SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
Interação pais-filhos pelas lentes de uma psicóloga!
Muitas vezes, as pessoas perguntam se o fato de eu ser psicóloga e de estudar
o comportamento humano faz com que eu analise, o tempo todo, as interações que
ocorrem à minha volta, independentemente de estar no consultório ou não. Eu digo
que isso é humanamente impossível! rs Mas devo concordar que, em função da minha
formação, sou mais observadora e sensível a perceber aspectos do comportamento
humano que outras pessoas levariam mais tempo para notar e analisar (ou nem o
fariam). Isso traz muitos benefícios às interações que estabeleço, porém também
agrega certo sofrimento quando me deparo com determinadas situações. Vou te dar
um exemplo para você ver que “nem tudo são flores”! rs Ao passear por aí, ouço frases
do tipo: “Fica quieto, menino. Você não sabe de nada!”; “Mas você é burro mesmo,
hein?!”; “Vem logo senão eu vou deixar você aí!”; “Se você não se comportar, vou dar
um tapa na sua boca” e etc. Como você reagiria a esse tipo de interação? Para mim,
“dói na alma”. Sabe por quê? Porque eu sei os efeitos emocionais que essas práticas
educativas negativas podem ter.
A interação entre pais e filhos, felizmente, é um tema amplamente investigado
na Psicologia. Embora não exista um manual para criar filhos nem para aprender
a ser pai e mãe, já se sabe muita coisa sobre o que pode favorecer para que esse
relacionamento seja harmonioso e efetivo, bem como quais práticas podem estar
relacionadas ao desenvolvimento de condutas antissociais. O conjunto de práticas
educativas parentais ou atitudes parentais (dos pais) utilizadas com o objetivo de
educar, socializar e controlar o comportamento dos seus filhos é denominado, pelos
estudiosos da área, como Estilo Parental.
Os quatro estilos parentais principais são: autoritativo, autoritário, indulgente e
negligente. Pais autoritativos estabelecem regras para o comportamento de seus
filhos a partir de uma comunicação aberta e clara, baseada no respeito mútuo. Eles
monitoram a conduta, corrigem atitudes negativas e gratificam atitudes positivas.
Apresentam altas expectativas em relação ao comportamento dos filhos em termos de
responsabilidade e maturidade; no entanto, também são afetuosos, consideravelmente
flexíveis, responsivos às necessidades dos filhos e incentivadores do desenvolvimento
de diversas habilidades. Pais autoritários impõem muitos limites e esperam obediência
estrita da criança sem lhe dar explicações, impedindo, muitas vezes, que a criança
entenda os fatores que levaram à determinada ação por parte dos pais. Em nome
do respeito e da obediência, eles fazem uso frequente de punição como forma de
controle comportamental. O diálogo, a autonomia e as opiniões da criança não são
valorizados. Pais indulgentes são extremamente tolerantes e permissivos, liberando
a criança para controlar o seu próprio comportamento quando ela ainda precisa da
monitoria e pais negligentes não se envolvem na tarefa de educar os filhos, não são
afetivos nem exigentes; preocupam-se apenas com a sua própria vida.
Quando ouço frases como as que mencionei no início desse texto, fico pensando:
Que tipo de história esse pai ou essa mãe está construindo com o próprio filho? O que
essa criança está aprendendo? Afinal, os comportamentos dos pais são observados
e “copiados” pelas crianças. Que mundo teremos amanhã ao considerar a maneira
como os pais interagiram e têm interagido com os seus filhos? Enfim, uma psicóloga,
uma saída despretensiosa, uma interação e uma volta ao mundo em pensamentos!
Referência
Gomide, P. I. C. (Coord.). (2011). Inventário de Estilos Parentais – IEP: modelo teórico,
manual de aplicação, apuração e interpretação. Petrópolis: Vozes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.dilsoncatarino
 
Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...
Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...
Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...Robson Santana
 
Atitudes valores e comportamentos02
Atitudes valores e comportamentos02Atitudes valores e comportamentos02
Atitudes valores e comportamentos02Luis Veiga
 
