SlideShare uma empresa Scribd logo

Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx

T
T

AULA

Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx

1 de 65
Baixar para ler offline
Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx
A HTM é uma indústria de referência na
produção de equipamentos eletro
eletrônicos dirigidos ao segmento de
estética e fisioterapia no Brasil.
Nossos diferenciais estão alicerçados
na alta tecnologia, design exclusivo e
grande eficiência de nossos produtos.
Todos os equipamentos são pensados
e desenvolvidos em fábrica própria,
com tecnologia 100% nacional.
Inovar em tecnologia e criar
equipamentos de alta qualidade são a
nossa missão.
23 ANOS DE HISTÓRIA!
Dra. Larissa Rossini Dinanni
Fisioterapeuta graduada pela Universidade
Federal de São Paulo – UNIFESP
Pós graduada em Fisioterapia
Dermatofuncional pela Universidade Federal
de São Paulo – UNIFESP
Consultora Clinica Científica HTM Eletrônica
Presto consultorias a clinicas de estética
INSTAGRAM: @laridinanni
Vibria Maxx / Hibridi / Sonic Compact
Bem-vindos!
TREINAMENTO
Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx
Ultrassom
Transformação da energia elétrica em energia mecânica, produzindo uma vibração
de alta frequência no tecido.
Esse processo de transformação de energia eletromagnética em energia mecânica é
chamado efeito de piezeletricidade.
Efeito mecânico
e fisiológico
Anúncio

Recomendados

Recursos fisioterapeuticos na dermato funcional
Recursos fisioterapeuticos na dermato funcionalRecursos fisioterapeuticos na dermato funcional
Recursos fisioterapeuticos na dermato funcionalNathanael Amparo
 
1 terapia combinada ultrassom de alta potência associado a novas correntes ...
1   terapia combinada ultrassom de alta potência associado a novas correntes ...1   terapia combinada ultrassom de alta potência associado a novas correntes ...
1 terapia combinada ultrassom de alta potência associado a novas correntes ...HTM ELETRÔNICA
 
Apresentação Unique.pptx
Apresentação Unique.pptxApresentação Unique.pptx
Apresentação Unique.pptxSulLaserLocaes1
 
Apresentação - BHS 156.pptx
Apresentação - BHS 156.pptxApresentação - BHS 156.pptx
Apresentação - BHS 156.pptxSulLaserLocaes1
 
Eletrotermofototerapia - Aula Ultrassom.pptx
Eletrotermofototerapia - Aula Ultrassom.pptxEletrotermofototerapia - Aula Ultrassom.pptx
Eletrotermofototerapia - Aula Ultrassom.pptxRAFAELVINICIUSDEOLIV
 
Criofrequência - A sinergia entre Radiofrequência e Frio
Criofrequência - A sinergia entre Radiofrequência e FrioCriofrequência - A sinergia entre Radiofrequência e Frio
Criofrequência - A sinergia entre Radiofrequência e FrioLupe Bello Cuerpo
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx

Criofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 graus
Criofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 grausCriofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 graus
Criofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 grausLupe Bello Cuerpo
 
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxpriscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxAndriellyFernanda1
 
Ultrassom terapêutico
Ultrassom terapêuticoUltrassom terapêutico
Ultrassom terapêuticolaismoraes93
 
Endermoterapia e Peelings Mecanicos
Endermoterapia e Peelings MecanicosEndermoterapia e Peelings Mecanicos
Endermoterapia e Peelings MecanicosAmanda Hamaue
 
4 radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...
4   radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...4   radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...
4 radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...HTM ELETRÔNICA
 
Biofísica aplicada à ultra-sonografia
Biofísica aplicada à ultra-sonografiaBiofísica aplicada à ultra-sonografia
Biofísica aplicada à ultra-sonografiaDalvânia Santos
 
Aula 04 - Interferencial.pdf
Aula 04 - Interferencial.pdfAula 04 - Interferencial.pdf
Aula 04 - Interferencial.pdfNorteSul4
 
Apresentação Vectus.pptx
Apresentação Vectus.pptxApresentação Vectus.pptx
Apresentação Vectus.pptxSulLaserLocaes1
 
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdfAula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdfFrancianeOliveira22
 
