CONTEÚDO DA AULA (13/06)
POPULAÇÃO BRASILEIRA E
CONDIÇÕES DE VIDA
• Mortalidade InfantilMortalidade Infantil
• Saneamento ...
• Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras ap...
• Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras ap...
• Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras ap...
• Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras ap...
• Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras ap...
• Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras ap...
0
5
10
15
20
25
30
35
40
45
50
1991 2000 2010
BRASIL -
Média nacional
0
2
4
6
8
10
12
14
16
2005-2010
Singapura (1°)
Islândia (2°)
Luxemburgo
(3°)
Suécia (4°)
Japão (5°)
EUA (34°)
Brasil (107°)
• A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneament...
• A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneament...
• A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneament...
• A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneament...
• A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneament...
• A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneament...
0
10
20
30
40
50
60
70
80
90
100
Água Lixo Esgoto
Norte
Nordeste
Sudeste
Sul
Centro-Oeste
BRASIL (Média
nacional)
• As regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têmAs regiões que concentram as menores ta...
• As regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têmAs regiões que concentram as menores ta...
• As regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têmAs regiões que concentram as menores ta...
• A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.A subnutrição também é uma das causas do al...
• A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.A subnutrição também é uma das causas do al...
• A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.A subnutrição também é uma das causas do al...
• Além da redução na taxa de natalidade, também há queda na taxa de mortalidade, o queAlém da redução na taxa de natalidad...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
• Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um in...
Expectativa de vida por região (2000)
REGIÃO HOMENS MULHERES GERAL
Norte 65,6 anos 71,7 anos 68,4 anos
Nordeste 62,7 anos ...
Expectativa de vida por região (2010)
REGIÃO HOMENS MULHERES GERAL
Norte 69,3 anos 75,1 anos 72,2 anos
Nordeste 66,9 anos ...
60
62
64
66
68
70
72
74
76
2000 2010
Norte
Nordeste
Sudeste
Sul
Centro-Oeste
BRASIL
• Importante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa deImportante ressaltar que na região No...
• Importante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa deImportante ressaltar que na região No...
• Importante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa deImportante ressaltar que na região No...
• Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2Como explicar essa diminuição na ...
• Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2Como explicar essa diminuição na ...
• Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2Como explicar essa diminuição na ...
• A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendênc...
• A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendênc...
• A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendênc...
• A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendênc...
• A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendênc...
• A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendênc...
• Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:
Proporção de idosos 5,87%...
• Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:
• A redução nas taxas de ...
• Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:
• A redução nas taxas de ...
• Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:
• A redução nas taxas de ...
• As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do cap...
• As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do cap...
• As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do cap...
• As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do cap...
• As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do cap...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de que...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial
nes...
• Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão ge...
• Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão ge...
• Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão ge...
• Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão ge...
• Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão ge...
• Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão ge...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os ...
• Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários arg...
• Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários arg...
• Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários arg...
• Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários arg...
• Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários arg...
• Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários arg...
• A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos ad...
• A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos ad...
• A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos ad...
• A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos ad...
• A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos ad...
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012

237 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
237
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula condições de_vida_e_população_do_brasil_13-06-2012

  1. 1. CONTEÚDO DA AULA (13/06) POPULAÇÃO BRASILEIRA E CONDIÇÕES DE VIDA • Mortalidade InfantilMortalidade Infantil • Saneamento BásicoSaneamento Básico • Crescimento vegetativoCrescimento vegetativo * Taxa de natalidade – Taxa de mortalidade = Crescimento vegetativo* Taxa de natalidade – Taxa de mortalidade = Crescimento vegetativo • Expectativa de vida (Esperança de vida)Expectativa de vida (Esperança de vida) • 3 principais teorias populacionais:3 principais teorias populacionais: * Teoria malthusiana* Teoria malthusiana * Teoria neo-malthusiana* Teoria neo-malthusiana * Teoria populacional marxista* Teoria populacional marxista
  2. 2. • Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de até 1 ano de idade1 ano de idade
  3. 3. • Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de até 1 ano de idade1 ano de idade • Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas.Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas.
  4. 4. • Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de até 1 ano de idade1 ano de idade • Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas.Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. • Ou seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar atéOu seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar até os 1 ano de idade.os 1 ano de idade.
  5. 5. • Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de até 1 ano de idade1 ano de idade • Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas.Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. • Ou seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar atéOu seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar até os 1 ano de idade.os 1 ano de idade. • No ano 2000 essa média caiu para 29,6 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. IssoNo ano 2000 essa média caiu para 29,6 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. Isso significa que 2,9% (menos de 3%) das crianças que nasciam entre 1995 e o ano 2000significa que 2,9% (menos de 3%) das crianças que nasciam entre 1995 e o ano 2000 morriam antes de completar 1 ano.morriam antes de completar 1 ano.
  6. 6. • Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de até 1 ano de idade1 ano de idade • Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas.Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. • Ou seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar atéOu seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar até os 1 ano de idade.os 1 ano de idade. • No ano 2000 essa média caiu para 29,6 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. IssoNo ano 2000 essa média caiu para 29,6 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. Isso significa que 2,9% (menos de 3%) das crianças que nasciam entre 1995 e o ano 2000significa que 2,9% (menos de 3%) das crianças que nasciam entre 1995 e o ano 2000 morriam antes de completar 1 ano.morriam antes de completar 1 ano. • Em 2010 essa média caiu ainda mais, para 15,6 crianças a cada grupo de 1000 nascidasEm 2010 essa média caiu ainda mais, para 15,6 crianças a cada grupo de 1000 nascidas vivas. Podemos dizer que cerca de 1,5% das crianças que nasceram entre 2005 e 2010vivas. Podemos dizer que cerca de 1,5% das crianças que nasceram entre 2005 e 2010 morreram antes de completar 1 ano.morreram antes de completar 1 ano.
