Aula etnias raças-31-08-2012_grande

732 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Aula etnias raças-31-08-2012_grande

  1. 1. Questão 1:Questão 1: (UNIFENAS) O meeiro constitui, no Brasil, um tipo característico de trabalhador rural:(UNIFENAS) O meeiro constitui, no Brasil, um tipo característico de trabalhador rural: ( ) a) de cuja terra é co-proprietário.( ) a) de cuja terra é co-proprietário. ( ) b) que recebe em pagamento metade do salário pago na região.( ) b) que recebe em pagamento metade do salário pago na região. ( ) c) que recebe em pagamento metade dos lucros do proprietário.( ) c) que recebe em pagamento metade dos lucros do proprietário. ( ) d) que paga ao proprietário metade do aluguel da terra ocupada.( ) d) que paga ao proprietário metade do aluguel da terra ocupada. ( ) e) que entrega ao proprietário metade do que produziu.( ) e) que entrega ao proprietário metade do que produziu. Questão 2:Questão 2: (ADVISE) Anualmente, a ONU divulga, em meados ou no fim(ADVISE) Anualmente, a ONU divulga, em meados ou no fim de cada ano, a famosa lista do IDH. Sobre o IDH brasileiro,de cada ano, a famosa lista do IDH. Sobre o IDH brasileiro, analise as assertivas a seguir:analise as assertivas a seguir: I. No IDH, leva-se em consideração a expectativa de vida, oI. No IDH, leva-se em consideração a expectativa de vida, o tempo de escolaridade e a renda corrigida pelo poder detempo de escolaridade e a renda corrigida pelo poder de compra.compra. II. O IDH do Brasil vem evoluindo lentamente, fazendo comII. O IDH do Brasil vem evoluindo lentamente, fazendo com que o país apresente um índice igual a 0,800, podendo-seque o país apresente um índice igual a 0,800, podendo-se considerá-lo elevado.considerá-lo elevado. III. Em razão de seu crescimento econômico contínuo,III. Em razão de seu crescimento econômico contínuo, pode-se afirmar que o IDH brasileiro já é homogêneo empode-se afirmar que o IDH brasileiro já é homogêneo em todo o território nacional.todo o território nacional. Estão corretas as assertivas:Estão corretas as assertivas: ( ) a) I, II e III;( ) a) I, II e III; ( ) b) II e III;( ) b) II e III; ( ) c) I e III;( ) c) I e III; ( ) d) I e II;( ) d) I e II; ( ) e) I, somente( ) e) I, somente Questão 3:Questão 3: (FUVEST) O Brasil ainda não conseguiu extinguir o trabalho(FUVEST) O Brasil ainda não conseguiu extinguir o trabalho em condições de escravidão, pois ainda existem muitosem condições de escravidão, pois ainda existem muitos trabalhadores nessa situação. Com relação a taltrabalhadores nessa situação. Com relação a tal modalidade de exploração do ser humano, analise asmodalidade de exploração do ser humano, analise as afirmações abaixo.afirmações abaixo. I. As relações entre os trabalhadores e seus empregadoresI. As relações entre os trabalhadores e seus empregadores marcam-se pela informalidade e pelas crescentes dívidasmarcam-se pela informalidade e pelas crescentes dívidas feitas pelos trabalhadores nos armazéns dosfeitas pelos trabalhadores nos armazéns dos empregadores, aumentando a dependência financeira paraempregadores, aumentando a dependência financeira para com eles.com eles. II. Geralmente, os trabalhadores são atraídos de regiõesII. Geralmente, os trabalhadores são atraídos de regiões distantes do local de trabalho, com a promessa de bonsdistantes do local de trabalho, com a promessa de bons salários, mas as situações de trabalho envolvem condiçõessalários, mas as situações de trabalho envolvem condições insalubres e extenuantes.insalubres e extenuantes. III. A persistência do trabalho escravo ou semi-escravo noIII. A persistência do trabalho escravo ou semi-escravo no Brasil, não obstante a legislação que o proíbe, explica-seBrasil, não obstante a legislação que o proíbe, explica-se exclusivamente pela intensa competitividade do mercadoexclusivamente pela intensa competitividade do mercado globalizado.globalizado. Está correto o que se afirma em:Está correto o que se afirma em: ( ) a) I, somente.( ) a) I, somente. ( ) b) II, somente.( ) b) II, somente. ( ) c) I e II, somente.( ) c) I e II, somente. ( ) d) II e III, somente.( ) d) II e III, somente. ( ) e) I, II e III.( ) e) I, II e III.
  2. 2. Considerações sobre a Questão 3:Considerações sobre a Questão 3: A questão do trabalho escravo contemporâneo não seA questão do trabalho escravo contemporâneo não se justifica apenas pela busca por competitividade, mas ela éjustifica apenas pela busca por competitividade, mas ela é um elemento importante que está inserido nesse processo.um elemento importante que está inserido nesse processo. Como o enunciando da alternativa restringe (“explica-seComo o enunciando da alternativa restringe (“explica-se exclusivamente”), não possibilita ao candidato escolhê-laexclusivamente”), não possibilita ao candidato escolhê-la como uma possibilidade explicativa.como uma possibilidade explicativa. Se trabalho escravo não é a busca por lucro fácil, dentro deSe trabalho escravo não é a busca por lucro fácil, dentro de um contexto da competitividade de um empreendimento,um contexto da competitividade de um empreendimento, ele é o que? Uma prática de gente malvada guiada por puroele é o que? Uma prática de gente malvada guiada por puro sadismo?sadismo? Trabalho escravo é sustentado pelo tripé:Trabalho escravo é sustentado pelo tripé: -- impunidadeimpunidade (de quem usa escravos),(de quem usa escravos), -- pobrezapobreza (que expulsa trabalhadores e os força a aceitar(que expulsa trabalhadores e os força a aceitar propostas de emprego bizarras)propostas de emprego bizarras) - e- e ganânciaganância (em um cenário de intensa competitividade(em um cenário de intensa competitividade nacional e internacional, o produtor rebaixa o custonacional e internacional, o produtor rebaixa o custo trabalho para poder alcançar um lucro igual ou maior que otrabalho para poder alcançar um lucro igual ou maior que o seu competidor).seu competidor). Separadamente, nenhum deles explica esse fenômeno noSeparadamente, nenhum deles explica esse fenômeno no país.país. Fonte: Blog do SakamotoFonte: Blog do Sakamoto Questão 3:Questão 3: (FUVEST) O Brasil ainda não conseguiu extinguir o trabalho(FUVEST) O Brasil ainda não conseguiu extinguir o trabalho em condições de escravidão, pois ainda existem muitosem condições de escravidão, pois ainda existem muitos trabalhadores nessa situação. Com relação a taltrabalhadores nessa situação. Com relação a tal modalidade de exploração do ser humano, analise asmodalidade de exploração do ser humano, analise as afirmações abaixo.afirmações abaixo. I. As relações entre os trabalhadores e seus empregadoresI. As relações entre os trabalhadores e seus empregadores marcam-se pela informalidade e pelas crescentes dívidasmarcam-se pela informalidade e pelas crescentes dívidas feitas pelos trabalhadores nos armazéns dosfeitas pelos trabalhadores nos armazéns dos empregadores, aumentando a dependência financeira paraempregadores, aumentando a dependência financeira para com eles.com eles. II. Geralmente, os trabalhadores são atraídos de regiõesII. Geralmente, os trabalhadores são atraídos de regiões distantes do local de trabalho, com a promessa de bonsdistantes do local de trabalho, com a promessa de bons salários, mas as situações de trabalho envolvem condiçõessalários, mas as situações de trabalho envolvem condições insalubres e extenuantes.insalubres e extenuantes. III. A persistência do trabalho escravo ou semi-escravo noIII. A persistência do trabalho escravo ou semi-escravo no Brasil, não obstante a legislação que o proíbe,Brasil, não obstante a legislação que o proíbe, explica-seexplica-se exclusivamenteexclusivamente pela intensa competitividade do mercadopela intensa competitividade do mercado globalizado.globalizado. Está correto o que se afirma em:Está correto o que se afirma em: ( ) a) I, somente.( ) a) I, somente. ( ) b) II, somente.( ) b) II, somente. ( ) c) I e II, somente.( ) c) I e II, somente. ( ) d) II e III, somente.( ) d) II e III, somente. ( ) e) I, II e III.( ) e) I, II e III.
