Culto ou show

836 visualizações

Publicada em

O culto é show ou o show é culto, pense melhor

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
836
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Culto ou show

  1. 1. A D A P T A D O D O P A S T O R M A R T I M A L V E S D A S I L V A DA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM MOSSORÓ, RIO GRANDE DO NORTE
  2. 2. N O CULTO, A PESSOA MAIS IMPORTANTE É DEUS NO SHOW, É O ARTISTA
  3. 3. NO CULTO A DEUS NINGUÉM PAGAN O S H OW A E N T R A DA É M E D I A N T E PAG A M E N TO
  4. 4. NO CULTO, DEUS ESTÁ PRESENTE NO SHOW, DEUS SE FAZ AUSENTE,POIS SUA GLÓRIA NÃO DÁ A OUTREM
  5. 5. NO CULTO, O MINISTRO DE DEUS SOLENIZA AS CELEBRAÇÕES NO SHOW O APRESENTADOR É CONDESCENDENTE À DESENFREADA DESORDEM
  6. 6. NO CULTO, O POVO GLORIFICA A DEUS NO SHOW, SÓ GRITOS E ASSOBIOS PARA O ARTISTA
  7. 7. NO CULTO, O POVO REVERENCIA A DEUS EM ADORAÇÃONO SHOW, SÓ HÁ BAGUNÇA INCONTROLÁVEL
  8. 8. NO CULTO, O POVO GLORIFICA A DEUS NO SHOW, SÓ GRITOS E ASSOBIOS PARA O ARTISTA
  9. 9. O S S H O W S S E C A R A C T E R I Z A M P O R S O M A LT O E D A N Ç A N T E , L U Z E S C O L O R I D A S , G E L O S E C O , R O U PA SE X T R AVA G A N T E S O U S E N S U A I S , PA Q U E R A , L I N G U A G E M C H U L A , D A N Ç A E M U I TA D I V E R S Ã O .
  10. 10. P O R I N C R Í V E L Q U E PA R E Ç A , H Á C U LT O S D I T O SE VA N G É L I C O S E M Q U E T O D A E S S A PA R A F E R N Á L I A E S TÁ PRESENTE! TORNA-SE CADA VEZ MAIS COMUM OEMPREGO DE ELEMENTOS CARACTERÍSTICOS DOS SHOWS E M C U LT O S “ E VA N G É L I C O S
  11. 11. O V O C Á B U L O L AT I N O M U S I C A V E M D O G R E G O M O U S I K É , “A A R T E D A S M U S A S ”.SEGUNDO O DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA, A MÚSICA É AA R T E E A T É C N I C A D E C O M B I N A R S O N S D E M A N E I R A A G R A D ÁV E LA O O U V I D O . A G R A D ÁV E L , N Ã O E M R E L A Ç Ã O A O G O S TO M U S I C A L , MAS NO QUE DIZ RESPEITO AOS BONS EFEITOS QUE ELA DEVE C A U S A R A O O U V I D O H U M A N O . PA R A I S S O , A M Ú S I C A P R E C I S A S E R C O M P O S TA D E E M I S S Õ E S V I B R AT Ó R I A S C O M F R E Q Ü Ê N C I A S BEM DEFINIDAS, QUE PODEM SER CAPTURADAS PELAS L I M I TA Ç Õ E S F I S I O L Ó G I C A S D O O U V I D O .
  12. 12. O S O M E M VÁ R I O S C A S O S É U S A D O PA R A M A N I P U L A Ç Ã O D E MASSAS, É O CANSAÇO PELO RUÍDO. J Á S E C O N S TAT O U , P O R M E I O D E E S T U D O S C I E N T Í F I C O S , Q U E OO U V I D O H U M A N O P O D E S U P O R TA R , S E M P R E J U Í Z O A U D I T I V O , A SS E G U I N T E S TA X A S : A 1 1 1 D E C I B É I S , Q U A S E Q U AT R O M I N U T O S ; A1 2 0 , C E R C A D E 2 8 S E G U N D O S ; A 1 2 9 , Q U A S E Q U AT R O S E G U N D O S ;E Q 1 3 8 D E C I B É I S , O O U V I D O S U P O R TA R I A M E N O S D A M E TA D E D E U M S E G U N D O ! N Ã O É P O R A C A S O Q U E H Á VÁ R I A S P E S S O A S C O M D E F I C I Ê N C I A AU D I T I VA .
