Outras
Estórias
Contando o que
sinto e vejo em
traços e palavras
Rafa Rodriguez
RAFA RODRIGUEZ
OUTRAS ESTÓRIAS
2014
Para todas as pessoas que de alguma
forma contribuíram para a realização
de mais um apanhado de textos
e desenhos paridos ...
5
Andando sozinho pela madrugada do pensamento
Olhando para o nada, ouvindo os vários sons do vento.
Sem repouso, há dias ...
6
Um abismo bem em frente a meus olhos.
Uma dúvida que corroi todo o meu psiqué.
Poucos anos de vida e tão pouco tempo res...
7
De uma hora pra outra, agente nem percebe e o tempo passou.
Passam-se 1, 2, 3, 10, 11, 20 anos sem que agente note.
Quem...
8
Palavras ditas sem freio nem rodeios
Palavras de ofensa gratuita
Mas ao mesmo tempo de desespero
E desejo que tudo não p...
9
Misteriosos olhos que não sei de onde vem
Misterioso olhar hipnótico; dá calor, sede.
Misteriosa descoberta por acaso, s...
10
Minhas mãos grossas e pesadas carregam o mais puro néctar da delicadeza
ao ser empunhada ao corpo de uma mulher, que es...
11
Metafisicamente ainda sinto seu cheiro no meu rarefeito ar. E sinto sua
presença no meu intimo dos mais obscuros e prof...
12
Estou bem próximo do mais distante ponto de fusão entre o ser e o deixar de
existir. Onde estou?
13
Para onde vai o amor que desencarna? Será que há uma chance de
reencarnar no mesmo amor que ficou?
14
A força da imaginação não muda o rumo do trem da vida, ele sempre volta para
a mesma estação quando fechamos os olhos e...
15
Meu sonho só é sonho se for forjado em sono profundo, onde nele posso sair
da realidade suja que a vida real me proporc...
16
Tenho tempo para ter esse tempo todo? Não!
17
Quem vê um sorriso nesse rosto ao dia
Não imagina a tristeza e a agonia
Que preenche meu ser
Sempre que em decúbito est...
18
Fica sempre à sombra da dúvida.
Se está ali apenas a olhar
Ou se simplesmente quer algo dizer.
Mesmo que sem palavras,
...
19
Seria longa a distancia a se percorrer
Virou sereia na praia do Leblon
Sorriso marcante chega a entorpecer
Junto ao bri...
20
Quando você se lembrar, apague a memória
Vá recomeçar.
Quando você se esquecer, faça um backup
Tente recuperar.
Quando ...
21
Se você me encontrar
Me perca.
Se você me perder
Não ligue.
Se a saudade chamar
Ignore.
Quando lembrar de mim
Não chore...
22
Só sei que ainda vou te envolver nos meus braços.
Te fazer gozar os dias de folga da solidão.
Abrindo bem forte o compa...
23
Saber que não é bem vindo.
Saber que incomoda.
Saber que quanto mais longe melhor.
Saber que sempre foi assim.
Querer s...
24
Encontro ao acaso no meio do nada
Muito tempo passado e nenhuma palavra
Conversa convexa, às vezes complexa
Como quem j...
25
Cuspo no chão o agouro do amor
Vitamina pra terra Alimenta o calor.
Deixo minhas moléculas à mercê da poeira.
Como minh...
26
Solidão me acalma, mas no fundo me espeta.
Atitude incorreta, de enganar minha alma.
Seja torta ou reta, minha estrada ...
27
O que explode da pele,
Dilacera músculos e rompe vasos.
Sangra da carne, pende dos ossos.
Mutila, machuca, marca.
O que...
28
Saudade é uma palavra tão nossa,
Que é impossível substituir por qualquer coisa que seja.
Saudade dói se for de dor,
Se...
29
Enquanto você me olha
Com esse jeito malicioso e sutil
Me vem um calor intenso,
Seguido de um arrepio!
Olhar agateado,
...
30
Quem disse que dizer eu te amo é démodé?
Quem disse que eu não posso isso dizer?
Tanto tempo
Procurando quem...
Muito t...
31
Deixa-meeu sentir seu gosto na minha boca.
Seu gosto em êxtase!
Sua respiração quente no meu pescoço
Tentando sem conse...
32
São os olhos que se vêem
As mãos que se tocam
As bocas que se beijam
Os corpos que se enlaçam.
