Semana da Arte Moderna e Modernismo

29.537 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
29.537
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.511
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
941
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Semana da Arte Moderna e Modernismo

  1. 1. SEMANA DA ARTE MODERNA Profª. Thanmires Ramos
  2. 2. Semana da Arte Moderna <ul><li>Ocorreu em São Paulo de 11 a 18 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Foi o marco da modernidade e da renovação da linguagem; </li></ul><ul><li>Apresentou novas idéias e conceitos artísticos: Poesia através de declamação, música através de concerto, e artes plásticas através de telas, esculturas e maquetes com desenhos arrojados e modernos. </li></ul>Semana da Arte Moderna
  4. 4. Origens <ul><li>Ocorreu em um período de turbulências políticas, sociais e econômicas e culturais; </li></ul><ul><li>Não foi bem aceita e nem entendida quando passada; </li></ul>
  5. 5. MODERNISMO Antropofagia – Tarsila do Amaral
  6. 6. Modernismo <ul><li>Surgiu a partir da Semana da Arte Moderna; </li></ul><ul><li>Era dividido em três fases: </li></ul><ul><li>1ª fase – 1922 a 1930 </li></ul><ul><li>2ª fase – 1930 a 1945 </li></ul><ul><li>3ª fase – 1945 a 1960(?) </li></ul>
  7. 7. Referências Históricas <ul><li>O burguês era comportado e tranquilo e contando seu lucro, capitalismo monetário; </li></ul><ul><li>Industrialização e Neocolonialismo; </li></ul><ul><li>Greves e turbulências sociais; </li></ul><ul><li>1ª Guerra Mundial e Revolução Russa; </li></ul>
  8. 8. 1ª Fase (1922 – 1930) <ul><li>Tentava definir e marcar posições; </li></ul><ul><li>Um mês depois da “SAM” a política vivia dois momentos importantes: a eleição presidencial e o congresso para a fundação do Partido Comunista; </li></ul><ul><li>Fase mais radical por precisar romper de vez os laços com o passado. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Busca do moderno, original e polêmico; </li></ul><ul><li>Nacionalismo crítico, ou seja, consciente de denúncia da realidade e identificado politicamente pelas esquerdas; </li></ul><ul><li>Nacionalismo Ufanista, ou seja, utópico, exagerado, identificado com as correntes de extrema direita; </li></ul>1ª Fase - Características
  10. 10. <ul><li>Volta ás origens e valorização do índio verdadeiramente brasileira; </li></ul><ul><li>“ língua brasileira”, falada pelo povo nas ruas; </li></ul><ul><li>Paródias, tentativa de repensar a história e a literatura brasileiras </li></ul>1ª Fase - Características
  11. 11. <ul><li>Mário de Andrade (1893 – 1945) </li></ul><ul><li>Oswald de Andrade (1890 - 1853) </li></ul><ul><li>Manuel Bandeira (1886 – 1968) </li></ul><ul><li>Cassiano Ricardo (1895 – 1974) </li></ul><ul><li>Guilherme de Almeida (1890 – 1969) </li></ul>1ª Fase - Autores
  12. 12. <ul><li>Revista Klaxon – Mensário da Arte Moderna (1922 – 1923) </li></ul><ul><li>Manifesto da Poesia Pau Brasil (1924 – 1925) </li></ul><ul><li>A Revista (1925 – 1926) </li></ul><ul><li>Verde-Amarelismo (1926 – 1929) </li></ul><ul><li>Manifesto Regionalismo de 1926 </li></ul><ul><li>Revista Antropofagia (1928 – 1929) </li></ul><ul><li>E outros </li></ul>1ª Fase – Manifestos e Revistas
  13. 13. 2ª Fase (1930 – 1945) <ul><li>Período rico da produção poética e da prosa; </li></ul><ul><li>Poesia prossegue a tarefa de purificação de meios e formas iniciadas antes </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Repensar a história nacional com ironia e humor; </li></ul><ul><li>Verso livre e poesia sintética: </li></ul><ul><li>“ Stop </li></ul><ul><li>A vida parou </li></ul><ul><li>Ou foi o automóvel?” Carlos Drummond </li></ul>2ª Fase - Características
  15. 15. <ul><li>Questionavam mais a realidade e a si mesmo como indivíduos; </li></ul><ul><li>Tentavam interpretar o “Estar-no-mundo” e seu papel de poeta; </li></ul><ul><li>Literatura mais construtiva e mais politizada; </li></ul>2ª Fase - Características
  16. 16. <ul><li>Corrente mais voltada para o espiritualismo e o intimismo; </li></ul><ul><li>Aprofundamento das relações e consciência da fragilidade do eu com o mundo; </li></ul><ul><li>Perspectiva única para enfrentar os tempos difíceis é a união, as soluções coletivas. </li></ul>2ª Fase - Características
  17. 17. <ul><li>Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) </li></ul><ul><li>Murilo Mendes (1902-1975) </li></ul><ul><li>Jorge de Lima (1898-1953) </li></ul><ul><li>Vinícius de Moraes (1913-1980) </li></ul><ul><li>Cecília Meireles (1901-1964) </li></ul>2ª Fase – Autores Poesia
  18. 18. <ul><li>Rachel de Queiroz (1910-2003) </li></ul><ul><li>José Lins do Rego (1901-1957) </li></ul><ul><li>Graciliano Ramos (1892-1953) </li></ul><ul><li>Jorge Amado (1912-2001) </li></ul><ul><li>Érico Veríssimo (1905-1975) </li></ul>2ª Fase – Autores Prosa
  19. 19. <ul><li>Macunaíma – Mário de Andrade; </li></ul><ul><li>Memórias Sentimentais de João Miramar – Oswald de Andrade; </li></ul><ul><li>Capitães da Areia – Jorge Amado; </li></ul><ul><li>Dona Flor e Seus Dois Maridos – Jorge Amado. </li></ul>2ª Fase – Obras
  20. 20. <ul><li>Passa por modificações; </li></ul><ul><li>Poesia, prosa e contos procuram uma literatura intimista; </li></ul><ul><li>Regionalismo mais sertanejo; </li></ul>3ª Fase (1945-1960?)
  21. 21. <ul><li>Fim da 2ª Guerra Mundial; </li></ul><ul><li>Início da era atômica (Hiroxima e Nagasaki); </li></ul><ul><li>Fim da Era Vargas. </li></ul>3ª Fase (1945-1960?)
  22. 22. <ul><li>Guimarães Rosa (1908-1967) </li></ul><ul><li>Clarice Lispector (1925-1977) </li></ul><ul><li>João Cabral de Melo Neto (1920-1999) </li></ul>3ª Fase - Autores
  23. 23. <ul><li>Grande Sertão: Veredas – Guimarães Rosa; </li></ul><ul><li>A Hora da Estrela – Clarice Lispector; </li></ul><ul><li>Morte e Vida Severina – João Cabral de Melo Neto. </li></ul>3ª Fase - Obras

×