O slideshow foi denunciado.

186168907 lubrificacao-industrial

1.743 visualizações

Publicada em

lubrificação industrial

Publicada em: Internet

186168907 lubrificacao-industrial

  1. 1. EdmilsonAguiar de Souza Tecnólogo em Petróleo e Gás
  2. 2. A lubrificação é uma atividade de manutenção em uma máquina, um equipamento pesado ou componente isolado. É a lubrificação que assegura a redução de atrito de partes móveis e garante o bom funcionamento das máquinas e dispositivos por um longo período de tempo.
  3. 3. Tipo de lubrificante a ser empregado (graxa ou óleo); Viscosidade do lubrificante; Quantidade do lubrificante; Custo do dispositivo de lubrificação. A escolha do método de aplicação do óleo lubrificante depende dos seguintes fatores:
  4. 4. Lubrificação por Gravidade Lubrificação por Capilaridade Lubrificação por Salpico Lubrificação por Imersão Lubrificação por Sistema Forçado Lubrificação a Graxa Lubrificação Automática
  5. 5. Também conhecida como lubrificação manual, é realizado por meio de almotolias. Não é eficiente por não apresentar uma camada de lubrificação homogênea. Existem dois tipos de aplicação: Fig. 1 Lubrificação manual Fig.2 Copo conta gotas
  6. 6. No dispositivo copo com mecha o lubrificante flui através de um pavio que fica encharcado de óleo. A vazão depende da viscosidade do óleo, da temperatura e do tamanho e do traçado do pavio. No outro, age por ação capilar, o óleo de embebimento escoa pela estopa (ou pela almofada) em direção ao mancal. Fig. 3 Copo com mecha Fig.4 Lubrificação por estopa
  7. 7. Na lubrificação por salpico, o lubrificante contido num depósito (ou cárter) é borrifado por meio de uma ou mais peças móveis. Fig. 5 Lubrificação por Salpico Fig. 7 Lubrificação por Anel Fig. 6 Lubrificação por Colar
  8. 8. Também chamado de lubrificação por banho de óleo. Nesse método, as peças a serem lubrificadas mergulham total ou parcialmente num recipiente de óleo. O excesso de lubrificante é distribuído por meio de ranhuras a outras peças. O nível do óleo deve ser constantemente controlado porque, além de lubrificar, ele tem a função de resfriar a peça. Esse tipo de lubrificação é empregado em mancais de rolamentos de eixos horizontais e em caixas de engrenagens. Fig. 8 Lubrificação por banho de óleo
  9. 9. Muito comum na lubrificação de mancais e cilindros de compressores, a lubrificação por sistema forçado, ou lubrificação por perda, consiste em um método que faz uso de uma bomba para a retirada do óleo lubrificante de um reservatório, de modo a “empurrá-lo” por entre as superfícies metálicas que deverão receber o produto. Já a lubrificação por circulação, outra forma de lubrificação por sistema forçado, o lubrificante é bombeado de um recipiente para as peças que necessita de óleo. Depois de passar por todas as peças, o produto retorna ou recipiente. Fig. 9 Lubrificação por banho de óleo Fig. 10 Lubrificação por banho de óleo
  10. 10. A graxa pode ser aplicada através de sistemas de aplicação centralizada, sistemas de aplicação automática de um único ponto, manualmente, com uso de pinceis especiais, ou com uso de uma pistola de lubrificação manual. A pistola de graxa manual é o método de aplicação mais comum, já a aplicação manual de graxa, quando realizada corretamente, é um método eficaz e oferece certas vantagens sobre os sistemas automáticos. Fig. 12 Lubrificação manual com pistolaFig. 11 Lubrificação manual de graxa
  11. 11. No sistema de lubrificação automática empregam-se onde há necessidade de lubrificação contínua. Há um dispositivo acoplado ao motor elétrico que permite regular o número de operações por hora de efetivo trabalho. Fig. 13 Lubrificação Automática
  12. 12. Antes de se aplicar um lubrificante - óleo ou graxa - a uma máquina, é indispensável ter a certeza de que o produto está limpo, isento de contaminações e com suas características típicas dentro das faixas normais. Para isso, cuidados especiais devem ser tomados com relação ao manuseio e armazenamento dos tambores ou baldes de lubrificantes.
  13. 13. Uma boa lubrificação depende da aplicação mais conveniente para tal exercício de tarefa a realizar, considerando portanto a viscosidade do óleo lubrificante, ou ainda, em caso de graxa, utilizar a que apresentar a viscosidade dinâmica e cinética conforme o fabricante, importante ainda, observar as especificações do fabricante e também as horas do equipamento/máquina.
  14. 14. http://wwwp.feb.unesp.br/jcandido/manutencao/Grupo_13.pdf http://www.mecanicaindustrial.com.br/conteudo/24-mtodos-de-lubrificacao-em- mecanica/ edmilson_mtv@hotmail.com

×