  13. 13. ALGUNS ESTILOS SÃO HIPNÓTICOS - ISSO EM RAZÃO DA P O U C A VA R I A Ç Ã O R Í T M I C A E D A R E P E T I Ç Ã O D E PA L AV R A S , Q U E C R I A M U M E S TA D O E M O C I O N A L TA L QUE A MENTE DEIXA DE FUNCIONAR NORMALMENTE.
  14. 14. HÁ EXPERIÊNCIAS SÉRIAS SOBRE HIPNOSE E RITMO QUE C O M P R O VA M O Q U A N T O C E R T O S E S T I L O S P O D E M DESTRUIR O MECANISMO INIBITÓRIO NORMAL DOC Ó R T E X C E R E B R A L , P E R M I T I N D O FÁ C I L A C E I TA Ç Ã O D AIMORALIDADE, BEM COMO O DESRESPEITO DE NORMAS M O R A I S E A P R Ó P R I A PA L AV R A D E D E U S .
  15. 15. A GUITARRA RÍTMICA , QUANDO DISTORCIDA , CONFERE CARGAEMOCIONAL E AGRESSIVIDADE À MÚSICA .
  16. 16. A G U I TA R R A S O L O , A O A C E N T U A R O S S O N S G R AV E S E REFORÇAR OS AGUDOS, PROLONGANDO -OS, GERA S US PEN S E, T EN SÃO E EXPRES S IVIDADE ADEQ UADOS PA R A L E VA R O S O U V I N T E S A O D E L Í R I O .
  17. 17. E A B AT E R I A , Q U A N D O T O C A D A D E M O D OE X A G E R A D O , T I R A D O O U V I N T E A C A PA C I D A D E DE RACIOCINAR NORMALMENTE. PA R E C E I N A C R E D I TÁV E L , N Ã O É ? MAS NÃO É.
  18. 18. E O R O C K ? D E S D E A S U A O R I G E M , E S S E E S T I L O E S TÁ RELACIONADO COM IMORALIDADE E DROGAS,O C U LT I S M O E V I O L Ê N C I A . B A S TA L E M B R A R M O - N O S D O S L O G A N “ S E X O , D R O G A S E R O C K A N D R O L L”. E O Q U E DIZER DOS ESTILOS COMO FUNK, REGGAE, AXÉ, HIP -H O P, S A M B A E F O R R Ó ? P R O C U R E C O N H E C E R U M P O U C O DA HISTÓRIA DESSES ESTILOS ANTES DE CHAMAR A L G U É M D E E X T R E M I S TA .
  19. 19. A MÚSICA É FORMADA POR TRÊS ELEMENTOS:
  20. 20. MELODIA – SUCESSÃO ASCENDENTE ED E S C E N D E N T E D E S O N S A I N T E R VA LO S E A LT U R A S VA R I ÁV E I S , F O R M A N D O U M F R A S E A D O ; ÉA D O R N A DA P E L A H A R M O N I A E A C E N T UA DA P E LO R I T M O, E M B O R A P O S S A S E R C O M P R E E N D I DA I S O L A DA M E N T E .
  21. 21. HARMONIA – COMBINAÇÃO DE SONSS I M U LTÂ N EO S , E M I T I D O S N O M E S M O I N S TA N T E , T E N D O C O M O B A S E A TO N A L I DA D E ; E C O M OPRINCÍPIO GERADOR A ESTRUTURA DO ACORDE.
  22. 22. RITMO - SUCESSÃO REGULAR DE TEMPOS FORTES E F R A C O S C U JA F U N Ç Ã O É E S T R U T U R A R UMA OBRA MUSICAL.
  23. 23. TENHO PROCURADO A MELODIA , A HARMONIA E O RITMO EM MUITAS CANÇÕES DITAS CRISTÃS E NÃO ASTENHO ENCONTRADO, SEM CONTAR A LETRA , QUE É OUTRO CASO.
  24. 24. D E S S A C R A L I Z A Ç Ã O É O AT O O U O E F E I T O D E S U B T R A I R OC A R Á T E R S A G R A D O . É S I N Ô N I M O D E P R O FA N A Ç Ã O ( 2 T M 3 : 2 ; HB 12:6). NO CASO DA MÚSICA SACRA, É DESPROVÊ-LA DOS E L E M E N TO S R E L A C I O N A D O S C O M O L O U V O R A D E U S , TO R N A N D O - A V U L G A R , S E C U L A R , M U N D A N A , C O M O Q U A L Q U E R O U T R A , C H A M A N D O A AT E N Ç Ã O PA R A O SM Ú S I C O S E C A N T O R E S , E N Ã O PA R A J E S U S , O Ú N I C O D I G N O DE LOUVOR SALMO 48:01.
