% 5% 95% 50% 5%
Força das pernas 15 39 78 39 95 150
Força dos braços 7 20 36 20 38 60
Força do dorso 10 24 58 21 50 105
As mulheres possuem aproximadamente
metade da força dos homens
Ergonomia
Ergonomia
Recomendações para transporte e manuseio de cargas.
Fonte: IIDA, 1993
Toda a carga sobre a coluna vertebral deve ser colocada na direção
do seu eixo (vertical), para se evitar componentes de forças
perpendiculares ao mesmo.
Fonte: IIDA, 1993
Pausas no trabalho
• manutenção da qualidade da produção;
• tipos de pausa:
– voluntárias;
– mascaradas;
– necessárias ao trabalho;
– obrigatórias ao trabalho;
A introdução de pausas
curtas,
preestabelecidas, ↓
pausas mascaradas e
voluntárias
Ergonomia
Pausas
• Rendimento;
– introdução de pausa intensidade;↑
– adia o surgimento da fadiga e a produtividade;↓
• Trabalho pesado:
– pausas obrigatórias...
– cuidado com pausas voluntárias!
• Trabalho de carga média:
– uma em cada um dos turnos;
Alimentação Contato social Prevenção de fadiga
Ergonomia
Pausas
• Trabalhos ritmados:
– 3 a 5 min/h:
• ↓ fadiga;
• ↑potencial de atenção;
• Aprendizado:
– pausas freqüentes;
– dosadas conforme dificuldade;
Ergonomia
Métodos de avaliação
Spreadsheets/softwares:
RULA (Rapid Upper Limb Assessment): método de análise para avaliar
a exposição de indivíduos a posturas, forças e atividades
musculares que podem contribuir para o surgimento de
desconfortos físicos;
REBA (Rapid Entire Body Assessment): método de avaliação de
posturas;
ERGONOMIA
OWAS: tem o objetivo de analisar posturas de trabalho;
Equação de NIOSH: permite calcular os limites para o
levantamento de cargas.
 Condições para aplicação Elevação feita com suavidade, isto é, sem movimentos
bruscos
 Condições térmicas e visuais favoráveis
 Boas condições mecânicas - piso plano e sem obstruções oferecendo boa aderência ao
calçado
 Não deve-se aplicar NIOSH:
 em tarefas de elevação de objetos com uma só mão, na posição de sentado ou
agachado, ou ainda elevações em espaços confinados que obriguem a posturas
desfavoráveis
 não contempla a elevação de pessoas, de objetos muito quentes ou frios, sujos
ou contaminados
 Não inclui circunstâncias imprevistas
 Se o ambiente físico for desfavorável (temperatura ou umidade relativa
inferiores aos intervalos 19º a 26ºC ou 35% a 50% )
 Não estão incluídas tarefas que impliquem elevações rápidas de objetos (>15
elev./min)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Ergonomia apresentacao trabalho
Ergonomia apresentacao trabalho Ergonomia apresentacao trabalho
Ergonomia apresentacao trabalho
 
Aula ergonomia
Aula ergonomia Aula ergonomia
Aula ergonomia
 
Ergonomia -aula
Ergonomia  -aulaErgonomia  -aula
Ergonomia -aula
 
Ergonomia ~ Parte 1/5
Ergonomia ~ Parte 1/5Ergonomia ~ Parte 1/5
Ergonomia ~ Parte 1/5
 
Ergonomia & segurança
Ergonomia & segurançaErgonomia & segurança
Ergonomia & segurança
 
Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos
 
Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17Palestra de ergonomia Nr -17
Palestra de ergonomia Nr -17
 
Transporte manual de cargas(2)
Transporte manual de cargas(2)Transporte manual de cargas(2)
Transporte manual de cargas(2)
 
