PMBOK - Escopo

498 visualizações

Publicada em

Definição dos processos do capítulo ESCOPO do PMBOK voltado a disciplina de Projetos / Plano de Negócios ao curso de ADMINISTRAÇÃO.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
498
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PMBOK - Escopo

  1. 1. ESCOPO ADMINISTRAÇÃO Henrique Nascimento | Huallady Bitencourt
  2. 2. O que é ESCOPO do projeto? O Escopo do projeto inclui os processos NECESSÁRIOS para terminar o projeto com sucesso. Serve como suporte para a DEFINIÇÃO e CONTROLE do que está ou não incluso em um projeto. “Planejar o planejamento”
  3. 3. O termo ESCOPO refere-se a: PRODUTO: características e funções que caracterizam um produto, serviço ou resultado. PROJETO: trabalho que deve ser realizado para a entrega de um produto, serviço ou resultado. É visto como incluindo o escopo do produto.
  4. 4. Processos do ESCOPO do projeto  Planejar o gerenciamento do escopo  Coletar os requisitos  Definir o escopo  Criar a EAP  Validar o escopo  Controlar o escopo
  5. 5. PLANEJAR O GERENCIAMENTO DO ESCOPO Processo de criar um plano de gerenciamento do escopo que documenta como o escopo será definido, validado e controlado. 1º
  6. 6. ENTRADAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO  Cria plano de gerenciamento do escopo  Influencia a abordagem adotado pelo escopo 2. TERMO DE ABERTURA  Fornece descrição do projeto  Fornece características e especificação do trabalho
  7. 7. 3. FATORES AMBIENTAIS  Cultura Organizacional  Infraestrutura  Administração de pessoal  Condições do mercado 4. ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS  Políticas e procedimentos  Informações históricas e experiências
  8. 8. FERRAMENTAS & TÉCNICAS 1. OPINIÃO ESPECIALIZADA  Partes entendidas e experientes  Pessoa com formação, conhecimento, habilidades ou treinamentos para desenvolver planos 2. REUNIÕES  Gerentes  Patrocinadores  Membros selecionados
  9. 9. SAÍDAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO  Descrição de como o escopo será definido, desenvolvido, monitorado, controlado e verificado  Processo de preparação da especificação detalhada  Processo que habilita a criação da EAP (Estrutura Analítica do Projeto)  Processo que estabelece a EAP  Processo que especifica como será obtida a aceitação das entregas do projeto concluído  Processo de controle em relação as solicitações de mudança na especificação do escopo
  10. 10. 2. PLANO DE GERENCIAMENTO DOS REQUISITOS  Descreve como os requisitos serão analisados, documentados e gerenciados  Como as atividades dos requisitos são planejadas, rastreadas e relatadas  Maneira como as mudanças serão iniciadas, impactos, autorização  Processo de priorização de requisitos  Estrutura de rastreabilidade
  11. 11. COLETAR OS REQUISITOS Determina, documenta e gerencia as necessidades a fim de atender aos objetivos do projeto. 2º
  12. 12. ENTRADAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO  Esclarece como serão determinados os requisitos 2. PLANO DE GERENCIAMENTO DOS REQUISITOS  Fornece o processo a fim de definir e documentar as necessidades 3. PLANO DE GERENCIAMENTO DAS PARTES INTERESSADAS  Requisitos de comunicação  Envolver a participação dos interessados
  13. 13. 4. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO  Descrição de alto nível do produto  Possibilita o desenvolvimento dos requisitos detalhados 5. REGISTRO DAS PARTES INTERESSADAS  Fornecem informações aos requisitos, capturando os principais requisitos e expectativas
  14. 14. FERRAMENTAS & TÉCNICAS 1. ENTREVISTAS  Meio formal ou informal de extrair informações  Perguntas preparadas ou espontâneas  Definir quem será o entrevistado e entrevistador 2. GRUPOS DE DISCUSSÃO  Reúnem as partes interessadas e os especialistas no assunto  Pode ser guiado por um moderador  Discussão interativa e planejada
  15. 15. 3. OFICINAS FACILITADAS  Reúnem partes interessadas chave para definir requisitos  Técnica primária e requisitos multifuncionais  Reconciliar diferenças entre as partes interessadas (consenso)  JAD (software) e DFQ (qualidade) 4. TÉCNICAS DE CRIATIVIDADE EM GRUPO  Brainstorming  Técnica de grupo nominal  Mapas mentais  Diagrama de afinidade  Análise de decisão envolvendo critérios múltiplos
  16. 16. 5. TÉCNICAS DE TOMADA DE DECISÃO EM GRUPO  Unanimidade  Maioria  Pluralidade  Ditadura 6. QUESTIONÁRIOS E PESQUISAS  Perguntas escritas e projetadas  Levanta informações de grandes parcelas  Respostas rápidas  Análise estatística
