SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Yan Igor de Oliveira
Prof.: Everton Alves
 As abelhas tiveram sua origem a aproximadamente
 100 milhões de anos, sendo essas frutos da
 evolução de seus parentes próximos, as vespas.

 Classificação Zoológica: Classe - Insecta; Ordem -
 Hymenóptera; Subordem - Apócrita; Tribo –
 Apini; Superfamília – Apoidea; Família -
 Apínidae; Subfamília - Apinae; Gênero - Apis;
 Espécie - Apis mellifera
Parte I - Cabeça
Morfologia
          Externamente
    Antenas;
    Olhos compostos;
    Olhos simples;
    Aparelho bucal.

          Internamente
    Glândulas hipofaringeanas;
    Glândulas salivares;
    Glândulas mandibulares;
    Faringe.
Parte II - Tórax
• Externamente
                    Pernas
 Pernas dianteiras: São menores e possuem um orifício
  com cerdas que serve para limpar as antenas e
  escovas para limpar os olhos e a língua

 Pernas medianas: Possuem uma pinça que servem
  para soltar os grãos de pólen das pernas traseiras.

 Pernas traseiras: São as mais importantes por
  possuírem as corbículas
Pernas



       Perna Traseira




Corbícula
Asas

As abelhas possuem dois pares de
asas.
As asas apresentam estrutura
membranosa cortadas por nervuras
que dão maior resistência às asas e
permitem a passagem de hemolinfa.




     Músculos das Asas
•Internamente
Espiráculos:        Abrem-se    nas
traquéias torácicas e são em número
de seis, sendo três de cada lado

 Sacos Aéreos

 Glândulas Salivares Torácica

                                Esôfago : Segue-se à
                               faringe, ligando-se ao papo ou
                               vesícula melífera que fica
                               localizado no abdômen
Parte III – Abdômem
• Externamente:
 • Externamente não apresenta nenhum órgão.


        • Internamente:
• Internamente se encontra a maior parte dos
órgãos. E onde se encontra também as grandes
funções do organismo da Apis Mellifera.
• Papo ou vesícula melífera

• É onde a abelha transporta o néctar e a água até a
colméia. Na vesícula melífera o néctar colhido das flores
começa a ser transformado em mel para depois ser
regurgitado nos alvéolos dos favos.
• Proventrículo
• É uma válvula localizada na extremidade posterior
do papo ou vesícula melífera e que serve para
controlar a passagem do alimento para o ventrículo,
para daí seguir para o intestino.


             • Ventrículo
•É  o estômago verdadeiro da abelha.Nele o alimento
sofre a digestão para depois ser absorvido pelo
organismo.
• Intestino Delgado

• Recebe o alimento digerido do ventrículo e
processa sua assimilação.



         • Ampola Retal
• Funciona como o intestino grosso na abelha.
Serve para reter as fezes até a abelha fazer o seu
vôo de higiene.
Sistema Digestivo
• Ferrão
• Está localizado no último segmento do abdômen das
operárias e rainhas. Nas operárias ele serve de
instrumento de defesa e nas rainhas como guia de
postura ou ovopositor.
• Glândulas de Veneno
Glândula responsável na produção do veneno.




         • Bolsa de Veneno
   Órgão em forma de bolsa, onde sua função
   consiste no armazenamento do veneno produzido
   pelas glândulas de veneno
Sistema Defensivo
• Glândulas cerígenas
São quatro pares na parte ventral do abdomen. Estas
glândulas secretam e expelem a cera na forma líquida
que logo em contato com o ar se solidifica em forma de
placas sólidas.
• Glândula do cheiro ou glândula de
              Nasonov

Localizada no dorso das abelhas operárias e rainhas.
 Os zangões não a possuem. Secretam um odor que tem
a função de reconhecimento entre as abelhas de uma
mesma família.
Sistema Reprodutivo
                    Zangão
•Composto por um par de
testículos onde são gerados
os espermatozoides, canais
deferentes que se ligam às
vesículas seminais as quais
se unem ao ejaculador que
desemboca      no   aparelho
copulador ou pênis.
Rainha
• Ovários:        Compostos de
  aproximadamente           170
  ovaríolos (tubos onde são
produzidos os óvulos). Esses
ovaríolos servem para conduzir
os óvulos em formação até os
ovidutos laterais.
•Ovidutos laterais : Estão
 ligados aos ovários. Cada
 um dos dois ovários liga-se
 na sua porção final a um
 oviduto lateral. Estes se
 unem      para formar o
 oviduto médio que se liga
 à vagina.


