Insights precisos para o crescimento europeuRendimentos edespesas das famíliaseuropeiasComo está a crise a afetar avida qu...
Insights precisos para o crescimento europeuA crise afeta o dia-a-dia de milhões de europeus: odesemprego continua a aumen...
Growth Insight                                              Nos últimos 12 meses, diria que teve dificuldades em pagar as ...
Os salários baixos são a segunda razão de pobreza na União Europeia. Aumentá-los poderia ser uma via para sair da crise?Gr...
Despesas das famílias: diferenças entre os países da União EuropeiaGrowth InsightSete em cada dez europeus afirma ter aces...
Mensagens para o setor empresarial e para os governosAs empresas europeias podiam utilizar estes               Por outro l...
Planos precisos para crescerMensagens para as Empresas                               Mensagens para os Governos Estratégi...
Insights precisos para o crescimento europeuSobre o Eurobarómetro                                     Mais informaçõesEstu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rendimentos e despesas das famílias europeias

906 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
906
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
349
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rendimentos e despesas das famílias europeias

  1. 1. Insights precisos para o crescimento europeuRendimentos edespesas das famíliaseuropeiasComo está a crise a afetar avida quotidiana? „Think...‟ nº 6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013
  2. 2. Insights precisos para o crescimento europeuA crise afeta o dia-a-dia de milhões de europeus: odesemprego continua a aumentar, o crescimento épraticamente nulo e em alguns países os saláriosforam reduzidos. Isto tem consequências dramáticasna qualidade de vida das pessoas.Os europeus têm dificuldades em chegar ao final domês e fazer face às despesas?Podem os diferentes segmentos da população pagaros mesmos bens e serviços?Quais são os países mais afetados? „Think...‟ nº6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013 2
  3. 3. Growth Insight Nos últimos 12 meses, diria que teve dificuldades em pagar as suas contas no final do mês….?Quatro em cada dez europeus (41%) têm dificuldade empagar as suas contas no final do mês (29% de vez em A maioria das vezesquando e 12% a maioria das vezes). Maio-Junho Maio De vez em quandoExistem diferenças marcantes entre os países da UE: 2009 2012 Quase nunca/nuncaenquanto que apenas 10% da população da Suécia e Recusa (ESP)Holanda estão a viver esta situação, mais de dois terçosdos inquiridos no Chipre (68%), Portugal (72%) e Bulgária(73%) admitem ter dificuldades para chegar ao fim do Fonte: Eurobarómetro standard realizado pelaTNS para a Comissão Europeia.mês e pagar as suas contas. A situação é mais EB77 – Maio 2012 Eurobarómetro especial realizado pela TNS para a Comissão Europeia.desesperante na Grécia, onde esta proporção alcança 89% EB71.2 – Maio – Junho 2009(45% de vez em quando e 44% a maioria das vezes). Nogeral, mais de metade dos inquiridos nos 11 A crise é real: tem afetado e continuará a afetar o dia-Estados-Membros afirmam ter dificuldades em a-dia dos cidadãos europeus durante algumpagar as suas contas no final do mês. tempo, embora não de igual forma em todos os países.A situação tem piorado nos últimos 3 anos.A nível da UE esta deterioração aumentou 3 pontos Mensagens para o setor empresarial:percentuais (de 38% para 41%), mas a análise por paísrevela uma evolução surpreendente na Grécia (+26 Os Estados-Membros não estão a ser afetados pela crisepontos), um dos Estados-Membros mais afetados pela de igual forma: enquanto a situação económica de algunscrise. Em outros países progrediu-se de forma positiva cidadãos é razoavelmente boa em algunscomo é o caso da Áustria (-12). países, noutros, é francamente má.No caso Português, 72% dos cidadãos afirma ter As empresas europeias devem adaptar a sua estratégiadificuldades em pagar as suas contas no final do de Marketing de acordo com cada situação através dasmês, percentagem que aumentou 8 pontos face a 2009. suas campanhas de comunicação, preços e planos de crédito ao consumo. As empresas europeias devem ter em conta os acontecimentos que afetam a situação financeira dos cidadãos. „Think...‟ nº6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013 3
