29ª FESTA DA UVA23ª FEIRA AGROINDUSTRIAL DE CAXIAS DO SUL                      José Ivo Sartori               Prefeito Mun...
Ano Itália   no BrasilSelo comemorativo do ano da Itália no         Brasil 2011/2012
Propaganda deCIA. Marítima de     Viagem
As Companhias Marítimas•         As companhias marítimas faziam propaganda        de seus vapores através de cartazes com ...
As PromessasPrometia-se transporte gratuito, hospedagem, instrumentosde trabalho, sementes, assistência médica, instrução ...
Angelo Tomasi – 1896 – Partida de           Imigrantes – Galeria Nazionale di arte                     Moderna - RomaPorto...
Partida da Itália• Todas as semanas, dizia o cartaz aos colonos que partiam de  suas aldeias no interior da Itália, embarc...
Desembarque de Imigrantes no Porto deSantos – Arquivo Histórico do Espírito Santo          Fotógrafo desconhecido         ...
Os Senhores da TerraO historiador Mario Maestri, em Os Senhores da Serra,mostra que, de 1873 a 1881, 62 mil pequenas propr...
Fotógrafo: Domingos MancusoAv. Julio de Castilhos, Caxias do Sul- 1875 Arquivo HistóricoMunicipal João Spadari Adami      ...
Primeiros Tempos• Ao chegarem, os colonos eram denominados pelos  intendentes de gringos, foram se estabelecendo. Logo  po...
As Cartas
A Cucagna•       Os agentes de imigração faziam uma grande propaganda na Itália afim de aliciar os imigrantes. Anunciavam ...
A Terra da Cucagna             Cartaz do mito da cucanha, terra onde escorre o leite e o mel – propaganda das             ...
Valores: A Fé e a Religiosidade• Dentre os valores eu fundamentaram a colonização está a Fé.  A Igreja Católica foi respon...
Fotoógrafo: Domingos MancusoArquivo Histórico Municipal João Spadari Adami                                                ...
F    Fotógrafo: desconhecido                              O Trabalho da Família                                 na Safra d...
O Trabalho: a Safra da Uva• O trabalho era componente da vida dos imigrantes. Fundamentado na  semana de seis dias - não h...
Fotógrafo desconhecido    A Safra da Uva                           Trabalho:                         A Safra da Uva
Trabalho Manual• O trabalho era manual e permanente. A uva era colhida com as mãos  desde o plantio das mudas das parreira...
Fotógrafo: Aldo ToniazzoA Safra da Vida
A Safra da Vida• A safra é o conjunto dos produtos agrícolas de um ano; a  colheita, aqui associada ao trabalho aos grãos,...
• (cont.) A metáfora da safra da vida leva ao entendimento da  colheita dos resultados naturais, o crescimento das empresa...
Retrato da família de Timóteo Dalmonech - Acervo Arquivo Histórico do EspíritoSantoFamília de Imigrantes
A Língua e o Dialeto• Outro valor que acompanhava os imigrantes quase todos  pobres era a sua língua, mesclada de influênc...
(cont.) Dante escreveu A Divina Comédia na linguagempopular, o que fortaleceu a imagem da fé dos campesinositalianos, além...
A LínguaE o Dialeto                Estátua de              Dante – Galeria               degli Uffizi -                 Fl...
•               (cont.) É sabido que a língua, então, unificava as  famílias e a religiosidade que era passada pelos verso...
•                (cont.) A língua propõe a metáfora da fluidez através dos  versos de Dante, que, escritos na fala popular...
Jornal do começo do século XX                                Os Jornais Históricos impressos da                           ...
A Influência da Comunicação                     na História dos Imigrantes Italianos• Se as cartas foram o primeiro meio d...
JORNAIS HISTÓRICOS DE CAXIAS DO SUL/RSA Encrenca (1914-1915)          A Época (1938-1958)               A Luneta (1933) A ...
A Influência da Comunicação na                        História dos Imigrantes ItalianosCorreios   Telégrafos     1913     ...
Acompanhando a História• Se tinham jornais, agora os imigrantes começavam a lidar  com novos meios de comunicação. Aristid...
Fotógrafo: desconhecido                Profissão: Telefonista    O Telefone - 1913Moinhos Aristides Germani
Foto de museu                           Fotógrafo: desconhecidoA TV no Brasil a partir da década de 50
Chegada da Televisão• A Televisão entra na vida dos brasileiros e dos caxienses em  1960, em preto e branco. Na cidade de ...
TV: O Fusca e o Violão          Festivais de Música de MPB           São Remo e a Bossa Novacolagem  livre
Chegada das cores• A primeira transmissão da TV em cores no Brasil,  realizada no dia 19 de Fevereiro de 1972, com a  pres...
