SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Os sentidos da pele:
tato, pressão, temperatura e dor
• Todos os sentidos da pele – tato, pressão, temperatura e dor –
desempenham um papel crucial na sobrevivência, tornando-
nos conscientes de possíveis perigos para o corpo.
• A maioria dos sentidos opera por meio de células receptoras
nervosas localizadas em diversas profundidades em toda a pele,
distribuídas irregularmente por todo o corpo.
Só para lembrar
Abordagens Teóricas da Percepção
• Há dois tipos básicos de processamento de informação: o top-
down e o bottomup .
• O top-down corresponde a um processamento descendente, do
macro para a microestrutura.
• O bottom-up é o processamento que faz uma construção do
significado através da composição das partes por meio de
análise e síntese das informações, ou seja, faz um movimento
ascendente.
Abordagens Teóricas da Percepção
Teorias Ascendentes ou Bottom-up
• Traz o significado de uma abordagem realizada de baixo para
cima.
• É o processamento que faz uma construção do significado
através da composição das partes por meio de análise e síntese
das informações, ou seja, faz um movimento ascendente.
Teorias Ascendentes ou Bottom-up
• Teoria do padrão: grade de padrões altamente elaborados
armazenados na memória. A percepção ocorre através da
comparação do estímulo observado com os vários padrões
arquivados na memória.
Teorias Ascendentes ou Bottom-up
• Teoria dos protótipos: modelo altamente representativo de
uma classe de objetos que integra todos os traços mais
característicos de um determinado grupo de objetos. Neste não
existiria uma correspondência exata para cada objeto mas uma
configuração geral para cada classe. Exemplo: rosto.
Teorias Ascendentes ou Bottom-up
• Teoria das características: segundo esta, não percebemos o
protótipo inteiro, mas as características em pequenas
categorias.
Teorias Ascendentes ou Bottom-up
• Teoria da detecção estrutural: considera a representação de
objetos em 3 D com base na manipulação e algumas formas
geométricas, decompõe os objetos em geons (unidades
simples).
Processos Descendentes ou Top-down
• Top-down - “percepção construtiva”, “quem percebe constrói
uma representação cognitiva (percepção) do estímulo, usando
informações como base para a estrutura, além de usar outras
fontes de informação para construir a percepção” (STERNBERG,
2010).
Processos Descendentes ou Top-down
• Top-down - (conduzidos por aspectos cognitivos elevados):
estes envolvem níveis de análise mais elevados, globais e
abstratos. Enfatizam o conhecimento, a experiência, o
significado e a interpretação que o observador já possui, bem
como expectativas na formação da percepção.
Processos Descendentes ou Top-down
• O efeito do contexto (Palmer 1975): o contexto pode influenciar
na informação adquirida de objetos. Observe a imagem abaixo.
O fato de ter um pássaro, faz com que percebamos as folhas
como um pássaro.
Processos Descendentes ou Top-down
• O efeito das necessidades (McClelland & Atkinson, 1948): as
necessidades influenciam a percepção? Indivíduos com fome
tendem a organizar informação a partir desta condição, ou seja,
imagens disformes podem ser vistas como formas que lembram
alimento.
Processos Descendentes ou Top-down
• Efeito das motivações (Bruner & Goodman, 1947): as
motivações influenciam a percepção? Será que alguém pobre
dá mais valor ao dinheiro e, nesse sentido, organiza sua
percepção por este viés?
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
Cubo de Necker
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Grupo de psicólogos, início do século XX, psicólogos da Gestalt.
• O todo pode exceder a soma das partes.
• Estudaram forma de descrever como a sensação e a percepção
são organizadas.
• Cérebro faz mais que registrar informações a respeito do
mundo.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
Figura e fundo - eleger uma
porção mais definida e
organizada: figura, com um
fundo coadjuvante. Cérebro
dá prioridade ao que ocupa o
lugar de figura.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Agrupamento: a percepção organiza as informações através de
agrupamento, ou seja, juntando e separando informações.
• Similaridade.
• Proximidade.
• Fechamento.
• Continuidade.
• Simetria.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Similaridade - agrupamos em conjuntos elementos
semelhantes.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Proximidade - a percepção pode agrupar também em função da
distância.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Fechamento - completar aquilo que está incompleto.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Continuidade - percepção dos movimentos e formas de maneira
constante; desta forma, tendemos a perceber as formas como
contínuas.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA
• Simetria: muito comum a percepção organizar as informações
pelo equilíbrio.
ATENÇÃO
• Permite a fixação em alguns estímulos.
• Possibilita a organização das informações significativas.
• É Seletiva – focaliza apenas alguns estímulos, descarta outros.
• Seletividade – detectores de padrão (células localizadas no
cérebro).
ATENÇÃO
ATENÇÃO
ATENÇÃO
• Atenção seletiva – necessidades, interesses e motivações.
• Afetada pela constância ou modificação dos estímulos –
habituação. Ex: Constante tende a ser ignorados.
• Filtro para a percepção.
• A obtenção e a permanência da atenção – características do
estímulo: intensidade, novidade e repetição.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• BRUNER, J. S., & GOODMAN, C. C. Value and need as organizing factors in perception.
Journal
• of Abnormal and Social Psychology, 1947, 42, 33–44.
• FELDMAN, Robert S. Introdução à psicologia. AMGH Editora, 2015.
• LENT, Roberto. Cem bilhões de Neurônios: Conceitos fundamentais de Neurociências. São Paulo,
Editora Atheneu, 2010.
• MCCLELLAND, D. C., & ATKINSON, J. W. The projective expression of needs: 1. The effect of different
intensities of the hunger drive on perception. The Journal of Psychology, 1948, 25, 205–222
• MYERS, David G. Psicología. Ed. Médica Panamericana, 2006.
• STERNBERG, Robert J. Psicologia Cognitiva. São Paulo: CENGAGE Learning, 2010

