SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Currículo e interdisciplinaridade:
a construção de conhecimento
de forma integrada
Seminário Inicial
Polo 4 – Treze Tílias
Formadores:
Carla Cristofolini
José Antônio Gonçalves
Lisete Hahn Kaufmann
Coordenadora: Clara Bewian
Agosto de 2015
Haudrey Fernanda Bronner Foltran Cordeiro
Magaly Quintana Pouzo Minatel
Ramolise do Rocio Pieruccini
Valéria Mattos Kasim
Caderno 3 – p 22-33
• a interdisciplinaridade permite a
integração de saberes, rompendo com a
ideia de que o tempo escolar deveria ser
dividido em áreas do conhecimento.
• “é importante que o trabalho pedagó
gico com as crianças de seis anos de
idade, nos anos/séries iniciais do ensi
no fundamental, garanta o estudo arti
culado das Ciências Sociais, das Ciên
cias Naturais, das Noções Lógico-Ma-
temáticas e das Linguagens”
•
(CORSINO, apud CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
• [...] é fundamental também que os diferentes
componentes curriculares sejam contemplados
na rotina escolar, de modo articulado, atenden-
do a princípios didáticos gerais, tais como:
escolha de temáticas relevantes para a vida das
crianças, valorização dos conhecimentos prévios
dos alunos, estímulo à reflexão, promoção de
situações de interação propícias às aprendi-
zagens, favorecimento da sistematização dos
conhecimentos, diversificação de estratégias
didáticas.
(LIMA, TELES e LEAL apud CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
Como é possível trabalhar com
os diferentes componentes
curriculares, das diferentes
áreas do conhecimento, de
forma interdisciplinar, sem
deixar de considerar as
especificidades de cada um
deles?
INTERDISCI-
PLINARIDADE
currículo
disciplina
Direitos de
aprendizagem
Currículo:
• não é lista de conteúdos;
• “construção e seleção de conhecimentos e práticas
produzidas em contextos concretos e em dinâmicas
sociais, políticas e culturais, intelectuais e
pedagógicas”. (LIMA, apud CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
• instrumento de formação humana.
A palavra “currículo”, vem do latim curriculum,
“pista de corrida”, assim podemos dizer que no
curso desta “corrida” que o currículo acabamos
de nos tornar o que somos. (...) Nas discussões
cotidianas, quando pensamos em currículo
pensamos apenas em conhecimento, esque-
cendo-nos de que o conhecimento que consti-
tui o currículo está inextricavelmente, cen-
tralmente, vitalmente, envolvido naquilo que
somos, naquilo que nos tornamos: na nossa
identidade, na nossa subjetividade”.
(SILVA, 2003, p. 15)
Direitos de aprendizagem:
• apontam um caminho a ser percorrido, de forma a
garantir que todas as crianças sejam alfabetizadas,
considerando-se os diferentes conhecimentos e capa
cidades básicas para seu desenvolvimento pleno.
(CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
Relato de experiência
A partir do que foi relatado pela
professora Maria Helena, é possível
perceber que o direcionador do
planejamento não é “Ou isto, ou
aquilo”, como Cecília Meireles reflete
em seu poema, mas, sim, “isto MAIS
aquilo”! É encontrar o fio condutor
para um trabalho reflexivo e
significativo para os estudantes.
Interdisciplinaridade
Análise Sistematização Flexibilidade
 análise cuidadosa
dos conteúdos espe-
cíficos e dos objetivos
a serem atingidos
 possibilidade de
efetivação de uma
prática interdisci-
plinar, pois nem todo
conteúdo poderá ser
explorado dessa
forma
 apresentação e apro
fundamento dos con-
teúdos específicos
das áreas do conheci-
mento
 disciplinaridade
num contexto inter-
disciplinar
 evita a prática de
atividades justapos-
tas
 interação pedagógi-
ca que influencias as
formas de encaminha
mento
 dinamismo  espon-
taneismo
 revisão e aprimora-
mento do planejamen
to
“Ao associarmos temáticas que permeiam
diferentes áreas do conhecimento às práticas
de componentes curriculares (...), fazemos com