  25. 25. LEMBRE-SE DE QUE O SENHORHABITA ENTRE LOUVORES, E NÃOENTRE OS CANTORES E MÚSICOS SALMO 22:03
  26. 26. J O A N Y R D E O L I V E I R A , C O M M U I TA C R I AT I V I D A D E , A B O R D O U E S S A Q U E S TÃ O D A D E S S A C R A L I Z A Ç Ã O D A M Ú S I C A : “A C A S A D E D E U S , M Ú S I C A P R O F A N A , N Ã O L H E P E R T E N C E , N Ã O É O S E U L U G A R . S E U L U G A R É N O S PA L C O S , N O S A U D I T Ó R I O S D E EMISSORAS, NOS VÍDEOS, MAS NUNCA E NUNCA NOS TEMPLOS ONDE SE DEVEM OUVIR OS LÍMPIDOS CÂNTICOS ESPIRITUAIS EHARMONIAS SOLENES E INSPIRADORAS AO LOUVOR DE DEUS, “NA BELEZA DA SUA SANTIDADE”… D EUS HÁ D E PERMITIR QUE, EM FUTURO PRÓXIMO, POSSAMOS D I Z E R E M A LT O E B O M S O M : “A I G R E J A D O S E N H O R V E N C E U A M Ú S I C A P R O F A N A , Q U ERETORNOU AOS SALÕES DE BAILE E AOS AUDITÓRIOS SECULARES, D E O N D E N U N C A D E V E R I A T E R S A Í D O .”
  27. 27. U M A D A S D E S C U L PA S PA R A S E U S A R M Ú S I C A S “ P E S A D A S ” É A D E Q U E E L A S AT R A E M A J U V E N T U D E . D E F AT O , A M Ú S I C A É U M A F E R R A M E N TA P O D E R O S A PA R A A C O M U N I C A Ç Ã O D O E VA N G E L H O ( S L 1 0 5 : 2 ; 1 P E 2 : 9 ) . T O D AV I A , A O S E EMPREGAR ESTILOS COMO ROCK, FUNK, REGGAE, FORRÓ, ETC., A MENSAGEM É COMUNICADA DA FORMA COMO AS PESSOAS QUEREM OUVI -LA, E NÃO DA MANEIRA COMO PRECISAM OUVI-LA. LEMBRE- SE DE QUE JESUS DISSE: “…NEGUE-SE A SI MESMO” LUCAS 09:23).
  28. 28. SE, POR UM LADO, AS MÚSICAS “PESADAS” ATRAEM, POR OUTRO, DEVIDO ÀS SUASCARACTERÍSTICAS, IMPEDEM QUE A MENSAGEM CHEGUE CLARA AOS OUVIDOS DAS PESSOAS.
  29. 29. JOHN BLANCHARD, AO FALAR SOBRE O PODER HIPNÓTICO DO ROCK, DISSE:
  30. 30. “ Q U A L Q U E R M E I O D E A P R E S E N TA Ç Ã O Q U E I N D U Z A ÀPERDA DO AUTOCONTROLE OU CONSCIÊNCIA E TORNE O OUVIN T E IN COMUMEN T E S US CEPT ÍVEL A Q UAIS Q UER S U G E S T Õ E S F E I TA S P E L A L E T R A D A M Ú S I C A É C E R TA M E N T E P E R I G O S A , E A C A B A R Á P O R E S T I M U L A R U M A R E S P O S TA , E M V E Z D A Q U I L O Q U E D E U S REQUER, QUE O ADOREMOS “EM ESPÍRITO E EM VERDADE” JOÃO 04:24
  31. 31. M U I T O S J O V E N S P O D E M AT É I R À F R E N T E D E U MPA L A N Q U E O U S E G U I R A C A R R O S D E S O M , P O R C A U S ADOS ESTILOS MUSICAIS E DAS DANÇAS ALIA P R E S E N TA D A S . N O E N TA N T O , C O N F O R M E S E I N F E R EDE 1CO 14:26, O LOUVOR (SALMO) DEVE SERVIR DEP R E PA R A Ç Ã O PA R A A E X P O S I Ç Ã O D A PA L AV R A D E D E U S(DOUTRINA).