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...Claudinéia Barbosa
 
A criança em desenvolvimento 2013
A criança em desenvolvimento 2013A criança em desenvolvimento 2013
A criança em desenvolvimento 2013Ana Lúcia Pereira
 
Educação dos filhos limites
Educação dos filhos   limitesEducação dos filhos   limites
Educação dos filhos limitesELANIA NUNES
 
Psicologia do desenvolvimento: infância
Psicologia do desenvolvimento: infânciaPsicologia do desenvolvimento: infância
Psicologia do desenvolvimento: infânciaSinara Duarte
 
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSDESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSAngella Barros
 
Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Ana Costa
 
Crinaças 2 aos 6anos
Crinaças 2 aos 6anosCrinaças 2 aos 6anos
Crinaças 2 aos 6anostaniiafaria
 
Desenvolvimento Psicossocial: Terceira Infâncai
Desenvolvimento Psicossocial: Terceira InfâncaiDesenvolvimento Psicossocial: Terceira Infâncai
Desenvolvimento Psicossocial: Terceira InfâncaiAriane Macedo
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarClaudia Dutra
 
Psicologia e a chave para uma boa criacao dos filhos
Psicologia e a chave para uma boa criacao dos filhosPsicologia e a chave para uma boa criacao dos filhos
Psicologia e a chave para uma boa criacao dos filhosColégio Elisa Andreoli
 

Mais procurados (19)

A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
A Arte De Educar Com Limites, Sem Medo De Errar.
 
Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...
Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...
Estilos de paternidade: pais permissivos, negligentes, autoritários e com aut...
 
Atitudes valores e comportamentos02
Atitudes valores e comportamentos02Atitudes valores e comportamentos02
Atitudes valores e comportamentos02
 
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
Relacionamento Família-Escola - Claudinéia da Silva Barbosa - Psicologia Esco...
 
Palestra faixas etarias
Palestra faixas etariasPalestra faixas etarias
Palestra faixas etarias
 
0 pais relações
0 pais relações0 pais relações
0 pais relações
 
Escola e família
Escola e famíliaEscola e família
Escola e família
 
10 dicas para melhorar o desempenho escolar do seu filho
10 dicas para melhorar o desempenho escolar do seu filho10 dicas para melhorar o desempenho escolar do seu filho
10 dicas para melhorar o desempenho escolar do seu filho
 
0 pais relações
0 pais relações0 pais relações
0 pais relações
 
A criança em desenvolvimento 2013
A criança em desenvolvimento 2013A criança em desenvolvimento 2013
A criança em desenvolvimento 2013
 
Autoritarismo infantil
Autoritarismo infantilAutoritarismo infantil
Autoritarismo infantil
 
Educação dos filhos limites
Educação dos filhos   limitesEducação dos filhos   limites
Educação dos filhos limites
 
Psicologia do desenvolvimento: infância
Psicologia do desenvolvimento: infânciaPsicologia do desenvolvimento: infância
Psicologia do desenvolvimento: infância
 
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOSDESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO: PRIMEIROS DOIS ANOS
 
Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância Desenvolvimento psicossocial na infância
Desenvolvimento psicossocial na infância
 
Crinaças 2 aos 6anos
Crinaças 2 aos 6anosCrinaças 2 aos 6anos
Crinaças 2 aos 6anos
 
Desenvolvimento Psicossocial: Terceira Infâncai
Desenvolvimento Psicossocial: Terceira InfâncaiDesenvolvimento Psicossocial: Terceira Infâncai
Desenvolvimento Psicossocial: Terceira Infâncai
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
 
Psicologia e a chave para uma boa criacao dos filhos
Psicologia e a chave para uma boa criacao dos filhosPsicologia e a chave para uma boa criacao dos filhos
Psicologia e a chave para uma boa criacao dos filhos
 

Semelhante a Interação pais-filhos pelas lentes de uma psicóloga!