que os alunos percebam que os conteúdos não
são aprendidos isoladamente, mas, na verdade,
eles são interdependentes e se complementam
nas relações entre diferentes vivências.”
(CORDEIRO e cols, 2015, p 27)
 Nesse sentido, é preciso considerar a sala de aula
como tempo/espaço de interação. Nela, a relação
dialógica entre professores e alunos produz intera-
ções sociais que levam ambos a refletir constante-
mente sobre o conhecimento. E essa reflexão não se
dá de forma isolada, pensando-se em cada compo-
nente curricular, mas de forma holística, integrada.
 Entretanto, para que não façamos das práticas
interdisciplinares práticas vazias no que concerne
aos aspectos dos conteúdos disciplinares, cabe
observarmos o devido respeito às especificidades
exigidas em cada componente curricular.
(CORDEIRO e cols, 2015, p 27)
“Assim sendo, a composição de um
planejamento criterioso em relação ao
trabalho interdisciplinar com vistas à
coerência e à reciprocidade entre os
diferentes conteúdos exigirá a definição de
objetivos a longo, a médio e a curto prazos,
em um movimento cíclico e flexível, o qual
promova o redimensionamento das práticas
pedagógicas, de forma contínua, formativa
e mediadora, garantindo os diferentes
direitos de aprendizagem das crianças.”
(CORDEIRO e cols, 2015, p 27)
Relato de experiência
“Partindo do pressuposto de que o
trabalho com Língua Portuguesa
tem como objeto de estudo o texto,
mais especificamente o gênero
textual, ela [a professora] utilizou o
gênero bilhete como fio condutor
de seu trabalho, fazendo com que
as crianças compreendessem a
função social desse gênero. (...) Por
meio das atividades, ela integrou
diferentes saberes (...)”
(CORDEIRO e cols, 2015, p 31)
Relatos Interdisciplinaridade
Superação Integração Interação
 apontaram um ca-
minho à superação
de duas tendências
ainda presentes na
organização curricu-
lar: planejamento
focado no conteúdo
científico a ser
ensinado x planeja-
mento subordinado
ao universo sociocul-
tural das crianças
 o currículo é pensa-
do em uma perspec-
tiva de superação da
fragmentação cientí-
fica, organizando o
tempo escolar de for-
ma interdisciplinar e
considerando a crian-
ça como centro do
processo de ensino e
aprendizagem
 entre pares
 entre as crianças e
os objetos do conheci
mento
 mediação
Como é possível trabalhar com
os diferentes componentes
curriculares, das diferentes
áreas do conhecimento, de
forma interdisciplinar, sem
deixar de considerar as
especificidades de cada um
deles?
“Nos anos iniciais, a aprendizagem da leitura e da escrita
não ocorre apenas em Língua Portuguesa. Também se
aprende a ler e escrever no trato didático dos demais
componentes curriculares. Por outro lado, tanto as coisas
da natureza como as contagens e operações estão
integradas à comunicação oral e, consequentemente, ao
desenvolvimento da escrita. Desse modo, não se pode
conceber que o domínio da leitura e da escrita seja pré-
requisito para a aprendizagem de variados conteúdos,
nem se deve acreditar que se aprende a ler e escrever
apenas em “aulas destinadas ao ensino da Língua
Portuguesa”. Pode-se, portanto, estruturar um apren-
dizado em contexto, no qual representações pictóricas,
gráficas e escritas, bem como a localização geográfica e
social são articuladas com foco na produção e
interpretação de informações .”
(MENEZES, apud CORDEIRO e cols, 2015, p 32)
Assim, um planejamento interdisciplinar
sempre precisará contemplar, além dos
conteúdos específicos de cada área, o
desenvolvimento de atividades coletivas,
comunicativas e argumentativas, as quais
favorecerão o desenvolvimento do
conhecimento científico inter-relacionado
ao letramento crítico.
(CORDEIRO e cols, 2015, p 33)
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identi-
dade: uma introdução às teorias do currículo.
Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