  3. 3.  Etnias e raças no BrasilEtnias e raças no Brasil  Diferenças entre “negros” e “brancos”Diferenças entre “negros” e “brancos”  População indígenaPopulação indígena  Histórico de composição racialHistórico de composição racial  Democracia RacialDemocracia Racial
  4. 4. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes
  5. 5. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes • Desde...Desde...
  6. 6. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes • Desde...Desde... ...os povos indígenas originais,...os povos indígenas originais,
  7. 7. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes • Desde...Desde... ...os povos indígenas originais,...os povos indígenas originais, ...até a chegada dos colonizadores portugueses,...até a chegada dos colonizadores portugueses,
  8. 8. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes • Desde...Desde... ...os povos indígenas originais,...os povos indígenas originais, ...até a chegada dos colonizadores portugueses,...até a chegada dos colonizadores portugueses, ...escravos negros africanos...escravos negros africanos
  9. 9. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes • Desde...Desde... ...os povos indígenas originais,...os povos indígenas originais, ...até a chegada dos colonizadores portugueses,...até a chegada dos colonizadores portugueses, ...escravos negros africanos...escravos negros africanos ...e de recentes ondas imigratórias de europeus, árabes e japoneses,...e de recentes ondas imigratórias de europeus, árabes e japoneses,
  10. 10. • Como todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de umaComo todos nós sabemos, a composição étnica da sociedade brasileira resulta de uma mistura de várias origens étnicas diferentesmistura de várias origens étnicas diferentes • Desde...Desde... ...os povos indígenas originais,...os povos indígenas originais, ...até a chegada dos colonizadores portugueses,...até a chegada dos colonizadores portugueses, ...escravos negros africanos...escravos negros africanos ...e de recentes ondas imigratórias de europeus, árabes e japoneses,...e de recentes ondas imigratórias de europeus, árabes e japoneses, ...além de outros povos asiáticos e de países sul-americanos, em menor escala....além de outros povos asiáticos e de países sul-americanos, em menor escala.
  11. 11. • Nos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenaçãoNos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenação racial.racial.
  12. 12. • Nos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenaçãoNos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenação racial.racial. • No entanto, as relações raciais no Brasil não têm sido sempre harmônicas, especialmenteNo entanto, as relações raciais no Brasil não têm sido sempre harmônicas, especialmente em relação ao papel de desvantagem histórica dos negros brasileiros e indígenas, gruposem relação ao papel de desvantagem histórica dos negros brasileiros e indígenas, grupos fortemente explorados no período colonial do país.fortemente explorados no período colonial do país.
  13. 13. • Nos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenaçãoNos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenação racial.racial. • No entanto, as relações raciais no Brasil não têm sido sempre harmônicas, especialmenteNo entanto, as relações raciais no Brasil não têm sido sempre harmônicas, especialmente em relação ao papel de desvantagem histórica dos negros brasileiros e indígenas, gruposem relação ao papel de desvantagem histórica dos negros brasileiros e indígenas, grupos fortemente explorados no período colonial do país.fortemente explorados no período colonial do país. • Por essa desvantagem histórica, seus descendentes tendem a ocupar posições menosPor essa desvantagem histórica, seus descendentes tendem a ocupar posições menos prestigiadas na sociedade brasileira moderna.prestigiadas na sociedade brasileira moderna.
  14. 14. • Nos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenaçãoNos séculos XIX e XX, a cultura brasileira tem promovido uma integração e miscigenação racial.racial. • No entanto, as relações raciais no Brasil não têm sido sempre harmônicas, especialmenteNo entanto, as relações raciais no Brasil não têm sido sempre harmônicas, especialmente em relação ao papel de desvantagem histórica dos negros brasileiros e indígenas, gruposem relação ao papel de desvantagem histórica dos negros brasileiros e indígenas, grupos fortemente explorados no período colonial do país.fortemente explorados no período colonial do país. • Por essa desvantagem histórica, seus descendentes tendem a ocupar posições menosPor essa desvantagem histórica, seus descendentes tendem a ocupar posições menos prestigiadas na sociedade brasileira moderna.prestigiadas na sociedade brasileira moderna. • A análise de marcadores genéticos revelam que os brasileiros de todas as regiões do paísA análise de marcadores genéticos revelam que os brasileiros de todas as regiões do país são racialmente mistos e predominantemente de origem européia - incluindo a maioria dassão racialmente mistos e predominantemente de origem européia - incluindo a maioria das pessoas que se definem como pardas e negras.pessoas que se definem como pardas e negras.
  15. 15. • Uma pesquisa realizada com maisUma pesquisa realizada com mais de 34 milhões de brasileiros, dosde 34 milhões de brasileiros, dos quais quase vinte milhões sequais quase vinte milhões se declaram brancos, perguntou adeclaram brancos, perguntou a origem étnica dos participantes deorigem étnica dos participantes de cor ou raça branca.cor ou raça branca.
  16. 16. • Uma pesquisa realizada com maisUma pesquisa realizada com mais de 34 milhões de brasileiros, dosde 34 milhões de brasileiros, dos quais quase vinte milhões sequais quase vinte milhões se declaram brancos, perguntou adeclaram brancos, perguntou a origem étnica dos participantes deorigem étnica dos participantes de cor ou raça branca.cor ou raça branca. • A maioria apontou origem:A maioria apontou origem: - 45,53% apontou origem “brasileira”- 45,53% apontou origem “brasileira” - 15,72% apontou origem italiana,- 15,72% apontou origem italiana, - 14,50% origem portuguesa,- 14,50% origem portuguesa, - 6,42% origem espanhola,- 6,42% origem espanhola, - 5,51% origem alemã- 5,51% origem alemã - 12,32% outras origens, que incluem- 12,32% outras origens, que incluem africana, indígena, judaica e árabe.africana, indígena, judaica e árabe.
  17. 17. • O Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é umaO Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é uma construção social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmoconstrução social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmo que é entendido como tal em outra.que é entendido como tal em outra.
  18. 18. • O Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é umaO Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é uma construção social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmoconstrução social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmo que é entendido como tal em outra.que é entendido como tal em outra. • Poucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias comoPoucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias como ocorreu no Brasil.ocorreu no Brasil.
  19. 19. • O Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é umaO Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é uma construção social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmoconstrução social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmo que é entendido como tal em outra.que é entendido como tal em outra. • Poucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias comoPoucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias como ocorreu no Brasil.ocorreu no Brasil. • Desde a chegada dos primeiros colonos portugueses assistiu-se à miscigenação emDesde a chegada dos primeiros colonos portugueses assistiu-se à miscigenação em massa com os índios.massa com os índios.
  20. 20. • O Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é umaO Brasil pode ser apontado como um exemplo de que o conceito de "raça" é uma construção social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmoconstrução social, e que o que é entendido como "raça" em uma sociedade não é o mesmo que é entendido como tal em outra.que é entendido como tal em outra. • Poucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias comoPoucos países no mundo tiveram a rica interação de diferentes "raças" e etnias como ocorreu no Brasil.ocorreu no Brasil. • Desde a chegada dos primeiros colonos portugueses assistiu-se à miscigenação emDesde a chegada dos primeiros colonos portugueses assistiu-se à miscigenação em massa com os índios.massa com os índios. • Décadas depois, com a chegada de escravos negros, formou-se uma população trí-híbrida.Décadas depois, com a chegada de escravos negros, formou-se uma população trí-híbrida.
