INTEGRAÇÃO ARTE, CULTURA E TURISMO - THAYANNE ELER

1.373 visualizações

Publicada em

INTEGRAÇÃO ARTE, CULTURA E TURISMO -
PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO CULTURAL NO MUNICÍPIO DE SÃO DOMINGOS DO PRATA - THAYANNE ELER

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.373
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
135
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

INTEGRAÇÃO ARTE, CULTURA E TURISMO - THAYANNE ELER

  1. 1. INTEGRAÇÃO ARTE, CULTURA E TURISMO PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO CULTURAL NO MUNICÍPIO DE SÃO DOMINGOS DO PRATA GRADUANDA: THAYANNE ELER |ORIENTADOR: WANDERSON GARCIA |UNILESTE-MG
  2. 2. • As informações artísticas e culturais sobre cidades que não são tradicionalmente turísticas são muito restritas. • A busca pelo passado fica apenas na memória de antigos moradores, arquivados, ou em acervos particulares. • Importante lembrar, das manifestações que um dia fizeram parte da história, servindo de grandes contribuições para a formação da identidade das cidades, como a culinária típica, as lendas, o vocabulário modesto, o modo de fazer, as atividades exercidas, etc. • Toda e qualquer manifestação, das mais antigas às mais atuais compõe um povo, sendo bens imensuráveis, que devem ser valorizados. DESENVOLVIMENTO
  3. 3. A partir das análises e entrevistas realizadas, foi identificada a necessidade de um espaço que pudesse abrigar todas as atividades culturais, artísticas e turísticas no mesmo local e que: • Evidencie essas questões e a importância que a cidade tem para Minas Gerais. • Resgate a memória e valorize a cidade. • Beneficie a integração dos moradores e visitantes do município. • Sirva de referência e possibilite a participação de diferentes grupos sociais em atividades referentes ao tema. Com o levantamento de dados, foi possível ter noção das riquezas históricas da cidade de São Domingos do Prata, e a compreensão das necessidades pertinentes ao centro cultural. DESENVOLVIMENTO
  4. 4. • O objetivo desse projeto é promover, fortalecer e evidenciar as questões e atividades, apontando seus atributos e potencialidades, que envolvam a cultura, o turismo e a arte, tendo como foco de discussão a cidade de São domingos do Prata. OBJETIVO Vista Parcial da Igreja matriz de São Domingos de Gusmão
  5. 5. LOCALIZAÇÃO DA CIDADE A cidade de São Domingos do Prata fica localizada na região do Médio Piracicaba. Tendo como principais cidades vizinhas: Nova Era, João Monlevade e Bela Vista.
  6. 6. • A Casa de Cultura Chiquito Moraes não possui sede própria e encontra-se instalada em um imóvel particular alugado pela Prefeitura Municipal. • Desenvolve suas atividades de forma precária, necessitando de grandes investimentos para atender a um público que frequenta diariamente suas atividades. • Os espaços utilizados são pequenos e desconfortáveis , além de não dispor de local apropriado para guardar os figurinos, uniformes e muito menos o enorme acervo patrimonial de peças e elementos culturais. • A implementação do projeto se estenderá no âmbito da Educação Patrimonial, tendo a preservação da própria Casa de Cultura enquanto patrimônio cultural e artístico. JUSTIFICATIVAS
  7. 7. Casa de Cultura Chiquito Moraes
  8. 8. A Casa de Cultura Chiquito Moraes é responsável pela execução e manutenção dos projetos e atividades em relação a cultura e arte que se desenvolvem na cidade. 8 Coral Prata Encanto e Voz Coral Vozes de Prata Companhia de Teatro Trupe Dom CULTURA E ARTE DO PRATA
