Recursos naturais

6.814 visualizações

Publicada em

Recursos da natureza

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.264
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Aula 1 – Introdução da importância do recurso para o homem.
  • A relação sociedade-ambiente modificando-se ao longo do tempo.
  • Um pequeno histórico de como os homens foram utilizando os recursos naturais e realizando sua transformação
  • A técnica não havia desenvolvido-se a tal ponto que o homem pudesse utilizar o recurso de forma mais aplicada.
  • Aqui um breve esquema sobre a evolução histórica das técnicas e tecnologias: desde os instrumentos mais arcaicos até os que empregam grandes recursos tecnológicos.
  • Os tipos de recursos: naturais (disponíveis na natureza), humanos (força do homem e sua inteligência) e tecnológicos.
  • Definição de Recursos Naturais. O homem deve considerar os possíveis impactos ambientais provocados pela sua interferência na natureza e suas conseqüências. Para tanto, urge refletir sobre ações que considerem o desenvolvimento sustentável.
  • A descrição do processo de aproveitamento da madeira para a confecção de peças de artesanato. Destaque para os instrumentos de corte e a riqueza de detalhes da peça.
  • O artesanato de peças contempla a fabricação de itens que são utilizados no dia-a-dia como cestas, arranjos e etc. O recurso natural é o sisal, fibras ou outros. O sisal destaca-se pela capacidade de geração de empregos, por meio de uma cadeia de serviços que abrange, desde os trabalhos de manutenção das lavouras (baseados na mão-de-obra familiar), a extração e o processamento da fibra para o beneficiamento, até as atividades de industrialização de diversos produtos, bem como seu uso para fins artesanais. A resistência do sisal ao clima adverso tem sido uma das razões por que, em algumas áreas do Nordeste, os agricultores optaram pelas explorações sisaleiras. O segmento do sisal é intensivo em de mão-de-obra em todas as fases de implantação, manutenção, colheita e desfibramento. O sisal é utilizado na confecção de cordas, tapetes, sacos, vassouras, artesanato, acessórios e também como componente automobilístico.
  • As conchas do mar são utilizadas para confecção de souvenirs. FALAR DAS COMUNIDADES MARISQUEIRAS
  • Os produtos naturais, aqui representados pelo “umbú”, fruta típica da região nordeste, são transformados em geléias e comercializados em feiras ou em estabelecimentos comerciais.
  • A pedra sabão é trabalhada pelo artesão originando peças de ornamentação para residências. Este tipo de rocha é muito utilizado em escultura e decoração, pela facilidade com que é trabalhada. O seu uso é generalizado pelo mundo fora: desde as esculturas tradicionais dos Inuit até a algumas obras do Aleijadinho. É especialmente utilizada na construção de lareiras, também pela sua capacidade de absorver e distribuir de forma regular o calor.
  • O côco é trabalhado originando peças de souvenirs de vários tipos. O coco tem grande diversidade de utilidades. Além do fruto fresco, a casca do mesmo é usada para a fabricação de cordas, escovas, tapetes, chapéus, etc. Do seu óleo, que pode ser usado diretamente para o preparo de alimentos, também se produz margarina, cosméticos, detergentes, sintéticos, sabão, velas, e fluido para freios de avião.
  • O biodiesel é um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que pode ser obtido por diferentes processos como a partir da reação química de óleos vegetais ou de gorduras animais com o álcool comum (etanol) ou o metanol, estimulada por um catalisador.
    Desse processo também se extrai a glicerina, empregada para fabricação de sabonetes e diversos outros cosméticos. Há dezenas de espécies vegetais no Brasil das quais se podem produzir o biodiesel, tais como mamona, dendê (palma), girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso e soja, dentre outras.
  • A produção de biodiesel de mamona e de palma (dendê) no semi-árido e na região Norte podem vir a alavancar a economia dos municípios produtores destes recursos naturais.
    Dendê é o óleo mais apropriado para fabricação de margarina pela sua consistência, excelente como óleo de cozinha e frituras, sendo também utilizado na produção de manteiga vegetal apropriada para fabricação de pães, bolos, tortas, biscoitos finos, cremes etc. O maior uso do óleo de dendê é como matéria prima na fabricação de sabões, sabonetes, sabão em pó,  detergentes e amaciantes de roupas biodegradáveis, podendo ainda ser utilizado como combustível em motores diesel. 