  21. 21. • Os portugueses já trouxeram para o Brasil séculos de integração genética e cultural deOs portugueses já trouxeram para o Brasil séculos de integração genética e cultural de povos europeus, como os celtas e os lusitanos.povos europeus, como os celtas e os lusitanos. + + ++ + + ==
  22. 22. • Os portugueses já trouxeram para o Brasil séculos de integração genética e cultural deOs portugueses já trouxeram para o Brasil séculos de integração genética e cultural de povos europeus, como os celtas e os lusitanos.povos europeus, como os celtas e os lusitanos. • Embora os portugueses sejam basicamente uma população europeia, 7 séculos deEmbora os portugueses sejam basicamente uma população europeia, 7 séculos de convivência com mouros do norte de África e com judeus deixaram um importante legado aconvivência com mouros do norte de África e com judeus deixaram um importante legado a este povo.este povo. + + ++ + + ==
  23. 23. • Os portugueses já trouxeram para o Brasil séculos de integração genética e cultural deOs portugueses já trouxeram para o Brasil séculos de integração genética e cultural de povos europeus, como os celtas e os lusitanos.povos europeus, como os celtas e os lusitanos. • Embora os portugueses sejam basicamente uma população europeia, 7 séculos deEmbora os portugueses sejam basicamente uma população europeia, 7 séculos de convivência com mouros do norte de África e com judeus deixaram um importante legado aconvivência com mouros do norte de África e com judeus deixaram um importante legado a este povo.este povo. • Um curioso estudo recente aponta que entre 25 e 30% dos primeiros colonos portuguesesUm curioso estudo recente aponta que entre 25 e 30% dos primeiros colonos portugueses no Brasil eram, de fato, de origem judaica.no Brasil eram, de fato, de origem judaica. + + ++ + + ==
  24. 24. • Os índios brasileiros nãoOs índios brasileiros não apresentavam relevantesapresentavam relevantes diferenças genéticas entrediferenças genéticas entre si: seriam todossi: seriam todos descendentes do primeirodescendentes do primeiro grupo de caçadoresgrupo de caçadores asiáticos que chegaram àsasiáticos que chegaram às Américas, há 60 mil anos,Américas, há 60 mil anos, segundo algumas teorias.segundo algumas teorias.
  25. 25. • Os índios brasileiros nãoOs índios brasileiros não apresentavam relevantesapresentavam relevantes diferenças genéticas entrediferenças genéticas entre si: seriam todossi: seriam todos descendentes do primeirodescendentes do primeiro grupo de caçadoresgrupo de caçadores asiáticos que chegaram àsasiáticos que chegaram às Américas, há 60 mil anos,Américas, há 60 mil anos, segundo algumas teorias.segundo algumas teorias. • Porém, culturalmentePorém, culturalmente falando, os aborígenesfalando, os aborígenes brasileiros estavambrasileiros estavam inseridos numainseridos numa diversidade de naçõesdiversidade de nações com línguas e costumescom línguas e costumes distintos.distintos.
  26. 26. • Os índios brasileiros nãoOs índios brasileiros não apresentavam relevantesapresentavam relevantes diferenças genéticas entrediferenças genéticas entre si: seriam todossi: seriam todos descendentes do primeirodescendentes do primeiro grupo de caçadoresgrupo de caçadores asiáticos que chegaram àsasiáticos que chegaram às Américas, há 60 mil anos,Américas, há 60 mil anos, segundo algumas teorias.segundo algumas teorias. • Porém, culturalmentePorém, culturalmente falando, os aborígenesfalando, os aborígenes brasileiros estavambrasileiros estavam inseridos numainseridos numa diversidade de naçõesdiversidade de nações com línguas e costumescom línguas e costumes distintos.distintos. • A chegada dos colonosA chegada dos colonos portugueses, homens emportugueses, homens em sua maioria, culminou emsua maioria, culminou em relações e concubinatosrelações e concubinatos com as índias.com as índias.
  27. 27. • Os escravos africanos trazidos aoOs escravos africanos trazidos ao Brasil pertenciam a um leque enormeBrasil pertenciam a um leque enorme de etnias e nações da África.de etnias e nações da África.
  28. 28. • Os escravos africanos trazidos aoOs escravos africanos trazidos ao Brasil pertenciam a um leque enormeBrasil pertenciam a um leque enorme de etnias e nações da África.de etnias e nações da África. • A maior parte eram bantos,A maior parte eram bantos, originários de Angola, Congo eoriginários de Angola, Congo e Moçambique.Moçambique.
  29. 29. • Os escravos africanos trazidos aoOs escravos africanos trazidos ao Brasil pertenciam a um leque enormeBrasil pertenciam a um leque enorme de etnias e nações da África.de etnias e nações da África. • A maior parte eram bantos,A maior parte eram bantos, originários de Angola, Congo eoriginários de Angola, Congo e Moçambique.Moçambique. • Porém, em lugares como a Bahia,Porém, em lugares como a Bahia, predominaram os escravos da regiãopredominaram os escravos da região da Nigéria, Daomé e Costa do Ouroda Nigéria, Daomé e Costa do Ouro (Gana). Eram maiores e mais(Gana). Eram maiores e mais robustos que os bantos, e tambémrobustos que os bantos, e também mais desenvolvidos.mais desenvolvidos.
  30. 30. • Os escravos africanos trazidos aoOs escravos africanos trazidos ao Brasil pertenciam a um leque enormeBrasil pertenciam a um leque enorme de etnias e nações da África.de etnias e nações da África. • A maior parte eram bantos,A maior parte eram bantos, originários de Angola, Congo eoriginários de Angola, Congo e Moçambique.Moçambique. • Porém, em lugares como a Bahia,Porém, em lugares como a Bahia, predominaram os escravos da regiãopredominaram os escravos da região da Nigéria, Daomé e Costa do Ouroda Nigéria, Daomé e Costa do Ouro (Gana). Eram maiores e mais(Gana). Eram maiores e mais robustos que os bantos, e tambémrobustos que os bantos, e também mais desenvolvidos.mais desenvolvidos. • Alguns escravos islâmicos eramAlguns escravos islâmicos eram alfabetizados em árabe e já traziamalfabetizados em árabe e já traziam para o Brasil uma rica bagagempara o Brasil uma rica bagagem cultural.cultural.
  31. 31. • Os escravos africanos trazidos aoOs escravos africanos trazidos ao Brasil pertenciam a um leque enormeBrasil pertenciam a um leque enorme de etnias e nações da África.de etnias e nações da África. • A maior parte eram bantos,A maior parte eram bantos, originários de Angola, Congo eoriginários de Angola, Congo e Moçambique.Moçambique. • Porém, em lugares como a Bahia,Porém, em lugares como a Bahia, predominaram os escravos da regiãopredominaram os escravos da região da Nigéria, Daomé e Costa do Ouroda Nigéria, Daomé e Costa do Ouro (Gana). Eram maiores e mais(Gana). Eram maiores e mais robustos que os bantos, e tambémrobustos que os bantos, e também mais desenvolvidos.mais desenvolvidos. • Alguns escravos islâmicos eramAlguns escravos islâmicos eram alfabetizados em árabe e já traziamalfabetizados em árabe e já traziam para o Brasil uma rica bagagempara o Brasil uma rica bagagem cultural.cultural. • Miscigenaram-se com osMiscigenaram-se com os portugueses e índios, formando aportugueses e índios, formando a raiz étnica do povo brasileiro.raiz étnica do povo brasileiro.
  32. 32. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX.
  33. 33. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX. • O governo libertou os descendentes de africanos, mas não deuO governo libertou os descendentes de africanos, mas não deu assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.
  34. 34. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX. • O governo libertou os descendentes de africanos, mas não deuO governo libertou os descendentes de africanos, mas não deu assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte. • O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953,O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953, entraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quaisentraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quais havia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancoshavia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancos e latinos.e latinos.
  35. 35. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX. • O governo libertou os descendentes de africanos, mas não deuO governo libertou os descendentes de africanos, mas não deu assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte. • O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953,O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953, entraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quaisentraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quais havia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancoshavia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancos e latinos.e latinos. • O governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem comO governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem com mestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Atravésmestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Através da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos.da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos.
