Ppt ferreira gullar

477 visualizações

Publicada em

Poemas de Ferreira Gullar

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt ferreira gullar

  1. 1. FERREIRA GULLAR: POEMAS Fotos de Ferreira Gullar: por Lúcia Nemer, Suplemento Literário do Minas Gerais PROFa. INESSACARRASCOPEREYRA
  2. 2. NemAí Indiferente ao suposto prestígioliterário e ao trabalho do poeta à difícil faina a que se entrega para inventar o dizível, sobre à mesa o gatinho se espreguiça e deita-se e adormece em cima do poema
  3. 3. Na Vertigemdo Dia Enquanto te enterravamno cemitériojudeu do Caju (e o clarão de teu olhar soterrado resistindoainda) o táxi corria comigo à borda da Lagoa na direção de Botafogo as pedras e as nuvens e as árvores no vento mostravamalegremente que não dependemde nós
  4. 4. Uma Corola Em algumlugar Esplende uma corola De cor vermelho-queimado metálica não está em nenhumjardim em nenhumjarro da sala ou na janela não cheira não atraia abelhas não murchará apenas fulge em alguma partealguma
  5. 5. Anoitecer em Outubro A noite cai, chove manso lá fora meu gato dorme enrodilhado na cadeira Numdia qualquer não existirá mais nenhumde nós dois para ouvir nesta sala a chuvaque eventualmente caia sobre as calçadas da rua Duvivier
  6. 6. Poemas Neoconcretos I
  7. 7. Não há vagas O preçodo feijão não cabeno poema.O preço do arroz não cabeno poema. não cabemno poemao gás a luzo telefone a sonegação do leite da carne do açúcar do pão O funcionáriopúblico comseu salário de fome suavidafechada emarquivos. Comonãocabe no poema o operário que esmerilha seu dia de Nas oficinasde aço e carvão  porque o poema,senhores, estáfechado: "não há vagas" Só cabeno poema o homemsemestômago a mulherde nuvens a frutasem preço O poema,senhores, Não fede nemcheira.
  8. 8. No Corpo De que vale tentar reconstruir com palavras O que o verão levou Entre nuvens e risos Juntocomo jornal velho pelos ares O sonho na boca, o incêndio na cama, o apeloda noite Agora são apenasesta contração (esteclarão) do maxilar dentro do rosto. A poesia é o presente.
  9. 9. PoemaBrasileiro No Piauí de cada 100crianças que nascem 78 morremantes de completar8 anosde idade No Piauí de cada 100crianças que nascem 78 morremantes de completar 8 anosde idade No Piauí de cada 100crianças que nascem 78 morrem antes de completar 8 anos de idade antes de completar 8 anos de idade antes de completar 8 anos de idade antes de completar 8 anos de idade antes de completar 8 anos de idade
  10. 10. Madrugada Do fundo de meu quarto, do fundo de meu corpo clandestino ouço (não vejo) ouço crescer no osso e no músculo da noite a noite a noite ocidental obscenamente acesa sobre meu país dividido emclasses
  11. 11. Meupai meupaifoi ao Riose tratarde umcâncer(que o mataria)mas perdeuos óculos na viagem quandolhelevei os óculosnovos compradosna Ótica Fluminenseele examinouo estojocom o nomeda lojadobrou a nota decompraguardou-a no bolsoe falou: querover agoraqualé o sacanaquevaidizer queeununcaestive no Riode Janeiro
  12. 12. Cantigaparanãomorrer Quandovocêforse embora, moçabrancacomoa neve, meleve. Seacasovocênão possa mecarregarpelamão, meninabrancade neve, meleveno coração. Seno coraçãonão possa poracasomelevar, moçade sonhoe de neve, meleveno seulembrar. E seaí tambémnãopossa portantacoisaqueleve já vivaemseupensamento, http://www.youtube.com/watch?v=ZP-vDcVVDyI meninabrancade neve, (com Fagner) meleveno esquecimento.
  13. 13. TRADUZIR-SE Umapartede mim é todomundo: outraparteé ninguém: fundosemfundo. umapartede mim é multidão: outraparteestranheza e solidão. Umapartede mim pesa,pondera: outraparte delira. Umapartede mim é permanente: outraparte sesabede repente. Umapartede mim é só vertigem: outraparte, linguagem. Traduzir-seuma parte na outraparte  queé umaquestão de vidaou morte  seráarte?

×