  7. 7. • Todas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de atéTodas as regiões brasileiras apresentaram queda na taxa de mortalidade de crianças de até 1 ano de idade1 ano de idade • Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas.Em 1991, morriam, em média, 45,3 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. • Ou seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar atéOu seja, 4,5 % das crianças que nasceram entre 1986 e 1991, morriam antes de chegar até os 1 ano de idade.os 1 ano de idade. • No ano 2000 essa média caiu para 29,6 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. IssoNo ano 2000 essa média caiu para 29,6 a cada grupo de 1000 crianças nascidas vivas. Isso significa que 2,9% (menos de 3%) das crianças que nasciam entre 1995 e o ano 2000significa que 2,9% (menos de 3%) das crianças que nasciam entre 1995 e o ano 2000 morriam antes de completar 1 ano.morriam antes de completar 1 ano. • Em 2010 essa média caiu ainda mais, para 15,6 crianças a cada grupo de 1000 nascidasEm 2010 essa média caiu ainda mais, para 15,6 crianças a cada grupo de 1000 nascidas vivas. Podemos dizer que cerca de 1,5% das crianças que nasceram entre 2005 e 2010vivas. Podemos dizer que cerca de 1,5% das crianças que nasceram entre 2005 e 2010 morreram antes de completar 1 ano.morreram antes de completar 1 ano. • É uma excelente redução, a taxa, porém, ainda está muito alta. Principalmente seÉ uma excelente redução, a taxa, porém, ainda está muito alta. Principalmente se comparada a outros países considerados desenvolvidos.comparada a outros países considerados desenvolvidos.
  8. 8. 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 1991 2000 2010 BRASIL - Média nacional
  9. 9. 0 2 4 6 8 10 12 14 16 2005-2010 Singapura (1°) Islândia (2°) Luxemburgo (3°) Suécia (4°) Japão (5°) EUA (34°) Brasil (107°)
  10. 10. • A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela queda nas taxas de mortalidade infantil.nas taxas de mortalidade infantil.
  11. 11. • A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela queda nas taxas de mortalidade infantil.nas taxas de mortalidade infantil. • Segundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam comSegundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam com rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento.rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento.
  12. 12. • A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela queda nas taxas de mortalidade infantil.nas taxas de mortalidade infantil. • Segundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam comSegundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam com rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento.rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento. • Os demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançamOs demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançam esgoto em lagos e rios.esgoto em lagos e rios.
  13. 13. • A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela queda nas taxas de mortalidade infantil.nas taxas de mortalidade infantil. • Segundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam comSegundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam com rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento.rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento. • Os demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançamOs demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançam esgoto em lagos e rios.esgoto em lagos e rios. • Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, feita em 2001,Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, feita em 2001, dentre os serviços essenciais nos domicílios, o que alcançou maior cobertura foi o dedentre os serviços essenciais nos domicílios, o que alcançou maior cobertura foi o de iluminação elétrica, que atingiu 96% em 2001.iluminação elétrica, que atingiu 96% em 2001.
  14. 14. • A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela queda nas taxas de mortalidade infantil.nas taxas de mortalidade infantil. • Segundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam comSegundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam com rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento.rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento. • Os demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançamOs demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançam esgoto em lagos e rios.esgoto em lagos e rios. • Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, feita em 2001,Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, feita em 2001, dentre os serviços essenciais nos domicílios, o que alcançou maior cobertura foi o dedentre os serviços essenciais nos domicílios, o que alcançou maior cobertura foi o de iluminação elétrica, que atingiu 96% em 2001.iluminação elétrica, que atingiu 96% em 2001. • A proporção de residências atendidas por serviço de coleta de lixo passou de 73,3% emA proporção de residências atendidas por serviço de coleta de lixo passou de 73,3% em 1996 para 82,2% em 2001.1996 para 82,2% em 2001.
  15. 15. • A melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela quedaA melhoria nos serviços de saneamento básico e saúde também é responsável pela queda nas taxas de mortalidade infantil.nas taxas de mortalidade infantil. • Segundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam comSegundo dados do censo 2000 do IBGE, 52,5% dos municípios brasileiros contavam com rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento.rede de coleta de esgoto. Em 2008, já eram 55,2% dos municípios. Houve um aumento. • Os demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançamOs demais municípios utilizam fossas sépticas, fossas secas, valas abertas ou lançam esgoto em lagos e rios.esgoto em lagos e rios. • Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, feita em 2001,Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE, feita em 2001, dentre os serviços essenciais nos domicílios, o que alcançou maior cobertura foi o dedentre os serviços essenciais nos domicílios, o que alcançou maior cobertura foi o de iluminação elétrica, que atingiu 96% em 2001.iluminação elétrica, que atingiu 96% em 2001. • A proporção de residências atendidas por serviço de coleta de lixo passou de 73,3% emA proporção de residências atendidas por serviço de coleta de lixo passou de 73,3% em 1996 para 82,2% em 2001.1996 para 82,2% em 2001. • No mesmo ano (2001), o abastecimento de água por rede geral alcançou 81,1% dasNo mesmo ano (2001), o abastecimento de água por rede geral alcançou 81,1% das moradias, enquanto cerca de dois terços (2/3, ou 66,8%) das residências possuíammoradias, enquanto cerca de dois terços (2/3, ou 66,8%) das residências possuíam esgotamento sanitário adequado (rede coletora de esgoto ou fossa séptica).esgotamento sanitário adequado (rede coletora de esgoto ou fossa séptica).
  16. 16. 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Água Lixo Esgoto Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste BRASIL (Média nacional)
  17. 17. • As regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têmAs regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têm melhor atendimento de infra-estrutura.melhor atendimento de infra-estrutura.
  18. 18. • As regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têmAs regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têm melhor atendimento de infra-estrutura.melhor atendimento de infra-estrutura. • Nas áreas urbanas, a tendência é que aumentem os índices de atendimento dos serviçosNas áreas urbanas, a tendência é que aumentem os índices de atendimento dos serviços de infra-estrutura básica.de infra-estrutura básica.
