SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
IMPACTOS AMBIENTAIS


  UNIVERSIDADE GAMA FILHO

    CURSO DE GEOGRAFIA

      FÁBIO BARREIRO
       IGOR PENEDO
    TADEU VASCONCELOS
      THIAGO PEREIRA

PROFESSORA: DEBORA RODRIGUES
Unidade de Tratamento Rio Arroio
             Fundo.
Justificativa
• O processo de urbanização acelerado gera uma
  população urbana praticamente sem infra-estrutura.
• Os efeitos desse processo são notados sobre todo o
  aparelhamento urbano relativo a recursos hídricos:
  abastecimento de água, transporte e tratamento de
  esgotos residenciais e drenagem pluvial.        As
  conseqüências desse processo podem ocasionar
  impactos a população em geral.

                    Adaptado de: TUCCI . “Inundações Urbanas”.
Objetivo

•  Identificar e analisar os impactos ambientais
causados no entorno do Rio Arroio Fundo após a
implementação da estação de tratamento nesta região,
a qual teve o início de suas operações no ano de 2010.
Metodologia

   A análise dos impactos causados ao entorno será
através da:

• pesquisa bibliográfica;

• coleta de dados através de trabalhos de campo e
entrevistas com a população do entorno.

• análise do processo observado.
Pressupostos Teóricos

   Segundo SANTOS, “A produção do espaço urbano
está intimamente ligada ao jogo de interesses entre os
seus agentes e partícipes, fruto das relações simbólicas e
contraditórias do capitalismo em suas múltiplas facetas.
O espaço urbano é artificial, é construído no meio antes
natural e, em seguida manipulado numa teia de ações
sociais, onde as relações entre os atores envolvidos nem
sempre resultarão na aplicabilidade das soluções que
visem os anseios da maioria.”
De acordo com o Artigo 1º da Resolução n.º 001/86 do
Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA),
“considera-se impacto ambiental qualquer alteração das
propriedades físicas, químicas e biológicas do meio
ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou
energia resultante das atividades humanas que, direta ou
indiretamente, afetam:

I - a saúde, a segurança e o bem - estar da população;
II - as atividades sociais e econômicas;
III - à biota;
IV - as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
V - a qualidade dos recursos ambientais”.
Delimitação da área de estudo

• A área de estudo corresponde ao entorno da
  Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo,
  localizada na divisa entre os sub-bairros do
  Jardim Gardênia Azul e Cidade de Deus, em
  Jacarepaguá.
Área de estudo:
Área de estudo:
Área de estudo:
Área de estudo
Características da bacia hidrográfica.
•Possui uma área de 118 Km²
•Abrange os seguintes sub-bairros: Pau da Fome,
Taquara, Covanca, Freguesia, Cidade de Deus e
Jardim Gardênia Azul.
• O Rio Grande tem sua origem no maciço da Pedra
Branca. Em seus últimos 3,7km a jusante, ele recebe o
nome de Rio Arroio Fundo.
• Corresponde a uma sub-bacia da bacia hidrográfica
de Jacarepaguá.
• População do Bairro de Jacarepaguá de acordo com
o IBGE: 608 545 habitantes. (censo 2010)
•Seus afluentes são os rios Pequeno, Tindiba, Banca
da Velha e Anil
DADOS SOBRE A ESTAÇÃO
. OBJETIVO :

- Melhora da qualidade do curso d'água e do meio ambiente entre a UTR
e a Vila Pan Americana e os arredores desta;

. METODO DE TRATAMENTO:

- É utilizado o FLOTFLUX para tratar 1800 litros d'água por segundo.

FLOTFLUX é uma técnica nacional de tratamento de águas que consiste
na aplicação conjunta, sequencial e em fluxo de técnicas empregadas em
Estações de Tratamento para segregação de materiais: a Coágulo/
Floculação e a Flotação.
•    Coagulação: operação unitária responsável pela desestabilização das
    partículas coloidais em um sistema aquoso, preparando-as para a sua
    remoção nas etapas subsequentes do processo de tratamento.

