O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

22 newsletter dezembro 2009

207 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

22 newsletter dezembro 2009

  1. 1. O Newsletter Terra Roxa U L .3 . ‘I ~, . I »- 7’ “ - I _ , ». l_ A 5 A -3:: -,3’: ,-ffig-":2? ‘H’ 'P"“: _, _ Terra Roxa se consolida como agéncia de desenvolvimento regional 0 ano de 2009 mostrou que o trabalho da Agéncia de -- Desenvolvimento Terra Roxa lnvestimento esta' consolidado na - nu- regiéo. Este diagnostico foi feito durante a assembléia de I 3 * fechamento do ano, realizada no ultimo dia 11. na sede da V g Associargéo Comercial, lndustrialede Servioos deApucarana. ' "I ’ ‘ ‘- . A mostra de que a agéncia ja se tomou um agente importante ' ' ~ , ~ de desenvolvimento é expresso, de acordo com o presidente "6! _ da entidade. Femando Kireeff. no aumento da procura N esponténea pelos trabalhos oferecidos pela agéncia e também I 7 _ , — — = ' ' ' ' pelo inicio da entrada de reoeitas provenientes de servioos - , ’ V“ / '_ I prestados. , 2 -V - 'Até 2008. tinhamos como Linica receita a contribuigéo de i J 5” nossos associados. Agora. ja exibimos vaiores recebidos por ‘ ' ‘e«-wanton»-. nosso trabalho'. comentou. lntercémbio empresarial : l‘T': I’“ *‘ Neste ano, uma das principais atividades desenvoividas pela Terra Roxa foi a L’ o “_ _ recepqao de comitivas de empresarios intemacionais para prospeccao de I ,5 ‘W. ‘ ‘ . negocios junto a empresarios do Norte do Parana’. , ' . . _ __ A» I. z ‘_ ‘ "Esta e uma das nossas marores finalndades: apresentar a regiao para 05 ‘r yniv, .‘ '9 ~ rnvestidores que procuram negocros fora de seu pais e ooloca-los em contato c’, 3*‘ , , , _ I ‘ com nossos empresarios. que _ J‘? ‘l4'(. {5"jf~, »_€‘ L‘ ~ ' ' também tém interesse em expandir «' ’ 1/ ‘néau. . i for (irxnn . l". (‘lr-. ‘.9. ‘ seus negocios", comenta Alexandre 4 . . . I , .;. -—_~ v V ‘ -L - Fanna, drretor-executivo da Terra Roxa. - I! . W 4 V‘ V 4‘ _; __ Além da recepcao de comitivas internacionais, a Terra Roxa também organizou _' _ l - ‘ xi "‘ ‘ 1' f, "-.1. uma viagem de empresérios e autoridades da regiéo para a Europa. participou » = de uma viagem de negocios para a regiéo de Cordoba (Argentina) e esteve , .3-:4-: :< _i _‘ I1 representadaemimportanteseventosde negociosinternacionais. "°"""L°°°’ A Terra Roxa também organizou este ano uma rodada de negocios entre empresa'rios brasileiros e italianos. na sede da Associaqao Comercial e Industrial de Londrina, envolvendo toda a regiéo. Agées buscam divulgagéo da regiao Além das viagens realizadas e a recepgao de oomitivas de empresarios intemacionais. a Terra Roxa fortaleceu a divulgagao da regiéo por meio da disponibilidade e atualizacéo de um Banco de Dados do Norte do Parana em seu web site, englobando 47 cidades; apresentagao da regiao em encontros. congressos e contatos oom oonsulados. embaixadas e cémaras de comércio; distribuioao mundial do Showcase impresso “Northern Parana’ — Reasons for investing here’ com informaooes gerais sobre a regiao; e agora trabalha na reformulaqéo de seu web site, com novo conteudo institucional, novos downloads e traduoao direcionada de todo o material para alemao. espanhol, inglés e italiano. 9,9. I I