  19. 19. • As regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têmAs regiões que concentram as menores taxas de mortalidade infantil são as que têm melhor atendimento de infra-estrutura.melhor atendimento de infra-estrutura. • Nas áreas urbanas, a tendência é que aumentem os índices de atendimento dos serviçosNas áreas urbanas, a tendência é que aumentem os índices de atendimento dos serviços de infra-estrutura básica.de infra-estrutura básica. • Veja no mapa na página seguinte, o serviço de atendimento de água e esgoto nosVeja no mapa na página seguinte, o serviço de atendimento de água e esgoto nos domicílios urbanos do Brasil, por Estado.domicílios urbanos do Brasil, por Estado.
  20. 20. • A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.
  21. 21. • A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil. • Segundo o jornal britânicoSegundo o jornal britânico “Financial Times”, de 31 de Janeiro de 2003, “No Brasil, cerca“Financial Times”, de 31 de Janeiro de 2003, “No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas são consideradas subnutridas e 45 milhões estariam abaixo dade 10 milhões de pessoas são consideradas subnutridas e 45 milhões estariam abaixo da linha de pobreza”linha de pobreza”
  22. 22. • A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil.A subnutrição também é uma das causas do alto índice de mortalidade infantil. • Segundo o jornal britânicoSegundo o jornal britânico “Financial Times”, de 31 de Janeiro de 2003, “No Brasil, cerca“Financial Times”, de 31 de Janeiro de 2003, “No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas são consideradas subnutridas e 45 milhões estariam abaixo dade 10 milhões de pessoas são consideradas subnutridas e 45 milhões estariam abaixo da linha de pobreza”linha de pobreza” • Segundo o Almanaque Abril do ano de 2003, página 195,Segundo o Almanaque Abril do ano de 2003, página 195, “Em geral a desnutrição infantil é“Em geral a desnutrição infantil é consequencia da desnutrição da mãe. Segundo a Organização das Nações Unidas paraconsequencia da desnutrição da mãe. Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), entre 11% e 19% da população brasileira sofre de máAgricultura e Alimentação (FAO), entre 11% e 19% da população brasileira sofre de má nutrição. A falta de acesso a uma alimentação equilibrada torna a criança suscetível anutrição. A falta de acesso a uma alimentação equilibrada torna a criança suscetível a doenças e aumenta em duas vezes o risco de mortalidade na infância”doenças e aumenta em duas vezes o risco de mortalidade na infância”..
  23. 23. • Além da redução na taxa de natalidade, também há queda na taxa de mortalidade, o queAlém da redução na taxa de natalidade, também há queda na taxa de mortalidade, o que resulta numa redução na taxa de crescimento vegetativo do país.resulta numa redução na taxa de crescimento vegetativo do país. Na tabela abaixo, o número de nascidos e falecidos por grupo de 1000 pessoas ao ano.Na tabela abaixo, o número de nascidos e falecidos por grupo de 1000 pessoas ao ano. 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 40's 50's 60's 70's 80's 90's Taxa de Natalidade Taxa de Mortalidade Crescimento Vegetativo
  24. 24. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.
  25. 25. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando.
  26. 26. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando. • Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.
  27. 27. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando. • Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias. • Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos.Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos.
  28. 28. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando. • Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias. • Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos.Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos. • Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos.Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos.
  29. 29. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando. • Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias. • Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos.Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos. • Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos.Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos. • E em 2010 atingiu 73,1 anos. Em pouco mais de 14 anos, o brasileiro ganhou umaE em 2010 atingiu 73,1 anos. Em pouco mais de 14 anos, o brasileiro ganhou uma expectativa de 5,5 anos a mais de vida.expectativa de 5,5 anos a mais de vida.
  30. 30. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando. • Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias. • Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos.Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos. • Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos.Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos. • E em 2010 atingiu 73,1 anos. Em pouco mais de 14 anos, o brasileiro ganhou umaE em 2010 atingiu 73,1 anos. Em pouco mais de 14 anos, o brasileiro ganhou uma expectativa de 5,5 anos a mais de vida.expectativa de 5,5 anos a mais de vida. • Ao analisar as tabelas e gráficos nas páginas seguintes, perceberemos que na região SulAo analisar as tabelas e gráficos nas páginas seguintes, perceberemos que na região Sul há a mais elevada taxa de esperança de vida, enquanto no Nordeste se encontram as médiashá a mais elevada taxa de esperança de vida, enquanto no Nordeste se encontram as médias mais baixas.mais baixas.
  31. 31. • Além disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dosAlém disso, percebemos que há um incremento populacional nas faixas etárias acima dos 20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres.20 anos, tanto para os homens, como para as mulheres. • Outra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro estáOutra constatação positiva é que a esperança ou expectativa de vida do brasileiro está aumentando.aumentando. • Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias.Basta comparar os dados dos topos das pirâmides etárias. • Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos.Em 1996 a expectativa média de vida do brasileiro era de 67,58 anos. • Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos.Em apenas 4 anos, subiu para 68,55 anos. • E em 2010 atingiu 73,1 anos. Em pouco mais de 14 anos, o brasileiro ganhou umaE em 2010 atingiu 73,1 anos. Em pouco mais de 14 anos, o brasileiro ganhou uma expectativa de 5,5 anos a mais de vida.expectativa de 5,5 anos a mais de vida. • Ao analisar as tabelas e gráficos nas páginas seguintes, perceberemos que na região SulAo analisar as tabelas e gráficos nas páginas seguintes, perceberemos que na região Sul há a mais elevada taxa de esperança de vida, enquanto no Nordeste se encontram as médiashá a mais elevada taxa de esperança de vida, enquanto no Nordeste se encontram as médias mais baixas.mais baixas. • Mas veremos também o quando a expectativa aumentou muito, de 2000 para 2010.Mas veremos também o quando a expectativa aumentou muito, de 2000 para 2010.