A voz baixinha sussurran...
33
Eu espero que tudo tenha jeito
Eu espero que seja bem feito.
Eu espero que não me arrependa.
Eu espero que me compreend...
34
Muitas vezes tentamos passar despercebidos,
Muitas vezes conseguimos.
Muitas vezes queremos ser notados,
Muitas vezes n...
35
Pálpebra pesa, e umidificada então é que pesa mesmo!
36
Ninguém que tente desvendar esse crânio cheio de rugas e rusgas. Pois eu
mesmo já desisti de tentar me entender.
37
Duas faces de uma mesma cabeça inundada de mágoas e tristezas. Um lado
tenta manter-se acesso e o outro se agarrou na e...
38
Quando guardamos para nós
Algo que deveria ser dito para outra pessoa,
Aquilo vira uma bola de areia dentro da garganta...
39
Só me sinta.
Me deixe ser infinito.
Nunca apague os meus escritos no seu coração.
Só me deixe ser único mesmo não sendo...
40
Por onde andam as ondas?
Por onde andam os olhos azuis?
Por onde andam as minhas maçãs?
Por onde anda você?
Por onde an...
41
Apenas seja.
Não pense em nada, seja.
Mande as dúvidas pra puta às pariu.
Respire, olhe bem adiante.
Foque, não titubei...
42
O que sou eu além de apenas sonhador?
Sonhos de mares e montes
De lagos e margens.
De portos e estradas.
De visões.
Que...
43
Atiça o cio,
Revela o filme,
Mostra a imagem
Feita apenas na imaginação.
Sem pressa, sem afobação.
Tira do corpo o âmag...
44
Apenas seu intimo sentido me atiçou.
Sua sutileza inocente.
Seu jeito desmantelado de ser.
Suas mãos macias e seus lábi...
45
Onde é o único lugar onde eu posso te ver e tocar?
Onde é o único lugar onde você e eu somos um?
Onde é o único lugar o...
46
Ao abrir os olhos de manhã, irradiado de alegria.
E com o passar das horas é tomado pela agonia.
Andando de um lado par...
47
Estar só e se sentir bem.
Momento raro ultimamente.
Preferiria uma única companhia hoje a muitas pessoas.
Mas precisame...
48
Triste é saber que não vou ter mais seu gosto na minha boca.
Que nossa história de amor se tornou um conto de terror.
Q...
49
Anjos de bronze, anjos de louça, de porcelana.
Num criado mudo,
Ou mesmo os anjos miúdos,
Num chaveiro qualquer.
Anjos ...
50
Vem!
Me encanta apenas com palavras.
Não me deixa te ver sem antes te conhecer.
Me mostra apenas o lado que não pode se...
51
O mais difícil nesses 31 anos de vida
É não saber como fazer para encarar o mais duro golpe
De perder o que se ama duas...
52
Eu só te amo quando respiro. Essa é a minha condição.
53
I go to forget my pain and I’ll fly to the end
You been away, although be here all the time
And all my tears were in va...
54
O fim.
O que é o fim?
Recomeço ou puramente fim?
Sempre haverá essa dúvida.
O fim do mundo, o fim da linha,
O fim do mê...
55
Palavras ditas e reditas em vão.
Fragmentos de lembranças que não existem.
Males que nunca serão curados.
Feridas que n...
56
A FACE
57
RETALHOS
58
BLOOBEELOO
59
URSO
60
TCHEERROWS
61
SUBTERRENO
62
LINGUS
63
SOLARIS OMNIBUS
64
HAKEBER HADNIH
65
ULOSCO
66
RASTROS
67
PELOS
68
AMÁVEL
69
ME DEIXA, E VIVE
70
CAOLHO
71
RENDA-SE
72
VALVAS
73
CAIU NA REDE É POSTAGEM
74
APENAS SINTA
75
CAOS...CAO...CA...C
76
SOLIDÃO
77
ASTROS E ATRASOS
78
MAMON
Outras Estórias
Contando o que sinto e escrevo em traços e textos
RRaaffaa RRooddrriigguueezz
Outras estorias
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Outras estorias

657 visualizações

Publicada em

Pensamentos transformados em traços, pinturas e textos.
Sem nenhuma barreira ou segmento literário.
Apenas para ler e ver.