• Floculação é um processo físico no qual as partículas coloidais são
  colocadas em contato umas com as outras, de modo a permitir o
  aumento do seu tamanho físico, alterando, desta forma, a sua
  distribuição.

• Flotação: visa a remoção de partículas em suspensão e/ou flutuantes
  (fase dispersa) de um meio líquido (fase contínua) para o caso em que
  a densidade da fase dispersa é menor que a da fase contínua. Trata-se
  de processo físico muito utilizado para a clarificação de efluentes e a
  conseqüente concentração de lodos, tendo como vantagem a
  necessidade reduzida de área e como desvantagem um custo
  operacional mais elevado devido à mecanização.
QUESTIONÁRIOS APLICADOS

• Foram criados questionários para entrevista com a população
da área de estudo, e questionários para a entrevista com
representantes da estação de tratamento (ET).
•Após muitas tentativas, não foi possível agendar a entrevista
com os representantes da ET.
•Já no caso da população, fomos bem recebidos, por
comerciantes e moradores.
QUESTIONÁRIOS APLICADOS

O questionário aplicado possuía perguntas para identificar na
população a percepção acerca da ET, abordando os seguintes
temas em geral:

• O tempo em que essas pessoas vivem ou trabalham nesta
região;
• Mudanças ocorridas após a instalação da ET;
• Impactos causados nas comunidades;
• Participação popular na construção da ET;
• Atuação da ET em seu entorno;
ANALISE DOS QUESTIONÁRIOS
           APLICADOS
A maior parte das pessoas entrevistadas:


• Não observou mudanças após a construção da ET;
• Não identificou impactos em suas comunidades;
• Não foi consultada a respeito de sua implementação;
• Afirma não existirem programas organizados pela ET que
beneficiam o entorno.
Trabalho de campo:
• No trabalho de campo foram observadas as
  características morfológicas do Rio Arroio
  Fundo a montante e a jusante da ET.




    Foto retirada da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
Fotos à
                                           Montante




Fotos retiradas à montante da Estação de
Tratamento do Rio Arroio Fundo em:
21/11/2012
Fotos à Jusante




Fotos retiradas à jusante da Estação de
Tratamento do Rio Arroio Fundo em:
21/11/2012
Considerações Finais
• A construção da ET aparentemente apresentou eficácia no tratamento
da água;
• A população das áreas que circundam a ET não é participante em
relação ao projeto implementado;
• A ET não promove integração com seu entorno;
• Não foram percebidas mudanças positivas para a população próxima a
ET após a sua implementação;
• Apesar de sua boa eficácia, a ET acumula grande quantidade de lixo a
céu aberto, trazendo riscos e prejuízo ambiental para as regiões
próximas;
•Aparentemente, a ET funciona como uma solução paliativa para o
problema estrutural do lixo gerado e lançado nos rios Grande e Arroio
Fundo.
Fotos retiradas da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
Fotos retiradas da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
Fotos retiradas da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
Fotos retiradas do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
Referenciais Teóricos
•BRASIL, República Federativa. Resolução CONAMA nº 001, de 23 de
janeiro de 1986.

•FERREIRA, Francisco Pontes de Miranda; CUNHA, Sandra Baptista
da. “Enchentes no Rio de Janeiro: Efeitos da urbanização no Rio
Grande (Arroio Fundo) – Jacarepaguá. Anuário do Instituto de
Geociências – V. 19 – 1996

•RIO DE JANEIRO, Município. “Plano Diretor e desenvolvimento
sustentável”.