  32. 32. Expectativa de vida por região (2000) REGIÃO HOMENS MULHERES GERAL Norte 65,6 anos 71,7 anos 68,4 anos Nordeste 62,7 anos 68,8 anos 65,7 anos Sudeste 65,1 anos 74,3 anos 69,5 anos Sul 67,2 anos 75,0 anos 71,0 anos Centro-Oeste 66,2 anos 72,9 anos 69,4 anos BRASIL 64,7 anos 72,5 anos 68,5 anos
  33. 33. Expectativa de vida por região (2010) REGIÃO HOMENS MULHERES GERAL Norte 69,3 anos 75,1 anos 72,2 anos Nordeste 66,9 anos 74,1 anos 70,4 anos Sudeste 70,7 anos 78,7 anos 74,6 anos Sul 71,9 anos 78,7 anos 75,2 anos Centro-Oeste 70,9 anos 77,8 anos 74,3 anos BRASIL 69,4 anos 77,0 anos 73,1 anos
  34. 34. 60 62 64 66 68 70 72 74 76 2000 2010 Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste BRASIL
  35. 35. • Importante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa deImportante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa de mortalidade bruta (contando todas as faixas etárias), que era de 7,2 pessoas para cadamortalidade bruta (contando todas as faixas etárias), que era de 7,2 pessoas para cada grupo de 1000, e que em 2008 já estava em 6,0 pessoas.grupo de 1000, e que em 2008 já estava em 6,0 pessoas. Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil 4,8 6,0 6,5 6,3 5,3 6,1
  36. 36. • Importante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa deImportante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa de mortalidade bruta (contando todas as faixas etárias), que era de 7,2 pessoas para cadamortalidade bruta (contando todas as faixas etárias), que era de 7,2 pessoas para cada grupo de 1000, e que em 2008 já estava em 6,0 pessoas.grupo de 1000, e que em 2008 já estava em 6,0 pessoas. • O que justificava tal situação eram as péssimas condições de vida de parte da populaçãoO que justificava tal situação eram as péssimas condições de vida de parte da população local, acolhida por parcos serviços de infra-estrutura (água tratada e saneamento básico), elocal, acolhida por parcos serviços de infra-estrutura (água tratada e saneamento básico), e de saúde, e acossada pelas chamadas “causas naturais”, como as secas no sertãode saúde, e acossada pelas chamadas “causas naturais”, como as secas no sertão nordestino.nordestino. Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil 4,8 6,0 6,5 6,3 5,3 6,1
  37. 37. • Importante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa deImportante ressaltar que na região Nordeste, no ano 2000, havia uma elevada taxa de mortalidade bruta (contando todas as faixas etárias), que era de 7,2 pessoas para cadamortalidade bruta (contando todas as faixas etárias), que era de 7,2 pessoas para cada grupo de 1000, e que em 2008 já estava em 6,0 pessoas.grupo de 1000, e que em 2008 já estava em 6,0 pessoas. • O que justificava tal situação eram as péssimas condições de vida de parte da populaçãoO que justificava tal situação eram as péssimas condições de vida de parte da população local, acolhida por parcos serviços de infra-estrutura (água tratada e saneamento básico), elocal, acolhida por parcos serviços de infra-estrutura (água tratada e saneamento básico), e de saúde, e acossada pelas chamadas “causas naturais”, como as secas no sertãode saúde, e acossada pelas chamadas “causas naturais”, como as secas no sertão nordestino.nordestino. • Porém a taxa bruta de mortalidade no Nordeste de hoje está dentro da média de outrasPorém a taxa bruta de mortalidade no Nordeste de hoje está dentro da média de outras regiões do país, conforme mostra a tabela abaixo:regiões do país, conforme mostra a tabela abaixo: Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil 4,8 6,0 6,5 6,3 5,3 6,1
  38. 38. • Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2 mortes para cada grupo de 1000 pessoas para cerca de 6,0 pessoas para cada grupo demortes para cada grupo de 1000 pessoas para cerca de 6,0 pessoas para cada grupo de 1000 pessoas?1000 pessoas?
  39. 39. • Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2 mortes para cada grupo de 1000 pessoas para cerca de 6,0 pessoas para cada grupo demortes para cada grupo de 1000 pessoas para cerca de 6,0 pessoas para cada grupo de 1000 pessoas?1000 pessoas? • As melhores condições de acesso à renda, melhor alimentação, aumento no acesso áAs melhores condições de acesso à renda, melhor alimentação, aumento no acesso á serviços públicos de saúde e infra-estrutura de saneamento básico ajudaram a reduzir essaserviços públicos de saúde e infra-estrutura de saneamento básico ajudaram a reduzir essa taxa ao longo da primeira década do Século XXI.taxa ao longo da primeira década do Século XXI.
  40. 40. • Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2Como explicar essa diminuição na taxa bruta de mortalidade no Nordeste? De acima de 7,2 mortes para cada grupo de 1000 pessoas para cerca de 6,0 pessoas para cada grupo demortes para cada grupo de 1000 pessoas para cerca de 6,0 pessoas para cada grupo de 1000 pessoas?1000 pessoas? • As melhores condições de acesso à renda, melhor alimentação, aumento no acesso áAs melhores condições de acesso à renda, melhor alimentação, aumento no acesso á serviços públicos de saúde e infra-estrutura de saneamento básico ajudaram a reduzir essaserviços públicos de saúde e infra-estrutura de saneamento básico ajudaram a reduzir essa taxa ao longo da primeira década do Século XXI.taxa ao longo da primeira década do Século XXI. • O Nordeste ainda está longe do ideal, ainda é a região com menor expectativa de vida seO Nordeste ainda está longe do ideal, ainda é a região com menor expectativa de vida se comparada às demais regiões, mas está no rumo de diminuir as diferenças para outrascomparada às demais regiões, mas está no rumo de diminuir as diferenças para outras regiões do país.regiões do país.
  41. 41. • A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entre 2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.
  42. 42. • A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entre 2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”. • Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.
  43. 43. • A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entre 2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”. • Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida. • Se confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos doSe confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos do envelhecimento da população.envelhecimento da população.
  44. 44. • A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entre 2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”. • Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida. • Se confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos doSe confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos do envelhecimento da população.envelhecimento da população. • A diminuição das taxas de nascimentos, concomitante a uma melhoria nos padrões de vidaA diminuição das taxas de nascimentos, concomitante a uma melhoria nos padrões de vida que leve a população a viver mais tempo, faz com que, no futuro, comecem a faltar pessoasque leve a população a viver mais tempo, faz com que, no futuro, comecem a faltar pessoas economicamente ativas.economicamente ativas.