AS CORES   Transmissão da TV a Cores       Festa da Uva 1972
A Vivência das Cores                                na Cidade e na Colônia• As cores renovam a visão das coisas. Pelas cor...
(cont.) Além da evocação das cores em todos os processosautênticos da criação de arte, na pintura, há ainda a evocaçãodas ...
A Safra das                           Novas Tecnologias                            de Comunicaçãocolagem  livre           ...
A Safra das Novas                                 Tecnologias de Comunicação• Das cartas ao suporte das novas tecnologias ...
colagem  livre          Tecnologias Contemporâneas                 Redes Sociais
19 de fevereiro de 1972                                Neste dia alguém gritou: LUZ, CÂMERA, AÇÃO!Nesse instante, um raio ...
...o trabalho, o progresso alcançado, revelando uma safra de valores e virtudes denossos imigrantes. Pela vastidão desse p...
Tema Festa da Uva
Tema Festa da Uva
Tema Festa da Uva
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tema Festa da Uva

5.991 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.991
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.610
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tema Festa da Uva

  1. 1. 29ª FESTA DA UVA23ª FEIRA AGROINDUSTRIAL DE CAXIAS DO SUL José Ivo Sartori Prefeito Municipal de Caxias do Sul Gelson Palavro Presidente da Festa da Uva Secretário: Antonio Roque Feldmann Diretor da Cultura da Comissão Comunitária da Festa da Uva
  2. 2. Ano Itália no BrasilSelo comemorativo do ano da Itália no Brasil 2011/2012
  3. 3. Propaganda deCIA. Marítima de Viagem
  4. 4. As Companhias Marítimas• As companhias marítimas faziam propaganda de seus vapores através de cartazes com dizeres convincentes sobre as terras do Brasil,convidando os campesinos italianos:• Terre brasiliane pergli italiene.• Navi partenenza tutte le setimanne dal Porto Di Genova.• Venite a construire i vostri sogni com la famiglia.• Um paese di oppotunitá. Clima tropicalle vito in aboondanzza.Ricchezze minerali. In Brasile potete havere i vostro castello.Il governo dá terre ed utensili a tutti.
  5. 5. As PromessasPrometia-se transporte gratuito, hospedagem, instrumentosde trabalho, sementes, assistência médica, instrução para ascrianças e crédito para comprar um lote de terras.Subsidiando a viagem dos imigrantes italianos para o Brasil, ogoverno do Império brasileiro trazia os mais pobres, aquelesque dificilmente teriam condições de repatriamento e deestabelecerem-se por conta própria.
  6. 6. Angelo Tomasi – 1896 – Partida de Imigrantes – Galeria Nazionale di arte Moderna - RomaPorto de Gênova
  7. 7. Partida da Itália• Todas as semanas, dizia o cartaz aos colonos que partiam de suas aldeias no interior da Itália, embarcando no Porto de Gênova. E foram grandes levas de imigrantes, num episódico marketing bem sucedido, que tinha de uma lado, a necessidade dos colonos em imigrar e de outro, um apelo de terras dadas pelo governo e ainda a possibilidade de não serem mais arrendatários, mas donos da própria terra.
  8. 8. Desembarque de Imigrantes no Porto deSantos – Arquivo Histórico do Espírito Santo Fotógrafo desconhecido Desembarque no Brasil
  9. 9. Os Senhores da TerraO historiador Mario Maestri, em Os Senhores da Serra,mostra que, de 1873 a 1881, 62 mil pequenas propriedadesforam confiscadas na Itália porque não conseguiram pagarseus impostos. O emigrante na Itália era "mezzadro", ou seja,arrendatário, não tinha nada, era empregado. Já no Brasil,seria pequeno proprietário, não tendo patrões, tornando-sedono do seu pedaço de terra.
  10. 10. Fotógrafo: Domingos MancusoAv. Julio de Castilhos, Caxias do Sul- 1875 Arquivo HistóricoMunicipal João Spadari Adami O início da Colonização Italiana 1875
  11. 11. Primeiros Tempos• Ao chegarem, os colonos eram denominados pelos intendentes de gringos, foram se estabelecendo. Logo podiam escrever aos seus, os que, da família, tinham ficado na Itália. As cartas foram, então, o primeiro meio de comunicação usado pelos colonos após a propaganda de sucesso das Cias. Marítimas. Elas eram escritas à mão, no dialeto de origem, e tratavam de dar notícias sobre os que aqui estavam e sobre a terra em que se estabeleciam, falando da abundância da produção agrícola.