55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)Welida Alves da Cruz
 
Disciplina positiva
Disciplina positivaDisciplina positiva
Disciplina positivaTamara Pina
 
Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx
Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptxFormacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx
Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptxCarlaCampelo3
 
Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014cristinatb
 
Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014cristinatb
 
RelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E FilhosRelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E Filhosraquel
 
Brigas no bercario.pdf tcc
Brigas no bercario.pdf tccBrigas no bercario.pdf tcc
Brigas no bercario.pdf tccMichelle Lima
 
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?pr_afsalbergaria
 
12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx
12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx
12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptxIsaahLima3
 

Semelhante a Interação pais-filhos pelas lentes de uma psicóloga! (20)

55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
55662708 processo-de-socializacao-da-crianca-manual (1)
 
Disciplina positiva
Disciplina positivaDisciplina positiva
Disciplina positiva
 
Ong pro mundo
Ong pro mundoOng pro mundo
Ong pro mundo
 
slides pais e filhos.ppt
slides pais e filhos.pptslides pais e filhos.ppt
slides pais e filhos.ppt
 
Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx
Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptxFormacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx
Formacao-Parentalidade-Positiva-Diapositivos.pptx
 
Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014
 
Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014Moralidade infantil 2014
Moralidade infantil 2014
 
Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
 
Educando filhos
Educando filhosEducando filhos
Educando filhos
 
Relacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E FilhosRelacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E Filhos
 
Nb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machadoNb m07t11 adriana_m_machado
Nb m07t11 adriana_m_machado
 
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva InfantilTerapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
 
Amar e educar
Amar e educarAmar e educar
Amar e educar
 
Compreendendo o Aventureiro.pptx
Compreendendo o Aventureiro.pptxCompreendendo o Aventureiro.pptx
Compreendendo o Aventureiro.pptx
 
RelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E FilhosRelaçãO Entre Pais E Filhos
RelaçãO Entre Pais E Filhos
 
Brigas no bercario.pdf tcc
Brigas no bercario.pdf tccBrigas no bercario.pdf tcc
Brigas no bercario.pdf tcc
 
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
O comportamento do seu filho na escola é semelhante ao que tem em casa?
 
12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx
12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx
12. ESTILOS EDUCATIVOS PARENTAIS.pptx
 
28022012094929 242
28022012094929 24228022012094929 242
28022012094929 242
 
0 pais relações
0 pais relações0 pais relações
0 pais relações
 

Mais de Taís Calheiros

Comportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indícios
Comportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indíciosComportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indícios
Comportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indíciosTaís Calheiros
 
Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?
Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?
Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?Taís Calheiros
 
Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?
Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?
Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?Taís Calheiros
 
Comportamento emocional ciumento
Comportamento emocional ciumentoComportamento emocional ciumento
Comportamento emocional ciumentoTaís Calheiros
 
Felicidade: uma armadilha psicológica?
Felicidade: uma armadilha psicológica?Felicidade: uma armadilha psicológica?
Felicidade: uma armadilha psicológica?Taís Calheiros
 
Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...
Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...
Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...Taís Calheiros
 
O problema de nunca ser ou ter o bastante
O problema de nunca ser ou ter o bastanteO problema de nunca ser ou ter o bastante
O problema de nunca ser ou ter o bastanteTaís Calheiros
 
A clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamentalA clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamentalTaís Calheiros
 

Mais de Taís Calheiros (9)

Aceitação emocional
Aceitação emocionalAceitação emocional
Aceitação emocional
 
Comportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indícios
Comportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indíciosComportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indícios
Comportamento suicida: o que é, possíveis "causas" e indícios
 
Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?
Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?
Seguimento de regras: como e por qual batalha lutar?
 
Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?
Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?
Envelhecer: "adoecer" ou "amadurecer"?
 
Comportamento emocional ciumento
Comportamento emocional ciumentoComportamento emocional ciumento
Comportamento emocional ciumento
 
Felicidade: uma armadilha psicológica?
Felicidade: uma armadilha psicológica?Felicidade: uma armadilha psicológica?
Felicidade: uma armadilha psicológica?
 
Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...
Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...
Empatia: "calçando os sapatos de alguém"...
 