ERGONOMIA
ERGONOMIA  ERGONOMIA
ERGONOMIA
 
Modulo4 ergonomia
Modulo4 ergonomiaModulo4 ergonomia
Modulo4 ergonomia
 
ERGONOMIA.pptx
ERGONOMIA.pptxERGONOMIA.pptx
ERGONOMIA.pptx
 
Aula ergonomia
Aula ergonomiaAula ergonomia
Aula ergonomia
 
Ergonomia do Trabalho
Ergonomia do TrabalhoErgonomia do Trabalho
Ergonomia do Trabalho
 
POWER POINT - ERGONOMIA DO TRABALHO.ppt
POWER POINT - ERGONOMIA DO TRABALHO.pptPOWER POINT - ERGONOMIA DO TRABALHO.ppt
POWER POINT - ERGONOMIA DO TRABALHO.ppt
 
Riscos ergonômicos (Call Center)
Riscos ergonômicos (Call Center)Riscos ergonômicos (Call Center)
Riscos ergonômicos (Call Center)
 
DORT - ETEC
DORT - ETECDORT - ETEC
DORT - ETEC
 
Aula 4.1 biomecânica ocupacional
Aula 4.1   biomecânica ocupacionalAula 4.1   biomecânica ocupacional
Aula 4.1 biomecânica ocupacional
 
Ergonomia - Contexto Histórico
Ergonomia - Contexto HistóricoErgonomia - Contexto Histórico
Ergonomia - Contexto Histórico
 
MovimentaçãO Manual
MovimentaçãO ManualMovimentaçãO Manual
MovimentaçãO Manual
 
Checklist de hudson couto
Checklist de hudson couto Checklist de hudson couto
Checklist de hudson couto
 

Destaque

Destaque (17)

Introducción a la biomecánica ocupacional
Introducción a la biomecánica ocupacionalIntroducción a la biomecánica ocupacional
Introducción a la biomecánica ocupacional
 
Engenharia do produto
Engenharia do produtoEngenharia do produto
Engenharia do produto
 
Controle encefálico do movimento
Controle encefálico do movimentoControle encefálico do movimento
Controle encefálico do movimento
 
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidadeEngenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
 
Apresentação de Ergonomia - Engenharia de Produção
Apresentação de Ergonomia - Engenharia de ProduçãoApresentação de Ergonomia - Engenharia de Produção
Apresentação de Ergonomia - Engenharia de Produção
 
Engenharia do produto
Engenharia do produtoEngenharia do produto
Engenharia do produto
 
Aula2 -er
Aula2  -erAula2  -er
Aula2 -er
 
Palestra os três pilares para uma vida saudável Senac sorocaba
Palestra os três pilares para uma vida saudável   Senac sorocabaPalestra os três pilares para uma vida saudável   Senac sorocaba
Palestra os três pilares para uma vida saudável Senac sorocaba
 
Biomecânica ocupacionalb32003
Biomecânica ocupacionalb32003Biomecânica ocupacionalb32003
Biomecânica ocupacionalb32003
 
Engenharia Organizacional
Engenharia OrganizacionalEngenharia Organizacional
Engenharia Organizacional
 
Ergonomia e processos de produção
Ergonomia e processos de produçãoErgonomia e processos de produção
Ergonomia e processos de produção
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Ergonomia 2 (2)
Ergonomia 2 (2)Ergonomia 2 (2)
Ergonomia 2 (2)
 
Ergonomia no Trabalho, em Casa e na Vida!
Ergonomia no Trabalho, em Casa e na Vida!Ergonomia no Trabalho, em Casa e na Vida!
Ergonomia no Trabalho, em Casa e na Vida!
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Pesquisa Operacional
Pesquisa OperacionalPesquisa Operacional
Pesquisa Operacional
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 

Semelhante a Aula 4.1- Ergonomia

Aula 4.1 biomecânica ocupacional
Aula 4.1   biomecânica ocupacionalAula 4.1   biomecânica ocupacional
Aula 4.1 biomecânica ocupacionalDaniel Moura
 
Ginástica Laboral JAYORO.pptx
Ginástica Laboral JAYORO.pptxGinástica Laboral JAYORO.pptx
Ginástica Laboral JAYORO.pptxklauolliver
 