  12. 12. As Cartas
  13. 13. A Cucagna• Os agentes de imigração faziam uma grande propaganda na Itália afim de aliciar os imigrantes. Anunciavam o Brasil como o paese de lacucagna.•A cucagna, que é o sinônimo de abundância de comida, é um mitomedieval europeu sobre as terras do Novo Mundo, a América.•Dizia-se: na terra da cucagna corria o leite e o mel.•Mas, o principal fato de motivação era a propriedade da terra por partedos imigrantes que não se sentiam mais escravos dos senhores feudais,donos das terras italianas.
  14. 14. A Terra da Cucagna Cartaz do mito da cucanha, terra onde escorre o leite e o mel – propaganda das terras no Brasil e no Novo Mundo Cartografia Medieval
  15. 15. Valores: A Fé e a Religiosidade• Dentre os valores eu fundamentaram a colonização está a Fé. A Igreja Católica foi responsável pela unificação da colônia, pelo convívio social que estabeleceu através das missas, rezas, novenas, etc., e das quermesses, uma vez que as famílias se viam aos domingos. A Igreja foi a responsável pelos limites morais ensinados aos colonos, o que resultava em um padrão de comportamento social e familiar.
  16. 16. Fotoógrafo: Domingos MancusoArquivo Histórico Municipal João Spadari Adami Fé e Religiosidade Igreja Matriz de Santa Tereza
  17. 17. F Fotógrafo: desconhecido O Trabalho da Família na Safra da Uva
  18. 18. O Trabalho: a Safra da Uva• O trabalho era componente da vida dos imigrantes. Fundamentado na semana de seis dias - não havendo o sábado inglês - e na agricultura familiar de subsistência, permitiu aos colonos estabelecerem o pequeno comércio, primeiro de trocas e depois na moeda corrente, o que se expandiria pela chegada do trem e com ele o escoamento dos produtos da agricultura, dos grãos e das pipas de vinho, permitindo ainda o surgimento da primeira indústria na cidade.
  19. 19. Fotógrafo desconhecido A Safra da Uva Trabalho: A Safra da Uva
  20. 20. Trabalho Manual• O trabalho era manual e permanente. A uva era colhida com as mãos desde o plantio das mudas das parreiras, das sementes dos grãos, até a colheita da safra, bem como os utensílios de uso cotidiano em casa ou na roça, - da cestaria à construção da casa, todo trabalho era feito pelas mãos dos colonos. O universo do trabalho era ocupação de toda a família: os homens, as mulheres e as crianças participavam integralmente do esquema tradicional do trabalho.
  21. 21. Fotógrafo: Aldo ToniazzoA Safra da Vida
  22. 22. A Safra da Vida• A safra é o conjunto dos produtos agrícolas de um ano; a colheita, aqui associada ao trabalho aos grãos, especialmente aos grãos de uva. A safra de grãos da uva se dá na temporada do verão, envolvendo toda a família, sendo basicamente uma cultura familiar que se estende, mais recentemente, aos safreiros ou safristas que são trabalhadores de temporada, e aos turistas que praticam a colheita no turismo ecológico.
  23. 23. • (cont.) A metáfora da safra da vida leva ao entendimento da colheita dos resultados naturais, o crescimento das empresas, os lucros maiores, o crescimento da cidade de Caxias do Sul e da região, os filhos, os amigos, isto é, os frutos, plantados ao longo da vida que têm o seu momento de celebração na safra durante toda a Festa da Uva.
  24. 24. Retrato da família de Timóteo Dalmonech - Acervo Arquivo Histórico do EspíritoSantoFamília de Imigrantes
  25. 25. A Língua e o Dialeto• Outro valor que acompanhava os imigrantes quase todos pobres era a sua língua, mesclada de influências culturais.• A língua da Divina Comédia era o dialeto da Toscana, região comercialmente avançada, o que permitiu que se sofisticasse em relação às outras 300 regiões da Itália que possuíam diferentes dialetos. A língua oficial da escrita era o latim.
  26. 26. (cont.) Dante escreveu A Divina Comédia na linguagempopular, o que fortaleceu a imagem da fé dos campesinositalianos, além de língua ser difundida e disseminada e que noBrasil foi preservada pelos dialetos como força de unidadedos colonos.Dante Alighieri escreveu seu poema em dialeto macarrônico,isto é, na linguagem popular da época. Isto o aproximou doscampesinos que modificavam seus versos contadosoralmente de vila em vila, de região em região.
