21. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
21-1
CBR900RRY
H-VIX (Sistema de Controle Variável de Admissão-Escapamento Honda)
DESCRIÇÃO
O...
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
21-2
Quando as rotações do motor se encontram abaixo de 3.000
rpm, a polia do cabo da válvula de ...
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
21-3
Neste momento, a válvula articulada de admissão é aberta pelo cabo de controle do servo-moto...
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
21-4
CBR900RRY
NOTAS
15
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
COMO USAR ESTE MANUAL
Este manual de serviço descreve os
procedim...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) caracter

291 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
291
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (2000~2001) caracter

  1. 1. 21. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 21-1 CBR900RRY H-VIX (Sistema de Controle Variável de Admissão-Escapamento Honda) DESCRIÇÃO O H-VIX é a mais nova tecnologia que proporciona alto desempenho em todas as faixas de rotação do motor. Este sistema apresenta uma válvula de controle variável de escapamento, uma válvula de controle variável de admissão e um servo-motor, o qual é controlado pelo ECM. Ambas as válvulas variáveis de admissão e escapamento são controladas pelo mesmo servo-motor. CONTROLE DA VÁLVULA DE ESCAPAMENTO Geralmente, a construção do coletor de escapamento a 180° é utilizada para altas rotações, enquanto a construção a 360° é utilizada em baixas e médias rotações. A válvula variável de escapamento possibilita o fluxo dos gases no coletor tanto a 180° quanto a 360° no mesmo sistema de escapamento. Em baixas e médias rotações, o fluxo de gases no coletor de escapamento é feito a 360° devido ao posicionamento da válvula de escapamento, o que produz maior torque. Em altas rotações, o fluxo de gases no coletor é feito a 180° devido ao posicionamento da válvula de escapamento, o que gera maior potência. CONTROLE DA VÁLVULA DE ADMISSÃO A válvula de admissão é controlada pelo mesmo servo-motor que controla a válvula de escapamento, o que permite controlar o volume do ar de admissão. Na faixa de baixas e médias rotações, a válvula de admissão é fechada produzindo torque máximo a partir da relação mútua com a válvula de escapamento. Em altas rotações, a válvula de controle de admissão é aberta pelo servo-motor, o que produz potência máxima a partir da relação mútua com a válvula de escapamento. 21
  2. 2. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 21-2 Quando as rotações do motor se encontram abaixo de 3.000 rpm, a polia do cabo da válvula de escapamento é posicionada a 90° (virada para a frente) pelos cabos de controle do servo-motor. Nessa posição, os gases do tubo de escapamento no. 1 são direcionados para o tubo no. 2, e os gases do tubo no. 4 são direcionados para o tubo no. 3 pela válvula de escapamento. Caso as rotações do motor sejam aumentadas e excedam 8.000 rpm, a polia do cabo da válvula de escapamento é movida para a posição de 180° (linha de referência virada para baixo) pelos cabos de controle do servo-motor. Nessa posição, os gases presentes nos tubos de escapamento no. 1 e 2 e no. 4 e 3 têm seu fluxo invertido pela válvula de escapamento (fluxo no coletor a 180°). Quando as rotações do motor ultrapassam 3.000 rpm, a polia do cabo da válvula de escapamento é movida para a posição de 0° (linha de referência da polia virada para cima) pelos cabos de controle do servo-motor. Nessa posição, os gases de cada tubo de escapamento são conduzidos diretamente pela válvula de escapamento (fluxo no coletor a 360°). CBR900RRY Nº 4 Nº 1 Nº 3 Nº 2 Nº 4 Nº 1 Nº 3 Nº 2 Nº 4 Nº 1 Nº 3 Nº 2
  3. 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 21-3 Neste momento, a válvula articulada de admissão é aberta pelo cabo de controle do servo-motor. CBR900RRY Em baixas e médias rotações Em altas rotações
  4. 4. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 21-4 CBR900RRY NOTAS
  5. 5. 15 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 16 17 18 19 20 21 22 COMO USAR ESTE MANUAL Este manual de serviço descreve os procedimentos de serviço para a CBR900RR. Siga as recomendações da Tabela de Manutenção (Capítulo 3) para garantir condições perfeitas de funcionamento da motocicleta. A 1ª manutenção programada é muito importante, pois irá compensar os desgastes iniciais que ocorrem durante o período de amaciamento. Os Capítulos 1 e 3 aplicam-se à toda motocicleta. O Capítulo 2 apresenta os procedimentos de remoção/instalação de componentes que pode ser necessária para efetuar os serviços descritos nos capítulos subseqüentes. Os Capítulos 4 a 19 apresentam as peças da motocicleta, agrupadas de acordo com sua localização. Localize o capítulo desejado nesta página. Em seguida, consulte o índice apresentado na primeira página do capítulo selecionado. A maioria dos capítulos apresenta uma ilustração do sistema ou conjunto, as informações de serviço e a diagnose de defeitos. As páginas seguintes apresentam procedimentos mais detalhados. Se a causa do problema for desconhecida, consulte o Capítulo 22, “Diagnose de Defeitos”. MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. Departamento de Serviços Pós-Venda Setor de Publicações Técnicas TODAS AS INFORMAÇÕES, ILUSTRAÇÕES, PROCEDIMENTOS E ESPECIFICAÇÕES APRESENTADAS NESTA PUBLICAÇÃO SÃO BASEADAS NAS INFORMAÇÕES MAIS RECENTES DISPONÍVEIS SOBRE O PRODUTO NO MOMENTO DA APROVAÇÃO DA IMPRESSÃO. A MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA RESERVA-SE O DIREITO DE ALTERAR AS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO A QUALQUER MOMENTO E SEM PRÉVIO AVISO, SEM QUE ISTO INCORRA EM QUAISQUER OBRIGAÇÕES. NENHUMA PARTE DESTA PUBLICAÇÃO PODE SER REPRODUZIDA SEM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA POR ESCRITO. INFORMAÇÕES GERAIS CHASSI/CARENAGEM/ SISTEMA DE ESCAPAMENTO MANUTENÇÃO SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL (Injeção de combustível programada) SISTEMA DE ARREFECIMENTO REMOÇÃO/INSTALAÇÃO DO MOTOR CABEÇOTE/VÁLVULAS EMBREAGEM/SELETOR DE MARCHAS ALTERNADOR/ EMBREAGEM DE PARTIDA CARCAÇA DO MOTOR/ PISTÃO/CILINDRO ÁRVORE DE MANIVELAS/ TRANSMISSÃO RODA DIANTEIRA/SUSPENSÃO/ SISTEMA DE DIREÇÃO RODA TRASEIRA/SUSPENSÃO FREIO HIDRÁULICO BATERIA/SISTEMA DE CARGA SISTEMA DE IGNIÇÃO PARTIDA ELÉTRICA LUZES/INDICADORES/INTERRUPTORES DIAGRAMA ELÉTRICO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ÍNDICE GERAL SISTEMA ELÉTRICO CHASSIMOTORETRANSMISSÃO DIAGNOSE DE DEFEITOS

×