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
657
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Outras estorias

  1. 1. Outras Estórias Contando o que sinto e vejo em traços e palavras Rafa Rodriguez
  2. 2. RAFA RODRIGUEZ OUTRAS ESTÓRIAS 2014
  3. 3. Para todas as pessoas que de alguma forma contribuíram para a realização de mais um apanhado de textos e desenhos paridos pela minha cabeça sempre em combustão
  4. 4. 5 Andando sozinho pela madrugada do pensamento Olhando para o nada, ouvindo os vários sons do vento. Sem repouso, há dias luto contra as minhas forças. Há dias tento ao menos cochilar. Mas os olhos insistem em ver O que minha imaginação teima em não mostrar. Mais uma dose de ácido, mas não os alucinógenos E sim o AAs com gosto de confeito. Tomo água, tomo banho, tomo um tombo. Mergulho de cara no chão e ainda assim não apago. Fico 'putaqueparívelmente' ainda mais acordado. Pois depois de cair de cabeça, a última coisa A fazer é dormir Pois corre o risco de não mais acordar. Minha idéia ainda não é essa. E seguem-se dois, três, quatro, cinco... Uma semana de olhos abertos, atentos. Esperando a imagem que a imaginação Não consegue enviar Pois nem a imaginação conseguiu ficar Acordada Para me ajudar.
  5. 5. 6 Um abismo bem em frente a meus olhos. Uma dúvida que corroi todo o meu psiqué. Poucos anos de vida e tão pouco tempo restante. Tão sombrio quando a escuridão é não saber quem é você. Maior que minha imaginação é a verdade Dela eu sempre tive medo de não ser E sempre fui seu seguidor. Hoje passei a ser um, mentiroso, um traidor Sem nem ao menos saber o por que. Este abismo parece aumentar À medida que me afasto. E a sombra parece não querer me largar A cada vez que apresso o passo. Sou apenas um pobre ser humano Com uma dor imensa no coração. Que não tem mais pano pra enxugar As lágrimas da dor dessa fenda da separação.
  6. 6. 7 De uma hora pra outra, agente nem percebe e o tempo passou. Passam-se 1, 2, 3, 10, 11, 20 anos sem que agente note. Quem nota é a mente, que não está tão atenta, O corpo, que não está mais tão jovem, Quem percebe a passagem do tempo é memória, Que vai ficando mais cheia. ou confusa. O tempo passa pra todo mundo. Faça plástica e o escambau, ele chega bem sorrateiro. Segundo a segundo te leva um pouco da juventude. Lembro-me de quando eu tinha cinco anos e só queria brincar. Eram poucos os recursos, mas eu nem ligava. Pedrinhas viravam carros, bonecos, aviões... E tudo mais o que eu não podia ter. E eu era feliz daquele jeito. Mais cinco anos e já não era mais assim. E mais cinco, mais cinco, mais cinco, e mais cinco e mais um. Estou eu aqui, prestes a completar mais um ano. E tanta memória foi destruída pelos atropelos da vida, Mas muita memória ainda vive, Para me fazer notar que o tempo sempre chega pra todo mundo. Hoje existe um buraco bem no meio do meu tempo, Nos lados passando na velocidade da luz, E no meio em câmera lenta, a quatro mil frames por minuto, E eu tentando sair pra qual quer um dos lados Mas estou no meio, parado, olhando, pensando E deixando, contra a minha vontade, o tempo passar. Viva seus dias como se o tempo tivesse correndo de você, Vá atrás dele e não deixe passar sem você embarcar. Boa noite!
  7. 7. 8 Palavras ditas sem freio nem rodeios Palavras de ofensa gratuita Mas ao mesmo tempo de desespero E desejo que tudo não passe de um pesadelo. Palavras que ora de carinho hoje apenas desalinho Denigrem absurdamente apenas pela dor não poder mais ter. Vagam pelas ondas magnéticas como um redemoinho. E entram nos ouvidos convulsivas, a se debater. Desejo que tudo isso um dia acabe E que toda a paz que nunca existiu nasça Firme e feroz, sem deixar brechas para a beligerância E que novamente o amor hoje ferido Seja o mesmo amor que beija e abraça
  8. 8. 9 Misteriosos olhos que não sei de onde vem Misterioso olhar hipnótico; dá calor, sede. Misteriosa descoberta por acaso, sem ninguém Misteriosas cores. Não sei se cinza, azul ou verde. Que voz é essa que nunca ouvi Que gosto é esse que nunca senti Que estranha sensação De distancia, desejo e solidão Pisando num chão mais firme Que todo esse mundinho virtual Como uma cena de um bom filme Só saberemos o desfecho no final. Que final?