•SANTOS, Cilícia Dias dos Santos. “A formação e produção do
espaço urbano: discussões preliminares acerca da importância das
cidades médias para o crescimento da rede urbana brasileira”. Revista
Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. PPGDR UNITAU,
2009.
•TUCCI, Carlos E. M. “Inundações Urbanas” – Capítulo 1,
Porto Alegre, 2005

•http://dtengenharia.com.br/flotflux.html

•http://obras.rio.rj.gov.br/index2.cfm?sqncl_publicacao=856

•http://pessoal.utfpr.edu.br/jcrazevedo/arquivos/floculacao.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...Gabriella Ribeiro
 
FITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATO
FITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATOFITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATO
FITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATOGabriella Ribeiro
 
Recursos Hídricos da freguesia da Chamusca
Recursos Hídricos da freguesia da ChamuscaRecursos Hídricos da freguesia da Chamusca
Recursos Hídricos da freguesia da ChamuscaIana18
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ slides-mci
 
Crise da água ou crise de gestão?
Crise da água ou crise de gestão? Crise da água ou crise de gestão?
Crise da água ou crise de gestão? CBH Rio das Velhas
 
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - VertedouroLagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - VertedouroAdriana Gotschalg
 
EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...
EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...
EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...Gabriella Ribeiro
 
Oficina de Capacitação: . Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos
Oficina de Capacitação:.Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos Oficina de Capacitação:.Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos
Oficina de Capacitação: . Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos andremarcioneumann
 
Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.
Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.
Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.Marcelo Forest
 
CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...
CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...
CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...Gabriella Ribeiro
 
Seminario Revitaliza Rio das Velhas - status
Seminario Revitaliza  Rio das Velhas - statusSeminario Revitaliza  Rio das Velhas - status
Seminario Revitaliza Rio das Velhas - statusCBH Rio das Velhas
 
Intrusão marinha aula6
Intrusão marinha aula6Intrusão marinha aula6
Intrusão marinha aula6Giovanna Ortiz
 
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Veronika Nur
 

Mais procurados (20)

INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
INFLUÊNCIA DE DEMANDAS HÍDRICAS AGRÍCOLAS NA RESPOSTA DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA ...
 
FITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATO
FITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATOFITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATO
FITORREMEDIAÇÃO DE AQUÍFEROS CONTAMINADOS POR NITRATO
 
Recursos Hídricos da freguesia da Chamusca
Recursos Hídricos da freguesia da ChamuscaRecursos Hídricos da freguesia da Chamusca
Recursos Hídricos da freguesia da Chamusca
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
 
Crise da água ou crise de gestão?
Crise da água ou crise de gestão? Crise da água ou crise de gestão?
Crise da água ou crise de gestão?
 
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - VertedouroLagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
 
Poluicao_Difusa.pdf
Poluicao_Difusa.pdfPoluicao_Difusa.pdf
Poluicao_Difusa.pdf
 
EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...
EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...
EXPANSÃO DO AGROHIDRONEGÓCIO NO PONTAL DO PARANAPANEMA (UGRHI-22): OCUPAÇÃO D...
 
Aula 7
Aula 7Aula 7
Aula 7
 
Oficina de Capacitação: . Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos
Oficina de Capacitação:.Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos Oficina de Capacitação:.Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos
Oficina de Capacitação: . Gestão Sustentável dos Recursos Hídricos
 
Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.
Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.
Parecer Técnico Aterro Jardim Gramacho - Empresa Gás Verde S. A.
 
Aula 01 inicial - apresentação e introdução
Aula 01   inicial - apresentação e introduçãoAula 01   inicial - apresentação e introdução
Aula 01 inicial - apresentação e introdução
 
CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...
CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...
CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA E HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO MUN...
 
Seminario Revitaliza Rio das Velhas - status
Seminario Revitaliza  Rio das Velhas - statusSeminario Revitaliza  Rio das Velhas - status
Seminario Revitaliza Rio das Velhas - status
 
Carta _ Dois lados da moeda
Carta _ Dois lados da moeda  Carta _ Dois lados da moeda
Carta _ Dois lados da moeda
 
Intrusão marinha aula6
Intrusão marinha aula6Intrusão marinha aula6
Intrusão marinha aula6
 