  9. 9. 9 Na área da cultura a cidade se destaca, pela vasta riqueza cultural, e a religiosidade tem influência marcante nas principais manifestações culturais do povo Pratiano. CULTURA E ARTE DO PRATA
  10. 10. 10 Os principais itens de artesanato produzidos, são expostos em feiras que são realizadas uma vez por semana no centro da cidade. CULTURA E ARTE DO PRATA
  11. 11. 11 Na área do turismo a cidade pode oferecer várias opções. Além das fazendas históricas, cachoeiras, e das famosas pedras, condições ideais para a prática do Ecoturismo, pode-se destacar também a gastronomia, as construções antigas, os acervos históricos. TURISMO
  12. 12. 12 São Domingos do Prata também faz parte da área de abrangência do Circuito Turístico Mata Atlântica de Minas, além de Coronel Fabriciano, Santana do Paraíso, Ipatinga, Marliéria, Açucena e Timóteo. São 36 mil hectares de reserva continua de mata atlântica e 150 lagoas, que conferem ao circuito a posição de terceiro maior complexo lacustre do Brasil, ficando somente atrás da região amazônica e Pantanal. TURISMO O Prata foi contemplado com o ICMS Turístico pelo 4º ano consecutivo. Valor repassado ao município que tem por objetivo incentivar investimentos no turismo municipal, promover melhorias nos serviços, aumentar o potencial turístico, oferecer mais atrações
  13. 13. 13 Além de todas as atividades citadas, a localização geográfica do município, permite que esta cidade receba um intenso fluxo de visitantes, a infraestrutura da cidade (saúde, educação, etc.), a parceria com o Circuito Mata Atlântica De Minas, a dinamização da vida cultural com a realização de inúmeros festivais, shows, encontros e feiras, além das muitas festas locais. E principalmente o reconhecimento, a participação e a valorização da população Pratiana. POTÊNCIAL LOCAL DE UM CENTRO CULTURAL
  14. 14. 14 Considerando-se o perfil social do município, é possível afirmar que a porcentagem relativa à baixa renda é predominante, no entanto, a acessibilidade ás iniciativas realizadas na cidade, inclusive as da Casa de Cultura, são gratuitas. Sendo assim, não apenas o público interno (alunos, professores, funcionários) serão beneficiados mas, a população em geral, pois é sobre este público que ressoam as iniciativas deste estudo. PÚBLICO ALVO
  15. 15. • O resgate das memórias dessa cidade que foram esquecidas com o passar do tempo; • A busca de um espaço familiar, promovendo um encontro de gerações; • A utilização do espaço enquanto lazer. • A integração de todas as atividades artísticas, turísticas e culturais. • E principalmente, integração da população em geral. • Ampliar a motivação do público alvo nas atividades promovidas INTENÇÕES
  16. 16. • Ser um espaço de convívio para a coletividade e sobretudo para a comunidade. • A promoção de entrevistas com moradores da comunidade para o registro da história. • Promover a semana cultural, pelo menos uma vez ao mês. • Excursões aos locais históricos do município, ações com o objetivo de preservação do patrimônio cultural; • Transferência da biblioteca pública para o Centro cultural; • Incentivar a criação de cooperativas para a produção e comercialização de artesanato em suas diferentes formas. ESTRÁTEGIAS DE PROJETO
  17. 17. POSSÍVEIS USOS/PROGRAMAS AMBIENTE ÁREA PREVISTA CAPACIDADE PÚBLICO Anfiteatro a céu aberto 400m² Praça 600m² Recepção 30m² SETOR CULTURAL Sanitário feminino 30m² Sanitário masculino 30m² Exposições temporárias 200m² Espaço para eventos ao ar livre(feiras) 400m² Auditório/projeção 150m² Camarim/banheiro feminino 20m² Camarim/banheiro masculino 20m² Copa dos camarins 15m² SETOR DE COMÉRCIO Lanchonete 50m² Espaço para venda de artesanatos locais 100m² Espaço para venda alimentos caseiros Livraria 50m² Café/Lan house 50m² Sanitário feminino 20m² Sanitário masculino 20m² TEATRO Foyer 75m² Depósito 20m² Bilheteria 3,5m²