Apresentação Lux Laserterapia e Spa Capilar
Apresentação Lux Laserterapia e Spa CapilarApresentação Lux Laserterapia e Spa Capilar
Apresentação Lux Laserterapia e Spa CapilarBila herrmann
 
Manual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical San
Manual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical SanManual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical San
Manual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical SanAmericanFisio
 
slide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdf
slide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdfslide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdf
slide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdfRoosivelt Honorato
 

Semelhante a Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx (20)

Criofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 graus
Criofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 grausCriofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 graus
Criofrequência - A sinergia entre radiofrequência 1050w e frio -10 graus
 
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptxpriscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
priscilaferrari-final-150628021110-lva1-app6891-convertido.pptx
 
apresentação.pptx
apresentação.pptxapresentação.pptx
apresentação.pptx
 
criofrequencia.pdf
criofrequencia.pdfcriofrequencia.pdf
criofrequencia.pdf
 
ULTRA-SOM.pdf
ULTRA-SOM.pdfULTRA-SOM.pdf
ULTRA-SOM.pdf
 
Ultrassom terapêutico
Ultrassom terapêuticoUltrassom terapêutico
Ultrassom terapêutico
 
Endermoterapia e Peelings Mecanicos
Endermoterapia e Peelings MecanicosEndermoterapia e Peelings Mecanicos
Endermoterapia e Peelings Mecanicos
 
4 radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...
4   radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...4   radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...
4 radiofrequência multifrequencial e multipolar nos tratamentos corporais e...
 
Biofísica aplicada à ultra-sonografia
Biofísica aplicada à ultra-sonografiaBiofísica aplicada à ultra-sonografia
Biofísica aplicada à ultra-sonografia
 
Ultra som
Ultra somUltra som
Ultra som
 
Aula 04 - Interferencial.pdf
Aula 04 - Interferencial.pdfAula 04 - Interferencial.pdf
Aula 04 - Interferencial.pdf
 
Apresentação Vectus.pptx
Apresentação Vectus.pptxApresentação Vectus.pptx
Apresentação Vectus.pptx
 
Us
UsUs
Us
 
TREINAMENTO UF3.pptx
TREINAMENTO UF3.pptxTREINAMENTO UF3.pptx
TREINAMENTO UF3.pptx
 
Aula de ultra som 2014.1
Aula de ultra som 2014.1Aula de ultra som 2014.1
Aula de ultra som 2014.1
 
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdfAula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
 
Apresentação Lux Laserterapia e Spa Capilar
Apresentação Lux Laserterapia e Spa CapilarApresentação Lux Laserterapia e Spa Capilar
Apresentação Lux Laserterapia e Spa Capilar
 
Manual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical San
Manual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical SanManual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical San
Manual Ondas de Choque Lipocavity Wave - Medical San
 
slide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdf
slide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdfslide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdf
slide - eletroterapia - prof Roosivelt.pdf
 
Ultrassom
UltrassomUltrassom
Ultrassom
 

Último

4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsAlexandre Oliveira
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...pj989014
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 

Último (20)