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Aula 9
 
Apresentação geral
Apresentação geralApresentação geral
Apresentação geral
 

Semelhante a Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo

A2 031 Augm Ambiente 2009
A2 031   Augm Ambiente 2009A2 031   Augm Ambiente 2009
A2 031 Augm Ambiente 2009guest445a26
 
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdfGestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdfHELENO FAVACHO
 
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...CBH Rio das Velhas
 
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014De Janks
 
ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...
ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...
ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...Gabriella Ribeiro
 
Aterro sanitário palestra
Aterro sanitário palestraAterro sanitário palestra
Aterro sanitário palestraSergio Vinhal
 
Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20
Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20
Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20inbrasci
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.João Boos Boos
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2João Boos Boos
 
Histórico da Lagoa da Pampulha
Histórico da Lagoa da PampulhaHistórico da Lagoa da Pampulha
Histórico da Lagoa da PampulhaAdriana Gotschalg
 
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e nataliaAs cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalianorivalfp
 
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosRiscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosPaulo Rodrigues
 
Bacia hidrográgica mae_dagua_ungaretti
Bacia hidrográgica mae_dagua_ungarettiBacia hidrográgica mae_dagua_ungaretti
Bacia hidrográgica mae_dagua_ungarettiavisaassociacao
 
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...saneamentobelford
 

Semelhante a Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo (20)

A2 031 Augm Ambiente 2009
A2 031   Augm Ambiente 2009A2 031   Augm Ambiente 2009
A2 031 Augm Ambiente 2009
 
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N1 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N1 2011Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N1 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N1 2011
 
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdfGestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
Gestão Ambiental - Escassez de Recursos Hídricos.pdf
 
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
 
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
 
ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...
ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...
ESTABELECIMENTO DE SUBSÍDIOS PARA A DELIMITAÇÃO DE PERÍMETRO DE PROTEÇÃO DE P...
 
Aterro sanitário palestra
Aterro sanitário palestraAterro sanitário palestra
Aterro sanitário palestra
 
Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20
Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20
Sugestão de Projeto Bartira - RIO+20
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
 
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
Seminário Desafios Ambientais Contemporâneos - Mesa 1 Laura Bueno - Escassez ...
 
Estacoes tratamento esgoto
Estacoes tratamento esgotoEstacoes tratamento esgoto
Estacoes tratamento esgoto
 
Histórico da Lagoa da Pampulha
Histórico da Lagoa da PampulhaHistórico da Lagoa da Pampulha
Histórico da Lagoa da Pampulha
 
Artigo_Bioterra_V23_N1_01
Artigo_Bioterra_V23_N1_01Artigo_Bioterra_V23_N1_01
Artigo_Bioterra_V23_N1_01
 
Artigo bioterra v15_n1_05
Artigo bioterra v15_n1_05Artigo bioterra v15_n1_05
Artigo bioterra v15_n1_05
 
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e nataliaAs cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
 
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosRiscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
 
Bacia hidrográgica mae_dagua_ungaretti
Bacia hidrográgica mae_dagua_ungarettiBacia hidrográgica mae_dagua_ungaretti
Bacia hidrográgica mae_dagua_ungaretti
 
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
APRESENTAÇÃO EM POWER POINT PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO EM 1...
 
Pereira antoniofernandodearaujonavarro
Pereira antoniofernandodearaujonavarroPereira antoniofernandodearaujonavarro
Pereira antoniofernandodearaujonavarro
 

Mais de Tadeu Vasconcelos (10)

Exercicios blocos economicos
Exercicios blocos economicosExercicios blocos economicos
Exercicios blocos economicos
 
Continente Asiatico
Continente AsiaticoContinente Asiatico
Continente Asiatico
 
Notre Dame de Paris
Notre Dame de ParisNotre Dame de Paris
Notre Dame de Paris
 
Problemas urbanos
Problemas urbanosProblemas urbanos
Problemas urbanos
 
Ne me quitte pas
Ne me quitte pasNe me quitte pas
Ne me quitte pas
 
Ensino Médio
Ensino MédioEnsino Médio
Ensino Médio
 
Rugby
RugbyRugby
Rugby
 
Le rugby
Le rugbyLe rugby
Le rugby
 
Mercosul textos
Mercosul textosMercosul textos
Mercosul textos
 
Mercosul slides
Mercosul slidesMercosul slides
Mercosul slides
 

Último

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptxLuana240603
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 

