O SER E SUAS REPRESENTAÇÕES NAS REDES SOCIAIS:  O caso do Orkut.   Thiago Carvalho de Jesus
JUSTIFICATIVA <ul><li>Como os principais vetores de socialização da cibercultura, analisar as redes sociais é fundamental ...
O PROBLEMA <ul><li>Será o Avatar no Orkut, uma tentativa de fugir da realidade material? </li></ul><ul><li>Será que no cam...
HIPÓTESE <ul><li>A representação do ser no Orkut é uma afirmação da identidade construída nos palcos sociais.  </li></ul>
OBJETIVO GERAL <ul><li>Analisar o papel social das representações do Ser no Orkut. </li></ul>
OBJETIVO ESPECÍFICO <ul><li>Compreender a construção simbólica do Avatar no Orkut; </li></ul><ul><li>Definir as relações e...
METODOLOGIA <ul><li>Pesquisa de cunho qualitativo </li></ul><ul><li>a) Universo de pesquisa: </li></ul><ul><li>A rede soci...
REFERÊNCIAS <ul><li>  BAUMAN , Zygmunt. Modernidade Líquida. 1.ed. Rio de Janeiro: J. Zahar Ed., 2001. </li></ul><ul><li>C...
CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Ser E Suas Representações Nas Redes Sociais

1.007 visualizações

Publicada em

Projeto de Pesquisa em Comunicação

Publicada em: Tecnologia, Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.007
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Ser E Suas Representações Nas Redes Sociais

  1. 1. O SER E SUAS REPRESENTAÇÕES NAS REDES SOCIAIS: O caso do Orkut. Thiago Carvalho de Jesus
  2. 2. JUSTIFICATIVA <ul><li>Como os principais vetores de socialização da cibercultura, analisar as redes sociais é fundamental para a compreensão dos impacto desse “não-lugar” na vida humana. </li></ul><ul><li>O Orkut parece ser um palco de um diferente estágio de socialização no ciberespaço, sendo que a sintonia (ou aproximação) entre Ser e representação do Ser se faz quase que na escala do “real”. </li></ul><ul><li>Analisar o Orkut é fundamental para se dar os próximos passos na compreensão da relação entre o ser humano e este “não-lugar”. </li></ul>
  3. 3. O PROBLEMA <ul><li>Será o Avatar no Orkut, uma tentativa de fugir da realidade material? </li></ul><ul><li>Será que no campo simbólico o espaço social definido no Orkut não tem o mesmo valor que o palco social? </li></ul>
  4. 4. HIPÓTESE <ul><li>A representação do ser no Orkut é uma afirmação da identidade construída nos palcos sociais. </li></ul>
  5. 5. OBJETIVO GERAL <ul><li>Analisar o papel social das representações do Ser no Orkut. </li></ul>
  6. 6. OBJETIVO ESPECÍFICO <ul><li>Compreender a construção simbólica do Avatar no Orkut; </li></ul><ul><li>Definir as relações entre o Avatar e o Ser em si; </li></ul>
  7. 7. METODOLOGIA <ul><li>Pesquisa de cunho qualitativo </li></ul><ul><li>a) Universo de pesquisa: </li></ul><ul><li>A rede social (ou site de relacionamento) Orkut, um dos serviços on-line prestados pela empresa Google, hospedada no endereço http://www.orkut.com. </li></ul><ul><li>b) Sujeito de pesquisa: </li></ul><ul><li>Pessoas independentemente do sexo, etnia, religião e classe social, com idade entre 15 e 25 anos, que sejam naturais de Itabuna, Ilhéus e região, que tenham acesso à internet, possuindo um perfil no Orkut, sendo que atualizem regularmente. </li></ul><ul><li>c) Coletas de dados: </li></ul><ul><li>A coleta de dados será feita através da observação participante, observando diariamente o Orkut, analisando e coletando dados das inúmeras ferramentas sociais do site. </li></ul><ul><li>Para complementar, serão feitas entrevistas com grupos focais para traçar um paralelo com os dados obtidos pela observação participante. As perguntas das entrevistas surgirão do confronto entre referencial teórico e a observação participante. </li></ul>
  8. 8. REFERÊNCIAS <ul><li> BAUMAN , Zygmunt. Modernidade Líquida. 1.ed. Rio de Janeiro: J. Zahar Ed., 2001. </li></ul><ul><li>CASSIRER , Ernest. Antropologia Filosófica: Ensaio sobre o Homem - Introdução a uma Filosofia da Cultura Humana. São Paulo. Editora Mestre Jou.1977. </li></ul><ul><li>CASTELLS , Manuel. Prólogo: a Rede e o Ser. In: A Sociedade em Rede: A era da informação: economia, sociedade e cultura. Volume I. tradução: Roneide Venâncio majer com a colaboração de Klauss Brandini Gerhadt. 4ºed., São Paulo: Paz e Terra, 1999. </li></ul><ul><li>GIDDENS , Anthony. As consequências da modernidade. 2.ed. São Paulo: UNESP, 1991. </li></ul><ul><li>_____. Modernidade e Identidade. 1.ed. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 2002. </li></ul><ul><li>GOFFMAN , Erving. A representação do eu na vida cotidiana. 12.ed. Petrópolis: Vozes, 2004. </li></ul><ul><li>GOURHAN , André-Leroi. O gesto e a palavra: 1-Técnica e Linguagem – Editions Albin Michel,. 1964. Tradução de Vitor Gonçalves. Lisboa – Portugal. </li></ul><ul><li> LEMOS , André. Cibercultura – Tecnologia e vida social na cultura contemporânea – Porto Alegre: Suliona, 2ºed., 2004. </li></ul><ul><li> LÉVY , Pierre. Cibercultura. (trad. Carlos Irineu da Costa). São Paulo: editora 34, 1999. </li></ul><ul><li>MAFFESOLI , Michel. Pequena epistemologia do Mal. In: A parte do diabo. Tradução de Clóvis Marques. – Rio de Janeiro: Record, 2004. </li></ul><ul><li>PRADO , José Luiz Aldar (org.). Críticas das práticas midiáticas: da sociedade de massa às ciberculturas. São Paulo. Hackers Editores, 2002. </li></ul>
  9. 9. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

×