4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 

Vibria Hibridi Sonic maxx (2).pptx

  • 2. A HTM é uma indústria de referência na produção de equipamentos eletro eletrônicos dirigidos ao segmento de estética e fisioterapia no Brasil. Nossos diferenciais estão alicerçados na alta tecnologia, design exclusivo e grande eficiência de nossos produtos. Todos os equipamentos são pensados e desenvolvidos em fábrica própria, com tecnologia 100% nacional. Inovar em tecnologia e criar equipamentos de alta qualidade são a nossa missão. 23 ANOS DE HISTÓRIA!
  • 3. Dra. Larissa Rossini Dinanni Fisioterapeuta graduada pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP Pós graduada em Fisioterapia Dermatofuncional pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP Consultora Clinica Científica HTM Eletrônica Presto consultorias a clinicas de estética INSTAGRAM: @laridinanni
  • 4. Vibria Maxx / Hibridi / Sonic Compact Bem-vindos! TREINAMENTO
  • 6. Ultrassom Transformação da energia elétrica em energia mecânica, produzindo uma vibração de alta frequência no tecido. Esse processo de transformação de energia eletromagnética em energia mecânica é chamado efeito de piezeletricidade. Efeito mecânico e fisiológico
  • 7. Desmitificando do Termo Cavitação Você já ouviu: Lipocavitação?
  • 8. CAVITAÇÃO: Formação de microbolhas de ar/gás no meio líquido. Cavitação estável: As microbolhas são formadas, mantendo- se integras, sem implodirem. Cavitação instável: As microbolhas sofrem elevada pressão das ondas ultrassônicas que acabam rompendo e implodindo. Geram danos teciduais. Jones, A. 2013. Seong, MD. 2006.
  • 9. Ultrassom FREQUÊNCIA Frequência é medida em Hz ou ciclos por segundo. Assim, quando falamos, p. ex. 3 MHz, estamos dizendo 3.000.000 de ciclos dentro de um segundo. Conceitualmente dividimos a frequência do ultrassom em 2 tipos: Baixa e Alta.
  • 11. Ultrassom de 1 e 3 MHz Em frequências baixas como 1MHz, as ondas mecânicas possuem maior amplitude e se apresentam em menor quantidade, o que possibilita a propagação dessas ondas para tecidos mais profundos. Já em frequências altas como 3MHz, ocorre a emissão de ondas mecânicas de pequena amplitude e em maior quantidade, que tendem a se atenuar, concentrando-se em tecidos superficiais.
  • 12. Indicação 1 MHz é mais indicada para reabilitação, visando concentrar a energia em tecidos como músculos, tendões, ligamentos e ossos com algum tipo de disfunção (trigger points, lesões tendinosas, tendinites, lesões ligamentares e fraturas ósseas), que estão anatomicamente localizados em regiões mais profundas e demandam de uma maior profundidade de atuação. 3 MHz é mais indicada para tratamentos estéticos, visando concentrar a energia ultrassônica no intervalo entre a pele e o tecido adiposo, possibilitando o auxílio no tratamento da adiposidade localizada, FEG (fibro edema gelóide), fibroses e aderências, regeneração tecidual e pós-operatório.
  • 13. Ultrassom de 5 MHz O transdutor facial oferece uma frequência de 5MHz com uma profundidade de ação de aproximadamente 0,5 cm, atingindo desta forma tecidos ainda mais superficiais como a derme papilar e a derme reticular. É uma técnica não invasiva, não ablativa, segura e eficaz com finalidade de rejuvenescimento, flacidez e melhora na qualidade e firmeza da pele. Tem a função de reorganização tridimensional da tríplice hélice de colágeno, possibilitando uma melhora da flacidez da pele e aumento da densidade das fibras de colágeno na derme papilar e reticular e também de fibras elásticas, especialmente na derme reticular, possibilitando a melhora da flacidez da pele a longo prazo
  • 14. CUIDADO!!!! Evidências clínicas e histológicas indicam que a aplicação de ultrassom de 1 e 3 MHz na pele geram efeitos liporedutores no tecido adiposo subcutâneo, principalmente atribuível à indução do fenômeno de cavitação na interface citoplasmática dos adipócitos. Isto é relevante na utilização do ultrassom sobre a pele facial, visto que a integridade do tecido adiposo subcutâneo é obrigatória nessa localização anatômica, para que os melhores resultados estéticos sejam obtidos. 1 ou 3 MHz