Último (20)

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 

Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo

  • 1. IMPACTOS AMBIENTAIS UNIVERSIDADE GAMA FILHO CURSO DE GEOGRAFIA FÁBIO BARREIRO IGOR PENEDO TADEU VASCONCELOS THIAGO PEREIRA PROFESSORA: DEBORA RODRIGUES
  • 2. Unidade de Tratamento Rio Arroio Fundo.
  • 3. Justificativa • O processo de urbanização acelerado gera uma população urbana praticamente sem infra-estrutura. • Os efeitos desse processo são notados sobre todo o aparelhamento urbano relativo a recursos hídricos: abastecimento de água, transporte e tratamento de esgotos residenciais e drenagem pluvial. As conseqüências desse processo podem ocasionar impactos a população em geral. Adaptado de: TUCCI . “Inundações Urbanas”.
  • 4. Objetivo • Identificar e analisar os impactos ambientais causados no entorno do Rio Arroio Fundo após a implementação da estação de tratamento nesta região, a qual teve o início de suas operações no ano de 2010.
  • 5. Metodologia A análise dos impactos causados ao entorno será através da: • pesquisa bibliográfica; • coleta de dados através de trabalhos de campo e entrevistas com a população do entorno. • análise do processo observado.
  • 6. Pressupostos Teóricos Segundo SANTOS, “A produção do espaço urbano está intimamente ligada ao jogo de interesses entre os seus agentes e partícipes, fruto das relações simbólicas e contraditórias do capitalismo em suas múltiplas facetas. O espaço urbano é artificial, é construído no meio antes natural e, em seguida manipulado numa teia de ações sociais, onde as relações entre os atores envolvidos nem sempre resultarão na aplicabilidade das soluções que visem os anseios da maioria.”
  • 7. De acordo com o Artigo 1º da Resolução n.º 001/86 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), “considera-se impacto ambiental qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam: I - a saúde, a segurança e o bem - estar da população; II - as atividades sociais e econômicas; III - à biota; IV - as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; V - a qualidade dos recursos ambientais”.
  • 8. Delimitação da área de estudo • A área de estudo corresponde ao entorno da Estação de Tratamento Rio Arroio Fundo, localizada na divisa entre os sub-bairros do Jardim Gardênia Azul e Cidade de Deus, em Jacarepaguá.
  • 13. Características da bacia hidrográfica. •Possui uma área de 118 Km² •Abrange os seguintes sub-bairros: Pau da Fome, Taquara, Covanca, Freguesia, Cidade de Deus e Jardim Gardênia Azul. • O Rio Grande tem sua origem no maciço da Pedra Branca. Em seus últimos 3,7km a jusante, ele recebe o nome de Rio Arroio Fundo. • Corresponde a uma sub-bacia da bacia hidrográfica de Jacarepaguá. • População do Bairro de Jacarepaguá de acordo com o IBGE: 608 545 habitantes. (censo 2010) •Seus afluentes são os rios Pequeno, Tindiba, Banca da Velha e Anil
  • 14. DADOS SOBRE A ESTAÇÃO . OBJETIVO : - Melhora da qualidade do curso d'água e do meio ambiente entre a UTR e a Vila Pan Americana e os arredores desta; . METODO DE TRATAMENTO: - É utilizado o FLOTFLUX para tratar 1800 litros d'água por segundo. FLOTFLUX é uma técnica nacional de tratamento de águas que consiste na aplicação conjunta, sequencial e em fluxo de técnicas empregadas em Estações de Tratamento para segregação de materiais: a Coágulo/ Floculação e a Flotação.