  2. 2. Préximos passos Para 2010, a agenda de negocios ja tem varios compromissos programados. A Terra Roxa recebe, em janeiro. empresarios holandeses com foco em Iogistica intemacional, terminal de cargas e containeres. Para fevereiro ou maroo. esta prevista a vinda de empresarios espanhois interessados em contatos com os setores da construoéo civil, universidades. confeccées e moda e agricultura. Avinda de um grupo de italianos esta prevista para abril, mesmo més que devem visitar a regiao empresarios filiados :3) WF da Alemanha. Para todas estas recepcoes. serao desenvolvidas agendas que contemplam visitas as instituicoes ‘ representatives, visitas técnicas. rodadas de negocio e aproximacao com o empresariado da regiao, sempre com foco no fomento dos respectivos setores envolvidos. “Em 2010 também queremos criar um calendario de reuniées trimestrais itinerantes pela regiao para discussao de necessidades e metas; identificar fontes de recursos internacionais para projetos setoriais na regiao, envolvendo empresas, Arranjos Produtivos Locais e demais instituiooes: e um de nossos projetos é promover uma agenda de treinamentos e fomento do oomércio exterior, em parceria oom a FIEP e CIN (Centro lnternacional de Negc‘>cios)', relatou Farina. Ele infonnou ainda que sera dado inicio a confeccao da segunda edicao do Showcase de apresentacao da regiao e que a entidade, responsavel pela introducao da discussao da Volta do trem de passageiros no trecho entre Paicandu e lbipora. vai continuar acompanhado o debate sobre o assunto. A implantacao do trem passou a ser também um projeto do govemo do Estado, por meio da Ferroeste. Gurson Lop-3: Empresarios espanhéis apresentam possibilidades de bons negocios com o Norte do Parana De um lado uma industna da oonstnicao civil carente de equipamentos e de mao-de—obra. De outro lado, uma indiistria tecnologicamente muito avanoada. mas com equipamentos ociosos em virtude de uma crise eoonomica. Foi neste contexto que foram realizadas varias reunioes entre empresarios e entidades ligadas a construoao civil brasileira e espanhola. durante o inicio do més de dezembro, em Londrina, Maringa. Cambé e Rolandia. Uma comitiva de empresarios da oonstrucao civil espanhola visitou a regiao, numa viagem organizada pela Agéncia de Desenvolvimento Terra Roxa e Taiet Brasil lnvestimentos (TBI). Os espanhois da regiao da Catalunha, dos setores de concreto armado e locagao de gruas, estao em busca de novos mercados. Muitos equipamentos que faltam em obras nos canteiros brasileiros estao ociosos na Espanha. De acordo com os empresarios, para se ter uma idéia, so na regiao da Catalunha existem cerca de quatro mil gruas — equipamento que tem como principal finalidade 0 transporte vertical de materials. No Brasil todo. sao cerca de 700. ‘Nossa industria usa as mesmas gruas que o setor naval. lsso tem nos prejudicado ainda mais, pois a indiistria naval também vive um momento de grande aquecimento. A falta deste equipamento no Brasil é muito grande’. comentou o Vioe-presidente do Sinduscorn- Norte, Gerson Guariente Junior.
  3. 3. Empresarios espanhois ressaltaram que é impensavel realizar qualquer tipo de obra na Espanha sem o uso de gruas. No Brasil, este servioo é executado por pequenos elevadores ou por pessoas, o que acaba prejudicando o andamento da obra devido a falta de mao-de—obra pela qual passa o setor. Tecnologla reduz custos 0 uso de gruas, aliada a tecnologia de concreto annado apresentado pelos empresarios espanhois pode reduzirtempo e o custo de uma construcao em cerca de 40%, de acordo com dados apresentados durante reuniao realizada na sede do Sindimetal, em Londrina. Se de um lado ha empresarios com equipamentos e tecnologias ociosas e de outro um pais que vive momentos de crescimento no setor da construcao. o caminho é a realizacao de negocios. na avaliacao do diretor executivo da Terra Roxa. Alexandre F arina. Mas as boas intenqées esbarram no alto custo de importacao desses equipamentos. Guariente, como representante do setor da oonstnicao civil. informou que Ievara' a questao para discussao na Camara Brasileira da Industria da Constnicao Civil, juntamente com o Sinduscon Noroeste. para tentar destravar os obstaculos que impedem a realizacao imediata de negécios entre as duas partes. O