  45. 45. • A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entre 2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”. • Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida. • Se confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos doSe confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos do envelhecimento da população.envelhecimento da população. • A diminuição das taxas de nascimentos, concomitante a uma melhoria nos padrões de vidaA diminuição das taxas de nascimentos, concomitante a uma melhoria nos padrões de vida que leve a população a viver mais tempo, faz com que, no futuro, comecem a faltar pessoasque leve a população a viver mais tempo, faz com que, no futuro, comecem a faltar pessoas economicamente ativas.economicamente ativas. • É o que ocorre hoje em vários países europeus, alguns chegando a ter crescimentoÉ o que ocorre hoje em vários países europeus, alguns chegando a ter crescimento vegetativo negativo, ou seja, nascem menos pessoas do que morrem.vegetativo negativo, ou seja, nascem menos pessoas do que morrem.
  46. 46. • A continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entreA continuarem as atuais tendências demográficas, as “pirâmides” etárias brasileiras entre 2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”.2020 e 2040 projetam uma estrutura típica de países tidos como “desenvolvidos”. • Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida.Com diminuição da taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida. • Se confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos doSe confirmada tais projeções, o Brasil precisará se precaver contra os riscos do envelhecimento da população.envelhecimento da população. • A diminuição das taxas de nascimentos, concomitante a uma melhoria nos padrões de vidaA diminuição das taxas de nascimentos, concomitante a uma melhoria nos padrões de vida que leve a população a viver mais tempo, faz com que, no futuro, comecem a faltar pessoasque leve a população a viver mais tempo, faz com que, no futuro, comecem a faltar pessoas economicamente ativas.economicamente ativas. • É o que ocorre hoje em vários países europeus, alguns chegando a ter crescimentoÉ o que ocorre hoje em vários países europeus, alguns chegando a ter crescimento vegetativo negativo, ou seja, nascem menos pessoas do que morrem.vegetativo negativo, ou seja, nascem menos pessoas do que morrem. • Podemos citar como exemplos de países europeus com crescimento vegetativo negativo aPodemos citar como exemplos de países europeus com crescimento vegetativo negativo a Itália e a Rússia.Itália e a Rússia.
  47. 47. • Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo: Proporção de idosos 5,87% em 2000 8,61% em 2020 (projeção) Esperança de vida 1940: 41,5 anos 2010: 73,1 anos Menores que 20 anos: Em 1940: 58,0% Em 2010: 33,1%
  48. 48. • Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo: • A redução nas taxas de crescimento da população revela um esforço governamental paraA redução nas taxas de crescimento da população revela um esforço governamental para controle, o equilíbrio populacional.controle, o equilíbrio populacional. Proporção de idosos 5,87% em 2000 8,61% em 2020 (projeção) Esperança de vida 1940: 41,5 anos 2010: 73,1 anos Menores que 20 anos: Em 1940: 58,0% Em 2010: 33,1%
  49. 49. • Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo: • A redução nas taxas de crescimento da população revela um esforço governamental paraA redução nas taxas de crescimento da população revela um esforço governamental para controle, o equilíbrio populacional.controle, o equilíbrio populacional. • Desde o século XVIII (18, de 1701-1800), há uma intensa discussão e produção teórica aDesde o século XVIII (18, de 1701-1800), há uma intensa discussão e produção teórica a respeito da relação entre população e manutenção do sistema social.respeito da relação entre população e manutenção do sistema social. Proporção de idosos 5,87% em 2000 8,61% em 2020 (projeção) Esperança de vida 1940: 41,5 anos 2010: 73,1 anos Menores que 20 anos: Em 1940: 58,0% Em 2010: 33,1%
  50. 50. • Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo:Veja os dados de faixa etária na tabela abaixo: • A redução nas taxas de crescimento da população revela um esforço governamental paraA redução nas taxas de crescimento da população revela um esforço governamental para controle, o equilíbrio populacional.controle, o equilíbrio populacional. • Desde o século XVIII (18, de 1701-1800), há uma intensa discussão e produção teórica aDesde o século XVIII (18, de 1701-1800), há uma intensa discussão e produção teórica a respeito da relação entre população e manutenção do sistema social.respeito da relação entre população e manutenção do sistema social. • Atualmente, a discussão vai além: aborda a própria sustentabilidade do planeta, e reforça oAtualmente, a discussão vai além: aborda a própria sustentabilidade do planeta, e reforça o debate sobre as formas de organização e de produção da vida humana.debate sobre as formas de organização e de produção da vida humana. Proporção de idosos 5,87% em 2000 8,61% em 2020 (projeção) Esperança de vida 1940: 41,5 anos 2010: 73,1 anos Menores que 20 anos: Em 1940: 58,0% Em 2010: 33,1%
  51. 51. • As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e o modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo;modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo; coexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões decoexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões de pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais.pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais.
  52. 52. • As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e o modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo;modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo; coexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões decoexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões de pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais.pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais. • As teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processosAs teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processos históricos.históricos.
  53. 53. • As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e o modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo;modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo; coexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões decoexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões de pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais.pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais. • As teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processosAs teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processos históricos.históricos. • Políticas populacionais são delineadas pelos governos e por organizações internacionaisPolíticas populacionais são delineadas pelos governos e por organizações internacionais como a ONU (Organização das Nações Unidas).como a ONU (Organização das Nações Unidas).
  54. 54. • As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e o modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo;modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo; coexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões decoexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões de pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais.pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais. • As teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processosAs teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processos históricos.históricos. • Políticas populacionais são delineadas pelos governos e por organizações internacionaisPolíticas populacionais são delineadas pelos governos e por organizações internacionais como a ONU (Organização das Nações Unidas).como a ONU (Organização das Nações Unidas). • Vamos verificar mais adiante as três grandes teorias populacionais. O objetivo é a reflexãoVamos verificar mais adiante as três grandes teorias populacionais. O objetivo é a reflexão sobre os argumentos e imaginar sua vida sendo regida por cada uma delas.sobre os argumentos e imaginar sua vida sendo regida por cada uma delas.