  17. 17. 7. OBSERVAÇÕES  Maneira direta de examinar  Útil para processos detalhados  Feita por observador externo  Descobrir requisitos ocultos 8. PROTÓTIPOS  Obtém respostas iniciais  Existência de modelos  Gera feedbacks  Storyboards
  18. 18. 9. BENCHMARKING  Comparações de práticas de projetos  Geração de novas ideias e melhorias  Fornece base para medir desempenhos  Podem ser internas ou externas 10. DIAGRAMAS DE CONTEXTO  Descrevem visualmente o escopo mostrando processos, equipamentos, sistemas, etc.  Mostram a interação das entradas e das saídas dos sistemas de negócios  Exemplo de modelo do escopo
  19. 19. 11. ANÁLISE DE DOCUMENTOS  Plano de negócios  Literatura do marketing  Políticas  Portarias  Leis e códigos  Fluxos de processos
  20. 20. SAÍDAS 1. DOCUMENTAÇÃO DOS REQUISITOS  Descrição dos requisitos que atendem as necessidades do projeto  Os requisitos devem ser não ambíguos, mensuráveis e passíveis de teste  Varia de uma simples lista até um sumário executivo  Requisitos de negócios  Requisitos das partes interessadas  Requisitos de solução  Requisitos do projeto  Requisitos de transição  Restrições
  21. 21. 2. MATRIZ DE RASTREABILIDADE DOS REQUISITOS  Tabela que liga os requisitos desde suas origens até as entregas  Ajuda a garantir que cada requisito adiciona valor de negócio  Fornece rastreamento no ciclo de vida do projeto  Fornece estrutura de gerenciamento de mudanças
  22. 22. MATRIZ DE RASTREABILIDADE DOS REQUISITOS
  23. 23. DEFINIR O ESCOPO Descrição detalhada do projeto e/ou do produto. 3º
  24. 24. ENTRADAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO  Estabelece as atividades para o desenvolvimento, monitoramento e controle do escopo do projeto 2. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO  Fornece a descrição em alto nível das característica do projeto  Contém requisitos de aprovação
  25. 25. 3. DOCUMENTAÇÃO DOS REQUISITOS  Usada para selecionar os requisitos que serão incluídos no projeto 4. ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS  Políticas  Procedimentos  Experiências
  26. 26. FERRAMENTAS & TÉCNICAS 1. OPINIÃO ESPECIALIZADA  Unidades da empresa  Consultores  Partes interessadas  Setores  Especialistas 2. ANÁLISE DO PRODUTO  Decomposição  Análise de sistemas  Análise de requisitos  Análise de valor
  27. 27. 3. GERAÇÃO DE ALTERNATIVAS  Desenvolve o maior números de opções  Brainstorming  Pensamento lateral 4. OFICINAS FACILITADAS  Envolvimento de participantes chave  Consenso
  28. 28. SAÍDAS 1. ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DO PROJETO Descrição própria do escopo Critérios de aceitação Entrega Exclusão do projeto Restrições Premissas 2. ATUALIZAÇÕES NOS DOCUMENTOS DO PROJETO Registro das partes interessadas Documentação dos requisitos Matriz de rastreabilidade dos requisitos
  29. 29. CRIAR A ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO (EAP) Define a entrega e decomposição do projeto em componentes menores de gerenciamento. 4º
  30. 30. ENTRADAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO Estabelece como o escopo será desenvolvido, monitorado e controlado a partir da descrição detalhada do escopo do projeto. 2. ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO  Entregas e trabalhos necessários  Contém principais entregas, requisitos, premissas e restrições
  31. 31. 3. DOCUMENTAÇÃO DOS REQUISITOS Como cada requisito atende a necessidade do negócios 4. FATORES AMBIENTAIS DA EMPRESA Fatores internos ou externos que influenciam o sucesso do projeto 5. ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS  Políticas  Procedimentos  Experiências
  32. 32. FERRAMENTAS & TÉCNICAS 1. DECOMPOSIÇÃO É a divisão e subdivisão do escopo e suas entregas em partes menores onde custo e duração podem ser estimados e gerenciados precisamente. O nível de detalhe varia de acordo com a complexidade do projeto. Exemplo: Cubo Mágico Presentes >>
  33. 33. 2. OPINIÃO ESPECIALIZADA  Utilizada para analisar as informações necessárias para decompor as entregas do projeto.  Unidades da empresa  Consultores  Partes interessadas  Setores  Especialistas
  34. 34. SAÍDAS 1. LINHA DE BASE  Declaração do Escopo  EAP  Dicionário EAP 2. ATUALIZAÇÕES NOS DOCUMENTOS DO PROJETO  Registro das partes interessadas  Documentação dos requisitos  Matriz de rastreabilidade dos requisitos
  35. 35. VALIDAR O ESCOPO Formalizar a aceitação dos produtos do projeto com entregas concluídas. 5º