  32. 32. O S D E F E N S O R E S D O E VA N G E L H O D O E N T R E T E N I M E N T O AFIRMAM QUE O MUNDO MUDOU, E AS PREGAÇÕES M O D E R N A S D E V E M S E A D A P TA R À S M U D A N Ç A S Q U E VÊM OCORRENDO. O S U P O S T O E M B A S A M E N T O PA R A I S S O E S TÁ E M 1 C O9 : 2 2 : “ F I Z - M E T U D O PA R A T O D O S , PA R A P O R T O D O S O S M E I O S C H E G A R A S A LVA R A A L G U N S ”.
  33. 33. N Ã O P O D E M O S , E N T R E TA N T O , I N T E R P R E TA R E S S A F R A S ED E PA U L O D E F O R M A E X A G E R A D A , VA L E N D O - N O S D E L APA R A J U S T I F I C A R T O D A E Q U A L Q U E R AT I T U D E . OP R Ó P R I O A P Ó S T O L O N Ã O S E FA Z J U D A I Z A N T E PA R AG A N H Á - L O S ; A N T E S , R E P R O V O U A AT I T U D E D E P E D R O ,Q U E A G I R A D E F O R M A “ P O L Í T I C A” E M R E L A Ç Ã O A E L E S( G L 2 : 1 4 ) . T O D A S A S C O I S A S N O S S Ã O L Í C I TA S , M A SNEM TODAS CONVÊM (1CO 6:12).
  34. 34. É P R E C I S O P U L A R D E N T R O D E U M B A R C O PA R A T I R A RA L G U É M D E L Á? O R A , PA R A G A N H A R O S A P R E C I A D O R E S D E F U N K N Ã O É N E C E S S Á R I O A G I R C O M O E L E S . PA R AA L C A N Ç A R O S S A M B I S TA S , N Ã O É P R E C I S O S A M B A R N O C A R N AVA L . PA R A G A N H A R U M T R A F I C A N T E N Ã O ÉPRECISO TRAFICAR, OU É? NÃO É A IDENTIFICAÇÃO COM O MUNDO QUE CONVENCE OS PECADORES, E SIM A AÇÃO DO ESPÍRITO (JO 16:8).
  35. 35. Q UAN DO N OS AS S OCIAMOS AO MUN DO, PERDEMOSN O S S A I D E N T I D A D E D E P O V O S E PA R A D O 2 C O 0 6 : 1 4 - 1 7 . D E V E M O S S E R S O C I ÁV E I S , E N Ã O C O M P L A C E N T E S O U CONIVENTES COM O PECADO (SALMO 01:01).
  36. 36. UMA IGREJA QUE FAZ AS PAZESCOM O MUNDO NÃO CONSEGUE MUDÁ-LO.
  37. 37. P O R I S S O , O S S A LV O S E M C R I S TO D E V E M T E R U MDIFERENCIAL, A FIM DE QUE HAJA O CONTRASTE E N T R E A L U Z E A S T R E VA S ( M T 5 : 1 4 - 1 6 ) . P O RQUE JESUS REPROVOU A IGREJA DE LAODICÉIA? PORQUE NÃO ERA NEM FRIA NEM QUENTE (AP 3 : 1 5 , 1 6 ) ; I S TO É , N Ã O E X E R C I A N E N H U M A INFLUÊNCIA SOBRE A SOCIEDADE.
  38. 38. C R É D I TO SA DA P TA D O D O PA S TO R M A R T I M A LV E S DA S I LVA DA A S S E M B L É I A D E D E U S E M M O S S O R Ó, RIO GRANDE DO NORTE
  39. 39. O Conexão Advir é uma forma encontrada por mim, Marcelo dosSantos Silveira (adventista, brasileiro, alagoano, maceioense e acima detudo isso, filho de Deus e resgatado por Jesus) de expressar a minhaopinião em relação ao mundo cristão evangélico. As opiniões aquiapresentadas nada tem a ver com a minha denominação, nem com seuslíderes. A missão maior do Conexão Advir, é pregar a volta de Jesus e seuAmor para conosco. Bem como alertar os irmãos dos possíveis lobos eladrões que cercam o aprisco do Senhor. marcelobrasil74@hotmail.com

×