Anemia aplástica

1.976 visualizações

Publicada em

Sobre as amenias por falta de tecido hematopoetico

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.976
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anemia aplástica

  1. 1. ANEMIA POR FALTA DE TECIDO HEMATOPOETICO BRUNA EDUARDA RAQUEL VASCONCELOS SUMAYA CHRISTINA Prof.ª: ELIANE BAIA
  2. 2. Introdução A falta de tecido hematopóetica pode decorrer de atrofia com substituição do parênquima por gordura (anemia aplástica) de proliferação neoplásica, de granulomatose, de fibrose, de defeitos metabólicos ou de necrose da medula óssea. A pancitopenia sem causa óbvia é a principal indicação de exame da medula óssea.
  3. 3. Definição de Pancitopenia É a diminuição no hemograma de todas as principais linhagens celulares eritrócitos, leucócitos e plaquetas em decorrência de várias causas que podem ser amplamente divididas em diminuição de produção de medula óssea ou aumento da destruição periférica.
  4. 4. Causa de pancitopenia Diminuição da função da medula óssea Aplasia Leucemia aguda, mielodisplasia, mieloma Infiltração por linfoma, tumores sólidos, tuberculose Esplenomegalia
  5. 5. Definição de Anemia Aplasia(AA) É uma falha da medula óssea caracterizada pela pancitopenia no sangue periférico, com resultado de uma diminuição da produção de células sanguíneas na medula óssea, e pela substituição por gordura. Pode ser congênita (hereditária) ou adquirida. Mais frequente em indivíduos de 10-25 anos ou maiores que 60 anos.
  6. 6. Etiologia
  7. 7. Características AA É uma agressão à célula – tronco hematopoiética pluripotentes, acarretando sua diminuição em número ou até sua ausência na medula óssea.
  8. 8. Sinais e Sintomas Fraqueza, fadiga e angina de peito; Leucopenia, trombocitopenia; Infecções respiratórias; Epistáxis, equimoses cutâneas; Hemorragias graves (trato gastrointestinal, SNC); Hepatomegalia e esplenomegalia; Febre, tonturas e cefaleia; Hematomas e sangramento gengival.
  9. 9. Causas Congênitas: identificada no nascimento ou nos primeiros dias de vida. Adquirida: uso de alguns tipos de medicamentos, doenças autoimunes, infecções virais e exposição a substâncias químicas tóxicas.
  10. 10. Diagnóstico Hemograma completo com reticulócitos Pancitopenia Reticulocitopenia Análise do sangue periférico (hematoscopia) Hemácias normocíticas, podem ser levemente macrocíticas Demais elementos reduzidos em número, porém de morfologia normal Ausência de células anormais
  11. 11. - Aspirado e biópsia de medula óssea: Medula óssea hipocelular(menos de 30 % de celularidade). Ausência de fibrose ou infiltração neoplásica. Células hematopoiéticas residuais com morfologia normal Exclusão de síndrome hematofagocítica como causa da pancitopenia. - Citogenética da medula óssea: Se normal, a possibilidade de ser mielodisplasia hipoplásica diminui. - Imunofenotipagem de marcadores eritrocitários Ausência de CD55 e CD59: dado encontrado na hemoglobinúria paroxística noturna.
  12. 12. Aplasia de medula óssea (BMO)
  13. 13. Anemia de Fanconi Esta relacionada ao retardo do crescimentos e os defeitos congênitos do esqueleto ( ex. microcefalia, ausência do rádio ou de polegares).
  14. 14. Diagnóstico de Anemia de Fanconi: - Presença de aumento na quebra cromossomial em culturas de linfócitos na presença de agentes ligadores de DNA (DEB – diepoxibutano). - Doença genética caracterizada por: Alterações ósseas Baixa estatura Manchas café – com – leite na pele Anomalias renais (hipoplasia renal, rim pélvico) Microcefalia Retardo mental
  15. 15. Alterações ósseas na anemia de Fanconi
  16. 16. Tratamento: O tratamento da anemia aplástica deve incluir: Retirada de agentes potencialmente responsáveis pelo quadro clínico. Terapia de suporte (Uso de antibióticos e transfusões de hemocomponentes – tentar poupar o uso o máximo possível). Terapia definitiva específica (transplante halogênico x imunossupressão). Globulina antilinfócitica ou antitimocítica (ALG ou ATG). Ciclosporina Andrógenos
  17. 17. Modalidade de tratamento para anemia aplástica: Transplante halogênico de medula óssea (TMO): - Taxa de cura em torno de 60-70%, apesar de complicações como a doença enxerto versus hospedeiro (GVHD). - Rejeição do enxerto é ainda um problema em torno de 5-15% dos pacientes, principalmente naqueles submetidos às inúmeras transfusões antes do TMO. - Mortalidade relacionada ao tratamento aumenta com a idade.
  18. 18. Imunossupressão: - Utilizado a combinação de globulina antitimócito (ATG), ciclosporina e corticoides com ou sem fator de crescimento de granulócitos (G-CSF). - Taxa de resposta (definida como independência transfusional) é em torno de 60-70% em 6 meses nos pacientes com anemia aplástica grave. - É uma opção terapêutica naqueles pacientes com anemia aplástica moderada e dependência transfusional.
  19. 19. Aplasia eritróide pura Há uma anemia normocíticas extrema com ausência de reticulócitos e sem alterações nos leucócitos e plaquetas. Tem a forma crônica ( está associada a vários defeitos somáticos como faciais e cardíacos) e transitórios (está relacionada a drogas). Necrose da medula óssea É a morte das células do estroma resulta da súbita falta de aporte sanguíneos geralmente ocorre ao mesmo tempo em múltiplas áreas, em medulas hipercelulares.
  20. 20. Síndrome de Schwachman - Diamond É uma síndrome autossômica recessiva rara, caracterizada por grau variável de citopenia especialmente neutropenia com uma propensão a evoluir para mielodisplasia ou leucemia mieloide aguda. Um aspecto associado constante é a disfunção exócrina do pâncreas mais anomalias esqueléticas, doenças hepáticas e baixa estatura.
  21. 21. Anemias Diseritropóetica As anemias diseritropóetica congênitas são um grupo de anemias hereditárias refratárias caracterizadas por eritropoese ineficaz e multinuclearidade dos eritroblastos.
  22. 22. OBRIGADA PELA ATENÇÃO!!!!

×