  4. 4. Os salários baixos são a segunda razão de pobreza na União Europeia. Aumentá-los poderia ser uma via para sair da crise?Growth Insight Na sua opinião, diga quais os dois aspetos na sociedade que poderão explicar melhor a razão pela qual as pessoas são pobres? Mencionam “As remunerações e os salários não são suficientemente elevados no seu país para que as pessoas possam viver”Quase metade dos europeus (48%) afirma que ofacto de os salários não serem suficientementealtos é uma das principais razões da pobreza, logoa seguir ao desemprego (54%). Em Portugal, 48% MALTA HUNGRIA 76% ROMÉNIA 68% 67%pensam desta forma, sendo 69% os que referem odesemprego como causa de pobreza. Mais mençõesOs baixos salários são a principal causa da pobreza para Média UEa maioria dos Estados-Membros (15 de 27), como é ocaso da Hungria (76%), Malta (68%) e Roménia (67%). Menos mençõesExistem grandes diferenças entre os Estados-Membrose, curiosamente, a data de adesão à UE desempenha um Fonte: Eurobarómetro especial “Pobreza e exclusão” realizado pela TNS para apapel importante: é mais provável que os países que Comissão Europeia. EB74.1 – Agosto – Setembro 2010aderiram à UE em 2004 e 2007 mencionem “saláriosbaixos” (com valores que vão de 76% na Hungria a 56% Mensagens para o setor empresarial:na Estónia), do que os países que faziam parte da UEantes de 2004 (em que os valores variam entre 55% em Segundo alguns especialistas, numa crise económica éFrança a 9% na Dinamarca), sendo a Grécia a única necessário cortar salários. Contudo, outros referem que isso tem um impacto negativo no consumo e no crescimento. Osexceção (65%). "trabalhadores pobres” enfrentam muitos problemasNa União Europeia, trabalhar já não é uma barreira à (habitação, transporte, saúde) o que faz com que seja difícilpobreza: os “trabalhadores pobres” são cada vez mais manter o seu posto de trabalho. As empresas europeiasnumerosos e este facto está a converter-se num devem tomar medidas para apoiar os trabalhadores de baixofenómeno social. rendimento. Isto não significa necessariamente um aumento dos salários, podem desenvolver políticas de ajuda à habitação, transporte e saúde, que os impeça de cair na pobreza. Ao aplicar estas medidas, as empresas poderão beneficiar em termos de imagem e competitividade. „Think...‟ nº6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013 4
  5. 5. Despesas das famílias: diferenças entre os países da União EuropeiaGrowth InsightSete em cada dez europeus afirma ter acesso à quadros superiores/médios e dos trabalhadores porInternet em casa, embora esta proporção varie - 45% conta própria têm automóvel (90%), enquanto esseem Portugal, 60% em Espanha e 95% na Holanda. As valor é de apenas 57% entre os desempregados.diferenças são mais pronunciadas na posse deautomóvel: 74% dos cidadãos europeus têm umcarro, mas apenas 40% dos letões, em oposição à quase Estas diferenças envolvem alguns problemas adicionais:totalidade dos cipriotas (96%), é que têm carro. Em hoje em dia o papel da internet na procura dePortugal, 62% afirmam ter carro. trabalho é crucial e muitos postos de trabalho exigem um carro. Encontrar trabalho é difícil, principalmente para os desempregados que nãoTambém existem diferenças importantes por segmentos têm acesso a estes bens e serviços.de população: 94% dos quadros superiores/médios têm No que se refere a bens e serviços, existe realmenteacesso à Internet em casa, contra 61% dos uma Europa a duas velocidades.desempregados. A grande maioria dos Trabalhador Quadro Outro/ Responsável conta Superior/ setor Trabalhador pelo própria médio serviços manual lar Desempregado Reformado EstudanteQual dosseguintesbens Carropossui? Fonte: Eurobarómetro Standard realizado pela TNS para a Comissão Europeia. Acesso à EB77 – Maio 2012 Internet em casa „Think...‟ nº6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013 5