  • 15. 1, 3 e 5 MHz 1 MHz 3 MHz 5 MHz CORPORAL FACIAL
  • 17. Ultrassom de Baixa Frequência A literatura aponta: • Ultrassom de baixa frequência é seletivo para os adipócitos • Embora o mecanismo exato para isso ainda seja desconhecido, essa tecnologia é altamente indicada, portanto, para a redução de gordura localizada. - *PREGA CUTÂNEA • 40 kHz está localizada muito próxima do espectro audível (som), por isso é comum ouvir um ruído proveniente do transdutor do ultrassom quando ligado, e é esperado também que o paciente/cliente refira um certo desconforto auditivo durante a terapia.
  • 19. Modos do Ultrassom MODO CONTÍNUO DRAPER; PRENTICE, 2014. LEITE et al.; 2013. MODO PULSADO Os efeitos térmicos são produzidos por ondas de ultrassom contínuas e levam a uma alteração térmica dentro dos tecidos, como um resultado direto da elevação da temperatura tecidual. Os efeitos não térmicos causam alterações dentro dos tecidos, resultantes do efeito mecânico da energia do ultrassom. Esta modulação simula uma chave que liga e desliga o modo contínuo
  • 20. Intensidade - W/cm2 - Tecidos mais profundos a intensidade deve ser maior - Potência é proporcional a intensidade - Generosa camada adiposa eu preciso de maior potencia e intensidade devido a atenuação e vencer a resistência.
  • 21. Ultrassom Colimado de Alta Frequência Frequências mais comuns: 0,95/1,0/ 3,0 MHz Onda plana. Maior atenuação
  • 22. Ultrassom Focalizado de Alta Frequência Frequências mais comuns: 1,0/1,5/1,8 MHz Onda focalizada. Ponto focal definido.
  • 23. Efeitos do Ultrassom • Rearranjo e aumento da extensibilidade das fibras colágenas • Aumenta a permeabilidade da membrana celular • Ação sobre os nódulos do FEG • Melhora o metabolismo celular
  • 24. Efeitos Fisiológicos • Térmicos Fluxo sanguíneo Local. Permeabilidade de membrana Extensibilidade das fibras colágenas Capacidade de regeneração dos tecidos
  • 25. Tixotrópia • Capacidade de amolecer estruturas de maior consistência • Líquido geleificado irá se tornar menos viscoso e ocorre uma melhor reabsorção pelos capilares linfáticos havendo uma redução deste líquido. Logo, acarreta em uma melhora do edema, ou seja, do acúmulo de líquido no espaço intersticial, típico do FEG. • Proporciona resultados positivos em cicatrizes aderentes e na consistência tecidual fibrótica. Miwa et al, 2002; De-Bem et al, 2010.
  • 26. Lipólise Miwa et al, 2002; De-Bem et al, 2010. Liberação de Noradrenalina pelo SNS : lipólise local. Processo de degradação dos lipídeos, que são transformados em ácidos graxos e glicerol.
  • 27. Fonoforese “Processo de administração de substâncias através da pele promovida pelos efeitos térmicos e mecânicos do ultrassom, devido ao aumento a permeabilidade das membranas. O procedimento de fonoforese é clássico na literatura científica”.
  • 29. Opções de Correntes 1.000 Hz - HighForce 2.500 Hz - Russa 4.000Hz - MediumForce 8.000Hz – SoftForce
  • 30. Correntes de Fortalecimento • Menor resistência capacitiva • Agradável sensação no estímulo • Maior intensidade • Níveis musculares mais profundos • Estímulos para músculos ativos • 1.000 Hz: HighForce • 2.500 Hz: Russa • 4.000Hz: MediumForce • 8.000 Hz: Soft Force CORRENTES BIFÁSICAS Tratamento inicial Tratamento intermediário Tratamento avançado Dor aguda / Dor crônica
  • 32. Frequência de Recorte •2 a 10 Hz frequência de aquecimento muscular. • 30 a 40 Hz estimular fibras tônicas (vermelhas, TipoI). • 80 a 100 Hz estimular fibras fásicas (brancas, TipoII). • 110 a 150 Hz potencialização muscular. Fibras tipo II – brancas, são fibras rápidas, de explosão, porem menos resistentes a fadiga. Nessas fibras encontra-se a flacidez estética visível.
  • 33. Eletroestimulação + exercício ativo potencializam resultados • Sincronizada – todos contraem e relaxam ao mesmo tempo • Recíproca – uma parte dos canais contraem e a outra parte relaxa • Contínua – permanece em contração o tempo todo sem intervalo • Facial - permanece em contração o tempo todo sem intervalo, para estimulação dinâmica Modos das Correntes
