SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
ELEMENTOS DA CARTOGRAFIA
A TERRA E SUAS PAISAGENS
ENSINO FUNDAMENTAL 2
Para estudar e representar a geografia do nosso planeta,
recorreremos de forma intensa ao uso e à interpretação de mapas,
fontes fundamentais para o entendimento do espaço, já que desde
épocas muito antigas são produzidos para ajudar os seres humanos
a se localizarem e desvendarem a superfície terrestre.
ELEMENTOS DA CARTOGRAFIA
Os mapas produzidos ao longo dos tempos são hoje peças
fundamentais para o entendimento da história da humanidade e
para o entendimento da construção do espaço geográfico, pois,
além de expressarem uma forma de compreensão dos territórios,
também revelam a concepção que se tinha do mundo na época
em que foram feitos.
Vamos aprofundar o estudo de alguns elementos da Cartografia
fundamentais para a construção dos mapas, como a escala, a
legenda e a orientação.
ELEMENTOS DA CARTOGRAFIA
Em anos anteriores, estudamos a história da Cartografia e os
elementos presentes no mapa, entre eles a escala, que significa a
relação entre o espaço real e a sua representação no mapa. O
mapa é sempre uma redução proporcional do espaço, e a sua
escala dimensiona essa redução.
Há dois tipos de escala: a escala gráfica, que você já estudou; e
a escala numérica, que vamos aprender agora.
A ESCALA
Escala gráfica:
A escala gráfica indica, por meio de uma reta, a relação entre
um centímetro do mapa e a distância real. Os valores da escala
gráfica aparecem normalmente em km ou m. Por exemplo:
No exemplo, um centímetro do papel equivale a 100 quilômetros
da área representada.
A ESCALA
Escala numérica:
A escala numérica normalmente é expressa por uma fração, cujo
numerador é a medida no mapa e o denominador, a medida
correspondente no terreno. Os valores da escala numérica são
sempre em cm. Por exemplo:
No exemplo, um centímetro do papel equivale a 10 000 000
centímetros da área representada, ou 100 quilômetros.
A ESCALA
Você se lembra de como se faz essa conversão?
A ESCALA
A escala escolhida para fazer o mapa deve levar em conta o
detalhamento que queremos (essa escala é feita pelo cartógrafo,
atendendo ao interesse do momento). Mapas que precisam de
grande nível de detalhamento, como plantas e mapas topográficos,
que representam rios ou colinas, usam escalas grandes; já os mapas
que representam grandes áreas, e cujo nível de detalhamento é,
portanto, menor, usam escalas pequenas, ou seja, representam uma
grande área do planeta em uma área proporcionalmente
pequena.
A ESCALA
A ESCALA
A legenda
A legenda é um conjunto de sinais e cores, presentes no mapa,
que traduzem aquilo que o autor quis expressar. Esses elementos
cartográficos aparecem na forma de signos ou grafismos, criando
um quadro de sinais que permite interpretar aquela carta ou mapa.
São usados diferentes sinais gráficos para cada tipo de mapa.
A ESCALA
A legenda
Observe algumas dessas convenções cartográficas:
A ESCALA
A orientação
Todos os mapas devem ter uma referência de orientação dada
pelo posicionamento da rosa dos ventos. A orientação espacial
consiste em ajustar a direção em relação aos pontos cardeais e
colaterais. Com a rosa dos ventos presente nos mapas, sabemos
exatamente qual o posicionamento da área estudada em relação
ao oriente, local onde o Sol surge pela manhã.
A ESCALA
HORA DO DESAFIO
Vamos agora calcular algumas escalas. Para isso, observe os
exemplos a seguir.
1. Em um mapa cuja escala numérica é 1 : 250 000, qual a
distância real entre duas cidades separadas no mapa por 4 cm?
1 x = 250 000 . 4
1 x = 1 000 000 cm ou 10 km
A escala do mapa é, portanto, 1 000 000 cm ou 10 km.
HORA DO DESAFIO
Vamos agora calcular algumas escalas. Para isso, observe os exemplos a
seguir. Agora, é a sua vez de calcular!
A distância em linha reta entre São Paulo e Belo Horizonte é de 500 km. Em
um primeiro mapa, ela mediu 5 cm. Em um segundo mapa, essa mesma
distância mediu 10 cm. Assim, podemos afirmar:
a) No primeiro mapa, a escala é 1 : 10 000 000 e, no segundo mapa, a escala é 1 : 5 000
000.
b) O primeiro mapa é mais rico em detalhes que o segundo.
c) A escala do primeiro mapa é o dobro da escala do segundo.
d) Nos dois mapas, é possível observar detalhes de cidades.
e) No primeiro mapa, a escala é 1 : 20 000 000 e, no segundo mapa, a escala é 1 : 10
000 000.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BOLIGAN,Levon (et). Geografia, Espaço e vivência. Volume 1, 6ª edição,
Editora Atual, São Paulo, 2016.
MELHEM, Adas (et). Expedições Geográficas, Volume 1, 9ª edição,
Editora Moderna, São Paulo, 2013.
VESENTINI, José Willian. Projeto Teláris - Geografia. Volume 1, 23ª edição,
Editora Ática, São Paulo, 2009.
CHIANCA, Rosaly Maria (et). Nos dias de hoje - Geografia. Editora Leya,
São Paulo, 2013.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 006_8°ano_Elementos da Cartografia .pdf

Aulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e Escala
Aulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e EscalaAulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e Escala
Aulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e EscalaEduardo Mendes
 
Cartografia - A ciência dos mapas - slides
Cartografia - A ciência dos mapas - slidesCartografia - A ciência dos mapas - slides
Cartografia - A ciência dos mapas - slidesArmando Sbragia
 
A cartografia 2013
A cartografia  2013A cartografia  2013
A cartografia 2013GeografiaVR
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesVitor Vieira Vasconcelos
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeçõeskarolpoa
 
Documentos cartográficos conceitos e representações
Documentos  cartográficos   conceitos e representaçõesDocumentos  cartográficos   conceitos e representações
Documentos cartográficos conceitos e representaçõesLuciano Pessanha
 
Revisão de geografia 1º ano
Revisão de geografia 1º anoRevisão de geografia 1º ano
Revisão de geografia 1º anoeunamahcado
 
Aula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptx
Aula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptxAula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptx
Aula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptxMrcioHenrique50
 

Semelhante a 006_8°ano_Elementos da Cartografia .pdf (20)

Espaço geográfico
Espaço geográficoEspaço geográfico
Espaço geográfico
 
elementos dos mapas.pdf
elementos dos mapas.pdfelementos dos mapas.pdf
elementos dos mapas.pdf
 
Aulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e Escala
Aulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e EscalaAulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e Escala
Aulas 1º Téc. Integrados - Cartografia e Escala
 
02 cartografia geral
02 cartografia geral02 cartografia geral
02 cartografia geral
 
Unidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoanoUnidade 2 sextoano
Unidade 2 sextoano
 
1geo04
1geo041geo04
1geo04
 
Geografia cartografia
Geografia   cartografiaGeografia   cartografia
Geografia cartografia
 
Escala
EscalaEscala
Escala
 
Cartografia - A ciência dos mapas - slides
Cartografia - A ciência dos mapas - slidesCartografia - A ciência dos mapas - slides
Cartografia - A ciência dos mapas - slides
 
A cartografia 2013
A cartografia  2013A cartografia  2013
A cartografia 2013
 
A cartografia 2013
A cartografia  2013A cartografia  2013
A cartografia 2013
 
Escalas: Conceitos e Aplicações
Escalas: Conceitos e AplicaçõesEscalas: Conceitos e Aplicações
Escalas: Conceitos e Aplicações
 
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicaçõesEscalas, Resolução: Conceitos e aplicações
Escalas, Resolução: Conceitos e aplicações
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeções
 
Escala cartográfica
Escala cartográficaEscala cartográfica
Escala cartográfica
 
Cartografia 1° Ano
Cartografia 1° AnoCartografia 1° Ano
Cartografia 1° Ano
 
Documentos cartográficos conceitos e representações
Documentos  cartográficos   conceitos e representaçõesDocumentos  cartográficos   conceitos e representações
Documentos cartográficos conceitos e representações
 
Revisão de geografia 1º ano
Revisão de geografia 1º anoRevisão de geografia 1º ano
Revisão de geografia 1º ano
 
Aula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptx
Aula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptxAula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptx
Aula 6 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem. Cartografia.pptx
 
cartografia
cartografiacartografia
cartografia
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 

Último (20)

Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 

006_8°ano_Elementos da Cartografia .pdf

  • 1. ELEMENTOS DA CARTOGRAFIA A TERRA E SUAS PAISAGENS ENSINO FUNDAMENTAL 2
  • 2. Para estudar e representar a geografia do nosso planeta, recorreremos de forma intensa ao uso e à interpretação de mapas, fontes fundamentais para o entendimento do espaço, já que desde épocas muito antigas são produzidos para ajudar os seres humanos a se localizarem e desvendarem a superfície terrestre. ELEMENTOS DA CARTOGRAFIA
  • 3. Os mapas produzidos ao longo dos tempos são hoje peças fundamentais para o entendimento da história da humanidade e para o entendimento da construção do espaço geográfico, pois, além de expressarem uma forma de compreensão dos territórios, também revelam a concepção que se tinha do mundo na época em que foram feitos. Vamos aprofundar o estudo de alguns elementos da Cartografia fundamentais para a construção dos mapas, como a escala, a legenda e a orientação. ELEMENTOS DA CARTOGRAFIA
  • 4. Em anos anteriores, estudamos a história da Cartografia e os elementos presentes no mapa, entre eles a escala, que significa a relação entre o espaço real e a sua representação no mapa. O mapa é sempre uma redução proporcional do espaço, e a sua escala dimensiona essa redução. Há dois tipos de escala: a escala gráfica, que você já estudou; e a escala numérica, que vamos aprender agora. A ESCALA
  • 5. Escala gráfica: A escala gráfica indica, por meio de uma reta, a relação entre um centímetro do mapa e a distância real. Os valores da escala gráfica aparecem normalmente em km ou m. Por exemplo: No exemplo, um centímetro do papel equivale a 100 quilômetros da área representada. A ESCALA
  • 6. Escala numérica: A escala numérica normalmente é expressa por uma fração, cujo numerador é a medida no mapa e o denominador, a medida correspondente no terreno. Os valores da escala numérica são sempre em cm. Por exemplo: No exemplo, um centímetro do papel equivale a 10 000 000 centímetros da área representada, ou 100 quilômetros. A ESCALA
  • 7. Você se lembra de como se faz essa conversão? A ESCALA
  • 8. A escala escolhida para fazer o mapa deve levar em conta o detalhamento que queremos (essa escala é feita pelo cartógrafo, atendendo ao interesse do momento). Mapas que precisam de grande nível de detalhamento, como plantas e mapas topográficos, que representam rios ou colinas, usam escalas grandes; já os mapas que representam grandes áreas, e cujo nível de detalhamento é, portanto, menor, usam escalas pequenas, ou seja, representam uma grande área do planeta em uma área proporcionalmente pequena. A ESCALA
  • 10. A legenda A legenda é um conjunto de sinais e cores, presentes no mapa, que traduzem aquilo que o autor quis expressar. Esses elementos cartográficos aparecem na forma de signos ou grafismos, criando um quadro de sinais que permite interpretar aquela carta ou mapa. São usados diferentes sinais gráficos para cada tipo de mapa. A ESCALA
  • 11. A legenda Observe algumas dessas convenções cartográficas: A ESCALA
  • 12. A orientação Todos os mapas devem ter uma referência de orientação dada pelo posicionamento da rosa dos ventos. A orientação espacial consiste em ajustar a direção em relação aos pontos cardeais e colaterais. Com a rosa dos ventos presente nos mapas, sabemos exatamente qual o posicionamento da área estudada em relação ao oriente, local onde o Sol surge pela manhã. A ESCALA
  • 13. HORA DO DESAFIO Vamos agora calcular algumas escalas. Para isso, observe os exemplos a seguir. 1. Em um mapa cuja escala numérica é 1 : 250 000, qual a distância real entre duas cidades separadas no mapa por 4 cm? 1 x = 250 000 . 4 1 x = 1 000 000 cm ou 10 km A escala do mapa é, portanto, 1 000 000 cm ou 10 km.
  • 14. HORA DO DESAFIO Vamos agora calcular algumas escalas. Para isso, observe os exemplos a seguir. Agora, é a sua vez de calcular! A distância em linha reta entre São Paulo e Belo Horizonte é de 500 km. Em um primeiro mapa, ela mediu 5 cm. Em um segundo mapa, essa mesma distância mediu 10 cm. Assim, podemos afirmar: a) No primeiro mapa, a escala é 1 : 10 000 000 e, no segundo mapa, a escala é 1 : 5 000 000. b) O primeiro mapa é mais rico em detalhes que o segundo. c) A escala do primeiro mapa é o dobro da escala do segundo. d) Nos dois mapas, é possível observar detalhes de cidades. e) No primeiro mapa, a escala é 1 : 20 000 000 e, no segundo mapa, a escala é 1 : 10 000 000.
  • 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BOLIGAN,Levon (et). Geografia, Espaço e vivência. Volume 1, 6ª edição, Editora Atual, São Paulo, 2016. MELHEM, Adas (et). Expedições Geográficas, Volume 1, 9ª edição, Editora Moderna, São Paulo, 2013. VESENTINI, José Willian. Projeto Teláris - Geografia. Volume 1, 23ª edição, Editora Ática, São Paulo, 2009. CHIANCA, Rosaly Maria (et). Nos dias de hoje - Geografia. Editora Leya, São Paulo, 2013.