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaEdgard Lombardi
 
1 psicologia
1 psicologia1 psicologia
1 psicologiabrelua
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosCaio Maximino
 
A evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológicaA evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológicaEduardo Dias
 
O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007Rolando Almeida
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaRita Cristiane Pavan
 
Aula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOAula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOguest8af197
 
Psicologia Geral - Psicologia Cientifica
Psicologia Geral - Psicologia CientificaPsicologia Geral - Psicologia Cientifica
Psicologia Geral - Psicologia CientificaDiego Sampaio
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - PsicologiaAna Felizardo
 

Mais procurados (20)

Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
1 psicologia
1 psicologia1 psicologia
1 psicologia
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
 
Percepção - Psicologia
Percepção - PsicologiaPercepção - Psicologia
Percepção - Psicologia
 
A evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológicaA evolução da ciência psicológica
A evolução da ciência psicológica
 
Introdução À Psicologia
Introdução À PsicologiaIntrodução À Psicologia
Introdução À Psicologia
 
Psicologia social
Psicologia socialPsicologia social
Psicologia social
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
 
Cognição social
Cognição socialCognição social
Cognição social
 
O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007O Processo Perceptivo 93 2007
O Processo Perceptivo 93 2007
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
 
Aula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOAula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAO
 
O que é a psicologia
O que é a psicologiaO que é a psicologia
O que é a psicologia
 
Psicologia Geral - Psicologia Cientifica
Psicologia Geral - Psicologia CientificaPsicologia Geral - Psicologia Cientifica
Psicologia Geral - Psicologia Cientifica
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
 
PERSONALIDADE
PERSONALIDADEPERSONALIDADE
PERSONALIDADE
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Psicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALTPsicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALT
 

Semelhante a Aula Sensação Percepção.pdf

Psicologia na contabilidade 03
Psicologia na contabilidade 03Psicologia na contabilidade 03
Psicologia na contabilidade 03Milton Magnabosco
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoÉrica Paula
 
