Modernismo Brasileiro 1ª geração

3.645 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Modernismo Brasileiro 1ª geração

  1. 1. Modernismo Brasileiro (1ª geração) por prof. Tim Bagatelas
  2. 2. <ul><li>1ª Geração: </li></ul><ul><li>Início – 1922 – Semana de Arte Moderna (13 a 18/02) realizada no Teatro Municipal de São Paulo. </li></ul><ul><li>Fim – 1930 – Publicação de Alguma poesia , de Carlos Drummond de Andrade (marco inicial da 2ª geração modernista). </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Características: </li></ul><ul><li>Influência das vanguardas européias; </li></ul><ul><li>Destruição do academicismo; </li></ul><ul><li>Ruptura com a tradição historiográfica da literatura brasileira; </li></ul><ul><li>Ruptura com a métrica e mimas regulares; </li></ul><ul><li>Valorização da linguagem coloquial e do verso livre; </li></ul><ul><li>Mistura entre poesia e prosa; </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Características: </li></ul><ul><li>Blague (poema-piada; poema-minuto), bom humor, ironia; </li></ul><ul><li>Temáticas tradicionalmente consideradas não-poéticas; </li></ul><ul><li>Valorização do cotidiano; </li></ul><ul><li>Nacionalismo ufanista e crítica à realidade nacional; </li></ul><ul><li>Valorização do índio, não como herói romântico, mas em suas feições primitivas e antropofágicas. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Manifestos: </li></ul><ul><li>Oswald de Andrade: Manifesto da poesia Pau-Brasil (1924) e Manifesto Antropófago (1928); </li></ul><ul><li>Mário de Andrade: “Prefácio Interessantíssimo” ( Paulicéia Desvairada – 1922) e A escrava que não é Isaura (1925); </li></ul><ul><li>Manuel Bandeira: poema “Poética”, publicado em Libertinagem (1930). </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Principais autores e obras: </li></ul><ul><li>Mário de Andrade: Paulicéia Desvairada (1922); Lira Paulistana (1946);  Contos Novos (1946);  Amar, Verbo Intransitivo (1927); Macunaíma (1928);  A escrava que não era Isaura (1925). </li></ul><ul><li>Oswald de Andrade: Memórias Sentimentais de João Miramar  (1924); Serafim Ponte Grande  (1933); Pau-Brasil  (1925);  Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswald de Andrade  (1927). </li></ul><ul><li>Manuel Bandeira: A cinza das horas (1917); Ritmo Dissoluto (1924); Libertinagem (1930);  Estrela da Manhã (1936);   Itinerário de Pasárgada (1954). </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Outros autores: </li></ul><ul><li>Alcântara Machado:  Brás, Bexiga e Barra Funda. </li></ul><ul><li>Cassiano Ricardo:  Martim Cererê. </li></ul><ul><li>Guilherme de Almeida:  A flor que foi um homem. </li></ul><ul><li>Menotti del Picchia:  Juca Mulato. </li></ul><ul><li>Plínio Salgado:  O cavaleiro de Itararé. </li></ul><ul><li>Raul Bopp:  Cobra Morato. </li></ul>

×