ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES

4.856 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.856
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
109
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES

  1. 1. Docente: Thassiany Sarmento Faculdade Mauricio de Nassau – FMN Curso de Radiologia Componente curricular: diagnóstico por imagem em pediatria ANATOMIA PEDIÁTRICA: PARTICULARIDADES
  2. 2. • As crianças, desde o momento de sua concepção, são seres em plena evolução anatomicas, fisiológicas y psicológicas; • Não devem ser consideradas como pequenos adultos; • Em 20 anos se aumenta 3 vezes e ½ de altura e de peso cerca de 20 vezes; • Crescimiento: indica multiplicação e aumento de tamanho de células • Desenvolvimento: Diferenciação, integração e aperfecionamento de funções. ANATOMIA PEDIATRICA
  3. 3. • A cabeça é relativamente maior, enquanto o tórax é muito curto; • A língua é relativamente grande; • O tronco é relativamente menor em relação a um abdomen globoso e grande; • O pulmão neonatal é propenso a atelectasia e hipoxemia durante processos operatorios. ANATOMIA PEDIATRICA
  4. 4. • Fetos de peso menor que 500g aborto; • Fetos de peso maior que 500g nascimento; • Bebê a termo: nascido entre 37 e 41 semanas de Idade Gestacional (IG); • Bebê pré-termo: nascido antes de 37 semanas; • Bebê pós-termo: nascido depois de 42 semanas; • Bebê de baixo peso: inferior a 2.500g NASCIMENTO
  5. 5. • Continuo; • Sequência fixa : Crânio - caudal e centro – distal; • Mensurável; • Velocidade variável : com 2 periodos de grande velocidade (desde a concepção até o 1° ano / adolescencia); • Individual. CARACTERÍSTICAS DO CRECIMENTO
  6. 6. • Dentição :Temporal a partir del 2° semestre, completando-se por volta dos 2 anos (20 dentes). Passa a ser definitiva desde os 6 até 12 anos, após a caída dos dentes temporários, trocando-se e agregando-se os molares definitivos (32 dentes); • Centros de ossificação: a partir do nacimiento nas epífises dos ossos longos aparecem os núcleos de ossificação secundarios, durando até aproximadamente os 20 anos, quando se ossificam por completo. • Controle de esfínteres : entre o 2° e 3° ano de vida ; • Maturação psicomotora: motora , coordenação, social e linguagem; • Maturação sexual: puberdade con características sexuais INDICADORES DE MATURAÇÃO
  7. 7. • Método mais frequente; • Motivos para uso desse método: – Grande quantidade de centros de ossificações aglomerados em uma única região (30 centros de ossificações); – Baixa dose de radiação aplicada; – Facilidade no posicionamento. • Não é aplicada aos recém-nascidos. ANÁLISE DE MATURAÇÃO ÓSSEA POR MEIO DA RADIOGRAFIA DO PUNHO E MÃO
  8. 8. • Os diferentes segmentos corporais não se desenvolvem por igual: – Nascimiento: crânio grande (25% do corpo); – Adulto: cabeça em menor proporção (12.5% corpo); • Crânio: aos 6 anos tem 90% do tamanho definitivo; • Ossos da face: crecimento constante até os 20 anos (por desenvolvimento das vias respiratorias, maxilares e erupção dentaria); • O colo do RN é muito curto (cabeça unida ao tórax); • As clavículas e as costelas estão em posição horizontal; • O tórax do RN tem uma forma cilíndrica. • No transcorrer dos primeros anos as clavículas e as costelas começam a tomar uma posição mais obliqua que se completa por volta dos 7 anos. Com isso a forma do tórax se aplana, o tórax alarga-se, adquirindo aspecto adulto. PROPORÇÕES CORPORAIS
  9. 9. • A coluna vertebral ao nascer praticamente não apresenta curvaturas, estas começam a se formar de acordo com o progresso do desenvolvimento motor, em direção crânio- caudal. A curvatura cervical se observa quando já é capaz de sustentar a cabeça e a lombar se densenvolve quando começa a andar; • As pernas são curtas ao nascer, apresentando um crescimento mais rápido nos primeros anos de vida que o resto do corpo; • Os pés possuem aspecto plano devido a falta de desenvolvimento da musculatura plantar e pela presença de tecido adiposo. • As extremidades superiores durante toda a infância são proporcionalmente mais curtas que as do adulto, crescem a grande velocidade durante a adolescencia até seu tamanho final. PROPORÇÕES CORPORAIS
  10. 10. • Sistema com maior quantidade de tecido do organismo, sendo o seu crescimento e desenvolvimento ativos até determinada fase da adolescencia; • Ao nascer o tecido muscular representa cerca de 25% do peso corporal, logo desde o 2° semestre até os 5 anos apresenta um desenvolvimento acelerado que é freado em idade escolar e reativado na adolescência, chegando a representar de 40 a 60% do peso corporal; • O tecido óseo vai variando de composição a medida que avança a idade. Assim em sua evolução passa sucessivamente por estados de tecido conectivo, cartilagionoso e osso. Ao nascer se encontram os 3 tipos, encontrando-se nas fontanelas. PARTICULARIDADES NO SISTEMA ESQUELÉTICO
  11. 11. • Fontículos ou Fontanelas: - Articulações cartilaginosas (Sincondrose temporária); - Feto e RN; - Favorece a passagem pelo canal do parto e o crescimento craniano pós-natal; - Permite detectar o grau de desidratação do lactente e alterações da PIC; - Fontículo Anterior (Bregmática) – fecha por volta dos 18 meses -> Bregma - Fontículo Posterior (Lambdóide) – no fim do 1˚ ano não é mais clinicamente palpável -> Lambda FONTANELAS
  12. 12. • El cartílago está presente en todos los huesos y su osificación comienza alas 8 semanas de gestación (primaria – prenatal) y continua en la vida postnatal (secundaria) hasta que cesa el crecimiento. Esta osificaciónsecundaria genera núcleos de osificación que mediante su estudioradiológico permiten relacionar la edad ósea con la edad cronológica y asítener un indicador de maduración (esquema). • - • En los primeros años de vida la consistencia de los huesos es blanda,situación que permite la aparición de deformidades plásticas (asimetría delcráneo) y también que frente a un traumatismo se produzcan fracturas sinseparación total de los segmentos óseos, fracturas conocidas como en talloverde. • - • Al terminar el crecimiento (fin de la adolescencia) la mineralización óseaes distinta entre hombres y mujeres, teniendo estas solo un 60% de la delos varones PARTICULARIDADES NO SISTEMA ESQUELÉTICO

×