  36. 36. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX. • O governo libertou os descendentes de africanos, mas não deuO governo libertou os descendentes de africanos, mas não deu assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte. • O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953,O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953, entraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quaisentraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quais havia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancoshavia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancos e latinos.e latinos. • O governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem comO governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem com mestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Atravésmestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Através da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos.da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos. • A entrada em massa de imigrantes europeus no Sul e Sudeste do BrasilA entrada em massa de imigrantes europeus no Sul e Sudeste do Brasil mudou relativamente a demografia do País.mudou relativamente a demografia do País.
  37. 37. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX. • O governo libertou os descendentes de africanos, mas não deuO governo libertou os descendentes de africanos, mas não deu assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte. • O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953,O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953, entraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quaisentraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quais havia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancoshavia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancos e latinos.e latinos. • O governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem comO governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem com mestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Atravésmestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Através da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos.da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos. • A entrada em massa de imigrantes europeus no Sul e Sudeste do BrasilA entrada em massa de imigrantes europeus no Sul e Sudeste do Brasil mudou relativamente a demografia do País.mudou relativamente a demografia do País. • Em poucas décadas verificou-se que a população de origem "negra eEm poucas décadas verificou-se que a população de origem "negra e mestiça" foi superada pela população "branca".mestiça" foi superada pela população "branca".
  38. 38. • A tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou oA tentativa do governo brasileiro em "branquear" a população marcou o século XIX.século XIX. • O governo libertou os descendentes de africanos, mas não deuO governo libertou os descendentes de africanos, mas não deu assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte.assistência social aos ex-escravos, que foram abandonados à própria sorte. • O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953,O escravo seria substituído pelo imigrante europeu: entre 1870 e 1953, entraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quaisentraram no Brasil cerca de 5,5 milhões de imigrantes, dentre os quais havia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancoshavia uma maioria de italianos, os preferidos do governo, por serem brancos e latinos.e latinos. • O governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem comO governo brasileiro ambicionava que os imigrantes se casassem com mestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Atravésmestiços e negros, para diluir a raça negra na população brasileira. Através da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos.da miscigenação, os brasileiros ficariam a cada geração mais brancos. • A entrada em massa de imigrantes europeus no Sul e Sudeste do BrasilA entrada em massa de imigrantes europeus no Sul e Sudeste do Brasil mudou relativamente a demografia do País.mudou relativamente a demografia do País. • Em poucas décadas verificou-se que a população de origem "negra eEm poucas décadas verificou-se que a população de origem "negra e mestiça" foi superada pela população "branca".mestiça" foi superada pela população "branca". • O casamento entre imigrantes europeus e brasileiros apenas alterou oO casamento entre imigrantes europeus e brasileiros apenas alterou o fenótipo.fenótipo.
  39. 39. • Geneticamente, a população brasileira continua mestiça.Geneticamente, a população brasileira continua mestiça. Brancos 47,3% Pardos 43,1% Negros 7,6% Amarelos 2,1% Indígenas 0,3%
  40. 40. • Geneticamente, a população brasileira continua mestiça.Geneticamente, a população brasileira continua mestiça. • Nos censos, a maioria da população brasileira continua a classificar-se como brancaNos censos, a maioria da população brasileira continua a classificar-se como branca (47,3%), uma parcela considerável como parda (43,1%) e um número muito reduzido como(47,3%), uma parcela considerável como parda (43,1%) e um número muito reduzido como preta (7,6%).preta (7,6%). Brancos 47,3% Pardos 43,1% Negros 7,6% Amarelos 2,1% Indígenas 0,3%
  41. 41. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.
  42. 42. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo. • A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo,A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo, é fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia umé fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia um padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.
  43. 43. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo. • A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo,A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo, é fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia umé fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia um padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.padrão de beleza caucasiano, euro-descendente. • Precisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundoPrecisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundo termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África.termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África.
  44. 44. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo. • A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo,A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo, é fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia umé fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia um padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.padrão de beleza caucasiano, euro-descendente. • Precisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundoPrecisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundo termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África.termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África. • A mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o maisA mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o mais apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos".apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos".
  45. 45. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo. • A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo,A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo, é fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia umé fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia um padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.padrão de beleza caucasiano, euro-descendente. • Precisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundoPrecisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundo termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África.termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África. • A mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o maisA mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o mais apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos".apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos". • Os termos "brancos" e "negros" dão uma ideia de racismo, de divisão racial. Algo nadaOs termos "brancos" e "negros" dão uma ideia de racismo, de divisão racial. Algo nada positivo para nosso país, tão miscigenado.positivo para nosso país, tão miscigenado.
  46. 46. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo. • A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo,A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo, é fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia umé fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia um padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.padrão de beleza caucasiano, euro-descendente. • Precisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundoPrecisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundo termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África.termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África. • A mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o maisA mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o mais apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos".apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos". • Os termos "brancos" e "negros" dão uma ideia de racismo, de divisão racial. Algo nadaOs termos "brancos" e "negros" dão uma ideia de racismo, de divisão racial. Algo nada positivo para nosso país, tão miscigenado.positivo para nosso país, tão miscigenado. • E quem não é nem "branco" e nem "negro", como fica? É chamado de "pardo",E quem não é nem "branco" e nem "negro", como fica? É chamado de "pardo", genericamente? Por isso, precisamos ter cuidado com o uso dos termos "brancos" egenericamente? Por isso, precisamos ter cuidado com o uso dos termos "brancos" e "negros", ou "pardos"."negros", ou "pardos".
  47. 47. • Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas,Fato é que, geneticamente, o Brasil possui uma população cujas origens são africanas, europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo.europeias e indígenas, e não "branca", nem "negra", nem "parda" como diz o censo. • A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo,A motivação de grande parte dos brasileiros em classificarem-se como brancos no censo, é fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia umé fruto de um "racismo" velado, enraizado na cultura do País, onde é imposto pela mídia um padrão de beleza caucasiano, euro-descendente.padrão de beleza caucasiano, euro-descendente. • Precisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundoPrecisamos distinguir bem os termos "negros" de afro-descendentes, pois o segundo termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África.termo é o mais apropriado, já que são pessoas cuja origem étnica se encontra na África. • A mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o maisA mesma distinção vale para os termos "brancos" e euro-descendentes, pois o mais apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos".apropriado é ressaltar a origem étnica europeia dos chamados "brancos". • Os termos "brancos" e "negros" dão uma ideia de racismo, de divisão racial. Algo nadaOs termos "brancos" e "negros" dão uma ideia de racismo, de divisão racial. Algo nada positivo para nosso país, tão miscigenado.positivo para nosso país, tão miscigenado. • E quem não é nem "branco" e nem "negro", como fica? É chamado de "pardo",E quem não é nem "branco" e nem "negro", como fica? É chamado de "pardo", genericamente? Por isso, precisamos ter cuidado com o uso dos termos "brancos" egenericamente? Por isso, precisamos ter cuidado com o uso dos termos "brancos" e "negros", ou "pardos"."negros", ou "pardos". • De qualquer modo, pelo excessivo uso destes termos em nossa sociedade, e pelo IBGEDe qualquer modo, pelo excessivo uso destes termos em nossa sociedade, e pelo IBGE ainda classificar a sociedade brasileira nessa divisão anacrônica, o restante da aula trataráainda classificar a sociedade brasileira nessa divisão anacrônica, o restante da aula tratará os euro-descendentes como "brancos" e os afro-descendentes como "negros"os euro-descendentes como "brancos" e os afro-descendentes como "negros"
  48. 48. • Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".
  49. 49. • Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros". • A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros".A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros".
  50. 50. • Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros". • A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros".A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros". • Um jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que umUm jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que um "negro" da mesma idade."negro" da mesma idade.
  51. 51. • Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros". • A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros".A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros". • Um jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que umUm jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que um "negro" da mesma idade."negro" da mesma idade. • A taxa de analfabetismo entre os "brancos" é de 8,3%, enquanto a dos "negros" é de 20%.A taxa de analfabetismo entre os "brancos" é de 8,3%, enquanto a dos "negros" é de 20%.
