O mundo romano no apogeu do império i

1.024 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.024
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
237
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O mundo romano no apogeu do império i

  1. 1. O Mundo Romano no apogeu do Império Parte I 7.º ano Profª Teresa Maia
  2. 2. Localização no espaço e no tempo • Roma – cidade junto ao rio Tibre na Península Itálica. • Península Itálica – banhada por três mares: Mar Adriático, Mar Tirreno e Mar Mediterrâneo. Fonte: http://historia10.files.wordpress.com/2008/11/evolpoli1.jpg
  3. 3. Etapas de formação do Império Romano • 1º milénio a.C. – A Península Itálica era habitada por povos, como os Sabinos e Latinos. Os Latinos fundaram Roma, uma pequena aldeia, com terras muitos férteis. • 753 a.C. - Fundação de Roma. Início da Monarquia (Lenda de Rómulo e Reno) • Século VI a.C. - Roma foi anexada pelos Etruscos, que a tornaram numa grande cidade. • 509 a.C. - uma revolução liderada por famílias romanas pôs fim à Monarquia e implantou uma República. Foi nesta fase que se iniciou o processo de expansão territorial. • Fonte: http://2.bp.blogspot.com/TqF9NQHm1yk/T8pmgE9id8I/AAAAAAAAALE/KakL2wXs0QI /s1600/aloba.jpg 27 a.C. – Início do período Imperial. Fonte: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/43/Ex pans%C3%A3o_etrusca-pt.svg/1489px-Expans%C3%A3o_etruscapt.svg.png
  4. 4. Que fatores motivaram a expansão romana? • Os ataques de povos vizinhos levaram à criação de um bom exército e a maiores preocupações com a segurança. • Conquista de novas terras, procura de novos mercados, produtos e mão-deobra. • Desejo de obter prestígio e riquezas. Fonte: http://4.bp.blogspot.com/0riqLzekvus/TaN0oc5RgvI/AAAAAAAAAEE/YqgVIsMjTyA/s320/enunc_00 355.jpg
  5. 5. Etapas da expansão do Império Romano • Conquista da Península Itálica: 500 a.C. a 270 a.C. • Conquista de Cartago, Península Ibérica e Grécia: 270 a.C. a 100 a.C. Guerras Púnicas (264 a.C. a 146 a.C.) - Roma conquista Cartago e passa a controlar o comércio no Mediterrâneo, que passaram a designar por Mare Nostrum. • Costa Mediterrânica do Norte de África e Gália: 100 a.C. e 20 d.C. • Britânia, Dácia e parte da Ásia Menor: 20 d.C. a 220 d.C.
  6. 6. Como é que os Romanos integraram os povos conquistados no Império? Romanização – processo lento de influência da cultura romana sobre as diversas províncias do Império, em relação aos costumes, língua, religião, Direito, organização económica, administrativa e urbanística. 4 agentes: 1)legiões do exército (mantinham a pax romana); 2) funcionários administrativos; 3)colonos; 4)mercadores. Fonte: http://somaisumaponta.files.wordpress.co m/2012/09/soldiers_54sm-1h4dnb5.jpg Fonte: http://www.prof2000.pt/users/hjco/viseuw Elementos de união do Império: eb/historia/046.jpg 1)rede de estradas; 2) língua (latim); 3) direito romano (leis aplicadas a todo o império); 4) administração local (colónias, divisão em províncias , municípios); 5) urbanismo e arquitetura – os romanos davam grande atenção à planificação das suas cidades e construíram grandes obras públicas; 6) moeda – as moedas romanas difundiram-se em todo o império. 7) o Imperador Caracala concede em 212 d.C. o direito de cidadania a todos os homens livres do Império. Fonte: http://roma01.no.sapo.pt/latim.bmp Fonte: http://aliso.pntic.mec.es/agalle17/cu ltura_clasica/proyecto_agua/images /planoromano.jpg
  7. 7. Economia Romana Até ao século III a.C. as principais atividades eram a agricultura e a pecuária. As famílias romanas mais poderosas possuíam extensas propriedades (latifúndios). Muitos pequenos proprietários perderam as suas propriedades e migraram para as cidades. ECONOMIA URBANA, COMERCIAL E MONETÁRIA Economia urbana, porque era uma economia ligada às cidades, que sendo grandes centros de consumo, dinamizavam a produção agrícola e artesanal e por consequência levaram ao desenvolvimento do comércio (economia comercial). As crescentes trocas comerciais implicaram uma grande circulação de moeda, por isso a economia romana era também monetária. A necessidade da manutenção do Império obrigou ao desenvolvimento do comércio, mas também de outros sectores como a agricultura, a extração mineira e a produção artesanal. A maior parte da mão-de-obra utilizada em muitas destas atividades era escrava (economia esclavagista) Roma era o centro da economia mediterrânica (ler documento2 da pág. 89 do manual) Fonte: http://www.eb23-cmdt-conceicao-silva.rcts.pt/sev/hgp/4.imp_romano.jpg
  8. 8. Fim

×