  • 35. Interferencial 2K e 4K São produzidas pela “interferência” de duas correntes alternadas de média frequência visando minimizar os efeitos da corrente de baixa frequência Gera uma terceira corrente, agora de baixa frequência, sendo essa a verdadeira frequência terapêutica, ou seja, sempre estará dentro do alcance biológico Analgesia da dor aguda, subaguda, crônica e
  • 37. Drenagem • Dinamiza a circulação eliminando toxinas provenientes do metabolismo celular e auxilia tratamento de diversas patologias estéticas. • Trabalha a estase circulatória. • Contrações musculares sequenciais no sentido da circulação linfática e retorno venoso.
  • 40. TENS • Corrente utilizada na Fisioterapia • Utilizada para promover o alívio sintomático da dor de diversas origens Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea Dor aguda Dor crônica
  • 41. FES • Corrente utilizada na Fisioterapia • Capaz de produzir contrações musculares com objetivos funcionais • Utilizada para atrofia muscular em função do elevado tempo de imobilização devido a cirurgias ou fraturas. Estimulação Elétrica Funcional
  • 42. Eletrolipólise • Estimulação da lipólise através de uma corrente Liberação de Noradrenalina pelo SNS : lipólise local. Processo de degradação dos lipídeos, que são transformados em ácidos graxos e glicerol. Miwa et al, 2002; De-Bem et al, 2010. TRANSCUTÂNEA PERCUTÂNEA
  • 44. Ionização “Corrente contínua monofásica, que se diferencia das correntes alternadas pela manutenção da polaridade em seu uso”. Técnica que facilita a permeação de ativos em gel ou sérum com polaridade definida. Polos semelhantes se repelem e polos opostos se atraem
  • 46. Dermopuntura Eletrolifting com agulha Utilização da corrente polarizada com intensidade em microampères associada a trauma da agulha para atenuar rugas e linhas de expressão. Processo inflamatório local *Vasodilatador irritativo
  • 48. MENS - Fisiológico • Normaliza a fisiologia alterada da área álgica • Reestabelecimento da bioeletricidade tecidual • Aumento de ATP • Ativação dos fibroblastos • Alinhamento nas fibras de colágeno • Eleva concentração de receptores de fator de crescimento • Destruição de microorganismos Inversão de polaridade a cada 2,5 segundos
  • 49. MENS - Terapêutico • Analgesia • Aceleração do processo de reparação tecidual • Antinflamatório • Bactericida • Redução de edema • Relaxamento muscular • Revitalização cutânea (ativação metabolismo celular) • Tratamento da Acne (bactericida, antinflamatório, descongestionante) • Pré e Pós operatório (nutrição e reparação tecidual) • Celulite (nutrição, drenagem) • Pós peeling (cicatrizante) • Cansaço muscular (relaxamento muscular)
  • 52. Efeitos das duas modalidades são conseguidos ao mesmo tempo Otimização do tempo de tratamento Efeito amplificador de uma terapia sobre a outra ULTRASSOM + CORRENTE - SEMPRE USADO COM O TRANSDUTOR
  • 54. Opções de Uso - ultrassom corporal ou facial / corrente bifásica ou polarizada - ultrassom corporal ou facial + bifásica / bifásica ou polarizada - ultrassom corporal ou facial + polarizada / bifásica ou polarizada - corrente bifásica / corrente polarizada - corrente bifásica / corrente bifásica - corrente polarizada / corrente polarizada
  • 57. FR: 1/3 MHz 24 W de potência ERA de 8cm2 2 CANAIS ALTERNADA 2 CANAIS POLARIZADA FR: 5 MHz 9W de potência ERA de 3cm2 FR: 1/3 MHz 63 W de potência ERA de 21cm2 4/8 CANAIS ALTERNADA 4 CANAIS POLARIZADA FR: 40 KHz 30W de potência ERA de 10cm2
  • 58. Configuração • Configuração automática da intensidade em função da camada adiposa (na frequência de 3MHz) • Programação inteligente do cálculo de tempo de aplicação (na frequência de 3MHz)
  • 59. Contraindicações • Gestante • Aplicação sobre o globo ocular • Tromboflebites • Aplicação sobre área cardíaca • Aplicação sobre tecido cerebral • Processo infeccioso • Tumores • Áreas tratadas por radioterapia • Obesidade mórbida • Doenças descompensadas (hipertensão, Diabetes) • Doenças auto imune • Edemas não identificados
  • 60. Aplicador corporal com 21 W de potência ERA de 7cm2 Aplicador corporal com 24 W de potência ERA de 8cm2 Aplicador corporal com 21 W de potência ERA de 7cm2