  52. 52. • Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros". • A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros".A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros". • Um jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que umUm jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que um "negro" da mesma idade."negro" da mesma idade. • A taxa de analfabetismo entre os "brancos" é de 8,3%, enquanto a dos "negros" é de 20%.A taxa de analfabetismo entre os "brancos" é de 8,3%, enquanto a dos "negros" é de 20%. • Do total de matriculados no ensino superior, apenas 2% são "negros".Do total de matriculados no ensino superior, apenas 2% são "negros".
  53. 53. • Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros".Há uma grande diferença de rendimentos entre os trabalhadores "brancos" e "negros". • A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros".A renda média mensal dos "brancos" é de 401 reais, contra 170 reais dos "negros". • Um jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que umUm jovem "branco" de 25 anos tem, em média, 2,3 anos a mais de estudo do que um "negro" da mesma idade."negro" da mesma idade. • A taxa de analfabetismo entre os "brancos" é de 8,3%, enquanto a dos "negros" é de 20%.A taxa de analfabetismo entre os "brancos" é de 8,3%, enquanto a dos "negros" é de 20%. • Do total de matriculados no ensino superior, apenas 2% são "negros".Do total de matriculados no ensino superior, apenas 2% são "negros". • Todos esses são dados do PNAD de 2001.Todos esses são dados do PNAD de 2001.
  54. 54. • Na década de 1990, os movimentos "negros" seNa década de 1990, os movimentos "negros" se fortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condiçõesfortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condições sociais e reparações pelas perdas e injustiças quesociais e reparações pelas perdas e injustiças que sofreram desde o período da escravidão.sofreram desde o período da escravidão.
  55. 55. • Na década de 1990, os movimentos "negros" seNa década de 1990, os movimentos "negros" se fortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condiçõesfortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condições sociais e reparações pelas perdas e injustiças quesociais e reparações pelas perdas e injustiças que sofreram desde o período da escravidão.sofreram desde o período da escravidão. • Segundo os movimentos "negros", ainda há forteSegundo os movimentos "negros", ainda há forte preconceito racial arraigado na sociedade brasileira.preconceito racial arraigado na sociedade brasileira.
  56. 56. • Na década de 1990, os movimentos "negros" seNa década de 1990, os movimentos "negros" se fortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condiçõesfortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condições sociais e reparações pelas perdas e injustiças quesociais e reparações pelas perdas e injustiças que sofreram desde o período da escravidão.sofreram desde o período da escravidão. • Segundo os movimentos "negros", ainda há forteSegundo os movimentos "negros", ainda há forte preconceito racial arraigado na sociedade brasileira.preconceito racial arraigado na sociedade brasileira. • Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27%Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27% dos réus "brancos" respondem processo em liberdade.dos réus "brancos" respondem processo em liberdade. Entre os "negros", a taxa é de 15,5%.Entre os "negros", a taxa é de 15,5%.
  57. 57. • Na década de 1990, os movimentos "negros" seNa década de 1990, os movimentos "negros" se fortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condiçõesfortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condições sociais e reparações pelas perdas e injustiças quesociais e reparações pelas perdas e injustiças que sofreram desde o período da escravidão.sofreram desde o período da escravidão. • Segundo os movimentos "negros", ainda há forteSegundo os movimentos "negros", ainda há forte preconceito racial arraigado na sociedade brasileira.preconceito racial arraigado na sociedade brasileira. • Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27%Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27% dos réus "brancos" respondem processo em liberdade.dos réus "brancos" respondem processo em liberdade. Entre os "negros", a taxa é de 15,5%.Entre os "negros", a taxa é de 15,5%. • Em 1996, por exemplo, foram registradas em boletins deEm 1996, por exemplo, foram registradas em boletins de ocorrência 14 queixas de preconceito racial em São Paulo,ocorrência 14 queixas de preconceito racial em São Paulo, em 2001 esse número subiu para 47.em 2001 esse número subiu para 47.
  58. 58. • Na década de 1990, os movimentos "negros" seNa década de 1990, os movimentos "negros" se fortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condiçõesfortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condições sociais e reparações pelas perdas e injustiças quesociais e reparações pelas perdas e injustiças que sofreram desde o período da escravidão.sofreram desde o período da escravidão. • Segundo os movimentos "negros", ainda há forteSegundo os movimentos "negros", ainda há forte preconceito racial arraigado na sociedade brasileira.preconceito racial arraigado na sociedade brasileira. • Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27%Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27% dos réus "brancos" respondem processo em liberdade.dos réus "brancos" respondem processo em liberdade. Entre os "negros", a taxa é de 15,5%.Entre os "negros", a taxa é de 15,5%. • Em 1996, por exemplo, foram registradas em boletins deEm 1996, por exemplo, foram registradas em boletins de ocorrência 14 queixas de preconceito racial em São Paulo,ocorrência 14 queixas de preconceito racial em São Paulo, em 2001 esse número subiu para 47.em 2001 esse número subiu para 47. • Os termos vergonhosos em que a noção de cidadania éOs termos vergonhosos em que a noção de cidadania é tratada no país escancaram o preconceito racial e astratada no país escancaram o preconceito racial e as desiguais condições de vida entre "negros" e "brancos".desiguais condições de vida entre "negros" e "brancos".
  59. 59. • Na década de 1990, os movimentos "negros" seNa década de 1990, os movimentos "negros" se fortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condiçõesfortaleceram no Brasil, reivindicando iguais condições sociais e reparações pelas perdas e injustiças quesociais e reparações pelas perdas e injustiças que sofreram desde o período da escravidão.sofreram desde o período da escravidão. • Segundo os movimentos "negros", ainda há forteSegundo os movimentos "negros", ainda há forte preconceito racial arraigado na sociedade brasileira.preconceito racial arraigado na sociedade brasileira. • Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27%Segundo o núcleo de estudos da violência da USP, 27% dos réus "brancos" respondem processo em liberdade.dos réus "brancos" respondem processo em liberdade. Entre os "negros", a taxa é de 15,5%.Entre os "negros", a taxa é de 15,5%. • Em 1996, por exemplo, foram registradas em boletins deEm 1996, por exemplo, foram registradas em boletins de ocorrência 14 queixas de preconceito racial em São Paulo,ocorrência 14 queixas de preconceito racial em São Paulo, em 2001 esse número subiu para 47.em 2001 esse número subiu para 47. • Os termos vergonhosos em que a noção de cidadania éOs termos vergonhosos em que a noção de cidadania é tratada no país escancaram o preconceito racial e astratada no país escancaram o preconceito racial e as desiguais condições de vida entre "negros" e "brancos".desiguais condições de vida entre "negros" e "brancos". • Segundo dados da fundação Seade, estes indicam que oSegundo dados da fundação Seade, estes indicam que o salário de um "negro" é menos da metade do de umsalário de um "negro" é menos da metade do de um "branco", quando os dois exercem a mesma função."branco", quando os dois exercem a mesma função.
  60. 60. • Segundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre osSegundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre os "negros" foi de 7,7%."negros" foi de 7,7%.
  61. 61. • Segundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre osSegundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre os "negros" foi de 7,7%."negros" foi de 7,7%. • Os "negros" com mais de 10 anos de idade têm uma média de 4,2 anos de estudo,Os "negros" com mais de 10 anos de idade têm uma média de 4,2 anos de estudo, enquanto os "brancos" dessa mesma faixa etária chegam a 6,2 anos de estudo.enquanto os "brancos" dessa mesma faixa etária chegam a 6,2 anos de estudo.
  62. 62. • Segundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre osSegundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre os "negros" foi de 7,7%."negros" foi de 7,7%. • Os "negros" com mais de 10 anos de idade têm uma média de 4,2 anos de estudo,Os "negros" com mais de 10 anos de idade têm uma média de 4,2 anos de estudo, enquanto os "brancos" dessa mesma faixa etária chegam a 6,2 anos de estudo.enquanto os "brancos" dessa mesma faixa etária chegam a 6,2 anos de estudo. • Apenas 64% das casas onde o chefe de família é "negro" recebem água tratada e apenasApenas 64% das casas onde o chefe de família é "negro" recebem água tratada e apenas 49,7% dessas famílias têm esgoto em suas casas.49,7% dessas famílias têm esgoto em suas casas.
