DETERMINANTES DO INVESTIMENTO
PARA FIRMAS BRASILEIRAS:
TESTES INICIAIS PARA IDENTIFICAÇÃO DE THRESHOLD EFFECTS
Thiago Scar...
TESTANDO INCERTEZA EM UM MODELO NÃO LINEAR
Questão geral: Quais são os fatores determinantes da realização de investimento...
ANTECEDENTES TEÓRICOS
i. O modelo do acelerador
ii. Os modelos neoclássicos
iii. Restrições financeiras
iv. Q de Tobin
v. ...
RESULTADOS NA LITERATURA NACIONAL
» Parâmetros robustos com o modelo do acelerador
» Presença de restrições financeiras
» ...
ESPECIFICAÇÃO DO MODELO DE RESPOSTA BINÁRIA
» Forma geral do modelo de resposta binária, onde F representa a função de dis...
RESULTADOS
i. Excessiva volatilidade nas cotações da empresa (proxy para incerteza) diminui a
probabilidade de aumento de ...
THIAGOSCARELLI@GMAIL.COM
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Determinantes do investimento para firmas brasileiras - thiago scarelli

164 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
164
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Determinantes do investimento para firmas brasileiras - thiago scarelli

  1. 1. DETERMINANTES DO INVESTIMENTO PARA FIRMAS BRASILEIRAS: TESTES INICIAIS PARA IDENTIFICAÇÃO DE THRESHOLD EFFECTS Thiago Scarelli André Luis Squarize Chagas (Orientador)
  2. 2. TESTANDO INCERTEZA EM UM MODELO NÃO LINEAR Questão geral: Quais são os fatores determinantes da realização de investimentos em capital fixo pelas empresas brasileiras? Questão particular: Como os investimentos são afetados pelo fator incerteza? Proposta: A incerteza afeta a decisão da imobilização de capital de modo não linear, ou seja, de modo diferente para patamares diferentes (threshold effects) Teste: Modelo econométrico de resposta binária, a partir de dados em painel de 328 empresas brasileiras de capital aberto, no período 1995 a 2013 1
  3. 3. ANTECEDENTES TEÓRICOS i. O modelo do acelerador ii. Os modelos neoclássicos iii. Restrições financeiras iv. Q de Tobin v. Expectativas, risco e incerteza 2
  4. 4. RESULTADOS NA LITERATURA NACIONAL » Parâmetros robustos com o modelo do acelerador » Presença de restrições financeiras » Resultados pouco significativos para variável juros » Posições antagônicas sobre efeito de crowding out 3
  5. 5. ESPECIFICAÇÃO DO MODELO DE RESPOSTA BINÁRIA » Forma geral do modelo de resposta binária, onde F representa a função de distribuição cumulativa de uma variável aleatória logística padrão: » Variável dependente: » Variáveis explicativas: (i) investimento defasado (ii) demanda: receita líquida operacional (iii) lucro: lucro líquido nominal (iv) juros: taxa CDI acumulada em 3 meses anualizada (v) liquidez: ativos líquidos como proporção dos ativos totais (vi) incerteza: variância trimestral do retorno diário da ação mais líquida da firma 4
  6. 6. RESULTADOS i. Excessiva volatilidade nas cotações da empresa (proxy para incerteza) diminui a probabilidade de aumento de capital fixo. Em particular, os resultados sugerem que 4% de variância trimestral nos retornos diários é um threshold a partir do qual os empresários tendem a adiar seus planos de investimento; ii. Receita é um fator fundamental para decisão de imobilização de capital, como consagrado no modelo do acelerador; iii. O lucro mostrou impacto nulo nas estimações realizadas; iv. Companhia com liquidez muito reduzida tende a investir menor. A barreira mais significativa neste caso está a 5% de ativos líquidos para ativos totais; v. O nível dos juros tem efeito negativo na probabilidade de investir – e de modo mais relevante quando se controlam os efeitos setoriais. 5
  7. 7. THIAGOSCARELLI@GMAIL.COM

×