Palestra movimenta+º+úo manual de cargas
Palestra movimenta+º+úo manual de cargasPalestra movimenta+º+úo manual de cargas
Palestra movimenta+º+úo manual de cargasAbna Brito
 
Fundamentos do-treinamento-de-forca1
Fundamentos do-treinamento-de-forca1Fundamentos do-treinamento-de-forca1
Fundamentos do-treinamento-de-forca1Danilo Ventania
 
Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013Fabio Mazzola
 
Ginástica laboral artigo
Ginástica laboral artigoGinástica laboral artigo
Ginástica laboral artigodobscha
 
Lombalgia ocupaci onal
Lombalgia ocupaci onalLombalgia ocupaci onal
Lombalgia ocupaci onaladrianomedico
 
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - wordCartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - wordFernanda Anderle
 
juventude e saude laboral.pptx
juventude e saude laboral.pptxjuventude e saude laboral.pptx
juventude e saude laboral.pptxTyane_dudinha
 
Trabalho HST - Riscos Ergonomicos
Trabalho HST - Riscos ErgonomicosTrabalho HST - Riscos Ergonomicos
Trabalho HST - Riscos ErgonomicosDario Aristides
 
Eng.introdução
Eng.introduçãoEng.introdução
Eng.introduçãoEliane Blen
 

Semelhante a Aula 4.1- Ergonomia (20)

Aula 4.1 biomecânica ocupacional
Aula 4.1   biomecânica ocupacionalAula 4.1   biomecânica ocupacional
Aula 4.1 biomecânica ocupacional
 
Ergonomia.pptx
Ergonomia.pptxErgonomia.pptx
Ergonomia.pptx
 
Ergonomia.ppt
Ergonomia.pptErgonomia.ppt
Ergonomia.ppt
 
Musculação conceitos e aplicações
Musculação   conceitos e aplicaçõesMusculação   conceitos e aplicações
Musculação conceitos e aplicações
 
Ginástica Laboral JAYORO.pptx
Ginástica Laboral JAYORO.pptxGinástica Laboral JAYORO.pptx
Ginástica Laboral JAYORO.pptx
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Palestra movimenta+º+úo manual de cargas
Palestra movimenta+º+úo manual de cargasPalestra movimenta+º+úo manual de cargas
Palestra movimenta+º+úo manual de cargas
 
28483727 trabalho-sentado
28483727 trabalho-sentado28483727 trabalho-sentado
28483727 trabalho-sentado
 
Fundamentos do-treinamento-de-forca1
Fundamentos do-treinamento-de-forca1Fundamentos do-treinamento-de-forca1
Fundamentos do-treinamento-de-forca1
 
Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013 Slideshre cinesioterapia   fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
Slideshre cinesioterapia fisioterapia do trabalho e ergonomia fevereiro 2013
 
Ginástica laboral artigo
Ginástica laboral artigoGinástica laboral artigo
Ginástica laboral artigo
 
Lombalgia ocupaci onal
Lombalgia ocupaci onalLombalgia ocupaci onal
Lombalgia ocupaci onal
 
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - wordCartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
 
RESUMO
RESUMORESUMO
RESUMO
 
juventude e saude laboral.pptx
juventude e saude laboral.pptxjuventude e saude laboral.pptx
juventude e saude laboral.pptx
 
Tarefa #3
Tarefa #3Tarefa #3
Tarefa #3
 
Trabalho HST - Riscos Ergonomicos
Trabalho HST - Riscos ErgonomicosTrabalho HST - Riscos Ergonomicos
Trabalho HST - Riscos Ergonomicos
 
Eng.introdução
Eng.introduçãoEng.introdução
Eng.introdução
 
Ler/Dort
Ler/DortLer/Dort
Ler/Dort
 
Principios biomecanicos 3
Principios biomecanicos 3Principios biomecanicos 3
Principios biomecanicos 3
 