  55. 55. • As principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e oAs principais características do capitalismo no momento histórico em que vivemos e o modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo;modo de vida dos mais de 7 bilhões de habitantes do planeta (alto grau de consumo; coexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões decoexistência de tecnologia de produção de alimentos por um lado e fome de milhões de pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais.pessoas por outro) tornam essencial o debate acerca das teorias e políticas populacionais. • As teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processosAs teorias de população revelam modos de interpretação da sociedade e dos processos históricos.históricos. • Políticas populacionais são delineadas pelos governos e por organizações internacionaisPolíticas populacionais são delineadas pelos governos e por organizações internacionais como a ONU (Organização das Nações Unidas).como a ONU (Organização das Nações Unidas). • Vamos verificar mais adiante as três grandes teorias populacionais. O objetivo é a reflexãoVamos verificar mais adiante as três grandes teorias populacionais. O objetivo é a reflexão sobre os argumentos e imaginar sua vida sendo regida por cada uma delas.sobre os argumentos e imaginar sua vida sendo regida por cada uma delas. • Verifique se você identifica a situação brasileira com alguma delas.Verifique se você identifica a situação brasileira com alguma delas.
  56. 56. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.
  57. 57. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834).
  58. 58. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.
  59. 59. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:
  60. 60. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.
  61. 61. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura.
  62. 62. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego
  63. 63. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando
  64. 64. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando - Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas- Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas
  65. 65. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando - Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas- Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas • Surgiram revoltas na população local, pois...Surgiram revoltas na população local, pois...
  66. 66. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando - Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas- Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas • Surgiram revoltas na população local, pois...Surgiram revoltas na população local, pois... ...ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano......ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano...
  67. 67. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando - Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas- Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas • Surgiram revoltas na população local, pois...Surgiram revoltas na população local, pois... ...ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano......ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano... ...quem estava empregado geralmente recebia salários baixos......quem estava empregado geralmente recebia salários baixos...
  68. 68. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando - Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas- Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas • Surgiram revoltas na população local, pois...Surgiram revoltas na população local, pois... ...ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano......ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano... ...quem estava empregado geralmente recebia salários baixos......quem estava empregado geralmente recebia salários baixos... ...e também enfrentava péssimas condições de trabalho....e também enfrentava péssimas condições de trabalho.
  69. 69. • O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus.O nome “Malthusiana” deriva do nome de quem o teorizou: Thomas Robert Malthus. • Thomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII eThomas Robert Malthus era um inglês, pastor protestante e viveu entre os Séculos XVIII e XIX (1766-1834).XIX (1766-1834). • Conservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra queConservador e ligado à oligarquia rural inglesa, Malthus vivia em uma Inglaterra que passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial.passava por uma grande transformação decorrente da Revolução Industrial. • Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX:Inglaterra dos Séculos XVIII e XIX: - A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial.- A oligarquia rural perdia espaço para a oligarquia industrial. - As máquinas substituíam a manufatura.- As máquinas substituíam a manufatura. - Se intensificava o o desemprego- Se intensificava o o desemprego - A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando- A vida familiar se transformava, mulheres e crianças trabalhando - Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas- Desgaste físico pelo acúmulo de horas trabalhadas • Surgiram revoltas na população local, pois...Surgiram revoltas na população local, pois... ...ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano......ao mesmo tempo que aumentava o desemprego urbano... ...quem estava empregado geralmente recebia salários baixos......quem estava empregado geralmente recebia salários baixos... ...e também enfrentava péssimas condições de trabalho....e também enfrentava péssimas condições de trabalho. - Houve aumento da mortalidade, inclusive infantil.- Houve aumento da mortalidade, inclusive infantil.
  70. 70. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população.
  71. 71. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.
  72. 72. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.
  73. 73. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus:
  74. 74. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos
  75. 75. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos - Não deveria haver assistência social por parte do Estado.- Não deveria haver assistência social por parte do Estado.
  76. 76. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos - Não deveria haver assistência social por parte do Estado.- Não deveria haver assistência social por parte do Estado. - Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação- Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação
  77. 77. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos - Não deveria haver assistência social por parte do Estado.- Não deveria haver assistência social por parte do Estado. - Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação- Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação - A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria.- A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria.
  78. 78. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos - Não deveria haver assistência social por parte do Estado.- Não deveria haver assistência social por parte do Estado. - Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação- Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação - A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria.- A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria. - Havendo miséria em uma parte da sociedade, Malthus alegava que seria positivo para ela- Havendo miséria em uma parte da sociedade, Malthus alegava que seria positivo para ela como um todo, pois serviria como um obstáculo ao crescimento populacional, equilibrandocomo um todo, pois serviria como um obstáculo ao crescimento populacional, equilibrando o ritmo de procriação.o ritmo de procriação.
  79. 79. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos - Não deveria haver assistência social por parte do Estado.- Não deveria haver assistência social por parte do Estado. - Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação- Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação - A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria.- A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria. - Havendo miséria em uma parte da sociedade, Malthus alegava que seria positivo para ela- Havendo miséria em uma parte da sociedade, Malthus alegava que seria positivo para ela como um todo, pois serviria como um obstáculo ao crescimento populacional, equilibrandocomo um todo, pois serviria como um obstáculo ao crescimento populacional, equilibrando o ritmo de procriação.o ritmo de procriação. - O ritmo de crescimento populacional deveria ser relativo à produção dos meios de- O ritmo de crescimento populacional deveria ser relativo à produção dos meios de subsistência.subsistência.