Aula 5 2ª infância
Aula 5   2ª infânciaAula 5   2ª infância
Aula 5 2ª infânciaEslon Junior
 
sodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptxsodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptxAdrianaMeiado2
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxSidney Silva
 
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el CerebroCOMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el CerebroIFRS - Campus Sertão
 
Fundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoFundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoSimoneHelenDrumond
 
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...Billy Nascimento
 
Mapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidade
Mapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidadeMapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidade
Mapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidadeEcio Leme
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemglauciacorreaperes
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemglauciacorreaperes
 
Resumo sistema nervoso
Resumo sistema nervosoResumo sistema nervoso
Resumo sistema nervosoladyacp
 
Como aprende o cerebro
Como aprende o cerebroComo aprende o cerebro
Como aprende o cerebroLeonardo Faria
 

Semelhante a Aula Sensação Percepção.pdf (20)

Introdução a Cognição
Introdução a CogniçãoIntrodução a Cognição
Introdução a Cognição
 
Psicologia na contabilidade 03
Psicologia na contabilidade 03Psicologia na contabilidade 03
Psicologia na contabilidade 03
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
 
Terezinha Lindino
Terezinha LindinoTerezinha Lindino
Terezinha Lindino
 
Aula 5 2ª infância
Aula 5   2ª infânciaAula 5   2ª infância
Aula 5 2ª infância
 
O cerebro
O cerebroO cerebro
O cerebro
 
O cerebro
O cerebroO cerebro
O cerebro
 
sodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptxsodapdf-converted.pptx
sodapdf-converted.pptx
 
Etapa 5
Etapa 5Etapa 5
Etapa 5
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
 
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el CerebroCOMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
 
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
 
Fundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoFundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educação
 
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 3 - Atenção ...
 
Mapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidade
Mapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidadeMapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidade
Mapas mentais – Expandindo o uso de nossa capacidade
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
Resumo sistema nervoso
Resumo sistema nervosoResumo sistema nervoso
Resumo sistema nervoso
 
Como aprende o cerebro
Como aprende o cerebroComo aprende o cerebro
Como aprende o cerebro
 

Último

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 

Último (20)