  63. 63. • Segundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre osSegundo a PNAD de 1997 a taxa de desemprego entre os "brancos" foi de 6,6%, já entre os "negros" foi de 7,7%."negros" foi de 7,7%. • Os "negros" com mais de 10 anos de idade têm uma média de 4,2 anos de estudo,Os "negros" com mais de 10 anos de idade têm uma média de 4,2 anos de estudo, enquanto os "brancos" dessa mesma faixa etária chegam a 6,2 anos de estudo.enquanto os "brancos" dessa mesma faixa etária chegam a 6,2 anos de estudo. • Apenas 64% das casas onde o chefe de família é "negro" recebem água tratada e apenasApenas 64% das casas onde o chefe de família é "negro" recebem água tratada e apenas 49,7% dessas famílias têm esgoto em suas casas.49,7% dessas famílias têm esgoto em suas casas. • Quando o chefe de família é "branco", esses índices saltam para 81% e 73,6%,Quando o chefe de família é "branco", esses índices saltam para 81% e 73,6%, respectivamente.respectivamente.
  64. 64. • A importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficosA importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficos podem indicar.podem indicar.
  65. 65. • A importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficosA importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficos podem indicar.podem indicar. • Quando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziamQuando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziam consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira.consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira.
  66. 66. • A importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficosA importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficos podem indicar.podem indicar. • Quando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziamQuando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziam consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira.consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira. • Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade,Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade, nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram.nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram.
  67. 67. • A importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficosA importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficos podem indicar.podem indicar. • Quando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziamQuando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziam consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira.consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira. • Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade,Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade, nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram.nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram. • Segundo o IBGE, há cerca de 90 milhões (mais de 45% da população brasileira) de afro-Segundo o IBGE, há cerca de 90 milhões (mais de 45% da população brasileira) de afro- descendentes, considerados "negros" ou "pardos".descendentes, considerados "negros" ou "pardos".
  68. 68. • A importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficosA importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficos podem indicar.podem indicar. • Quando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziamQuando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziam consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira.consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira. • Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade,Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade, nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram.nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram. • Segundo o IBGE, há cerca de 90 milhões (mais de 45% da população brasileira) de afro-Segundo o IBGE, há cerca de 90 milhões (mais de 45% da população brasileira) de afro- descendentes, considerados "negros" ou "pardos".descendentes, considerados "negros" ou "pardos". • Porém algumas organizações do movimento "negro" discordam, afirmando que essePorém algumas organizações do movimento "negro" discordam, afirmando que esse número é muito maior.número é muito maior.
  69. 69. • A importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficosA importância da presença "negra" no Brasil vai muito além do que os dados demográficos podem indicar.podem indicar. • Quando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziamQuando aqui chegaram para trabalhar como escravos nas lavouras, os africanos traziam consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira.consigo símbolos e conhecimentos riquíssimos que ajudaram a compor a cultura brasileira. • Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade,Vários itens basilares de nossa cultura - música, ritmos, danças, mitologias, religiosidade, nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram.nomes, culinária - têm influência direta das etnias africanas que aqui aportaram. • Segundo o IBGE, há cerca de 90 milhões (mais de 45% da população brasileira) de afro-Segundo o IBGE, há cerca de 90 milhões (mais de 45% da população brasileira) de afro- descendentes, considerados "negros" ou "pardos".descendentes, considerados "negros" ou "pardos". • Porém algumas organizações do movimento "negro" discordam, afirmando que essePorém algumas organizações do movimento "negro" discordam, afirmando que esse número é muito maior.número é muito maior. • O que ocorre, segundo essas organizações, é que muitas pessoas não se declaramO que ocorre, segundo essas organizações, é que muitas pessoas não se declaram "negras" ou descendentes, e o IBGE contabiliza a cor segundo a descrição de cada"negras" ou descendentes, e o IBGE contabiliza a cor segundo a descrição de cada entrevistado faz de si próprio.entrevistado faz de si próprio.
  70. 70. • O instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, oO instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, o que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação.que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação.
  71. 71. • O instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, oO instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, o que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação.que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação. • Além disso, o critério "cor" é muito subjetivo.Além disso, o critério "cor" é muito subjetivo.
  72. 72. • O instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, oO instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, o que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação.que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação. • Além disso, o critério "cor" é muito subjetivo.Além disso, o critério "cor" é muito subjetivo. • No Brasil não classificamos nossa população por etnias.No Brasil não classificamos nossa população por etnias.
  73. 73. • O instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, oO instituto adota uma metodologia que classifica a população brasileira segundo sua cor, o que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação.que levanta uma polêmica sobre a possibilidade de racismo nessa classificação. • Além disso, o critério "cor" é muito subjetivo.Além disso, o critério "cor" é muito subjetivo. • No Brasil não classificamos nossa população por etnias.No Brasil não classificamos nossa população por etnias. • A justificativa oficial é a de que já estamos muito miscigenados.A justificativa oficial é a de que já estamos muito miscigenados.
  74. 74. • Há estimativas de que antes de 1500Há estimativas de que antes de 1500 a população indígena que habitava aa população indígena que habitava a área correspondente ao que hoje é oárea correspondente ao que hoje é o Brasil somava de 2 a 5 milhões deBrasil somava de 2 a 5 milhões de pessoas.pessoas.
  75. 75. • Há estimativas de que antes de 1500Há estimativas de que antes de 1500 a população indígena que habitava aa população indígena que habitava a área correspondente ao que hoje é oárea correspondente ao que hoje é o Brasil somava de 2 a 5 milhões deBrasil somava de 2 a 5 milhões de pessoas.pessoas. • Hoje, são cerca de 350 mil, queHoje, são cerca de 350 mil, que vivem em terras indígenas.vivem em terras indígenas.
  76. 76. • Há estimativas de que antes de 1500Há estimativas de que antes de 1500 a população indígena que habitava aa população indígena que habitava a área correspondente ao que hoje é oárea correspondente ao que hoje é o Brasil somava de 2 a 5 milhões deBrasil somava de 2 a 5 milhões de pessoas.pessoas. • Hoje, são cerca de 350 mil, queHoje, são cerca de 350 mil, que vivem em terras indígenas.vivem em terras indígenas. • Indígenas pertencentes a diversosIndígenas pertencentes a diversos grupos étnicos foram sendogrupos étnicos foram sendo dizimados pelo processo dedizimados pelo processo de colonização.colonização.
  77. 77. • Há estimativas de que antes de 1500Há estimativas de que antes de 1500 a população indígena que habitava aa população indígena que habitava a área correspondente ao que hoje é oárea correspondente ao que hoje é o Brasil somava de 2 a 5 milhões deBrasil somava de 2 a 5 milhões de pessoas.pessoas. • Hoje, são cerca de 350 mil, queHoje, são cerca de 350 mil, que vivem em terras indígenas.vivem em terras indígenas. • Indígenas pertencentes a diversosIndígenas pertencentes a diversos grupos étnicos foram sendogrupos étnicos foram sendo dizimados pelo processo dedizimados pelo processo de colonização.colonização. • Houve genocídios e etnocídios, oHouve genocídios e etnocídios, o que fez com que várias etniasque fez com que várias etnias deixassem de existir.deixassem de existir.
  78. 78. • Há estimativas de que antes de 1500Há estimativas de que antes de 1500 a população indígena que habitava aa população indígena que habitava a área correspondente ao que hoje é oárea correspondente ao que hoje é o Brasil somava de 2 a 5 milhões deBrasil somava de 2 a 5 milhões de pessoas.pessoas. • Hoje, são cerca de 350 mil, queHoje, são cerca de 350 mil, que vivem em terras indígenas.vivem em terras indígenas. • Indígenas pertencentes a diversosIndígenas pertencentes a diversos grupos étnicos foram sendogrupos étnicos foram sendo dizimados pelo processo dedizimados pelo processo de colonização.colonização. • Houve genocídios e etnocídios, oHouve genocídios e etnocídios, o que fez com que várias etniasque fez com que várias etnias deixassem de existir.deixassem de existir. • Outras se miscigenaram e aindaOutras se miscigenaram e ainda continuam se miscigenando, inclusivecontinuam se miscigenando, inclusive em centros urbanos.em centros urbanos.