  80. 80. • Como houve aumento da exploração da mão-de-obra industrialComo houve aumento da exploração da mão-de-obra industrial nesse período, levou ao empobrecimento da população.nesse período, levou ao empobrecimento da população. • Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas.Houve rebeliões com atos de destruição de máquinas. • Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos.Em um contexto de “luta de classes”, Malthus fez seus estudos. • Para Malthus:Para Malthus: - Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos- Uma sociedade igualitária seria inviável, pois estimularia os nascimentos - Não deveria haver assistência social por parte do Estado.- Não deveria haver assistência social por parte do Estado. - Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação- Igualitarismo e assistência social favoreceria o casamento e procriação - A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria.- A divisão entre proprietários e trabalhadores não gerava miséria. - Havendo miséria em uma parte da sociedade, Malthus alegava que seria positivo para ela- Havendo miséria em uma parte da sociedade, Malthus alegava que seria positivo para ela como um todo, pois serviria como um obstáculo ao crescimento populacional, equilibrandocomo um todo, pois serviria como um obstáculo ao crescimento populacional, equilibrando o ritmo de procriação.o ritmo de procriação. - O ritmo de crescimento populacional deveria ser relativo à produção dos meios de- O ritmo de crescimento populacional deveria ser relativo à produção dos meios de subsistência.subsistência. - A população crescia em progressão geométrica, enquanto a produção de alimentos cresce- A população crescia em progressão geométrica, enquanto a produção de alimentos cresce em progressão aritimética.em progressão aritimética.
  81. 81. • Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética: Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16
  82. 82. • Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética: • Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético)Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético) não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico).não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico). Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16
  83. 83. • Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética: • Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético)Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético) não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico).não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico). • Para a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade dePara a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade de áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola.áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola. Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16
  84. 84. • Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética: • Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético)Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético) não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico).não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico). • Para a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade dePara a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade de áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola.áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola. • O aumento da área de produção agrícola não reduziria a relação entre crescimentoO aumento da área de produção agrícola não reduziria a relação entre crescimento populacional e produção de alimentos.populacional e produção de alimentos. Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16
  85. 85. • Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética: • Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético)Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético) não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico).não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico). • Para a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade dePara a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade de áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola.áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola. • O aumento da área de produção agrícola não reduziria a relação entre crescimentoO aumento da área de produção agrícola não reduziria a relação entre crescimento populacional e produção de alimentos.populacional e produção de alimentos. • Mesmo que aumentasse o ingresso de trabalhadores no processo de cultivo, com o intuitoMesmo que aumentasse o ingresso de trabalhadores no processo de cultivo, com o intuito de aumentar a produção, esse incremento produtivo seria INFERIOR à demanda.de aumentar a produção, esse incremento produtivo seria INFERIOR à demanda. Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16
  86. 86. • Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética:Um exemplo da diferença entre progressão geométrica e progressão aritimética: • Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético)Para Malthus, o ritmo de produção de alimentos (aritimético) não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico).não acompanha o ritmo de crescimento da população (geométrico). • Para a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade dePara a produção de alimentos, é necessário haver disponibilidade de áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola.áreas férteis propícias ao cultivo e de produtores aptos ao exercício da atividade agrícola. • O aumento da área de produção agrícola não reduziria a relação entre crescimentoO aumento da área de produção agrícola não reduziria a relação entre crescimento populacional e produção de alimentos.populacional e produção de alimentos. • Mesmo que aumentasse o ingresso de trabalhadores no processo de cultivo, com o intuitoMesmo que aumentasse o ingresso de trabalhadores no processo de cultivo, com o intuito de aumentar a produção, esse incremento produtivo seria INFERIOR à demanda.de aumentar a produção, esse incremento produtivo seria INFERIOR à demanda. - Para Malthus esse processo é chamado de “Lei dos rendimentos decrescentes”- Para Malthus esse processo é chamado de “Lei dos rendimentos decrescentes” Progressão geométrica Exemplo: Quociente = 2 2 4 8 16 32 64 128 256 Progressão aritimética Exemplo: Razão = 2 2 4 6 8 10 12 14 16
  87. 87. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus:
  88. 88. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras.
  89. 89. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.
  90. 90. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.
  91. 91. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam. - A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades,- A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades, diminuindo a produção agrícola.diminuindo a produção agrícola.
  92. 92. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam. - A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades,- A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades, diminuindo a produção agrícola.diminuindo a produção agrícola. • Porém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderiaPorém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderia levar ao aumento de produtividade agrícola.levar ao aumento de produtividade agrícola.
  93. 93. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam. - A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades,- A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades, diminuindo a produção agrícola.diminuindo a produção agrícola. • Porém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderiaPorém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderia levar ao aumento de produtividade agrícola.levar ao aumento de produtividade agrícola. • Alguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio deAlguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio de desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9 bilhões de pessoas.bilhões de pessoas.
  94. 94. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam. - A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades,- A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades, diminuindo a produção agrícola.diminuindo a produção agrícola. • Porém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderiaPorém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderia levar ao aumento de produtividade agrícola.levar ao aumento de produtividade agrícola. • Alguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio deAlguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio de desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9 bilhões de pessoas.bilhões de pessoas. • A população atual do Planeta Terra é de 7 bilhões.A população atual do Planeta Terra é de 7 bilhões.
  95. 95. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam. - A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades,- A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades, diminuindo a produção agrícola.diminuindo a produção agrícola. • Porém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderiaPorém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderia levar ao aumento de produtividade agrícola.levar ao aumento de produtividade agrícola. • Alguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio deAlguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio de desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9 bilhões de pessoas.bilhões de pessoas. • A população atual do Planeta Terra é de 7 bilhões.A população atual do Planeta Terra é de 7 bilhões. • Na época de Malthus, o planeta atingiu 1 bilhão de habitantes (1802).Na época de Malthus, o planeta atingiu 1 bilhão de habitantes (1802).
  96. 96. • Ainda segundo Malthus:Ainda segundo Malthus: - Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de- Para se manter o equilíbrio populacional, somente poderiam ter filhos os proprietários de terras.terras. - Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole.- Podendo plantar, os proprietários de terras teriam como manter a prole. - A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam.- A causa da miséria é a grande quantidade de pessoas em relação à área que ocupam. - A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades,- A tendência de crescimento industrial atrairia trabalhadores do campo para as cidades, diminuindo a produção agrícola.diminuindo a produção agrícola. • Porém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderiaPorém, na época de Malthus não se imaginava que o desenvolvimento tecnológico poderia levar ao aumento de produtividade agrícola.levar ao aumento de produtividade agrícola. • Alguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio deAlguns especialistas em tecnologias de produção agrícola alegam que no estágio de desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9desenvolvimento atual do mundo seria capaz de produzir alimentos suficientes para 9 bilhões de pessoas.bilhões de pessoas. • A população atual do Planeta Terra é de 7 bilhões.A população atual do Planeta Terra é de 7 bilhões. • Na época de Malthus, o planeta atingiu 1 bilhão de habitantes (1802).Na época de Malthus, o planeta atingiu 1 bilhão de habitantes (1802). • As ideias de Malthus influenciaram pensadores e governantes no século XIX, e aindaAs ideias de Malthus influenciaram pensadores e governantes no século XIX, e ainda influenciaram no século XX, com algumas modificações, na “Teoria Neo-malthusiana”.influenciaram no século XX, com algumas modificações, na “Teoria Neo-malthusiana”.
