Caso clinico-tb-e-aids-1

1.458 visualizações

Publicada em

Caso Clínico de TB associada à AIDS

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.458
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caso clinico-tb-e-aids-1

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
  2. 2. TUBERCULOSE – HIV/AIDS • Adriana Oliveira • Edelblan Conrado da Silva Rocha • Ermelinda S. Chaves Lima • Jadson Vitor Lima da Silva • Natália dos Santos Lima • Thaisa Negreiros de Melo • Thamyres Conrado 2
  3. 3. TUBERCULOSE – HIV/AIDS  FISIOPATOLOGIA DA TUBERCULOSE Jadson 3
  4. 4. TUBERCULOSE – HIV/AIDS ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • É frequente a descoberta da soropositividade para HIV durante o diagnostico de tuberculose • A TB é a maior causa de morte entre pessoas que vivem com HIV, sendo a taxa de óbito na coinfecção de 20%. (BRASIL, 2013) Thaisa 4
  5. 5. TUBERCULOSE – HIV/AIDS  ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • Em pacientes HIV positivos a apresentação clínica da tuberculose é influenciada pelo grau de imunossupressão; • Devido a maior frequência de formas extrapulmonares e disseminadas em pessoas infectadas pelo HIV. (BRASIL, 2013) Thaisa 5
  6. 6. TUBERCULOSE – HIV/AIDS  ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • Nas formas pulmonares em pacientes com LTCD4+ > 350 cel/mm³ a apresentação clínica é semelhante a pacientes não infectados; • HIV/TB perda de peso e febre e menos tosse e hemoptise quando comparados com pacientes não infectados pelo HIV. Thaisa 6
  7. 7. TUBERCULOSE – HIV/AIDS ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • É sempre necessário realizar o diagnostico diferencial com outras doenças oportunistas; • Tais como linfomas, micobacterioses atípicas e micoses (como histoplasmose e criptococose); Thaisa 7
  8. 8. TUBERCULOSE – HIV/AIDS • ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • O tratamento da tuberculose em pessoas infectadas pelo HIV segue as mesmas recomendações para os não infectados; • A decisão sobre o início do TARV deve ser realizada em unidades de referência para HIV; Thaisa 8
  9. 9. TUBERCULOSE – HIV/AIDS ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • Ou sob supervisão de um profissional com experiência no manejo clínico do paciente HIV/aids. • Preconiza-se a realização da contagem de linfócitos T CD4+ antes do inicio de TARV; Thaisa 9
  10. 10. TUBERCULOSE – HIV/AIDS ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • Se possível em torno do 15º dia do tratamento da tuberculose; • Na tuberculose ativa, é indicado o inicio do TARV independentemente do resultado da contagem de linfócitos T CD4+; Thaisa 10
  11. 11. TUBERCULOSE – HIV/AIDS ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • O início concomitante dos dois esquemas terapêuticos aumenta o risco de intolerância medicamentosa; • De forma geral recomenda-se iniciar TARV em torno de 30 dias após o início do tratamento para tuberculose; Thaisa 11
  12. 12. TUBERCULOSE – HIV/AIDS ASSOCIAÇÃO TB – HIV/AIDS • O início mais tardio está associado a maior letalidade por TB ou HIV; • Síndrome inflamatória da reconstituição imune – SRI ou reação paradoxal. Thaisa 12
  13. 13. TUBERCULOSE – HIV/AIDS Thaisa 13 Fonte:
  14. 14. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Identificação: • M.A.O.A.M, 40 anos, feminino, doméstica, divorciada, analfabeta, 3 filhos, procedente e residente no município de Imperatriz-MA. Natália 14
  15. 15. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • História da Doença: • 03/03/2009, paciente deu entrada no Hospital Alvorada, pesando 28 kg, apresentando os seguintes sinais e sintomas: garganta ferida, disfagia, alopécia, prurido generalizado, febre noturna (+/- 30 dias), tosse produtiva, sudorese diurna (odor desagradável), falta de apetite, vômito. Natália 15
  16. 16. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Conduta Adotada: • IH, realização dos exames Prova Tuberculínica (PPD), RX Tórax, TC, CD4 e CV. Natália 16