8.parecer cne ceb nº 20 2009
8.parecer cne ceb nº 20 20098.parecer cne ceb nº 20 2009
8.parecer cne ceb nº 20 2009Ulisses Vakirtzis
 
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.pptvdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.pptalexon5
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil filicianunes
 
Projeto político pedagógico ppp
Projeto político pedagógico pppProjeto político pedagógico ppp
Projeto político pedagógico pppgisianevieiraanana
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Giselle Coutinho
 
1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iaraClaudia Andrade
 
Rotina da educação infantil
Rotina da educação infantilRotina da educação infantil
Rotina da educação infantilDennyse Azevedo
 
Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)
Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)
Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)fabiana braga
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolarJoao Balbi
 
Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaRosana Leite
 
Mapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVM
Mapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVMMapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVM
Mapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVMInstituto A Vez do Mestre
 
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADEPPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADEQUEDMA SILVA
 
Estagio gestão
Estagio gestãoEstagio gestão
Estagio gestãomagrid
 

Mais procurados (20)

8.parecer cne ceb nº 20 2009
8.parecer cne ceb nº 20 20098.parecer cne ceb nº 20 2009
8.parecer cne ceb nº 20 2009
 
Rotina escolar
Rotina escolarRotina escolar
Rotina escolar
 
Slide pronto
Slide prontoSlide pronto
Slide pronto
 
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.pptvdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
vdocuments.mx_o-curriculo-uma-reflexao-sobre-a-pratica-j-gimeno-sacristan.ppt
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil
 
O curriculo
O curriculoO curriculo
O curriculo
 
Projeto político pedagógico ppp
Projeto político pedagógico pppProjeto político pedagógico ppp
Projeto político pedagógico ppp
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
 
1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara
 
Rotina da educação infantil
Rotina da educação infantilRotina da educação infantil
Rotina da educação infantil
 
Teorias do Currículo
Teorias do CurrículoTeorias do Currículo
Teorias do Currículo
 
Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)
Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)
Ldb : educação infantil ( creches e pre- escolas e ensino fundamental)
 
Maria vitoria estagio
Maria vitoria estagioMaria vitoria estagio
Maria vitoria estagio
 
Planejamento escolar
Planejamento escolarPlanejamento escolar
Planejamento escolar
 
Slide lara relação família escola
Slide lara relação família escolaSlide lara relação família escola
Slide lara relação família escola
 
Mapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVM
Mapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVMMapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVM
Mapa Mental: Psicopedagogia Institucional - IAVM
 
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADEPPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
 
Estagio gestão
Estagio gestãoEstagio gestão
Estagio gestão
 
Plano de gestão escolar 2016
Plano de gestão escolar 2016Plano de gestão escolar 2016
Plano de gestão escolar 2016
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 

Semelhante a Currículo e interdisciplinaridade

Pnaic unidade 6 sintese
Pnaic unidade 6   sintesePnaic unidade 6   sintese
Pnaic unidade 6 sintesetlfleite
 
Pnaic unidade 6 sintese
Pnaic unidade 6   sintesePnaic unidade 6   sintese
Pnaic unidade 6 sintesetlfleite
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasElaine Cruz
 
Sequencia didática e projetos
Sequencia didática e projetosSequencia didática e projetos
Sequencia didática e projetosNaysa Taboada
 
Curriculo inclusivo
Curriculo inclusivo   Curriculo inclusivo
Curriculo inclusivo Isa ...
 