•Espermateca: Encontrada
somente na rainha. É uma
bolsa de forma ovalada
onde é armazenado o
sêmen   após ocorrer   a
cópula.
•Vagina: É a parte final do
sistema reprodutor da rainha.
Começa no oviduto médio e
termina próximo ao ferrão.
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Apicultura zootecnia i davi guimaraes
Apicultura zootecnia i davi guimaraesApicultura zootecnia i davi guimaraes
Apicultura zootecnia i davi guimaraes
 
ABC Criação de abelhas
ABC Criação de abelhasABC Criação de abelhas
ABC Criação de abelhas
 
Apicultura
ApiculturaApicultura
Apicultura
 
Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte Bovinocultura de Corte
Bovinocultura de Corte
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
Sistema reprodutor de uma ave
Sistema reprodutor de uma aveSistema reprodutor de uma ave
Sistema reprodutor de uma ave
 
Cartilha apicultura
Cartilha apiculturaCartilha apicultura
Cartilha apicultura
 
Cera - Trabalho Apicultura
Cera - Trabalho Apicultura Cera - Trabalho Apicultura
Cera - Trabalho Apicultura
 
Comportamento social da Abelhas
Comportamento social da AbelhasComportamento social da Abelhas
Comportamento social da Abelhas
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
 
Apostila 10 - Índices zootécnicos e resultados econômicos
Apostila 10 -  Índices zootécnicos e resultados econômicosApostila 10 -  Índices zootécnicos e resultados econômicos
Apostila 10 - Índices zootécnicos e resultados econômicos
 
Meliponicultura
MeliponiculturaMeliponicultura
Meliponicultura
 
Mel
MelMel
Mel
 
Avicultura de postura
Avicultura de posturaAvicultura de postura
Avicultura de postura
 
aulas de friticultura
aulas de friticulturaaulas de friticultura
aulas de friticultura
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
 
Introdução a apicultura
Introdução a apicultura Introdução a apicultura
Introdução a apicultura
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
 
Instalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinosInstalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinos
 
Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1
 

Semelhante a Anatomia da apis mellifera (20)

Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 
Arthropoda
ArthropodaArthropoda
Arthropoda
 
Classe arachnida
Classe arachnidaClasse arachnida
Classe arachnida
 
01 seminario claudemir reprodução das aves
01 seminario claudemir reprodução das aves01 seminario claudemir reprodução das aves
01 seminario claudemir reprodução das aves
 
Filo Nematoda
Filo Nematoda Filo Nematoda
Filo Nematoda
 
Ap. 3 biologia_2_demo
Ap. 3 biologia_2_demoAp. 3 biologia_2_demo
Ap. 3 biologia_2_demo
 
.Classe Aves.
.Classe Aves..Classe Aves.
.Classe Aves.
 
Trabalho sobre Anfíbios
Trabalho sobre AnfíbiosTrabalho sobre Anfíbios
Trabalho sobre Anfíbios
 
Aves
AvesAves
Aves
 
Jonathan mamiferoseaves
Jonathan   mamiferoseavesJonathan   mamiferoseaves
Jonathan mamiferoseaves
 
Reino Mamalia
Reino MamaliaReino Mamalia
Reino Mamalia
 
ARTROPODES ECDISE.pdf
ARTROPODES ECDISE.pdfARTROPODES ECDISE.pdf
ARTROPODES ECDISE.pdf
 
Aves
AvesAves
Aves
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
 
mamíferos
mamíferos mamíferos
mamíferos
 
O Reino Dos Animais Invertebados
O Reino Dos Animais InvertebadosO Reino Dos Animais Invertebados
O Reino Dos Animais Invertebados
 
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermosAnelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 
Mamíferos 2º ano
Mamíferos 2º anoMamíferos 2º ano
Mamíferos 2º ano
 
Mamíferos
MamíferosMamíferos
Mamíferos
 

Último

QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 

Último (20)

QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 

Anatomia da apis mellifera

  • 1. Yan Igor de Oliveira Prof.: Everton Alves
  • 2.  As abelhas tiveram sua origem a aproximadamente 100 milhões de anos, sendo essas frutos da evolução de seus parentes próximos, as vespas.  Classificação Zoológica: Classe - Insecta; Ordem - Hymenóptera; Subordem - Apócrita; Tribo – Apini; Superfamília – Apoidea; Família - Apínidae; Subfamília - Apinae; Gênero - Apis; Espécie - Apis mellifera
  • 3.
  • 4. Parte I - Cabeça
  • 5. Morfologia Externamente Antenas; Olhos compostos; Olhos simples; Aparelho bucal. Internamente Glândulas hipofaringeanas; Glândulas salivares; Glândulas mandibulares; Faringe.
  • 6. Parte II - Tórax
  • 7. • Externamente Pernas  Pernas dianteiras: São menores e possuem um orifício com cerdas que serve para limpar as antenas e escovas para limpar os olhos e a língua  Pernas medianas: Possuem uma pinça que servem para soltar os grãos de pólen das pernas traseiras.  Pernas traseiras: São as mais importantes por possuírem as corbículas
  • 8. Pernas Perna Traseira Corbícula
  • 9. Asas As abelhas possuem dois pares de asas. As asas apresentam estrutura membranosa cortadas por nervuras que dão maior resistência às asas e permitem a passagem de hemolinfa. Músculos das Asas
  • 10. •Internamente Espiráculos: Abrem-se nas traquéias torácicas e são em número de seis, sendo três de cada lado  Sacos Aéreos  Glândulas Salivares Torácica  Esôfago : Segue-se à faringe, ligando-se ao papo ou vesícula melífera que fica localizado no abdômen
  • 11. Parte III – Abdômem
  • 12. • Externamente: • Externamente não apresenta nenhum órgão. • Internamente: • Internamente se encontra a maior parte dos órgãos. E onde se encontra também as grandes funções do organismo da Apis Mellifera.
  • 13. • Papo ou vesícula melífera • É onde a abelha transporta o néctar e a água até a colméia. Na vesícula melífera o néctar colhido das flores começa a ser transformado em mel para depois ser regurgitado nos alvéolos dos favos.
  • 14. • Proventrículo • É uma válvula localizada na extremidade posterior do papo ou vesícula melífera e que serve para controlar a passagem do alimento para o ventrículo, para daí seguir para o intestino. • Ventrículo •É o estômago verdadeiro da abelha.Nele o alimento sofre a digestão para depois ser absorvido pelo organismo.
  • 15. • Intestino Delgado • Recebe o alimento digerido do ventrículo e processa sua assimilação. • Ampola Retal • Funciona como o intestino grosso na abelha. Serve para reter as fezes até a abelha fazer o seu vôo de higiene.
  • 17. • Ferrão • Está localizado no último segmento do abdômen das operárias e rainhas. Nas operárias ele serve de instrumento de defesa e nas rainhas como guia de postura ou ovopositor.
  • 18. • Glândulas de Veneno Glândula responsável na produção do veneno. • Bolsa de Veneno Órgão em forma de bolsa, onde sua função consiste no armazenamento do veneno produzido pelas glândulas de veneno
  • 20. • Glândulas cerígenas São quatro pares na parte ventral do abdomen. Estas glândulas secretam e expelem a cera na forma líquida que logo em contato com o ar se solidifica em forma de placas sólidas.
  • 21. • Glândula do cheiro ou glândula de Nasonov Localizada no dorso das abelhas operárias e rainhas. Os zangões não a possuem. Secretam um odor que tem a função de reconhecimento entre as abelhas de uma mesma família.
  • 22. Sistema Reprodutivo Zangão •Composto por um par de testículos onde são gerados os espermatozoides, canais deferentes que se ligam às vesículas seminais as quais se unem ao ejaculador que desemboca no aparelho copulador ou pênis.
  • 23. Rainha • Ovários: Compostos de aproximadamente 170 ovaríolos (tubos onde são produzidos os óvulos). Esses ovaríolos servem para conduzir os óvulos em formação até os ovidutos laterais.
  • 24. •Ovidutos laterais : Estão ligados aos ovários. Cada um dos dois ovários liga-se na sua porção final a um oviduto lateral. Estes se unem para formar o oviduto médio que se liga à vagina. •Espermateca: Encontrada somente na rainha. É uma bolsa de forma ovalada onde é armazenado o sêmen após ocorrer a cópula.
  • 25. •Vagina: É a parte final do sistema reprodutor da rainha. Começa no oviduto médio e termina próximo ao ferrão.