Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

O SISTEMA ENDÓCRINO

Disciplina: Fisiologia Geral
Docente ...
ESTÍMULO

Sistema Nervoso

RESPOSTA

ESTÍMULO

Sistema Endócrino

RESPOSTA

HOMEOSTASIA: CONTROLE DAS FUNÇÕES
CARDIOVASCUL...
Diferenças da transmissão da mensagem entre o
sistema nervoso e o sistema endócrino

Neurotransmissores
Sistema Endócrino

Hormônios

Sangue

Células alvo
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Definição: substâncias químicas que regulam as funções
m...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

Crescimento e desenvolvimento;
Equilíbrio do meio interno;...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Hormônios Esteróides:
 Estrutura química similar ao col...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Hormônios não-esteróides:
 Não são lipossolúveis;
 Não...
Quantidade de aminoácidos
Hormônios Peptídicos Possuem de 3-100 aminoácidos
Hormônios Protéicos

Possuem + de 100 aminoáci...
 Hormônios Peptídicos:
Muitos

hormônios

neurotransmissores

peptídicos

também

(colecistocina

produzida

servem
pela...
 Hormônios produzidos e liberados pela tireóide: tiroxina e
triiodotironina;
 Hormônios produzidos e liberados pela medu...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

TRANSPORTE DE HORMÔNIOS PELO SANGUE

 Hormônios

peptídic...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

METABOLISMO E EXCREÇÃO DOS HORMÔNIOS

Rins + Fígado as cat...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Hormônios esteróides e tireoidianos:
4.2.OO hormônio entra na célulaO O hormônio o núcleo e realiza
3. 1. RNAm deixa é transportado
complexo hormônio receptor
...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Hormônios não esteróides:
 Sistema adenil ciclase-cAMP;
1
2

3
4.5.OO AMP cíclico é inativado
2.
1. A aumento da
3.
hormônio atinge a célula
complexo hormônioenzima adenilato cic...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Hormônios não esteróides:
 Sistema cálcio-calmodulina;
1
2

4

4.1.AO aumento das
5. OO complexotambém
O diacilglicerol
hormônio
3. 6.proteínatrifosfato
2. Oinositol G atinge
fa...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Retroalimentação negativa:
 Analogia ao termostato domé...
Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)

 Número de receptores:
 Down-regulation (regulação desce...
 Controle neural:
 Dor, emoção, excitação sexual, medo, lesão, estresse
e modificações do volume plasmático podem modula...
 Controle cronotrópico:
 Influenciada por alterações do ciclo sono-vigília, do
ciclo menstrual, pelo estágio de desenvol...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

9e0de7264b4702743acd140a8d584a98

654 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
654
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9e0de7264b4702743acd140a8d584a98