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 

Aula Sensação Percepção.pdf

  • 1. Os sentidos da pele: tato, pressão, temperatura e dor • Todos os sentidos da pele – tato, pressão, temperatura e dor – desempenham um papel crucial na sobrevivência, tornando- nos conscientes de possíveis perigos para o corpo. • A maioria dos sentidos opera por meio de células receptoras nervosas localizadas em diversas profundidades em toda a pele, distribuídas irregularmente por todo o corpo.
  • 2.
  • 4. Abordagens Teóricas da Percepção • Há dois tipos básicos de processamento de informação: o top- down e o bottomup . • O top-down corresponde a um processamento descendente, do macro para a microestrutura. • O bottom-up é o processamento que faz uma construção do significado através da composição das partes por meio de análise e síntese das informações, ou seja, faz um movimento ascendente.
  • 6. Teorias Ascendentes ou Bottom-up • Traz o significado de uma abordagem realizada de baixo para cima. • É o processamento que faz uma construção do significado através da composição das partes por meio de análise e síntese das informações, ou seja, faz um movimento ascendente.
  • 7. Teorias Ascendentes ou Bottom-up • Teoria do padrão: grade de padrões altamente elaborados armazenados na memória. A percepção ocorre através da comparação do estímulo observado com os vários padrões arquivados na memória.
  • 8. Teorias Ascendentes ou Bottom-up • Teoria dos protótipos: modelo altamente representativo de uma classe de objetos que integra todos os traços mais característicos de um determinado grupo de objetos. Neste não existiria uma correspondência exata para cada objeto mas uma configuração geral para cada classe. Exemplo: rosto.
  • 9. Teorias Ascendentes ou Bottom-up • Teoria das características: segundo esta, não percebemos o protótipo inteiro, mas as características em pequenas categorias.
  • 10. Teorias Ascendentes ou Bottom-up • Teoria da detecção estrutural: considera a representação de objetos em 3 D com base na manipulação e algumas formas geométricas, decompõe os objetos em geons (unidades simples).
  • 11. Processos Descendentes ou Top-down • Top-down - “percepção construtiva”, “quem percebe constrói uma representação cognitiva (percepção) do estímulo, usando informações como base para a estrutura, além de usar outras fontes de informação para construir a percepção” (STERNBERG, 2010).
  • 12. Processos Descendentes ou Top-down • Top-down - (conduzidos por aspectos cognitivos elevados): estes envolvem níveis de análise mais elevados, globais e abstratos. Enfatizam o conhecimento, a experiência, o significado e a interpretação que o observador já possui, bem como expectativas na formação da percepção.
  • 13. Processos Descendentes ou Top-down • O efeito do contexto (Palmer 1975): o contexto pode influenciar na informação adquirida de objetos. Observe a imagem abaixo. O fato de ter um pássaro, faz com que percebamos as folhas como um pássaro.
  • 14. Processos Descendentes ou Top-down • O efeito das necessidades (McClelland & Atkinson, 1948): as necessidades influenciam a percepção? Indivíduos com fome tendem a organizar informação a partir desta condição, ou seja, imagens disformes podem ser vistas como formas que lembram alimento.
  • 15. Processos Descendentes ou Top-down • Efeito das motivações (Bruner & Goodman, 1947): as motivações influenciam a percepção? Será que alguém pobre dá mais valor ao dinheiro e, nesse sentido, organiza sua percepção por este viés?
  • 17. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Grupo de psicólogos, início do século XX, psicólogos da Gestalt. • O todo pode exceder a soma das partes. • Estudaram forma de descrever como a sensação e a percepção são organizadas. • Cérebro faz mais que registrar informações a respeito do mundo.
  • 19. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA Figura e fundo - eleger uma porção mais definida e organizada: figura, com um fundo coadjuvante. Cérebro dá prioridade ao que ocupa o lugar de figura.
  • 20. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Agrupamento: a percepção organiza as informações através de agrupamento, ou seja, juntando e separando informações. • Similaridade. • Proximidade. • Fechamento. • Continuidade. • Simetria.
  • 21. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Similaridade - agrupamos em conjuntos elementos semelhantes.
  • 22. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Proximidade - a percepção pode agrupar também em função da distância.
  • 23. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Fechamento - completar aquilo que está incompleto.
  • 24. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Continuidade - percepção dos movimentos e formas de maneira constante; desta forma, tendemos a perceber as formas como contínuas.
  • 25. ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA • Simetria: muito comum a percepção organizar as informações pelo equilíbrio.
  • 26. ATENÇÃO • Permite a fixação em alguns estímulos. • Possibilita a organização das informações significativas. • É Seletiva – focaliza apenas alguns estímulos, descarta outros. • Seletividade – detectores de padrão (células localizadas no cérebro).
  • 29. ATENÇÃO • Atenção seletiva – necessidades, interesses e motivações. • Afetada pela constância ou modificação dos estímulos – habituação. Ex: Constante tende a ser ignorados. • Filtro para a percepção. • A obtenção e a permanência da atenção – características do estímulo: intensidade, novidade e repetição.
  • 30.
  • 31. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • BRUNER, J. S., & GOODMAN, C. C. Value and need as organizing factors in perception. Journal • of Abnormal and Social Psychology, 1947, 42, 33–44. • FELDMAN, Robert S. Introdução à psicologia. AMGH Editora, 2015. • LENT, Roberto. Cem bilhões de Neurônios: Conceitos fundamentais de Neurociências. São Paulo, Editora Atheneu, 2010. • MCCLELLAND, D. C., & ATKINSON, J. W. The projective expression of needs: 1. The effect of different intensities of the hunger drive on perception. The Journal of Psychology, 1948, 25, 205–222 • MYERS, David G. Psicología. Ed. Médica Panamericana, 2006. • STERNBERG, Robert J. Psicologia Cognitiva. São Paulo: CENGAGE Learning, 2010