  27. 27. A LínguaE o Dialeto Estátua de Dante – Galeria degli Uffizi - Florenza
  28. 28. • (cont.) É sabido que a língua, então, unificava as famílias e a religiosidade que era passada pelos versos de Dante através dos sermões da Igreja. Assim diluídos, os dialetos diferentes assimilaram o poema de Dante e a língua italiana se fortaleceu.• Quando os Imigrantes aportaram no Brasil e viajaram até as colônias, além da religiosidade e do trabalho, as famílias tinham a língua em comum, o dialeto, isto é, falavam a mesma língua, o que ajudou a colônia a ter o mesmo discurso. Para os Imigrantes, a derivação dos versos de Dante foi incorporada pela cultura do dialeto.
  29. 29. • (cont.) A língua propõe a metáfora da fluidez através dos versos de Dante, que, escritos na fala popular da época e disseminados entre os camponeses, ao lado da música de Verdi ajudaram a unificar a Itália e unir os Imigrantes.• Neste sentido, deve-se guardar os valores dos imigrantes e deve-se guardar da relação com o dialeto, herança cultural das mais fortes, e que foi responsável pela unidade da comunidade em sua formação, o que foi acrescido posteriormente pelo trabalho e pela religiosidade da família e da comunidade.
  30. 30. Jornal do começo do século XX Os Jornais Históricos impressos da Cidade de Caxias do Sul
  31. 31. A Influência da Comunicação na História dos Imigrantes Italianos• Se as cartas foram o primeiro meio de comunicação dos imigrantes, a cultura da comunicação é historicamente um meio muito utilizado pelos italianos para fazer seus projetos e realizar seus negócios. O exemplo disso são os mais de 70 jornais que existiram ao longo da história da cidade e da região. Guardados os limites de tempo e de lugar, a comunicação se expandiu para eles, paralelamente às comunicações do mundo.
  32. 32. JORNAIS HISTÓRICOS DE CAXIAS DO SUL/RSA Encrenca (1914-1915) A Época (1938-1958) A Luneta (1933) A Pérola (1918) A Resistência (1922) A Tribuna (1920)A Vanguarda (1922) A Vanguarda (1964) Alvorada (1959)Assessôr (1965-1970) Atlântico Notícias (1998-2003) Aurora Jornal (1965)Boletim Eberle (1956-1965) Brasilino (1963-1964) Caxias (1927-1932)Caxias Jornal (1932-1934) Caxias Magazine (1958-1970) Caxias Notícias (1998-2000)Cidade de Caxias (1911-1912) Cittá de Caxias (1915-1922) Correio Colonial (1924-1925)Correio do Município (1909) Correio dos Bairros (1995-1999) Correio Riograndense (1976-1998)Despertar (1947-1954) Diário do Nordeste (1951-1954) Ecos do Mundo (1962-1964)Evolucionista (1915-1916) Folha de Caxias (1988-1989) Folha de Hoje (1989-1994)Folha do Nordeste (1937) Folha do Sul (2000-2001) Folha Popular (1981-1982)Folha Regional (1982-1983) Gazeta Colonial (1906-1908) Gazeta de Caxias (1997-2009)II Colono Italiano (1898) II Gionarle Dell Agricoltore (1934-1939)Indústria e Commercio (1917) Jornal da Câmara (1985-1990) Jornal da Mocidade (1957)Jornal de Caxias (1973-1989) Jornal do Município (1992-2009) Jornal do Progresso (1970)Jornal dos Bairros (1993-2009) La Libertá (1909-1910) Nosso Mundo (1968)O Assombro (1937-1938) O Brazil (1909-1924) O Caxiense (1897-1898)O Cosmopolita – O 14 de Julho (1902-1908) O Debate Esportivo (1949)O Democrata (1922-1923) O Estímulo (1916-1918) O Estudante (1954-1955)O Jornal (1931-1932) O Momento (1931-1932) O Pellegrino (1987-1997)O Pissilone (1931-1932) O Popular (1927-1930) O Prático (1951)O Regional (1926-1928) Panorama (1958-1962) Parnazo (1913)Pioneiro (1948-2002) Ponto Inicial (2001-2009) Tempo Todo (2002-2009)Uno Fato (1997-2009)Vida Esportiva (1954-1955) Voz do Povo (1945-1953)Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami - Câmara Municipal de Vereadores – Biblioteca Nacional -
  33. 33. A Influência da Comunicação na História dos Imigrantes ItalianosCorreios Telégrafos 1913 1920 – Cidade Escritórios 1950 – Colônia da cidade
  34. 34. Acompanhando a História• Se tinham jornais, agora os imigrantes começavam a lidar com novos meios de comunicação. Aristides Germani compra o primeiro telefone da região em 1913, e os motores de seu moinho começam a operar com a eletricidade no mesmo ano, motivando outros comerciantes e empresários a fazê-lo.• Ao que se seguiriam os outros meios como a máquina de escrever manual, o rádio, mais tarde a televisão e recentemente o celular, o computador, e a linguagem digital.