  79. 79. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período.
  80. 80. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.
  81. 81. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa. • Até esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimoAté esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimo no total da população indígena no país.no total da população indígena no país.
  82. 82. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa. • Até esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimoAté esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimo no total da população indígena no país.no total da população indígena no país. • O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos,O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos, em virtude da intensificação da demarcação de suas terras.em virtude da intensificação da demarcação de suas terras.
  83. 83. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa. • Até esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimoAté esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimo no total da população indígena no país.no total da população indígena no país. • O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos,O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos, em virtude da intensificação da demarcação de suas terras.em virtude da intensificação da demarcação de suas terras. • Há no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total deHá no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total de aproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivaleaproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivale a 11,34% do território nacional.a 11,34% do território nacional.
  84. 84. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa. • Até esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimoAté esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimo no total da população indígena no país.no total da população indígena no país. • O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos,O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos, em virtude da intensificação da demarcação de suas terras.em virtude da intensificação da demarcação de suas terras. • Há no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total deHá no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total de aproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivaleaproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivale a 11,34% do território nacional.a 11,34% do território nacional. • Vale lembrar que 98% das áreas indígenas estão localizadas na Amazônia Legal.Vale lembrar que 98% das áreas indígenas estão localizadas na Amazônia Legal.
  85. 85. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa. • Até esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimoAté esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimo no total da população indígena no país.no total da população indígena no país. • O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos,O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos, em virtude da intensificação da demarcação de suas terras.em virtude da intensificação da demarcação de suas terras. • Há no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total deHá no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total de aproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivaleaproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivale a 11,34% do território nacional.a 11,34% do território nacional. • Vale lembrar que 98% das áreas indígenas estão localizadas na Amazônia Legal.Vale lembrar que 98% das áreas indígenas estão localizadas na Amazônia Legal. • No Brasil, são 358.310 habitantes de terras indígenas, mais de 400 pertencentes a povosNo Brasil, são 358.310 habitantes de terras indígenas, mais de 400 pertencentes a povos não contatados (isolados), mais de 150 mil vivendo nas cidades, o que totaliza umanão contatados (isolados), mais de 150 mil vivendo nas cidades, o que totaliza uma população de 510 mil indígenas.população de 510 mil indígenas.
  86. 86. • Desde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando umDesde meados da década de 1990, a população indígena vem apresentando um crescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico dacrescimento demográfico de 1,5% ao ano, superior à média de crescimento demográfico da população brasileira no período.população brasileira no período. • Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa.Porém, em termos quantitativos, sua representatividade é muito baixa. • Até esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimoAté esse período, a FUNAI registrava anualmente um descréscimo no total da população indígena no país.no total da população indígena no país. • O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos,O ritmo de crescimento se manifestou, entre outros motivos, em virtude da intensificação da demarcação de suas terras.em virtude da intensificação da demarcação de suas terras. • Há no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total deHá no Brasil, hoje, 756 terras indígenas, num total de aproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivaleaproximadamente 95,8 milhões de hectares, o que equivale a 11,34% do território nacional.a 11,34% do território nacional. • Vale lembrar que 98% das áreas indígenas estão localizadas na Amazônia Legal.Vale lembrar que 98% das áreas indígenas estão localizadas na Amazônia Legal. • No Brasil, são 358.310 habitantes de terras indígenas, mais de 400 pertencentes a povosNo Brasil, são 358.310 habitantes de terras indígenas, mais de 400 pertencentes a povos não contatados (isolados), mais de 150 mil vivendo nas cidades, o que totaliza umanão contatados (isolados), mais de 150 mil vivendo nas cidades, o que totaliza uma população de 510 mil indígenas.população de 510 mil indígenas. • São 235 povos, que falam 180 línguas.São 235 povos, que falam 180 línguas.
  87. 87. • Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação.Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação. População indígena porPopulação indígena por unidade da federaçãounidade da federação AmazonasAmazonas 91.66091.660 Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul 46.04246.042 RoraimaRoraima 29.70929.709 Mato GrossoMato Grosso 23.85023.850 PernambucoPernambuco 19.13819.138 ParáPará 17.58217.582 MaranhãoMaranhão 16.35216.352 BahiaBahia 15.29015.290
  88. 88. • Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação.Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação. • Mas atenção: os dados diferem de acordo com oMas atenção: os dados diferem de acordo com o instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010,instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010, há 817 mil indígenas no país.há 817 mil indígenas no país. População indígena porPopulação indígena por unidade da federaçãounidade da federação AmazonasAmazonas 91.66091.660 Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul 46.04246.042 RoraimaRoraima 29.70929.709 Mato GrossoMato Grosso 23.85023.850 PernambucoPernambuco 19.13819.138 ParáPará 17.58217.582 MaranhãoMaranhão 16.35216.352 BahiaBahia 15.29015.290
  89. 89. • Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação.Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação. • Mas atenção: os dados diferem de acordo com oMas atenção: os dados diferem de acordo com o instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010,instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010, há 817 mil indígenas no país.há 817 mil indígenas no país. • A demarcação das terras indígenas no país repercuteA demarcação das terras indígenas no país repercute numa série de circunstâncias, pois envolve distintos enuma série de circunstâncias, pois envolve distintos e conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais.conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais. População indígena porPopulação indígena por unidade da federaçãounidade da federação AmazonasAmazonas 91.66091.660 Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul 46.04246.042 RoraimaRoraima 29.70929.709 Mato GrossoMato Grosso 23.85023.850 PernambucoPernambuco 19.13819.138 ParáPará 17.58217.582 MaranhãoMaranhão 16.35216.352 BahiaBahia 15.29015.290
  90. 90. • Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação.Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação. • Mas atenção: os dados diferem de acordo com oMas atenção: os dados diferem de acordo com o instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010,instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010, há 817 mil indígenas no país.há 817 mil indígenas no país. • A demarcação das terras indígenas no país repercuteA demarcação das terras indígenas no país repercute numa série de circunstâncias, pois envolve distintos enuma série de circunstâncias, pois envolve distintos e conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais.conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais. • A Constituição Federal de 1988 define como terrasA Constituição Federal de 1988 define como terras indígenas as já tradicionalmente ocupadas pelos índios,indígenas as já tradicionalmente ocupadas pelos índios, além das "além das "áreas reservadas pela União, em qualqueráreas reservadas pela União, em qualquer parte do território nacional, para posse e ocupação dosparte do território nacional, para posse e ocupação dos índios, e as de domínio da comunidade indígena ou doíndios, e as de domínio da comunidade indígena ou do índio, havidas nos termos da legislação civilíndio, havidas nos termos da legislação civil““ População indígena porPopulação indígena por unidade da federaçãounidade da federação AmazonasAmazonas 91.66091.660 Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul 46.04246.042 RoraimaRoraima 29.70929.709 Mato GrossoMato Grosso 23.85023.850 PernambucoPernambuco 19.13819.138 ParáPará 17.58217.582 MaranhãoMaranhão 16.35216.352 BahiaBahia 15.29015.290