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptxLinaKelly3
 
PNAC - Ano 01 unidade 6
PNAC - Ano 01   unidade 6PNAC - Ano 01   unidade 6
PNAC - Ano 01 unidade 6ElieneDias
 
Cbc anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópia
Cbc   anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópiaCbc   anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópia
Cbc anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópiaMiguel Dias
 
Conhecimento escolar e diversidade cultural
Conhecimento  escolar e diversidade culturalConhecimento  escolar e diversidade cultural
Conhecimento escolar e diversidade culturalCarla Regina
 
Caderno 1 curriculo - Pontes e Lacerda - MT
Caderno 1  curriculo - Pontes e Lacerda - MTCaderno 1  curriculo - Pontes e Lacerda - MT
Caderno 1 curriculo - Pontes e Lacerda - MTweleslima
 
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLACURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLAcefaprodematupa
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação spUlisses Vakirtzis
 
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionaisCp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionaismkbariotto
 
Ava competências profissionais
Ava   competências profissionaisAva   competências profissionais
Ava competências profissionaismkbariotto
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação spUlisses Vakirtzis
 

Semelhante a Currículo e interdisciplinaridade (20)

Pnaic unidade 6 sintese
Pnaic unidade 6   sintesePnaic unidade 6   sintese
Pnaic unidade 6 sintese
 
Pnaic unidade 6 sintese
Pnaic unidade 6   sintesePnaic unidade 6   sintese
Pnaic unidade 6 sintese
 
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências DidáticasUnidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
Unidade 6 - PNAIC - Projetos e Sequências Didáticas
 
Sequencia didática e projetos
Sequencia didática e projetosSequencia didática e projetos
Sequencia didática e projetos
 
Curriculo inclusivo
Curriculo inclusivo   Curriculo inclusivo
Curriculo inclusivo
 
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
14022018-cursoeadcurriculoeinclusao.pptx
 
PNAC - Ano 01 unidade 6
PNAC - Ano 01   unidade 6PNAC - Ano 01   unidade 6
PNAC - Ano 01 unidade 6
 
Cbc anos finais - história
Cbc   anos finais - históriaCbc   anos finais - história
Cbc anos finais - história
 
Cbc anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópia
Cbc   anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópiaCbc   anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópia
Cbc anos finais - his tu00-d3ria - cópia - cópia
 
Conhecimento escolar e diversidade cultural
Conhecimento  escolar e diversidade culturalConhecimento  escolar e diversidade cultural
Conhecimento escolar e diversidade cultural
 
1º encontro
1º encontro1º encontro
1º encontro
 
Caderno 1 curriculo - Pontes e Lacerda - MT
Caderno 1  curriculo - Pontes e Lacerda - MTCaderno 1  curriculo - Pontes e Lacerda - MT
Caderno 1 curriculo - Pontes e Lacerda - MT
 
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLACURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionaisCp ativ colaborativa_template competencias profissionais
Cp ativ colaborativa_template competencias profissionais
 
Ava competências profissionais
Ava   competências profissionaisAva   competências profissionais
Ava competências profissionais
 
EDUCAÇÃO ARTIGO
EDUCAÇÃO  ARTIGOEDUCAÇÃO  ARTIGO
EDUCAÇÃO ARTIGO
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Reflexão final
Reflexão finalReflexão final
Reflexão final
 
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
 

Mais de Tatiana Carla Scalabrin

Mais de Tatiana Carla Scalabrin (6)

PALESTRA PNAIC 2015
PALESTRA PNAIC 2015PALESTRA PNAIC 2015
PALESTRA PNAIC 2015
 
Sequencia Didática - Formigas
Sequencia Didática - FormigasSequencia Didática - Formigas
Sequencia Didática - Formigas
 
A Interdisciplinariedade em Projetos e Sequências Didáticas
A Interdisciplinariedade em Projetos e Sequências DidáticasA Interdisciplinariedade em Projetos e Sequências Didáticas
A Interdisciplinariedade em Projetos e Sequências Didáticas
 
Estratégias para leitura do texto
Estratégias para leitura do textoEstratégias para leitura do texto
Estratégias para leitura do texto
 
Turma da Mônica - Educação começa em Casa
Turma da Mônica  - Educação começa em CasaTurma da Mônica  - Educação começa em Casa
Turma da Mônica - Educação começa em Casa
 