  36. 36. ENTRADAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO Descreve como os processos são executados, controlados, monitorados e encerrados como um guia par a equipe durante todo o processo 2. DOCUMENTAÇÃO DOS REQUISITOS Como cada requisito atende a necessidade do negócios
  37. 37. 3. MATRIZ DE RASTREABILIDADE DOS REQUISITOS Liga os requisitos as suas origens e os rastreia durante todo o ciclo de vida do projeto. 4. ENTREGAS VERIFICADAS São saídas de processos realizados para completar o trabalho planejado, concluindo um processo, fase ou projeto. 5. DADOS DE DESEMPENHO DO TRABALHO  Grau de conformidade com os requisitos  Número de não conformidades  Gravidade das não conformidades  Número dos ciclos de validação executadas em um período.
  38. 38. FERRAMENTAS & TÉCNICAS 1. INSPEÇÃO Garante que as entregas estejam conforme o especificado. Devem ser inspecionados antes da entrega ao cliente final. 2. TÉCNICAS DE TOMADA DE DECISÃO EM GRUPO  O gerente deve garantir que a melhor decisão seja tomada em tempo hábil avaliando para toda questão:  Impacto e urgência;  Alternativas para resolução;  Apresentar alternativas para os responsáveis pela decisão.
  39. 39. SAÍDAS 1. ENTREGAS ACEITAS Entregas que estão de acordo com os critérios de aceitação formalmente assinadas e aprovadas pelo cliente ou patrocinador. 2. SOLICITAÇÃO DE MUDANÇAS Entregas que não são formalmente aceitas devem ser documentadas juntamente com a justificativa. Se exigido solicitação de mudança dos defeitos será encaminhado para o controle integrado de mudanças.
  40. 40. 3. INFORMAÇÕES SOBRE DESEMPENHO DO TRABALHO São informações pertinentes ao desempenho do trabalho e devem ser documentadas e comunicadas as partes interessadas, como:  Quais entregas foram iniciadas  O progresso das entregas  Quais entregas foram aceitas  Dentre outras. 4. ATUALIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO  Registro das partes interessadas  Documentação dos requisitos  Matriz de rastreabilidade dos requisitos
  41. 41. CONTROLAR O ESCOPO Monitoramento do progresso do escopo do projeto e do escopo do produto e gerenciamento das mudanças. 6º
  42. 42. ENTRADAS 1. PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO  Descreve como os processos são executados, controlados, monitorados e encerrados como um guia par a equipe durante todo o processo 2. DOCUMENTAÇÃO DOS REQUISITOS  Como cada requisito atende a necessidade do negócios
  43. 43. 3. MATRIZ DE RASTREABILIDADE DOS REQUISITOS Liga os requisitos as suas origens e os rastreia durante todo o ciclo de vida do projeto. 4. DADOS DE DESEMPENHO DO TRABALHO  Grau de conformidade com os requisitos  Número de não conformidades  Gravidade das não conformidades  Número dos ciclos de validação executadas em um período. 5. ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Processos, procedimentos, listas de verificação, instruções, assim como lições aprendidas em projetos anteriores.
  44. 44. FERRAMENTAS & TÉCNICAS 1. ANÁLISE DE VARIAÇÃO Comparar o real com o planejado, determinado o grau de diferença entre a linha de base e o desempenho real. O controle do escopo determina o grau de variação e a decisão se ações preventivas ou corretivas são necessárias.
  45. 45. SAÍDAS 1. INFORMAÇÕES SOBRE DESEMPENHO DO TRABALHO São informações pertinentes ao desempenho do trabalho e devem ser documentadas e comunicadas as partes interessadas, como:  Quais entregas foram iniciadas  O progresso das entregas  Quais entregas foram aceitas  Dentre outras. 2. SOLICITAÇÃO DE MUDANÇAS Entregas que não são formalmente aceitas devem ser documentadas juntamente com a justificativa. Se exigido solicitação de mudança dos defeitos será encaminhado para o controle integrado de mudanças.
  46. 46. 3. ATUALIZAÇÃO NO PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO As atualizações como atualização da linha de base, se afetarem o escopo, devem ser revisadas e publicadas novamente para integrar a mudança e serão revisados a linha de base dos custos e cronograma para refletirem as mudanças. 4. ATUALIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO  Registro das partes interessadas  Documentação dos requisitos  Matriz de rastreabilidade dos requisitos 5. ATUALIZAÇÃO DOS ATIVOS ORGANIZACIONAIS Serão atualizados os processos da empresa que auxiliam na elaboração e/ou desenvolvimento do projeto.
  47. 47. CONVIDADO: RICARDO SATIN

×