  • A Hoodia Gordonii é um cactus suculento que é encontrado em todo o semi-árido do sul da África, principalmente no deserto de Kalahari. A tribo dos San utilizava a Hoodia para afastar a fome e a sede em longas viagens, já que ela atua na diminuição do apetite.O Conselho de Pesquisa Científica e Industrial da África do Sul (CSIR) identificou e patenteou o principio ativo da Hoodia Gordonii. Após diversos estudos chegou-se a conclusão de que a Hoodia não tem efeitos colaterais como também não contém estimulantes. Os nutrientes da Hoodia Gordonii liberam um componente químico similar a glicose, porém bem mais forte, que o hipotálamo interpreta como um sinal de que alimento suficiente foi ingerido e assim ocorre a perda do apetite. A Hoodia Gordonii apresenta uma concentração de 20:1, o que a faz 16 vezes mais potente do que a Hoodia mais comum que tem concentração 1:1.INDICAÇÕES- Inibidor do apetite;- Energético;- Deficiência de minerais;- Deficiência de nutrientes;- Obesidade;- Redução de peso.
  • O babaçu é uma planta da família das palmáceas, dotada de frutos com sementes oleaginosas e comestíveis das quais se extrai um óleo, empregado sobretudo na alimentação, além de ser alvo de pesquisas avançadas para a fabricação de biocombustíveis como o biodiesel e o bioquerosene. Das folhas e espatas se fabricam esteiras, cestos, chapéus, etc.
  • Divisão entre recursos naturais renováveis e não-renováveis
  • Definição de recursos naturais renováveis: renovam-se por meio de ciclos da natureza.
  • Alguns exemplos de recursos naturais renováveis: luz solar, água e vegetação.
  • Definição de recursos naturais não-renováveis
  • Alguns exemplos de recursos naturais não renováveis. Importante destacar que a classificação é de acordo com o tempo de vida humano e não geológico.
  • O trabalho do homem também agrega valor aos recursos, sendo imprescindível para a transformação do recurso a utilização de utensílios e produtos.
  • Os recursos humanos são empregados de várias formas: trabalho escravo, práticas arcaicas e trabalho especializado. Os direitos trabalhistas (reconhecimento ou existência) variam de acordo com as características sociais de cada país, região, estado, município.
  • A necessária utilização da tecnologia dada a complexa exploração do recurso.
  • O avanço tecnológico é perceptível em diversas setores da economia. Tal fator implica em mudanças de várias ordens.
  • Conteúdo 2- Fatores que influenciam a distribuição e também uso dos recursos.
  • Os fatores climáticos irão influenciar na disponibilidade de um recurso, pois podem favorecer a ocorrência dele ou ser um fator que o impossibilita de ocorrer na mesma quantidade constatável em outras áreas.
  • Os fatores geológicos podem influenciar na disponibilidade do recurso como também no custo do transporte, isto é, em alguns casos é muito oneroso extrair um recurso dado a quantidade mínima obtida.
  • As instituições no sentido amplo, não apenas organizações oficiais, qualquer grupo de pessoas que se reúne com um fim em comum, principalmente, no que diz respeito a decisões econômicas.
  • A relação entre o recurso e o espaço geográfico estão inseridas num contexto histórico, econômico e social.
  • As novas necessidades de consumo difundidas pela mídia bombardeiam o cérebro humano, estimulando a busca desenfreada por recursos que possam atender a demanda.
  • Tanto o açúcar, quanto as especiarias e o ouro já tiveram valor social agregado às suas características materiais.
  • Falar da relação “harmônica” que existia entre o homem-natureza quando esta não sofria a interferência de técnicas capazes de obter recursos naturais em grandes quantidades.
  • Citar a importância dos EIA e RIMA para recompor áreas afetadas pela ação do homem, como também evitar que determinadas áreas de preservação sejam alteradas.
  • Enfatizar que o capital irá ditar as regras de obtenção dos recursos, como também o nível de degradação de algumas áreas.
  • A questão envolve a discussão de que a interferência do homem na natureza produz resultados que podem comprometer a extração de recursos a médio e longo prazo. Sendo necessário um uso racional dos recursos, tendo a consciência de que a extração deve promover meios da natureza manter-se apta a continuar oferecendo tais recursos, mesmo sabendo que muitos destes são finitos.
  • Recursos naturais