  1. 1. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) O SISTEMA ENDÓCRINO Disciplina: Fisiologia Geral Docente Responsável: Prof. Dr. Adelino Sanchez Ramos da Silva
  2. 2. ESTÍMULO Sistema Nervoso RESPOSTA ESTÍMULO Sistema Endócrino RESPOSTA HOMEOSTASIA: CONTROLE DAS FUNÇÕES CARDIOVASCULARES, RENAIS, METABÓLICAS ETC...
  3. 3. Diferenças da transmissão da mensagem entre o sistema nervoso e o sistema endócrino Neurotransmissores
  4. 4. Sistema Endócrino Hormônios Sangue Células alvo
  5. 5. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Definição: substâncias químicas que regulam as funções metabólicas de outras células do organismo;  Produção: células endócrinas;  Transporte: no sangue de forma livre (Ex: hormônios peptídicos e as catecolaminas) ou ligados a proteínas plasmáticas (Ex: hormônios esteróides e da tireóide);  Atuação: células alvo;  Degradação: pelo fígado (fezes) e excreção renal;
  6. 6. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) Crescimento e desenvolvimento; Equilíbrio do meio interno; Modulação do comportamento; Regulação da disponibilidade energética; Reprodução;
  7. 7. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Hormônios Esteróides:  Estrutura química similar ao colesterol e a maioria deles deriva dessa gordura;  São lipossolúveis;  QUAL A IMPLICAÇÃO DESSA INFORMAÇÃO?  Difundem-se facilmente através das membranas celulares;  EXEMPLOS:
  8. 8. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Hormônios não-esteróides:  Não são lipossolúveis;  Não conseguem atravessar facilmente as membranas celulares;  Podem ser divididos em:  Protéicos ou peptídicos;  Aminas (origem no aminoácido tirosina);
  9. 9. Quantidade de aminoácidos Hormônios Peptídicos Possuem de 3-100 aminoácidos Hormônios Protéicos Possuem + de 100 aminoácidos Exemplo de hormônio peptídico Exemplos de hormônios protéicos Hormônio do crescimento; Prolactina;
  10. 10.  Hormônios Peptídicos: Muitos hormônios neurotransmissores peptídicos também (colecistocina produzida servem pelas endócrinas gastrintestinais e por neurônios no cérebro); como glândulas
  11. 11.  Hormônios produzidos e liberados pela tireóide: tiroxina e triiodotironina;  Hormônios produzidos e liberados pela medula adrenal: adrenalina e noradrenalina;
  12. 12. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) TRANSPORTE DE HORMÔNIOS PELO SANGUE  Hormônios peptídicos e as catecolaminas (aminas) são hidrossolúveis e são transportados dissolvidos no plasma;  Hormônios esteróides e tireoidianos (aminas) circulam no sangue em grande parte ligados às proteínas plasmáticas; HORMÔNIO LIVRE + PROTEÍNA DE LIGAÇÃO COMPLEXO HORMÔNIO-PROTEÍNA APENAS NESSA FORMA DIFUNDE-SE PARA O INTERIOR DAS CÉLULAS ALVO
  13. 13. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) METABOLISMO E EXCREÇÃO DOS HORMÔNIOS Rins + Fígado as catecolaminas e hormônios + comum para Ao invés do hormônio ser ativado após a secreção, ele atua enzimaticamente sobre uma O hormônio secretado pode ser relativa ou completamente incapaz de agir sobre uma peptídicos (máximo 1 hora no plasma) proteína plasmática para separar um o transforme em uma substância que possa atuar célula-alvo até que o metabolismo peptídeo que funcionará como hormônio ativo
  14. 14. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Hormônios esteróides e tireoidianos:
  15. 15. 4.2.OO hormônio entra na célulaO O hormônio o núcleo e realiza 3. 1. RNAm deixa é transportado complexo hormônio receptor a síntese núcleointerior do parte no alvo e no e se liga uma entra sangue acoplado a a no protéica no citoplasma, finalizando proteína; o RNA citoplasmaresposta da célula do DNAae se liga ao seu forma 3 receptorao hormônio; alvo (sistema chavemensageiro; fechadura); 1 2 4
  16. 16. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Hormônios não esteróides:  Sistema adenil ciclase-cAMP;
  17. 17. 1 2 3 4.5.OO AMP cíclico é inativado 2. 1. A aumento da 3. hormônio atinge a célula complexo hormônioenzima adenilato ciclase 5 concentração deadocíclico que receptorfosfodiesterase Ge alvo através AMP pela ativa proteína a forma o AMP sangue cíclico intracelularseuATP; formaligaAMP.ativa a se 5’ ao a enzima que partir do receptor que ativa Os fatores proteína quinase fosfodiesterase interferemchave-fechadura) (sistema naciclase; adenilato que provoca acomo a cafeína podem na membrana plasmática; resposta celular; permitir que o AMP cíclico atue por mais tempo; 4
  18. 18. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Hormônios não esteróides:  Sistema cálcio-calmodulina;
  19. 19. 1 2 4 4.1.AO aumento das 5. OO complexotambém O diacilglicerol hormônio 3. 6.proteínatrifosfato 2. Oinositol G atinge faz ativa que ocorra a célula aativar a com alvo através pode proteína hormônio-receptor concentrações de liberação de e que é doproteína C que sangue C ativa fosfolipaseG se liga cálcio intracelularno a quinase Ca++ interior dareceptor responsável aoativa outras o seu célula, abre os canais pela ativam uma obtençãocélula (sistema chaveque ativainositol iônicos proteínas proteína chamada da do a 5 intracelularese calmodulinado trifosfato e na fechadura) permitindo a entrada calmodulina queque provoca a a resposta induzem resposta diacilglicerol; membrana influencia na do cálcio; plasmática; celular; celular; resposta celular; 3 6
  20. 20. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Retroalimentação negativa:  Analogia ao termostato doméstico;  Retroalimentação positiva (menos comum):  Ocitocina = contração do parto; aleitamento materno;
  21. 21. Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP)  Número de receptores:  Down-regulation (regulação descendente);  Up-regulation (regulação ascendente);  Controle neural:  Aumento ou diminuição da secreção de hormônios após estímulos (visuais, auditivos, olfativos, gustativos, tácteis) externos e/ou internos;
  22. 22.  Controle neural:  Dor, emoção, excitação sexual, medo, lesão, estresse e modificações do volume plasmático podem modular a secreção hormonal; EXEMPLO 1: Liberação do hormônio ocitocina que enche os ductos lácteos em resposta a sucção; EXEMPLO 2: Liberação da aldosterona que aumenta o volume plasmático em resposta a postura ereta;
  23. 23.  Controle cronotrópico:  Influenciada por alterações do ciclo sono-vigília, do ciclo menstrual, pelo estágio de desenvolvimento e pela idade; EXEMPLO: O pico noturno da secreção do hormônio do crescimento que ocorre 1 hora após o início do estágio 3 ou 4 do sono profundo;

×