assunto sera levado na reuniao deste més na Camara, que devera ocorrer nos proximos dias. “Temos uma perspectiva de crescimento no setor da oonstrucao civil na ordem de 10% para o proximo ano. Precisamos de tecnologia e de equipamentos. Nossa industria nao da' conta de atender nossas necessidades". comentou Guariente. Reuniao discute relatorio da OCDE A Terra Roxa foi uma das organizadoras do encontro que colocou em debate pela primeira vez na regiao, o relatorio da Comissao da Organizacao para a Cooperaqao e Desenvolvimento Economico — OCDE - que trata do apoio das instituiooes de ensino superior ao desenvolvimento regional. Participaram lideranqas da regiao e representantes de lnstituicoes de Ensino Superior. 0 encontro foi realizado no auditorio da FECEA - Faculdade Estadual de Ciéncias Economicas. Redo de Inovaqao no Parana Antes da realizacao do evento na Fecea_ o diretor-executivo da Terra Roxa, Alexandre Farina. participou, em Curitiba, no més de novembro, do ll workshop do projeto A Construcao de uma Regiao de lnovacao, proposta ooordenada pela Organizacao para a Cooperacao e Desenvolvimento Economico (OCDE), e que no Estado é representada pela Universidade Federal do Parana (UF PR). 0 Sistema Fiep é um dos apoiadores da iniciativa, que visa transfonnar o Estado em uma regiao de inovacao, sustentada por uma rede pennanente de integracao entre universidades publicas e particulares, indiistrias, instituicées de pesquisa e entidades. Terra Roxa lnvestlmentos — Agéncia do Desenvolvimento do Norte do Parana Mlssao: “Ser um agente independente para atralr novos investlmentos e promover negoclos, lntogrando e desenvolvendo os setores economlcos da regiao Norte do Parana” www. terraroxa. org. br
  4. 4. ca amigos . Wu‘: -Tl iiilllril L5IE}l. |.l iir1”if(:1 : :+. :rrlaiF. .r riinftaxile P “_ V _ _ l r 1' '7 xtgifiirgiagaleuuorl, ,. 3,4» ,5! ,7’ _ _ .4, I , _ _, _q, _ _ . _, _‘r’. 'Ir. L’; . m/1’-_ , .°I-'~l~= .Il~n, -.r= .n§l. -e. =.u, il. .l. tlf; su1t7sai, «1aili1m. i . l < = =~ ‘ _§. 7IALJ§1:“-,1 _, > gr-, a.<: «i. .. i'. _l: -Ia_‘I_t-L5 rszax’. -“, l‘: v;fi’r* st, aw ‘-.4i~'Ili» ex §): ai‘"il: i1iLr. =rr: ar§s ail all oo; =,mnaI’-i-. u;l~. u.l’T(i); ~, I: =)x= in'4-lhTni= inllqufilo u, =utuu. »i-u: -‘ Os nossos grandes parceiros sao: ACIA - Associacao Comercial e Empresarlal de Arapongas ACEMAN - Associacao Comercial e Empresarial de Mandaguari ACIL - Associacao Comercial e Industrial de Londrina ACIM - Associacao Comercial e Empresarial de Maringa Graca Advogados Associados ACIR - Assocaacao Comercial e Industrial de Rolandia ACIS - Associacao Comercial e Empresarial de Sarandi IDR - lnstituto para o Desenvolvimento Regional CODEM - Conselho de Desenvolvimento Economrco de Maringa CODEL - lnstituto de Desenvolvimento de Londrina ACIMAR - Associacao Comercial e Empresanal de Maria| vamaps. google. oom ASPAL - Associacao Paranaense de Logistica ADETEC - Associacao do Desenvolvimento Tecnologico de Londrina e Regiao SICOOB Central Parana - Central das Cooperatives de Crédnto do Estado do Parana SICOOB Norte Parana - Central das Cooperatives de Credito do Estado do Parana FIEP - Federacao das Industrias do Estado do Parana CESUMAR-Centro de Ensino Superior de Maringa ACEJAN - Associacao Comercial de Jandaia Preteitura Municipal de Apucarana Preteitura do Municipio de Maringa AIESEC Londrina - Association Internationale des Etudiants en Sciences Economiques et Commerciales FACIAP - Federacao da Associacoes Comerciais e Empresanais do Parana Prefeitura Municipal de Rolandia PEIEX - O Projeto Extensao Industrial Exportadora Instituto Mercosul Londrina Convention & Visitors Bureau Maringa e Regiao Convention & Visitors Bureau SRP - Sociedade Rural do Parana Porto Seco Norte do Parana

×