  17. 17. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Resultados dos Exames: • RX Tórax (12/03/2009) - Hipotransparência pulmonar na base D, - Granuloma denso no LSD, - Seios costofrênicos permeáveis, - Mediastino sem alterações, - Imagem cardíaca dentro dos limites normais Natália 17
  18. 18. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Tomografia Computadorizada – TC (23/03/09) - Nódulo pulmonar calcificado no segmento apical LSD (8cm), - Estrias fibroatelectásicas basais à esquerda com leve espessamento pleural adjacente, - Cálculo na vesícula biliar. Natália 18
  19. 19. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Carga Viral (__/___/___)? • LTCD4 (__/___/___)? Natália 19
  20. 20. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Diagnóstico Médico: • Tuberculose Pulmonar; • Soropositividade para o HIV. Conrado 20
  21. 21. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Tratamento Médico: • TB • HIV/AIDS Conrado 21
  22. 22. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • História da Doença Atual: • 25/08/14: Paciente comparece à consulta de enfermagem para pegar a TARV, (?) indagada sobre as doenças anteriores, relata ocorrência de TB, ser asmática, em uso regular de medicação, crise asmática na semana anterior. Conrado 22
  23. 23. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • História da Doença Atual: - Realizada ausculta pulmonar com os seguintes achados: ruídos adventícios, sibilosos na base pulmonar no momento da inspiração, ruídos adventícios (roncos) ao final da expiração. Orientada quanto a importância da realização do PCCU e mamografia, uso do preservativo, dos antirretrovirais, hábitos de vida saudáveis. Conrado 23
  24. 24. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Diagnósticos de Enfermagem: - Troca gasosa prejudicada relacionada a doença respiratória (Asma), evidenciada por relato da paciente; Thamyres 24
  25. 25. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Diagnósticos de Enfermagem: - Padrões de sexualidade ineficazes, relacionado a recusa da atividade sexual, evidenciado por relatos de mudanças nos comportamentos sexuais; - Disposição para o controle aumentado do regime terapêutico, relacionado a redução dos fatores de risco, evidenciado por melhora no quadro clínico. Thamyres 25
  26. 26. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Intervenções de Enfermagem: - Não exposição aos locais com poeira, - Evitar atividades de esforço exagerado - Orientações quanto a importância dos relacionamentos interpessoais para a qualidade de vida, Adriana 26
  27. 27. TUBERCULOSE – HIV/AIDS DESCRIÇÃO DO CASO CLÍNICO • Resultados Esperados: - Respiração eficaz, - Melhora nas relações interpessoais, - Manutenção do regime terapêutico. Adriana 27
  28. 28. TUBERCULOSE – HIV/AIDS CONSIDERAÇÕES FINAIS - A TB é uma das doenças oportunistas mais prevalentes em pessoas portadoras do vírus HIV; - No Brasil, em 2011, foram notificados 71 mil novos casos de TB, (37,1/100 mil habitantes). Desses, aproximadamente 60% receberam resultado do teste anti HIV; (BRASIL 2012 a; IBGE, 2012) Ermelinda 28
  29. 29. TUBERCULOSE – HIV/AIDS  CONSIDERAÇÕES FINAIS - Segundo o Relatório Global de Controle da TB desenvolvido pela OMS, em 2011 as PVHA estão 21 a 34 vezes mais propensas a desenvolver TB ativa quando comparadas à população geral; - Compreendemos que os casos de TB devem ser investigados e tratados corretamente; - Os contatos devem ser investigados e administrado a vacina BCG; (BRASIL 2012 a; IBGE, 2012) Ermelinda 29
  30. 30. TUBERCULOSE – HIV/AIDS  CONSIDERAÇÕES FINAIS - Orientações aos portadores de TB quanto a forma de transmissão e a importância da adesão ao tratamento; - É extremante importância hábitos de vida saudáveis para portadores de TB/HIV/AIDS, para assegurar uma melhor qualidade de vida - Estes aprendizados ficarão profundamente marcados em nossas vidas acadêmicas, assim como, constituirão parte importante da formação do nosso perfil profissional. Ermelinda 30
  31. 31. TUBERCULOSE – HIV/AIDS REFERÊNCIAS
  32. 32. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

×