FUNDEB
FUNDEBFUNDEB
FUNDEB
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 

Último (20)

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 

Currículo e interdisciplinaridade

  • 1. Currículo e interdisciplinaridade: a construção de conhecimento de forma integrada Seminário Inicial Polo 4 – Treze Tílias Formadores: Carla Cristofolini José Antônio Gonçalves Lisete Hahn Kaufmann Coordenadora: Clara Bewian Agosto de 2015 Haudrey Fernanda Bronner Foltran Cordeiro Magaly Quintana Pouzo Minatel Ramolise do Rocio Pieruccini Valéria Mattos Kasim Caderno 3 – p 22-33
  • 2. • a interdisciplinaridade permite a integração de saberes, rompendo com a ideia de que o tempo escolar deveria ser dividido em áreas do conhecimento. • “é importante que o trabalho pedagó gico com as crianças de seis anos de idade, nos anos/séries iniciais do ensi no fundamental, garanta o estudo arti culado das Ciências Sociais, das Ciên cias Naturais, das Noções Lógico-Ma- temáticas e das Linguagens” • (CORSINO, apud CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
  • 3. • [...] é fundamental também que os diferentes componentes curriculares sejam contemplados na rotina escolar, de modo articulado, atenden- do a princípios didáticos gerais, tais como: escolha de temáticas relevantes para a vida das crianças, valorização dos conhecimentos prévios dos alunos, estímulo à reflexão, promoção de situações de interação propícias às aprendi- zagens, favorecimento da sistematização dos conhecimentos, diversificação de estratégias didáticas. (LIMA, TELES e LEAL apud CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
  • 4. Como é possível trabalhar com os diferentes componentes curriculares, das diferentes áreas do conhecimento, de forma interdisciplinar, sem deixar de considerar as especificidades de cada um deles?
  • 6. Currículo: • não é lista de conteúdos; • “construção e seleção de conhecimentos e práticas produzidas em contextos concretos e em dinâmicas sociais, políticas e culturais, intelectuais e pedagógicas”. (LIMA, apud CORDEIRO e cols, 2015, p 22) • instrumento de formação humana.
  • 7. A palavra “currículo”, vem do latim curriculum, “pista de corrida”, assim podemos dizer que no curso desta “corrida” que o currículo acabamos de nos tornar o que somos. (...) Nas discussões cotidianas, quando pensamos em currículo pensamos apenas em conhecimento, esque- cendo-nos de que o conhecimento que consti- tui o currículo está inextricavelmente, cen- tralmente, vitalmente, envolvido naquilo que somos, naquilo que nos tornamos: na nossa identidade, na nossa subjetividade”. (SILVA, 2003, p. 15)
  • 8. Direitos de aprendizagem: • apontam um caminho a ser percorrido, de forma a garantir que todas as crianças sejam alfabetizadas, considerando-se os diferentes conhecimentos e capa cidades básicas para seu desenvolvimento pleno. (CORDEIRO e cols, 2015, p 22)
  • 9. Relato de experiência A partir do que foi relatado pela professora Maria Helena, é possível perceber que o direcionador do planejamento não é “Ou isto, ou aquilo”, como Cecília Meireles reflete em seu poema, mas, sim, “isto MAIS aquilo”! É encontrar o fio condutor para um trabalho reflexivo e significativo para os estudantes.
  • 10. Interdisciplinaridade Análise Sistematização Flexibilidade  análise cuidadosa dos conteúdos espe- cíficos e dos objetivos a serem atingidos  possibilidade de efetivação de uma prática interdisci- plinar, pois nem todo conteúdo poderá ser explorado dessa forma  apresentação e apro fundamento dos con- teúdos específicos das áreas do conheci- mento  disciplinaridade num contexto inter- disciplinar  evita a prática de atividades justapos- tas  interação pedagógi- ca que influencias as formas de encaminha mento  dinamismo  espon- taneismo  revisão e aprimora- mento do planejamen to