  35. 35. Fotógrafo: desconhecido Profissão: Telefonista O Telefone - 1913Moinhos Aristides Germani
  36. 36. Foto de museu Fotógrafo: desconhecidoA TV no Brasil a partir da década de 50
  37. 37. Chegada da Televisão• A Televisão entra na vida dos brasileiros e dos caxienses em 1960, em preto e branco. Na cidade de Caxias do sul os aparelhos não eram numerosos, o que agregava, a princípio, os vizinhos. As famílias que se reuniam nos corredores externos das casas para conversar, passaram a se reunir na sala diante da TV. São dessa época os festivais de MPB, no Brasil, e os de São Remo na Itália, seguidos da Bossa Nova e da construção de Brasília.
  38. 38. TV: O Fusca e o Violão Festivais de Música de MPB São Remo e a Bossa Novacolagem livre
  39. 39. Chegada das cores• A primeira transmissão da TV em cores no Brasil, realizada no dia 19 de Fevereiro de 1972, com a presença de vários autores globais, do Ministro das Comunicações Higino Corsetti.
  40. 40. AS CORES Transmissão da TV a Cores Festa da Uva 1972
  41. 41. A Vivência das Cores na Cidade e na Colônia• As cores renovam a visão das coisas. Pelas cores vemos as mudanças de estação, se a água é água, se o vinho é vinho. As cores identificam os objetos e produtos. As cores colorem o mundo, em todos os segmentos, permitindo a distinção dos objetos, tecidos, tintas, etc., e mesmo há quem veja cor em notas musicais tocadas. As cores estão presentes em todos os objetos de produção, permeando todo amplo campo da existência humana e sua relação objetual e emocional.
  42. 42. (cont.) Além da evocação das cores em todos os processosautênticos da criação de arte, na pintura, há ainda a evocaçãodas cores nos produtos industriais e em todo o aparato depublicidade comercial que evidenciamos hoje, por meio dasmídias. As cores vivificam e intensificam as emoções e dãocolorido à vida.
  43. 43. A Safra das Novas Tecnologias de Comunicaçãocolagem livre Os Computadores - Década de 90 A Internet - A informação se Dissemina
  44. 44. A Safra das Novas Tecnologias de Comunicação• Das cartas ao suporte das novas tecnologias como o celular e o computadore seus elementos integrados como o e-mail, o facebook, traduzimos hoje alinguagem virtual do mundo globalizado na qual a estamos inseridos com asredes sociais. Passado, presente e futuro convivem Celebrar o estágio deavanço na vida dos que vivem em Caxias do sul é continuar com o processode comunicação iniciado pelas cartas manuscritas em dialeto pelosimigrantes, pioneiros na forma e no conteúdo da comunicação da região. Amagia fica por conta da Festa da Uva.
  45. 45. colagem livre Tecnologias Contemporâneas Redes Sociais
  46. 46. 19 de fevereiro de 1972 Neste dia alguém gritou: LUZ, CÂMERA, AÇÃO!Nesse instante, um raio luminoso feito um grande arco-íris desceu à Terra e seestendeu feito um tapete pela rua Sinimbu no centro de Caxias. Por sobre eledesfilou o corso alegórico de nossa Festa maior...Nossa história, nosso orgulho, a vida de nossa gente era exibida de uma formadiferente a partir daquele instante. A Festa da Uva foi a primeira transmissão a coresda TV brasileira, antecedendo em cerca de 40 dias o lançamento dessa tecnologia nopaís. A mão rude de nosso colono acenava a força, a conquista de um povo valente eheróico... O delicado sorriso de nossas soberanas traduziam a beleza e a alegriadesse lugar...
  47. 47. ...o trabalho, o progresso alcançado, revelando uma safra de valores e virtudes denossos imigrantes. Pela vastidão desse país continental, olhos inebriados desurpresa contemplavam o surgimento das cores na TV.Pessoas se acotovelavam em frente às poucas lojas que já detinham aparelhoscompatíveis com a nova tecnologia. O sonho trazido no coração de nossosantepassados, qual semente fora plantado no Campo dos Bugres... E floresceu...E dessa semente, veio a videira e dela, a uva.E da uva, a cor primeira que o Brasil conheceu na TV.E isso precisa ser dito em alto e bom som e claro, com todas as cores! Cesar Dambros

×