  18. 18. POSSÍVEIS USOS/PROGRAMAS SETOR DE EDUCAÇÃO Hall 10m² Oficinas de artes (atelier livre) 24m² Oficina de canto 24m² Oficina de dança 50m² Oficina de teclado 24m² Oficina de violão 24m² Oficina de teatro 50m² Sala multimídia 20m² Deposito das oficinas 10m² Vestiário/sanitário feminino 20m² Vestiário/sanitário masculino 20m² Museu 50m² Biblioteca 150m² SETOR ADMINISTRATIVO Administração 10m² Diretoria/reunião 10m² Financeiro 12m² Copa/reunião 10m² Arquivo 4m² Sanitário feminino 6m² Sanitário masculino 6m² SETOR DE SERVIÇOS Estacionamento 375m² 30 vagas Carga e descarga Depósito 4m² Refeitório funcionários 6m² Área de serviços 6m² Caixas d’agua Circulação Sanitário social F 20m² Sanitário social M 20m²
  19. 19. 19 ORGANOGRAMA
  20. 20. LOCALIZAÇÃO DO BAIRRO E LOTE Situado no bairro Dona Julieta um bairro de grande influência para a cidade, perto do centro e possuindo fácil acesso tanto para pedestres, quanto para veículos. BAIRRO DONA JULIETA BAIRRO CENTRO LOTE
  21. 21. • área de aproximadamente 2.004,00 m²; • O lote não possui nenhuma edificação; • De posse da Prefeitura Municipal, tendo um grande potencial construtivo. • é predominantemente de uso residencial, e uma minoria de construções de uso misto (comércio e serviços + habitação). ANÁLISE DO TERRENO
  22. 22. ANÁLISE DA MALHA VIÁRIA 22
  23. 23. ANÁLISE DO ENTORNO 23
  24. 24. CONDICIONANTES AMBIENTAIS 24 RIO PRATA SOL DA MANHÃ LOTE SOL DA TARDE VENTO PREDOMINANTE RUÍDO PREDOMINANTE
  25. 25. MEMORIAL FOTOGRÁFICO 25 BAIRRO DONA JULIETA LOTE VISTA Á ESQUERDA DO LOTE VISTA Á DIREITA DO LOTE
  26. 26. ANÁLISE DOS PARÂMETROS URBANÍSTICOS E ASPECTOS ECONÔMICOS 26 Sendo o projeto um equipamento público de grande importância para a cidade de São Domingos do Prata, e o terreno pertencente a Prefeitura Municipal da cidade, a implementação do Centro Cultural ficará a cargo do setor público. Já o Governo Estadual , através das Secretarias de Educação e Cultura, assim como o Governo Federal, poderão colaborar em parte com o funcionamento deste. Também será de grande importância a participação da Iniciativa privada, uma vez que o Centro Cultural beneficiará a todos, além de ser um atrativo ao turismo da cidade. Estimativa de custo do terreno: uma vez que o terreno já pertence a Prefeitura Municipal, não haverá custo.
  27. 27. NORMAS EXISTENTES 27 A cidade de São Domingos do Prata, por ser considerada de pequeno porte não possui Lei de Uso e ocupação do solo, possui apenas código de obras, instituído pela lei nº 0017/83 e código de posturas, instituído pela lei nº 229/90. Nele contém: Afastamentos: Artigo 47º - Os afastamentos mínimos previstos serão: Afastamento frontal: 3,0 m Afastamentos laterais: 1,50 quando existir abertura lateral pra iluminação e ventilação. Taxa de ocupação: Residencial: 60% Comercial: 80% Não existe taxa de ocupação para edifícios públicos, será considerada a taxa comercial.
  28. 28. O projeto tomou forma a partir da criação de uma praça externa essencialmente pública, pensada como uma continuação do espaço público urbano, tornando o edifício convidativo para a população. PARTIDO Além da praça, haverá dois volumes onde aconteceram as demais atividades. O projeto desenha um eixo de conexão entre a rua e o centro cultural.