  • 11. “Ao associarmos temáticas que permeiam diferentes áreas do conhecimento às práticas de componentes curriculares (...), fazemos com que os alunos percebam que os conteúdos não são aprendidos isoladamente, mas, na verdade, eles são interdependentes e se complementam nas relações entre diferentes vivências.” (CORDEIRO e cols, 2015, p 27)
  • 12.  Nesse sentido, é preciso considerar a sala de aula como tempo/espaço de interação. Nela, a relação dialógica entre professores e alunos produz intera- ções sociais que levam ambos a refletir constante- mente sobre o conhecimento. E essa reflexão não se dá de forma isolada, pensando-se em cada compo- nente curricular, mas de forma holística, integrada.  Entretanto, para que não façamos das práticas interdisciplinares práticas vazias no que concerne aos aspectos dos conteúdos disciplinares, cabe observarmos o devido respeito às especificidades exigidas em cada componente curricular. (CORDEIRO e cols, 2015, p 27)
  • 13. “Assim sendo, a composição de um planejamento criterioso em relação ao trabalho interdisciplinar com vistas à coerência e à reciprocidade entre os diferentes conteúdos exigirá a definição de objetivos a longo, a médio e a curto prazos, em um movimento cíclico e flexível, o qual promova o redimensionamento das práticas pedagógicas, de forma contínua, formativa e mediadora, garantindo os diferentes direitos de aprendizagem das crianças.” (CORDEIRO e cols, 2015, p 27)
  • 14. Relato de experiência “Partindo do pressuposto de que o trabalho com Língua Portuguesa tem como objeto de estudo o texto, mais especificamente o gênero textual, ela [a professora] utilizou o gênero bilhete como fio condutor de seu trabalho, fazendo com que as crianças compreendessem a função social desse gênero. (...) Por meio das atividades, ela integrou diferentes saberes (...)” (CORDEIRO e cols, 2015, p 31)
  • 15. Relatos Interdisciplinaridade Superação Integração Interação  apontaram um ca- minho à superação de duas tendências ainda presentes na organização curricu- lar: planejamento focado no conteúdo científico a ser ensinado x planeja- mento subordinado ao universo sociocul- tural das crianças  o currículo é pensa- do em uma perspec- tiva de superação da fragmentação cientí- fica, organizando o tempo escolar de for- ma interdisciplinar e considerando a crian- ça como centro do processo de ensino e aprendizagem  entre pares  entre as crianças e os objetos do conheci mento  mediação
  • 16.
  • 17. Como é possível trabalhar com os diferentes componentes curriculares, das diferentes áreas do conhecimento, de forma interdisciplinar, sem deixar de considerar as especificidades de cada um deles?
  • 18. “Nos anos iniciais, a aprendizagem da leitura e da escrita não ocorre apenas em Língua Portuguesa. Também se aprende a ler e escrever no trato didático dos demais componentes curriculares. Por outro lado, tanto as coisas da natureza como as contagens e operações estão integradas à comunicação oral e, consequentemente, ao desenvolvimento da escrita. Desse modo, não se pode conceber que o domínio da leitura e da escrita seja pré- requisito para a aprendizagem de variados conteúdos, nem se deve acreditar que se aprende a ler e escrever apenas em “aulas destinadas ao ensino da Língua Portuguesa”. Pode-se, portanto, estruturar um apren- dizado em contexto, no qual representações pictóricas, gráficas e escritas, bem como a localização geográfica e social são articuladas com foco na produção e interpretação de informações .” (MENEZES, apud CORDEIRO e cols, 2015, p 32)
  • 19. Assim, um planejamento interdisciplinar sempre precisará contemplar, além dos conteúdos específicos de cada área, o desenvolvimento de atividades coletivas, comunicativas e argumentativas, as quais favorecerão o desenvolvimento do conhecimento científico inter-relacionado ao letramento crítico. (CORDEIRO e cols, 2015, p 33)
  • 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identi- dade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.