    1. 1. Recursos Naturais Suely Takahashi 1
    2. 2. 2 O recurso e o homem Desde os primórdios, o homem utiliza-se dos mais variados recursos a fim de satisfazer suas necessidades.
    3. 3. 3 Sua sofisticação técnica foi aumentando para que o mesmo pudesse ter maior controle sobre a natureza. O recurso e o homem
    4. 4. 4 O homem foi descobrindo novos materiais, como a argila, que permitiu a criação de recipientes para armazenar alimentos e facilitar o transporte de objetos.
    5. 5. 5 Aproximadamente no ano 5.000 AC, surgiram os primeiros utensílios a partir de metais e ligas, como o arado, a carroça e as embarcações a vela.
    6. 6. 6 No princípio da era cristã o homem já conhecia sete metais: cobre, prata, chumbo, estanho, ferro, mercúrio e ouro. Porém, as informações sobre os mesmos e suas possibilidades de aplicação ainda eram muito limitadas.
    7. 7. 7 Evolução Histórica Fonte: Instituto Inovação kk k Kk
    8. 8. 8 Tipos de Recursos TecnológicosNaturais Humanos
    9. 9. 9 Recursos Naturais Tudo do que o homem utiliza no seu dia-a-dia vem do meio ambiente, de alguma forma. Com o passar do tempo, o homem aumentou sua capacidade de interferência no meio ambiente.
    10. 10. 10 MADEIRA
    11. 11. 11 SISAL
    12. 12. 12 CONCHAS
    13. 13. 13 FOTO: MARILU SANTANA MARISCOS
    14. 14. 14 UMBÚ
    15. 15. 15 PEDRA SABÃO
    16. 16. 16 CÔCO
    17. 17. 17 BIODIESEL DO GIRASSOL
    18. 18. 18BIODIESEL DO DENDÊ BIODIESEL DA MAMONA
    19. 19. 19 MINERAIS
    20. 20. 20 HOODIA
    21. 21. 21 BABAÇU
    22. 22. 22 DIAMANTE DE SANGUE
    23. 23. 23 Divisão dos Recursos Naturais Recursos naturais renováveis Recursos naturais não-renováveis
    24. 24. 24  Recursos naturais renováveis: podem ser renovados através dos ciclos da natureza.
    25. 25. 25 Luz solar Água Vegetação Recursos naturais renováveis
    26. 26. 26 Recursos naturais não-renováveis: São aqueles recursos que são encontrados na natureza em condições limitadas (disponibilidade) e não podem ser recuperados em um curto período de tempo.
    27. 27. 27 Petróleo MinériosGás natural
    28. 28. 28 Recursos Humanos Os recursos humanos representam o trabalho do homem diante dos recursos disponíveis na terra, com o objetivo de exploração, utilização e transformação destes recursos.
    29. 29. 29 Recursos Humanos
    30. 30. 30 Recursos Tecnológicos As atividades desenvolvidas pelo homem para a exploração e o uso dos recursos naturais tornam-se mais complexas e somente os recursos humanos mostram-se insuficientes.
    31. 31. 31 Novas técnicas, conhecimentos, métodos, materiais, ferramentas são criados para mediar o trabalho do homem. Recursos Tecnológicos
    32. 32. 32 Tecnologias no campo Ocorre o incremento de diversas atividades agrícolas devido ao uso de tecnologia na: • extração de recursos naturais; • monitoramento de rebanhos; • prospecção de minérios; • melhoramento genético de sementes.
    33. 33. 33 Tecnologias no campo Destaca-se também a utilização de recursos tecnológicos avançados na pecuária tais como a inseminação artificial a qual possibilita a reprodução de espécies de acordo com as características selecionadas, garantindo assim um gado de qualidade.
    34. 34. 34 Fatores: Climáticos Geológicos Político-sociais Os fatores que influenciam a distribuição e usos dos recursos.
    35. 35. 35 CLIMÁTICOS Influenciam na disponibilidade de recursos naturais e nas condições de trabalho e produtividade.
    36. 36. 36 GEOLÓGICOS Podem afetar a disponibilidade de recursos, o custo de transporte e o uso do solo.
    37. 37. 37 A ORGANIZAÇÃO POLÍTICA As instituições político-sociais também têm grande impacto nas decisões econômicas.
    38. 38. 38 A relação entre os recursos e o espaço geográfico modifica-se ao longo da história, também por questões econômicas e sociais. Recursos, Espaço e Tempo
    39. 39. 39 A procura de outros recursos para a produção de novas tecnologias e produtos não cessa, assim como, a criação de novas necessidades de consumo. Recursos, Espaço e Tempo
    40. 40. 40 Recursos e valores sócio-culturais O valor do recurso pode estar muito mais associado a uma construção social do seu uso, do que de suas características materiais. Açúcar OuroEspeciarias
    41. 41. 41 Sociedade e meio ambiente A exploração da natureza, inicialmente, se deu por uma população pequena e que não dispunha de técnicas capazes de extrair grandes quantidades de material e, portanto a relação homem-natureza era razoavelmente equilibrada.
    42. 42. 42 Com o passar do tempo, a população e nível tecnológico aumentaram, com isso a exploração dos recursos naturais desenvolveu- se num ritmo em que a natureza não é capaz de recompor o que é destruído. Sociedade e meio ambiente
    43. 43. 43 Sociedade e meio ambiente O capital distancia os homens da natureza, em seu processo de produção/reprodução e impõe que o ritmo do homem não seja mais o ritmo da natureza, mas o ritmo do próprio capital.
    44. 44. 44 Até que ponto o homem pode intervir na natureza? Para refletir...
    45. 45. 45 Referências Bibliográficas ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia Econômica. 8ª ed. São Paulo: Atlas, 1985. BENKO, Georges. Economia, Espaço e Globalização. Na aurora do século XXI. São Paulo: Hucitec, 1996.
    46. 46. 46 Referências Bibliográficas OLIVA, Jaime; GIANSANTI, Roberto. Espaço e Modernidade: temas da geografia mundial. São Paulo: Atual, 1995. http://www.nctn.crn2.inpe.br/terraviewweb/
    47. 47. 47 " Muitas pessoas devem a grandeza de suas vidas aos problemas e obstáculos que tiveram que vencer”. (autor desconhecido)
    48. 48. OBRIGADA! suelysc@gmail.com 48

    ×