  97. 97. • Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizados para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.
  98. 98. • Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizados para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana. • A teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários paísesA teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários países durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000).durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000).
  99. 99. • Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizados para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana. • A teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários paísesA teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários países durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000).durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000). • Após a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégiasApós a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégias de desenvolvimento que garantissem a paz internacional.de desenvolvimento que garantissem a paz internacional.
  100. 100. • Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizados para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana. • A teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários paísesA teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários países durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000).durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000). • Após a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégiasApós a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégias de desenvolvimento que garantissem a paz internacional.de desenvolvimento que garantissem a paz internacional. • Por consenso na conferência havia a defesa de minimizar as desigualdades sociais entrePor consenso na conferência havia a defesa de minimizar as desigualdades sociais entre os países.os países.
  101. 101. • Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizados para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana. • A teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários paísesA teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários países durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000).durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000). • Após a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégiasApós a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégias de desenvolvimento que garantissem a paz internacional.de desenvolvimento que garantissem a paz internacional. • Por consenso na conferência havia a defesa de minimizar as desigualdades sociais entrePor consenso na conferência havia a defesa de minimizar as desigualdades sociais entre os países.os países. • Se seguiram diagnósticos indicando que as causas da pobreza se relacionavamSe seguiram diagnósticos indicando que as causas da pobreza se relacionavam diretamente ao número de habitantes nos países pobres.diretamente ao número de habitantes nos países pobres.
  102. 102. • Os aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizadosOs aspectos demográficos e vários argumentos da teoria malthusiana foram utilizados para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana.para construir uma nova teoria populacional: a neo-malthusiana. • A teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários paísesA teoria neo-malthusiana deu embasamento à políticas populacionais em vários países durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000).durante a 2ª metade do Século XX (1950-2000). • Após a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégiasApós a 2ª Guerra Mundial, a ONU promoveu uma conferência para discussão de estratégias de desenvolvimento que garantissem a paz internacional.de desenvolvimento que garantissem a paz internacional. • Por consenso na conferência havia a defesa de minimizar as desigualdades sociais entrePor consenso na conferência havia a defesa de minimizar as desigualdades sociais entre os países.os países. • Se seguiram diagnósticos indicando que as causas da pobreza se relacionavamSe seguiram diagnósticos indicando que as causas da pobreza se relacionavam diretamente ao número de habitantes nos países pobres.diretamente ao número de habitantes nos países pobres. • Surgiram índices socio-econômicos para medir o nível de desenvolvimento dos países,Surgiram índices socio-econômicos para medir o nível de desenvolvimento dos países, classificando-os como “desenvolvidos” ou “sub-desenvolvidos”.classificando-os como “desenvolvidos” ou “sub-desenvolvidos”.
  103. 103. • A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional, pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres.pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres.
  104. 104. • A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional, pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres.pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres. • Como atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas deComo atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas de métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade.métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade.
  105. 105. • A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional, pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres.pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres. • Como atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas deComo atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas de métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade.métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade. • Para os defensores da proposta neo-malthusiana, a numerosa população jovem dos paísesPara os defensores da proposta neo-malthusiana, a numerosa população jovem dos países subdesenvolvidos requer altos investimentos governamentais nos setores de saúde esubdesenvolvidos requer altos investimentos governamentais nos setores de saúde e educação.educação.
  106. 106. • A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional, pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres.pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres. • Como atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas deComo atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas de métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade.métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade. • Para os defensores da proposta neo-malthusiana, a numerosa população jovem dos paísesPara os defensores da proposta neo-malthusiana, a numerosa população jovem dos países subdesenvolvidos requer altos investimentos governamentais nos setores de saúde esubdesenvolvidos requer altos investimentos governamentais nos setores de saúde e educação.educação. • Com maior investimentos em saúde e educação, pode haver menos investimentos nosCom maior investimentos em saúde e educação, pode haver menos investimentos nos setores produtivos (agricultura e indústria), obstruindo o desenvolvimento econômico.setores produtivos (agricultura e indústria), obstruindo o desenvolvimento econômico.
  107. 107. • A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional,A proposta dos neo-malthusianos adota medidas de controle do crescimento populacional, pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres.pois supõe que a quantidade de pessoas é o problema dos países pobres. • Como atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas deComo atos gerados a partir da proposta neo-malthusiana, surgiram as campanhas de métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade.métodos contraceptivos (anticoncepcional), com vistas ao controle das taxas de natalidade. • Para os defensores da proposta neo-malthusiana, a numerosa população jovem dos paísesPara os defensores da proposta neo-malthusiana, a numerosa população jovem dos países subdesenvolvidos requer altos investimentos governamentais nos setores de saúde esubdesenvolvidos requer altos investimentos governamentais nos setores de saúde e educação.educação. • Com maior investimentos em saúde e educação, pode haver menos investimentos nosCom maior investimentos em saúde e educação, pode haver menos investimentos nos setores produtivos (agricultura e indústria), obstruindo o desenvolvimento econômico.setores produtivos (agricultura e indústria), obstruindo o desenvolvimento econômico. • Segundo essa lógica: Quanto maior o número de pessoas no país, mais dificuldade essaSegundo essa lógica: Quanto maior o número de pessoas no país, mais dificuldade essa nação terá para promover uma melhor distribuição de renda.nação terá para promover uma melhor distribuição de renda.

×