  • 15. Coagulação: operação unitária responsável pela desestabilização das partículas coloidais em um sistema aquoso, preparando-as para a sua remoção nas etapas subsequentes do processo de tratamento. • Floculação é um processo físico no qual as partículas coloidais são colocadas em contato umas com as outras, de modo a permitir o aumento do seu tamanho físico, alterando, desta forma, a sua distribuição. • Flotação: visa a remoção de partículas em suspensão e/ou flutuantes (fase dispersa) de um meio líquido (fase contínua) para o caso em que a densidade da fase dispersa é menor que a da fase contínua. Trata-se de processo físico muito utilizado para a clarificação de efluentes e a conseqüente concentração de lodos, tendo como vantagem a necessidade reduzida de área e como desvantagem um custo operacional mais elevado devido à mecanização.
  • 16. QUESTIONÁRIOS APLICADOS • Foram criados questionários para entrevista com a população da área de estudo, e questionários para a entrevista com representantes da estação de tratamento (ET). •Após muitas tentativas, não foi possível agendar a entrevista com os representantes da ET. •Já no caso da população, fomos bem recebidos, por comerciantes e moradores.
  • 17. QUESTIONÁRIOS APLICADOS O questionário aplicado possuía perguntas para identificar na população a percepção acerca da ET, abordando os seguintes temas em geral: • O tempo em que essas pessoas vivem ou trabalham nesta região; • Mudanças ocorridas após a instalação da ET; • Impactos causados nas comunidades; • Participação popular na construção da ET; • Atuação da ET em seu entorno;
  • 18. ANALISE DOS QUESTIONÁRIOS APLICADOS A maior parte das pessoas entrevistadas: • Não observou mudanças após a construção da ET; • Não identificou impactos em suas comunidades; • Não foi consultada a respeito de sua implementação; • Afirma não existirem programas organizados pela ET que beneficiam o entorno.
  • 19. Trabalho de campo: • No trabalho de campo foram observadas as características morfológicas do Rio Arroio Fundo a montante e a jusante da ET. Foto retirada da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 20. Fotos à Montante Fotos retiradas à montante da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 21. Fotos à Jusante Fotos retiradas à jusante da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 22. Considerações Finais • A construção da ET aparentemente apresentou eficácia no tratamento da água; • A população das áreas que circundam a ET não é participante em relação ao projeto implementado; • A ET não promove integração com seu entorno; • Não foram percebidas mudanças positivas para a população próxima a ET após a sua implementação; • Apesar de sua boa eficácia, a ET acumula grande quantidade de lixo a céu aberto, trazendo riscos e prejuízo ambiental para as regiões próximas; •Aparentemente, a ET funciona como uma solução paliativa para o problema estrutural do lixo gerado e lançado nos rios Grande e Arroio Fundo.
  • 23. Fotos retiradas da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 24. Fotos retiradas da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 25. Fotos retiradas da Estação de Tratamento do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 26. Fotos retiradas do Rio Arroio Fundo em: 21/11/2012
  • 27. Referenciais Teóricos •BRASIL, República Federativa. Resolução CONAMA nº 001, de 23 de janeiro de 1986. •FERREIRA, Francisco Pontes de Miranda; CUNHA, Sandra Baptista da. “Enchentes no Rio de Janeiro: Efeitos da urbanização no Rio Grande (Arroio Fundo) – Jacarepaguá. Anuário do Instituto de Geociências – V. 19 – 1996 •RIO DE JANEIRO, Município. “Plano Diretor e desenvolvimento sustentável”. •SANTOS, Cilícia Dias dos Santos. “A formação e produção do espaço urbano: discussões preliminares acerca da importância das cidades médias para o crescimento da rede urbana brasileira”. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. PPGDR UNITAU, 2009.
  • 28. •TUCCI, Carlos E. M. “Inundações Urbanas” – Capítulo 1, Porto Alegre, 2005 •http://dtengenharia.com.br/flotflux.html •http://obras.rio.rj.gov.br/index2.cfm?sqncl_publicacao=856 •http://pessoal.utfpr.edu.br/jcrazevedo/arquivos/floculacao.pdf