  6. 6. Mensagens para o setor empresarial e para os governosAs empresas europeias podiam utilizar estes Por outro lado, se a população está a “ficar pararesultados para definir a sua estratégia. Por trás”, os governos deviam tomar medidas paraexemplo, uma empresa de produtos eletrónicos que se reduzir as desigualdades existentes entre o seuquer expandir a nível internacional tem que conhecer os país e o resto da UE e também entre segmentospaíses em que pelo menos um quarto da população tem sociodemográficos. Promover medidas que ajudem osum leitor de CD ou de DVD. As empresas também têm desempregados, por exemplo, a aceder gratuitamente àque saber a que segmento da população se devem Internet ou a utilizar um veículo quando necessitassemdirigir primeiro, dependendo das suas necessidades. (crédito gratuito, empréstimo, etc.) ajudaria a reduzir o desemprego e a economia do país iria beneficiarEstes resultados também dão informação com estas ações.interessante aos governos sobre o que diferencia asua população em comparação com outros países da Estas diferenças por país e segmentos destacam osUnião Europeia, em termos de posse de produtos e esforços que os governos, junto com as instituições daacesso a serviços. UE, têm que fazer para aumentar a igualdade entreOs governos da UE podiam utilizar dados positivos do todos os cidadãos.seu país em campanhas de comunicação, o que podiater um efeito benéfico em termos de imagem epopularidade. „Think...‟ nº6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013 6
  7. 7. Planos precisos para crescerMensagens para as Empresas Mensagens para os Governos Estratégias à medida  Divulgar os recentes progressosEm alguns Estados- Membros da UE a grande maioria da Sempre que possível, os governos europeus devema população tem problemas em chegar ao fim do mês e comunicar os progressos realizados desde o início dapagar as suas contas. Ao traçar a sua estratégia crise em termos de nível de vida. A sua imagem poderiainternacional, as empresas europeias devem ter em beneficiar destes aspetos positivos.conta este conjunto de situações e estarem atentas aquaisquer mudanças.  Aumentar os rendimentos mais baixos O baixo nível de salários é visto como a segunda razão Desenvolver políticas de apoio a trabalhadores de pobreza na UE, logo a seguir ao desemprego. Os com rendimentos mais baixos governos da UE devem apoiar os trabalhadores pobres,Cada vez existem mais trabalhadores pobres e a sua eventualmente através do aumento dos salários maissituação de instabilidade também é uma ameaça para as baixos. O crescimento e o emprego poderiam beneficiarempresas. Desenvolver políticas internas que apoiem com estas medidas.estes trabalhadores beneficia as empresas europeias emtermos de imagem, competitividade e atratividade.  Comunicar os resultados positivos Os governos da UE devem assegurar-se de que a Adaptar a estratégia internacional às população é informada dos resultados positivos: isto necessidades dos cidadãos da UE pode melhorar a confiança do consumidor e, porConhecer as necessidades dos cidadãos da UE em consequência, estimular o crescimento.termos de bens e serviços oferece às empresasinformações úteis sobre onde investir e em que  Apoiar os desempregados facilitando o seusegmentos. acesso à Internet e ao transporte Os governos deveriam ajudar os desempregados a ter acesso a alguns bens e serviços como a Internet ou a um automóvel: ambos podem ser necessários para encontrar um trabalho. „Think...‟ nº6 – Janeiro 2013 ©TNS 2013 7
  8. 8. Insights precisos para o crescimento europeuSobre o Eurobarómetro Mais informaçõesEstudo da Comissão Europeia que acompanha a Teresa Velosoevolução da opinião pública nos Estados-Membros da Client Service DirectorUnião Europeia, com o objetivo de fornecer informações e: teresa.veloso@tnsglobal.comrelevantes para tomar decisões e avaliar a perceção dos t: +351 21 843 7050cidadãos em temas como: situação social, situação Ou o seu contacto habitual na TNSeconómica, saúde, cultura, tecnologias de www.tns.ptinformação, meio ambiente, etc. A TNS é a empresa quecoordena o Eurobarómetro em todos os países da União Siga-nos!Europeia, incluindo Portugal.Sobre a TNSCom presença em mais de 80 países, a TNS aconselhaos seus clientes em estratégias específicas decrescimento nas áreas de inovação e desenvolvimentode novos conceitos, produtos e/ouserviços, desenvolvimento de marca ecomunicação, gestão de stakeholders e entrada emnovos mercados. Aviso legal Relatório propriedade da TNS. Não é permitida a reprodução, comunicação pública ou qualquer outro ato sem autorização expressa da TNS. ©TNS 2013 8

×