  9. 9. 10 Minhas mãos grossas e pesadas carregam o mais puro néctar da delicadeza ao ser empunhada ao corpo de uma mulher, que espera ansiosa por um afago.
  10. 10. 11 Metafisicamente ainda sinto seu cheiro no meu rarefeito ar. E sinto sua presença no meu intimo dos mais obscuros e profundos possíveis.
  11. 11. 12 Estou bem próximo do mais distante ponto de fusão entre o ser e o deixar de existir. Onde estou?
  12. 12. 13 Para onde vai o amor que desencarna? Será que há uma chance de reencarnar no mesmo amor que ficou?
  13. 13. 14 A força da imaginação não muda o rumo do trem da vida, ele sempre volta para a mesma estação quando fechamos os olhos e dormimos.
  14. 14. 15 Meu sonho só é sonho se for forjado em sono profundo, onde nele posso sair da realidade suja que a vida real me proporciona.
  15. 15. 16 Tenho tempo para ter esse tempo todo? Não!
  16. 16. 17 Quem vê um sorriso nesse rosto ao dia Não imagina a tristeza e a agonia Que preenche meu ser Sempre que em decúbito estou. Pensamentos a duras léguas não param Sono avesso à minha pessoa Nenhuma idéia de como posso isso parar Apenas observo, Cada hora do relógio passar. Sonho sozinho, e nele eu não me encontro. Acordo a todo instante, Nos olhos, lágrimas de um choro infante. De quem não sabe mais onde se apoiar. Linhas tortas, escritas sem caneta ou papel Desenho letras em palavras num restinho De poeira no chão, onde a lua cheia ilumina Pela brecha da janela, lá no alto do céu.
  17. 17. 18 Fica sempre à sombra da dúvida. Se está ali apenas a olhar Ou se simplesmente quer algo dizer. Mesmo que sem palavras, Ou com cem palavras. Mistério que sempre irá pairar no meu ar. Mistério que talvez nunca eu havera de saber. Nem sei se é bom mais perto estar. Ou se estava melhor o antes de hoje ser. É difícil tentar achar. Muito mais ainda tentar ver. O que eu nem sei o que procurar, Ou o que eu procuro entender. Apenas ando. Apenas penso. Apenas observo o movimento dessa maré. De uma forma ou de outra, Deixa apenas um até... Breve.
  18. 18. 19 Seria longa a distancia a se percorrer Virou sereia na praia do Leblon Sorriso marcante chega a entorpecer Junto ao brilho ofuscante desse olhar marrom. Morena cor que destaca Natural como o ar Sem adicionais forjados Beleza vinda antes mesmo de andar. Ainda humana, ainda fêmea, ainda mulher. Continua em cima, não desce. Diferente dessas mulheres mutantes, Hoje, praticamente outra espécie. Não seja mais uma exuberante peça de enfeite Nos palcos e eventos mundo a fora. Seja ímpar, nesse tão copiado e colado mundo E não deixe mulher integral que você ainda é Pasteurizar e ir embora
  19. 19. 20 Quando você se lembrar, apague a memória Vá recomeçar. Quando você se esquecer, faça um backup Tente recuperar. Quando a saudade bater, formate o coração Crie outra partição Separe o que for amor do que for paixão. Tente lembrar do que não fez Faça isso mais uma vez Se funcionar, é melhor parar É melhor voltar Restaurar o sistema Reiniciar.
  20. 20. 21 Se você me encontrar Me perca. Se você me perder Não ligue. Se a saudade chamar Ignore. Quando lembrar de mim Não chore. Se eu pedir pra ficar Não fique. Se eu me arrepender Vá embora... Agora! Quando for dormir Não pense. Quando acordar seja... Você. Só você. Sem mim, Em fim.
  21. 21. 22 Só sei que ainda vou te envolver nos meus braços. Te fazer gozar os dias de folga da solidão. Abrindo bem forte o compasso Entrando firmemente nessa úmida escuridão.