O problema de nunca ser ou ter o bastante
O problema de nunca ser ou ter o bastanteO problema de nunca ser ou ter o bastante
O problema de nunca ser ou ter o bastante
 
A clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamentalA clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamental
 

Último

PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfGiza Carla Nitz
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfmarrudo64
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoDjalmadeAndrade2
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfRodrigoSimonato2
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdfGiza Carla Nitz
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfGiza Carla Nitz
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....TharykBatatinha
 

Último (17)

PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalho
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
 

Interação pais-filhos pelas lentes de uma psicóloga!

  • 1. Interação pais-filhos pelas lentes de uma psicóloga! Muitas vezes, as pessoas perguntam se o fato de eu ser psicóloga e de estudar o comportamento humano faz com que eu analise, o tempo todo, as interações que ocorrem à minha volta, independentemente de estar no consultório ou não. Eu digo que isso é humanamente impossível! rs Mas devo concordar que, em função da minha formação, sou mais observadora e sensível a perceber aspectos do comportamento humano que outras pessoas levariam mais tempo para notar e analisar (ou nem o fariam). Isso traz muitos benefícios às interações que estabeleço, porém também agrega certo sofrimento quando me deparo com determinadas situações. Vou te dar um exemplo para você ver que “nem tudo são flores”! rs Ao passear por aí, ouço frases do tipo: “Fica quieto, menino. Você não sabe de nada!”; “Mas você é burro mesmo, hein?!”; “Vem logo senão eu vou deixar você aí!”; “Se você não se comportar, vou dar um tapa na sua boca” e etc. Como você reagiria a esse tipo de interação? Para mim, “dói na alma”. Sabe por quê? Porque eu sei os efeitos emocionais que essas práticas educativas negativas podem ter. A interação entre pais e filhos, felizmente, é um tema amplamente investigado na Psicologia. Embora não exista um manual para criar filhos nem para aprender a ser pai e mãe, já se sabe muita coisa sobre o que pode favorecer para que esse relacionamento seja harmonioso e efetivo, bem como quais práticas podem estar relacionadas ao desenvolvimento de condutas antissociais. O conjunto de práticas educativas parentais ou atitudes parentais (dos pais) utilizadas com o objetivo de educar, socializar e controlar o comportamento dos seus filhos é denominado, pelos estudiosos da área, como Estilo Parental. Os quatro estilos parentais principais são: autoritativo, autoritário, indulgente e negligente. Pais autoritativos estabelecem regras para o comportamento de seus filhos a partir de uma comunicação aberta e clara, baseada no respeito mútuo. Eles monitoram a conduta, corrigem atitudes negativas e gratificam atitudes positivas. Apresentam altas expectativas em relação ao comportamento dos filhos em termos de responsabilidade e maturidade; no entanto, também são afetuosos, consideravelmente flexíveis, responsivos às necessidades dos filhos e incentivadores do desenvolvimento de diversas habilidades. Pais autoritários impõem muitos limites e esperam obediência estrita da criança sem lhe dar explicações, impedindo, muitas vezes, que a criança entenda os fatores que levaram à determinada ação por parte dos pais. Em nome do respeito e da obediência, eles fazem uso frequente de punição como forma de controle comportamental. O diálogo, a autonomia e as opiniões da criança não são valorizados. Pais indulgentes são extremamente tolerantes e permissivos, liberando a criança para controlar o seu próprio comportamento quando ela ainda precisa da monitoria e pais negligentes não se envolvem na tarefa de educar os filhos, não são afetivos nem exigentes; preocupam-se apenas com a sua própria vida. Quando ouço frases como as que mencionei no início desse texto, fico pensando: Que tipo de história esse pai ou essa mãe está construindo com o próprio filho? O que essa criança está aprendendo? Afinal, os comportamentos dos pais são observados e “copiados” pelas crianças. Que mundo teremos amanhã ao considerar a maneira como os pais interagiram e têm interagido com os seus filhos? Enfim, uma psicóloga, uma saída despretensiosa, uma interação e uma volta ao mundo em pensamentos! Referência Gomide, P. I. C. (Coord.). (2011). Inventário de Estilos Parentais – IEP: modelo teórico, manual de aplicação, apuração e interpretação. Petrópolis: Vozes.