  29. 29. PARTIDO Todos os componentes do conjunto entram em diálogo, criando conexões visuais. Os espaços integram os usuários durante todo o período do dia. A suspensão de um dos blocos se deu para a criação de uma área comum no térreo, fazendo com que a praça entre dentro do edifício. O posicionamento dos blocos foi estrategicamente pensado nos condicionantes ambientais.
  30. 30. SETORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS: 1º PAVIMENTO BIBLIOTECA 1º PISO ESPELHO D’AGUA ANFITEATRO ADMINISTRATIVO SANITÁRIOS 1º PISO DECK MADEIRA PRAÇA CIRCULAÇÃO
  31. 31. SETORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS: 2º PAVIMENTO BIBLIOTECA 2º PISO ESPELHO D’AGUA PRAÇA ALIMENTAÇÃO SALAS 2º PISO SANITÁRIOS 2º PISO CIRCULAÇÃO PRAÇA DECK MADEIRA PALCOS
  32. 32. SETORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS: 3º PAVIMENTO EXPOSIÇÃO/FEIRAS ESPELHO D’AGUA AUDITÓRIO SALAS 3º PISO SANITÁRIOS 3º PISO CIRCULAÇÃO PRAÇA DECK MADEIRA MUSEU
  33. 33. SETORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS: COBERTURA
  34. 34. CORTE - AA 3º PAVIMENTO 2º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO ANFITEATRO
  35. 35. CORTE - BB 3º PAVIMENTO 2º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO ANFITEATRO
  36. 36. CORTE - CC 3º PAVIMENTO 2º PAVIMENTO 1º PAVIMENTO
  37. 37. MAQUETE DIGITAL
  38. 38. MAQUETE DIGITAL
  39. 39. MAQUETE DIGITAL
  40. 40. • Todos os itens do programa se relacionam entre si, inclusive as áreas internas em função da transparência do próprio edifício, que de maneira sutil revela os fluxos e usos em seu interior através da envoltória translúcida. • A praça convida a população a participar, é o espaço central do complexo arquitetônico. É espaço de encontro e de estar. Sem programa definido, acolhe o livre uso do frequentador. • O projeto prevê os conceitos de conforto ambiental, propondo espaços providos de iluminação e ventilação naturais, tendo janelas com brises móveis no lado mais ameno do sol, e brises fixos do lado oeste. • As salas terão dinamismo nas suas formações, sendo moldada de acordo com seu uso. CONCEPÇÃO
  41. 41. CONCEPÇÃO • O espelho d’agua remete a memória do passado onde moradores desciam para o centro a pé e quando chegavam nas margens do rio Prata lavavam os pés sujos de barros para chegarem ao vilarejo limpos. além de ativar a parte sensorial e a interação com a natureza, em certos momentos há placas de vidro como piso, que servem de passagem sem se molhar. • O palco do auditório tem como plano de fundo a cidade, que se faz de moldura para as apresentações. • A biblioteca terá contato direto com a praça, para que possa ser também utilizada como local de leitura
  42. 42. OBRAS ANÁLOGAS MARGOT E BILL ÓPERA WINSPEAR - Foster and Partners, em Dallas (Estados Unidos), O projeto destaca-se por sua volumetria e materiais aplicados na fachada. High Line Park Nova York, 2009. Tem como principal fundamento a inserção da população em contato com a natureza. Sesc Pompéia, São Paulo - Lina Bo Bardi em 1977. espaço que reúne atividades para o contato social.
  43. 43. CONCLUSÃO O projeto destina-se atender ao Município de São de São Domingos do Prata, preenchendo os requisitos das necessidades levantadas, principalmente da Casa de Cultura Chiquito Moraes juntamente com a Prefeitura Municipal. Os principais pontos positivos com a realização do projeto, serão a divulgação e valorização da cidade no âmbito turístico, cultural e artístico, gerando emprego e divisão da renda, crescimento do comércio, condicionando a população a permanecer no local, aumentando o fluxo de pessoas na cidade, e tornando a cidade conhecida a nível estadual inicialmente.

×