  22. 22. 23 Saber que não é bem vindo. Saber que incomoda. Saber que quanto mais longe melhor. Saber que sempre foi assim. Querer sempre sumir, mas sem meios. Querer sempre se defender, mas sem direito Querer sempre apenas ter, e não ser respeitado Querer sempre o que nunca terei. Odiar é o que me resta? Odiar é alguma forma de defesa? Odiar é um golpe contra quem? Odiar é sentir-se aliviado? Se chego, saem. Se falo, ignoram. Se sinto, debocham. Se grito se incomodam. Cada vez mais eu sinto que não deveria estar aqui. Cada vez mais eu sinto que nunca mudará. Cada vez mais eu sinto que morrerei só. Cada vez mais eu sinto que não adianta nada. Nem lágrimas saem mais. Nem gritos saem mais. Nem sonhos saem mais. Nem veneno nem antídoto. Qual a finalidade de se estar vivo? Qual a finalidade de ser humano? Qual a finalidade do ser Humano? Qual a finalidade do ser Vivo? Ter dinheiro e pisar em quem não tem.
  23. 23. 24 Encontro ao acaso no meio do nada Muito tempo passado e nenhuma palavra Conversa convexa, às vezes complexa Como quem já viveu aquele momento Sorriso largo, gargalhada solta. Primeiro numa praça, agora em outra. Sentado olhando pra cima e pensando Por que é que ela está voando. Sorrindo e acenando com uma das mãos. E meus pés firmados bem forte no chão. E os olhos se abrem. E tudo volta ao normal.
  24. 24. 25 Cuspo no chão o agouro do amor Vitamina pra terra Alimenta o calor. Deixo minhas moléculas à mercê da poeira. Como minha carreira, em um pires qualquer. Arrebento meus calos, num machado cego Nessa vida não nego o que não for pra negar. Pingo suor cansado num asfalto fervente, Mesmo estando doente, nunca penso em parar. Cuspo no chão novamente, branco e seco o cuspe está Dessa vez consciente, e prestes a desmaiar. Caindo lentamente, meu rosto se encontra com o chão, Vários ossos da face quebrados Hemorragicamente, vejo meu sangue e meu cuspe Uniformemente se juntar. Agora vejo meu corpo acima não sei de onde, Acredito que possa estar morto Estou me chamando, Por que não responde? 19/02/2014
  25. 25. 26 Solidão me acalma, mas no fundo me espeta. Atitude incorreta, de enganar minha alma. Seja torta ou reta, minha estrada não falha, Nem nunca me atrapalha, coordenada certa. Mais ninguém me interessa, Nesse mundo tão grande. Desespero se expande Está faltando uma peça, pra poder funcionar. Nem some de vez nem regressa, Impregna meu sono. Pesadelo não cessa. Como um cão sem dono, Qualquer um me atinge. Mas não falo nada, só observo, Tal qual a esfinge. Com os olhos abertos E uma mão cerrada. Apontando pra cima, Pra tentar exibir, Um poder invisível Que nunca esteve ali. Que me enganou em momentos Onde pedia paz. E os meus sofrimentos Só cresciam mais E mais. 19/02/2014
  26. 26. 27 O que explode da pele, Dilacera músculos e rompe vasos. Sangra da carne, pende dos ossos. Mutila, machuca, marca. O que nasce da terra Rompe camadas, rasga o solo Atinge a luz, Grita! Chora! O que tira o fôlego, Abafa o vento, Transporta a agonia Libera o medo Foge! O que tapa os olhos Jorra da poça Espalha no chão Do sangue escuro Da lata do lixo! Do jornal de ontem Da televisão. O que finge ser um. Na verdade é outro. Nem sabe mais onde, Se escondeu o primeiro Pendendo das dores Rompendo os limites Agindo sozinho. Morrendo de amores. 19/02/2014
  27. 27. 28 Saudade é uma palavra tão nossa, Que é impossível substituir por qualquer coisa que seja. Saudade dói se for de dor, Se for de amor, se apenas for. Saudade palavra completa, nem curva e nem reta Nem alisa nem espeta, apena é, Apenas foi, apenas será. De quem sente, de quem sentiu, de quem sentirá, Saudade lembrando, saudade chorando, saudade esquecendo Saudade cantando, saudade pensando, saudade morrendo. Saudade é uma palavra tão nossa, Que às vezes irrita. A partir de hoje vou é dizer, I miss you! 16/02/2014
  28. 28. 29 Enquanto você me olha Com esse jeito malicioso e sutil Me vem um calor intenso, Seguido de um arrepio! Olhar agateado, Meio cinza, meio azul. Me deixa travado, estagnado. Apenas te olhando de Norte a sul. Quero te pegar com força nos meus braços Quero te envolver intensamente no meu calor Entre beijos e amassos, Nos entrelaçarmos de amor.