  91. 91. • Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação.Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação. • Mas atenção: os dados diferem de acordo com oMas atenção: os dados diferem de acordo com o instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010,instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010, há 817 mil indígenas no país.há 817 mil indígenas no país. • A demarcação das terras indígenas no país repercuteA demarcação das terras indígenas no país repercute numa série de circunstâncias, pois envolve distintos enuma série de circunstâncias, pois envolve distintos e conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais.conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais. • A Constituição Federal de 1988 define como terrasA Constituição Federal de 1988 define como terras indígenas as já tradicionalmente ocupadas pelos índios,indígenas as já tradicionalmente ocupadas pelos índios, além das "além das "áreas reservadas pela União, em qualqueráreas reservadas pela União, em qualquer parte do território nacional, para posse e ocupação dosparte do território nacional, para posse e ocupação dos índios, e as de domínio da comunidade indígena ou doíndios, e as de domínio da comunidade indígena ou do índio, havidas nos termos da legislação civilíndio, havidas nos termos da legislação civil““ • Isso porque reconheceram-se oficialmente os direitosIsso porque reconheceram-se oficialmente os direitos legítimos dos índios sobre sua terra, que ocupam desdelegítimos dos índios sobre sua terra, que ocupam desde momentos anteriores à formação do Estado nacional.momentos anteriores à formação do Estado nacional. População indígena porPopulação indígena por unidade da federaçãounidade da federação AmazonasAmazonas 91.66091.660 Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul 46.04246.042 RoraimaRoraima 29.70929.709 Mato GrossoMato Grosso 23.85023.850 PernambucoPernambuco 19.13819.138 ParáPará 17.58217.582 MaranhãoMaranhão 16.35216.352 BahiaBahia 15.29015.290
  92. 92. • Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação.Observe na tabela a distribuição da população indígena pelas unidades da federação. • Mas atenção: os dados diferem de acordo com oMas atenção: os dados diferem de acordo com o instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010,instituto e pesquisa. Para o IBGE, segundo o censo 2010, há 817 mil indígenas no país.há 817 mil indígenas no país. • A demarcação das terras indígenas no país repercuteA demarcação das terras indígenas no país repercute numa série de circunstâncias, pois envolve distintos enuma série de circunstâncias, pois envolve distintos e conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais.conflitantes interesses políticos, econômicos e sociais. • A Constituição Federal de 1988 define como terrasA Constituição Federal de 1988 define como terras indígenas as já tradicionalmente ocupadas pelos índios,indígenas as já tradicionalmente ocupadas pelos índios, além das "além das "áreas reservadas pela União, em qualqueráreas reservadas pela União, em qualquer parte do território nacional, para posse e ocupação dosparte do território nacional, para posse e ocupação dos índios, e as de domínio da comunidade indígena ou doíndios, e as de domínio da comunidade indígena ou do índio, havidas nos termos da legislação civilíndio, havidas nos termos da legislação civil““ • Isso porque reconheceram-se oficialmente os direitosIsso porque reconheceram-se oficialmente os direitos legítimos dos índios sobre sua terra, que ocupam desdelegítimos dos índios sobre sua terra, que ocupam desde momentos anteriores à formação do Estado nacional.momentos anteriores à formação do Estado nacional. • Essa medida, no entanto, promove inevitavelmente a desapropriação de terras ocupadasEssa medida, no entanto, promove inevitavelmente a desapropriação de terras ocupadas por terceiros. Daí nascem os conflitos.por terceiros. Daí nascem os conflitos. População indígena porPopulação indígena por unidade da federaçãounidade da federação AmazonasAmazonas 91.66091.660 Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul 46.04246.042 RoraimaRoraima 29.70929.709 Mato GrossoMato Grosso 23.85023.850 PernambucoPernambuco 19.13819.138 ParáPará 17.58217.582 MaranhãoMaranhão 16.35216.352 BahiaBahia 15.29015.290
  93. 93. • No sudeste do Pará, região de áreasNo sudeste do Pará, região de áreas indígenas, estes vivem emindígenas, estes vivem em confrontos frequentes comconfrontos frequentes com madeireiros exploradores demadeireiros exploradores de madeiras de lei como o mogno.madeiras de lei como o mogno.
  94. 94. • No sudeste do Pará, região de áreasNo sudeste do Pará, região de áreas indígenas, estes vivem emindígenas, estes vivem em confrontos frequentes comconfrontos frequentes com madeireiros exploradores demadeireiros exploradores de madeiras de lei como o mogno.madeiras de lei como o mogno. • Em outras áreas da região Norte,Em outras áreas da região Norte, como também no Centro-Oeste, oscomo também no Centro-Oeste, os constantes embates dos índiosconstantes embates dos índios ocorrem, sobretudo, comocorrem, sobretudo, com garimpeiros, mineradoras, posseiros,garimpeiros, mineradoras, posseiros, caçadores e pescadores.caçadores e pescadores.
  95. 95. • No sudeste do Pará, região de áreasNo sudeste do Pará, região de áreas indígenas, estes vivem emindígenas, estes vivem em confrontos frequentes comconfrontos frequentes com madeireiros exploradores demadeireiros exploradores de madeiras de lei como o mogno.madeiras de lei como o mogno. • Em outras áreas da região Norte,Em outras áreas da região Norte, como também no Centro-Oeste, oscomo também no Centro-Oeste, os constantes embates dos índiosconstantes embates dos índios ocorrem, sobretudo, comocorrem, sobretudo, com garimpeiros, mineradoras, posseiros,garimpeiros, mineradoras, posseiros, caçadores e pescadores.caçadores e pescadores. • Nas regiões Sul e Sudeste, aNas regiões Sul e Sudeste, a construção de hidrelétricas econstrução de hidrelétricas e hidrovias atinge áreas indígenas.hidrovias atinge áreas indígenas.
  96. 96. • Um dos maiores exemplos desse impacto é a construçãoUm dos maiores exemplos desse impacto é a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará.da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará.
  97. 97. • Um dos maiores exemplos desse impacto é a construçãoUm dos maiores exemplos desse impacto é a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará.da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará. • Desde 2001, quando houve a Crise Energética no Brasil,Desde 2001, quando houve a Crise Energética no Brasil, que os governos buscam aumentar a oferta de energiaque os governos buscam aumentar a oferta de energia elétrica no país, e para isso tornou-se estratégico para oelétrica no país, e para isso tornou-se estratégico para o Estado brasileiro a construção de uma hidrelétrica no rioEstado brasileiro a construção de uma hidrelétrica no rio Xingu.Xingu.
  98. 98. • Um dos maiores exemplos desse impacto é a construçãoUm dos maiores exemplos desse impacto é a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará.da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará. • Desde 2001, quando houve a Crise Energética no Brasil,Desde 2001, quando houve a Crise Energética no Brasil, que os governos buscam aumentar a oferta de energiaque os governos buscam aumentar a oferta de energia elétrica no país, e para isso tornou-se estratégico para oelétrica no país, e para isso tornou-se estratégico para o Estado brasileiro a construção de uma hidrelétrica no rioEstado brasileiro a construção de uma hidrelétrica no rio Xingu.Xingu. • Após vários anos de estudos e empecilhos judiciáriosApós vários anos de estudos e empecilhos judiciários sendo solucionados, a usina começou a ser erguida nosendo solucionados, a usina começou a ser erguida no começo de 2011.começo de 2011.
  99. 99. • Um dos maiores exemplos desse impacto é a construçãoUm dos maiores exemplos desse impacto é a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará.da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no sul do Pará. • Desde 2001, quando houve a Crise Energética no Brasil,Desde 2001, quando houve a Crise Energética no Brasil, que os governos buscam aumentar a oferta de energiaque os governos buscam aumentar a oferta de energia elétrica no país, e para isso tornou-se estratégico para oelétrica no país, e para isso tornou-se estratégico para o Estado brasileiro a construção de uma hidrelétrica no rioEstado brasileiro a construção de uma hidrelétrica no rio Xingu.Xingu. • Após vários anos de estudos e empecilhos judiciáriosApós vários anos de estudos e empecilhos judiciários sendo solucionados, a usina começou a ser erguida nosendo solucionados, a usina começou a ser erguida no começo de 2011.começo de 2011. • Ambientalistas defendem que a construção da hidrelétricaAmbientalistas defendem que a construção da hidrelétrica irá provocar a alteração do regime de escoamento do rio,irá provocar a alteração do regime de escoamento do rio, atualmente, o único meio de transporte para comunidadesatualmente, o único meio de transporte para comunidades ribeirinhas e indígenas chegarem até Altamira, onderibeirinhas e indígenas chegarem até Altamira, onde encontram médicos, dentistas e fazem seus negócios, comoencontram médicos, dentistas e fazem seus negócios, como a venda de peixes e castanhas.a venda de peixes e castanhas.

×