Mais de Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção

Mais de Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção (20)

Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 4 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 1 - Planejamento e Controle da Produção II
 
Aula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da QualidadeAula 6 - Gestão da Qualidade
Aula 6 - Gestão da Qualidade
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
 
Aula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da QualidadeAula 2 - Gestão da Qualidade
Aula 2 - Gestão da Qualidade
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 4 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 3 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2.1 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 2 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
Aula 1 - Projeto de Fábrica e Layout
 
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 6 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 5 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 4 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3.1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 3 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 2 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 

Último

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

Aula 4.1- Ergonomia

  • 1. Biomecânica Ocupacional Professor: Daniel Moura Disciplina: Ergonomia Curso: Graduação em Engenharia de Produção
  • 2. Biomecânica ocupacional Estuda as interações entre o trabalho e o homem, do ponto de vista músculo-esquelético, e suas consequências; Analisa basicamente: Posturas no trabalho; Aplicação de forças. ERGONOMIA
  • 3. Importância Redução do esforço físico necessário; Diminuição da fadiga excessiva.
  • 4. Tipos de trabalho Trabalho estático: é aquele que exige contração contínua de alguns músculos, para manter uma determinada posição. Ex.: Trabalho em pé; estado de contração prolongado; manutenção de postura. Trabalho dinâmico: é aquele que permite contrações e relaxamentos alternados dos músculos. Ex.: Martelar, caminhar, serrar. alternância entre contração e relaxamento.
  • 5. Dores musculares contração >15% da capacidade máxima: trabalho e repouso; persistência: ↓ força normal; metabólitos; manuseio de cargas; alongamentos excessivos e inflamação do músculo, tendões e articulações; força; posturas; repetições de movimentos; Quanto maior a força exercida ou maior a tensão do músculo, mais rapidamente ocorre a fadiga. Ergonomia
  • 6. Traumas musculares esforços repetitivos: afastamentos;↑ Ergonomia
  • 7. Fadiga • redução reversível da capacidade do organismo; • degradação qualitativa do trabalho: – intensidade e duração do trabalho; – monotonia; – falta de motivação; – fatores ambientais e organizacionais; Ergonomia
  • 8. Conseqüências ERGONOMIA • fatores fisiológicos: – ↓ força; – ↓velocidade; – ↓ precisão dos movimentos; – ↑ dos erros; – ↓ do tempo de resposta; • fatores psicológicos: – disperso; – cansaço geral; – ↑ irritabilidade; – desinteresse; – sensibilidade a certos estímulos; Ergonomia
  • 9. Sugestões de medidas preventivas contra o trabalho estático: Alternância de postura; Melhoramento da posição de peças e ferramentas; Apoios para as partes do corpo que estão sujeitas ao trabalho estático; Pausas durante a jornada de trabalho.
  • 10. Biomecânica ocupacional postura ideal: envolve a ↓ quantidade de esforço e sobrecarga; uso do corpo com ↑ eficiência; cada atividade  postura ideal; posturas básicas do corpo: posição deitada; posição sentada; posição de pé; Ergonomia
  • 11. Projetos inadequados de postos de trabalho POSTURA RISCO DE DORES Em pé Pés e pernas (varizes) Sentado sem encosto Músculos extensores do tronco Assento muito alto Parte inferior das pernas, joelho e pés Assento muito baixo Dorso e pescoço Braços esticados Ombros e braços Pegas inadequadas em ferramentas Antebraços Quadro 1 - Localização das dores no corpo, provocadas pelas posturas inadequadas. Fonte: Adaptado de IIDA, 1993, p.85