  29. 29. 30 Quem disse que dizer eu te amo é démodé? Quem disse que eu não posso isso dizer? Tanto tempo Procurando quem... Muito tempo reservando pra alguém Três palavras tão simples, Mas se ditas sem verdade Destrói o sentido inicial a que ela se propõe Mas que não demorou muito, estando com você Pra que minha voz destravasse, E em alto e bom som pudesse dizer. Eu te Amo!
  30. 30. 31 Deixa-meeu sentir seu gosto na minha boca. Seu gosto em êxtase! Sua respiração quente no meu pescoço Tentando sem conseguir, falar. É lindo ver seus olhos apertados Seus lábios entre os dentes Suas unhas suavemente arranhando minha pele Seu grito contido. Nem alfa, nem beta Apenas homem. O teu homem! O teu amor! Teu! De mais ninguém
  31. 31. 32 São os olhos que se vêem As mãos que se tocam As bocas que se beijam Os corpos que se enlaçam. A voz baixinha sussurrando no ouvido. Arrepia os pelos Mexe com os nervos Atiça a paixão. Emoção. Tesão. Frio que percorre desde a nuca até os pés. Suor que encharca o rosto E molha. Até onde se pode ver. E não. Corpos em evidencia Desejo em ebulição. Espantando de vez a carência Preenchendo de vez O vazio da solidão.
  32. 32. 33 Eu espero que tudo tenha jeito Eu espero que seja bem feito. Eu espero que não me arrependa. Eu espero que me compreenda. Eu espero que não sinta Eu espero que não minta. Eu espero que me ainda ame. Eu espero que um dia me chame. Eu espero que a espera acabe. Eu espero que dessa vez te agrade. Eu espero que a gente se encontre Eu espero que você me demonstre. Eu espero que você esteja esperando Eu espero que estejamos nos amando. Eu espero por você. Eu espero você de novo me querer.
  33. 33. 34 Muitas vezes tentamos passar despercebidos, Muitas vezes conseguimos. Muitas vezes queremos ser notados, Muitas vezes não conseguimos. Mas a cada tentativa deixamos rastros. Rastros de cada passo, Rastros de cada cor, Rastros de cada sonho, Passos de cada amor. Somos rastros de poeira, Somos restos de estrelas Somos passos marcados e descompassados Somos pasto, Somos lastro, Somos rastros. Somos só!
  34. 34. 35 Pálpebra pesa, e umidificada então é que pesa mesmo!
  35. 35. 36 Ninguém que tente desvendar esse crânio cheio de rugas e rusgas. Pois eu mesmo já desisti de tentar me entender.
  36. 36. 37 Duas faces de uma mesma cabeça inundada de mágoas e tristezas. Um lado tenta manter-se acesso e o outro se agarrou na escuridão.
  37. 37. 38 Quando guardamos para nós Algo que deveria ser dito para outra pessoa, Aquilo vira uma bola de areia dentro da garganta. E machuca cada vez que é lembrado. Quando não dizemos o que sentimos, Engolimos a secura da covardia E o medo do inesperado E que machuca cada vez que é lembrado. Passam-se cinco, dez, vinte, trinta anos. E aquilo fica lá, inato, pronto pra ser usado, Mas não será; nunca será. E machuca cada vez que é lembrado. Talvez alguém tenha algo a dizer, Talvez alguém tenha medo do que pode acontecer, Talvez alguém se canse de estar engasgado. Mas se ficar guardado... Vai machucar, e muito, cada vez que for lembrado.
  38. 38. 39 Só me sinta. Me deixe ser infinito. Nunca apague os meus escritos no seu coração. Só me deixe ser único mesmo não sendo mais seu.
  39. 39. 40 Por onde andam as ondas? Por onde andam os olhos azuis? Por onde andam as minhas maçãs? Por onde anda você? Por onde anda sua voz? Por onde andam os meus dengos? Por onde andam seus dedos? Das mãos e dos pés. Por onde andam seus risos? Por onde anda nosso amor? Por onde anda você? Por onde ando eu? Quem sabe aqui ou ali. Mas não estou perto de você. Cadê você?
  40. 40. 41 Apenas seja. Não pense em nada, seja. Mande as dúvidas pra puta às pariu. Respire, olhe bem adiante. Foque, não titubeie. Ali está seu objetivo. Corra! Vá atrás dele. Você não é o objetivo dele, ele é o seu. Mova-se! Levante dessa cadeira, dessa cama. Dessa prisão mental, que te acorrenta ao nada. Apenas seja. Seja o mais forte e inteligente que você conhece. Depois deixe o mundo te conhecer como o mais forte e inteligente. Apenas seja.
  41. 41. 42 O que sou eu além de apenas sonhador? Sonhos de mares e montes De lagos e margens. De portos e estradas. De visões. Quem sou eu, que só percebe quando é tarde? Que não nota as pequenas castidades, Prontas para se extinguir. Sou apenas o inocente, ou o com problemas na mente? Que não vê o óbvio em sua frente. O que sou além de uma amador? Amador das mulheres inexistentes Dos encantos inocentes, Das viagens complexas da mente. Do amor amargo da gente. O que sou? O que penso que era? O que acredito que serei? Não sei, até que você venha e me fale.
  42. 42. 43 Atiça o cio, Revela o filme, Mostra a imagem Feita apenas na imaginação. Sem pressa, sem afobação. Tira do corpo o âmago do desejo. Esbanja energia, solta teu medo. Me espera de braços e corpo abertos. Deita no meu peito e sente A noite apenas começar a te envolver. Sente minha pele junto a tua se esconder. E explode! Uma, duas, três vezes de uma só vez. Depois me olha com olhar perdido no tempo. Me pedindo, sem conseguir falar, algo mais.
  43. 43. 44 Apenas seu intimo sentido me atiçou. Sua sutileza inocente. Seu jeito desmantelado de ser. Suas mãos macias e seus lábios quentes. Um gosto suave de um desejo cru. Uma parte de mim se envolve Entres as curvas do seu corpo quase nu Que me deixam com os nervos em ação. Apenas eu sei o que vem de dentro de você. E apenas você sabe o que vem de mim. Não precisa ninguém mais saber O que no mais escuro quarto tem seu fim.
  44. 44. 45 Onde é o único lugar onde eu posso te ver e tocar? Onde é o único lugar onde você e eu somos um? Onde é o único lugar onde nossas vidas se encontram? Onde é o único lugar onde você não é apenas desejo? No sonho! Lá é onde o improvável pode ser possível. E somente lá você é possível. Somente lá você é palpável. Apenas lá você pode ser minha, Mesmo que por uma noite. Noite após noite.
  45. 45. 46 Ao abrir os olhos de manhã, irradiado de alegria. E com o passar das horas é tomado pela agonia. Andando de um lado para o outro, não tem rumo. Apenas espera a noite chegar para usar dela seu sumo. Disléxico, não raciocina nem assimila. Vaga solitário pelos imensos 40 metros quadrados De seu apartamento. Olha pela janela, na esperança de uma visita inesperada. Olha pro telefone esperando que tenha uma chamada. Nada! Nada acontece, e o dia se arrasta, Como que com uma corrente, com uma bola de ferro, Nos seus pés amarrado. Uma coragem ínfima de fazer o que quer que seja. Nada além de vozes identificáveis ele deseja. Não tem! Só o som do silencio destrutivo que agora o toma. Nem mesmo os ruídos dos vizinhos são perceptíveis E as pessoas desconhecidas passaram a ser invisíveis. Agoura a si próprio que faleça. E de uma vez por todas esqueça, que um dia esteve com alguém, E logo em seguida se ver cercado de ninguém.
  46. 46. 47 Estar só e se sentir bem. Momento raro ultimamente. Preferiria uma única companhia hoje a muitas pessoas. Mas precisamente hoje, estou em boa companhia. Comigo mesmo.
  47. 47. 48 Triste é saber que não vou ter mais seu gosto na minha boca. Que nossa história de amor se tornou um conto de terror. Que nossos planos foram pelo ralo. Do nosso amor só restou farpas e dor. Queria de volta as minhas bolinhas de gude Meus pezinhos longos com dedinhos compridos. Mas só sobrou o ódio e o ranço E o que mais puder de ruim acontecer. Queria apenas ter uma máquina do tempo. Para consertar o que um dia fui. E quem sabe reestruturar uma vida toda Que foi jogada fora por motivos fulos.