  • 12. Do ponto de vista ortopédico e fisiológico, é altamente recomendável um local de trabalho que alterne o trabalho sentado com uma postura de pé, já que os grupos de músculos utilizados nessas posturas não são os mesmos.
  • 13. Características dos movimentos: Precisão: realizados com as pontas dos dedos; Ritmo: movimento suaves, curvos e rítmicos; Movimentos Retos: difíceis e imprecisos; Terminações: posicionamentos precisos, com acompanhamento visual, são difíceis e demorados. Devem ser terminados com um posicionamento mecânico, como um botão.
  • 14. Aplicação de Forças As forças humanas são resultantes de contrações musculares; adaptadas às capacidades do operador nas condições operacionais; medida na posição exata de instalação; postura corporal do trabalhador; tipo de deslocamento efetuado; resistência da alavanca; trabalhadores experientes  gasto energético;↓ • ex.: implantação de uma alavanca; Ergonomia
  • 15. Aplicação de forças • Fatores que influenciam: – força para empurrar e puxar – alcance vertical – alcance horizontal • braços: pouca resistência em manter cargas estáticas; • tempo não deve ser > 1 a 2 min; postura antropometria sexo atrito peso altura tempo peso altura tempo Ergonomia
  • 16. Levantamento de carga Classificação: levantamento esporádico de cargas: capacidade muscular do trabalhador; levantamento repetitivo: duração do trabalho; capacidade energética e física do trabalhador; partes do corpo mais comprometidas: coluna e joelhos; Força para movimentos não repetitivos (Kgf) MULHERES HOMENS 95% 50% 5% 95% 50% 5% Força das pernas 15 39 78 39 95 150 Força dos braços 7 20 36 20 38 60 Força do dorso 10 24 58 21 50 105 As mulheres possuem aproximadamente metade da força dos homens Ergonomia
  • 18. Recomendações para transporte e manuseio de cargas. Fonte: IIDA, 1993
  • 19. Toda a carga sobre a coluna vertebral deve ser colocada na direção do seu eixo (vertical), para se evitar componentes de forças perpendiculares ao mesmo. Fonte: IIDA, 1993
  • 20. Pausas no trabalho • manutenção da qualidade da produção; • tipos de pausa: – voluntárias; – mascaradas; – necessárias ao trabalho; – obrigatórias ao trabalho; A introdução de pausas curtas, preestabelecidas, ↓ pausas mascaradas e voluntárias Ergonomia
  • 21. Pausas • Rendimento; – introdução de pausa intensidade;↑ – adia o surgimento da fadiga e a produtividade;↓ • Trabalho pesado: – pausas obrigatórias... – cuidado com pausas voluntárias! • Trabalho de carga média: – uma em cada um dos turnos; Alimentação Contato social Prevenção de fadiga Ergonomia
  • 22. Pausas • Trabalhos ritmados: – 3 a 5 min/h: • ↓ fadiga; • ↑potencial de atenção; • Aprendizado: – pausas freqüentes; – dosadas conforme dificuldade; Ergonomia
  • 23. Métodos de avaliação Spreadsheets/softwares: RULA (Rapid Upper Limb Assessment): método de análise para avaliar a exposição de indivíduos a posturas, forças e atividades musculares que podem contribuir para o surgimento de desconfortos físicos; REBA (Rapid Entire Body Assessment): método de avaliação de posturas; ERGONOMIA
  • 24. OWAS: tem o objetivo de analisar posturas de trabalho; Equação de NIOSH: permite calcular os limites para o levantamento de cargas.  Condições para aplicação Elevação feita com suavidade, isto é, sem movimentos bruscos  Condições térmicas e visuais favoráveis  Boas condições mecânicas - piso plano e sem obstruções oferecendo boa aderência ao calçado
  • 25.  Não deve-se aplicar NIOSH:  em tarefas de elevação de objetos com uma só mão, na posição de sentado ou agachado, ou ainda elevações em espaços confinados que obriguem a posturas desfavoráveis  não contempla a elevação de pessoas, de objetos muito quentes ou frios, sujos ou contaminados  Não inclui circunstâncias imprevistas  Se o ambiente físico for desfavorável (temperatura ou umidade relativa inferiores aos intervalos 19º a 26ºC ou 35% a 50% )  Não estão incluídas tarefas que impliquem elevações rápidas de objetos (>15 elev./min)