  48. 48. 49 Anjos de bronze, anjos de louça, de porcelana. Num criado mudo, Ou mesmo os anjos miúdos, Num chaveiro qualquer. Anjos de asas compridas, Anjos de armas nas mãos. Anjos de todas as raças. Anjo de cada nação. Anjo de porta retrato, de camisa de botão. De guarda ou de prontidão. Anjo de luz, Ou o anjo da escuridão. Celestes seres da imaginação humana. Tema de poetas e poetisas De vários livros e canções Anjos de carne, de pele, de olhos Anjos de atração,de insinuação. Anjos de todos os desesperados Que apelam para eles Quando fazem algo errado E volta a fazer quando o pedido da certo.
  49. 49. 50 Vem! Me encanta apenas com palavras. Não me deixa te ver sem antes te conhecer. Me mostra apenas o lado que não pode se perder. O lado oculto do desconhecido mais intimo. Me olha, mesmo sem me ver. Sente o frio na barriga só de pensar em mim. Não me mostra tudo,deixa a imaginação fluir. E no ápice do encontro o desejo explodir. Vem! Mas vem sem pensar em desistir. Se entregar, sem pensar no que vai acabar. Deixa que a natureza faça o seu papel E nosso ciclo estará completo. Vem! Agora me mostra, e se amostra. Com tudo o que você tem. E não é de mais ninguém Além de mim. Vem!
  50. 50. 51 O mais difícil nesses 31 anos de vida É não saber como fazer para encarar o mais duro golpe De perder o que se ama duas vezes em tão pouco tempo.
  51. 51. 52 Eu só te amo quando respiro. Essa é a minha condição.
  52. 52. 53 I go to forget my pain and I’ll fly to the end You been away, although be here all the time And all my tears were in vain. You stole my only reason to be live You really don't know that o want. And I think that you never knew If you love me or not. Try to explain that's don't have explanation Try to see what don't exist Try to feel that is happy, but isn't. This my pain, this is my song for their heart To you heart. Go! And never return's from there This my pain, this is my song for their heart To you heart.
  53. 53. 54 O fim. O que é o fim? Recomeço ou puramente fim? Sempre haverá essa dúvida. O fim do mundo, o fim da linha, O fim do mês, o fim do ano. O fim do filme, o fim do jogo, O fim da música, o fim de semana. O fim da tarde, o fim da dor, O fim do amor, o fim da força, O fim do choro, o fim da briga, O fim do fim, o fim da vida. O último suspiro, A última gota de suor. A última palavra, O último adeus.
  54. 54. 55 Palavras ditas e reditas em vão. Fragmentos de lembranças que não existem. Males que nunca serão curados. Feridas que nunca cicatrizam. O que sobra é desconexão. Poucos se fazem presentes. E eu queria só uma. Uma única voz. Mais nada. O que se deseja é o fim Ou um 'reload' da mente. O que vier primeiro. Essa configuração atual não serve mais. Espero sinceramente que gradualmente Um a um faça a sua desconexão Desde dispositivo humano chamado EU. E que este conector virtual passe a ser um deserto Tal qual minha vida e minha mente.
  55. 55. 56 A FACE
  56. 56. 57 RETALHOS
  57. 57. 58 BLOOBEELOO
  58. 58. 59 URSO
  59. 59. 60 TCHEERROWS
  60. 60. 61 SUBTERRENO
  61. 61. 62 LINGUS
  62. 62. 63 SOLARIS OMNIBUS
  63. 63. 64 HAKEBER HADNIH
  64. 64. 65 ULOSCO
  65. 65. 66 RASTROS
  66. 66. 67 PELOS
  67. 67. 68 AMÁVEL
  68. 68. 69 ME DEIXA, E VIVE
  69. 69. 70 CAOLHO
  70. 70. 71 RENDA-SE
  71. 71. 72 VALVAS
  72. 72. 73 CAIU NA REDE É POSTAGEM
  73. 73. 74 APENAS SINTA
  74. 74. 75 CAOS...CAO...CA...C
  75. 75. 76 SOLIDÃO
  76. 76. 77 ASTROS E ATRASOS
  77. 77. 78 MAMON
  78. 78. Outras Estórias Contando o que sinto e escrevo em traços e textos RRaaffaa RRooddrriigguueezz

×