CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA       CELSO SUCKOW DA FONSECA  PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM  ENSINO DE LÍNGUAS ESTRA...
Ensinando afalar inglês       Kátia Modesto Valério              UFMG          BARBOSA & SOARES (2012)
Noções de                                  Cada ação no processo  Língua e                                   ensino-aprend...
Você acredita                               na repetiçãoReflita...                       para se                          ...
No ContextoSituacional...                                          Sabermos as                                    caracter...
Situação:     Uma mulher. Acompanhada por umhomem carregando uma sacola, entra em uma   galeria de arte emLondres. Um func...
Forma x FunçãoOfficial: Would the gentleman                                 Woman: Oh, nolike to leave his                ...
O domínio dos aspectos                         Então...formais de uma línguanem sempre garante o  uso adequado dessa   lín...
Uma estruturaconvencional em nossa cultura pode violar asnormas de interação em outra comunidade de          fala:        ...
Você                                        e                                consu stá entrand                            ...
Sugestões para Atividades OraisConsidere:               Você pede a seus alunos que                          memorizem um ...
Pense:                                                s                                    p ortuguê                      ...
Gêneros TextuaisA associação entre o contexto  situacional, determinados gêneros e itens gramaticais   específicos possibi...
F           N S O        ITIO                                               IN THE    P OS ACE                   AT THE TO...
Atos de Fala:São unidades mínimas                     “No      processo              dede comunicação       aprendizado de...
Estratégiasconversacionais                                   ch                                                           ...
Durante uma conversa, cada pessoa tem sua    vez de falar. NaLinguística essa “vez” é  chamada de “turno”                 ...
É fundamentalManejo de erros                                                           para o                             ...
As três noções quedevemos levar em                                  Acuidade:consideração são:                            ...
Professor-Aprendiz                                       ç ão s                                                     tera u...
Considerações FinaisDe acordo com a autora somentenós, professores, somos capazesde julgar e decidir quais atitudes   toma...
Referência BibliográficaVALÉRIO, Kátia Modesto. Ensinando a falar inglês. In:PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. (Org...
Obrigada!!  BARBOSA & SOARES (2012)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ensinando a Falar Inglês

580 visualizações

Publicada em

Apresentação do texto "Ensinando a falar Inglês", da professora Kátia Valério (UFF), realizada na disciplina de Metodologia de Ensino de LE, do curso de Especialização em Ensino de Línguas Estrangeiras do CEFET/RJ.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ensinando a Falar Inglês

  1. 1. CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS DISCIPLINA: Metodologia IIPROFESSORA: Cláudia Farias Kelly Rejane Castro Soares Suellen do Nascimento Barbosa BARBOSA & SOARES (2012)
  2. 2. Ensinando afalar inglês Kátia Modesto Valério UFMG BARBOSA & SOARES (2012)
  3. 3. Noções de Cada ação no processo Língua e ensino-aprendizagem espelha um modo de seAprendizagem entender o que é uma língua e como os indivíduos podem aprendê-la. Acreditava-se na repetição como formaeficiente para falar uma O aprendiz deveria LE; automatizar, por intermédio da repetição, o uso de certas estruturas fonológicas, morfológicas, lexicais e sintáticas. BARBOSA & SOARES (2012)
  4. 4. Você acredita na repetiçãoReflita... para se aprender uma língua? Como você aprendeu a LE? Você acha que os alunos devem aprender da mesma forma? BARBOSA & SOARES (2012)
  5. 5. No ContextoSituacional... Sabermos as características formais de uma frase são tão importantes quanto nas situações nas quais o uso de tal frase é apropriado. BARBOSA & SOARES (2012)
  6. 6. Situação: Uma mulher. Acompanhada por umhomem carregando uma sacola, entra em uma galeria de arte emLondres. Um funcionário da galeria dirige-se a ela.... BARBOSA & SOARES (2012)
  7. 7. Forma x FunçãoOfficial: Would the gentleman Woman: Oh, nolike to leave his thank you. It’s not bag here? heavy. Official: Only....we have had...we had a theft here yesterday, you see? BARBOSA & SOARES (2012)
  8. 8. O domínio dos aspectos Então...formais de uma línguanem sempre garante o uso adequado dessa língua e nem pode evitar mal entendidos A form a que é diz respe d ito ao diz re ito, e a fu nção falan speito ao te qu q is atin ue o sua fa gir co interp la e à m re ouvin tação que te de u a el o a. BARBOSA & SOARES (2012)
  9. 9. Uma estruturaconvencional em nossa cultura pode violar asnormas de interação em outra comunidade de fala: Pega o dicionário. Fecha a Janela. Traz um café pra mim. BARBOSA & SOARES (2012)
  10. 10. Você e consu stá entrand lado e oImagine... engan strang em um o, usa eiro e, por destin a port ada à a funcio saída. nários U m do m se diz pa s is bo rta ra voc r ma se po ê:A: “Se se es vo cê u ali?”• . B: “Saia daqui. A entrada dos visitantes é pelo outro lado do corredor”. Se você tivesse que interagir com um dos funcionários, qual deles você escolheria, A ou B? BARBOSA & SOARES (2012)
  11. 11. Sugestões para Atividades OraisConsidere: Você pede a seus alunos que memorizem um diálogo que será encenado por várias duplas na aula seguinte. Durante a encenação, você percebe que, talvez por não ter decorado tudo direitinho, um aluno altera alguns trechos do diálogo e insere outros tipos de informação. Você adverte o aluno? BARBOSA & SOARES (2012)
  12. 12. Pense: s p ortuguê la s e m é in has au ês em sala Dou m alar ingl o “ F Eles nã m esmo. tempo. ho que e rda de e eu ten uma p nada o t od o” . m p e ntende petindo o tem re fi c ar m eVocês concorda com ela? BARBOSA & SOARES (2012)
  13. 13. Gêneros TextuaisA associação entre o contexto situacional, determinados gêneros e itens gramaticais específicos possibilita ao professor a elaboração de atividades oraiscontextualizadas, apropriadasao nível de conhecimento de seus alunos. INSTRUÇÕES: BARBOSA & SOARES (2012)
  14. 14. F N S O ITIO IN THE P OS ACE AT THE TOP TOP RIGHTPRE PL HAND CORNER TO THE RIGHT TO THE LEFT ON ON THE THE LEFT IN THE RIGHT MIDDLE DOWN UP IN THE BOTTOM LEFT HAND AT THE BOTTOM CORNER BARBOSA & SOARES (2012)
  15. 15. Atos de Fala:São unidades mínimas “No processo dede comunicação aprendizado de uma língua estrangeira, que importância você atribui ao ensino de fórmulas linguísticas para a realização de funções comunicativas” Atividade comum: Role play BARBOSA & SOARES (2012)
  16. 16. Estratégiasconversacionais ch é a que ando “V ocê a aber qu r e s e r tante nterromp impo omo i sa ,c r? Es é Para que digamos falar ando fala bém qu am a id ade t uma língu alguma coisa habil te em n ?” im porta trangeiralevamos em conta o eslugar, a audiência, o propósito, as circunstâncias e atitudes. BARBOSA & SOARES (2012)
  17. 17. Durante uma conversa, cada pessoa tem sua vez de falar. NaLinguística essa “vez” é chamada de “turno” O foco de instrução de algumas estratégias conversacionais incluem demonstrar atenção ao ouvir o interlocutor, usar hesitações, interromper e evitar interrupções. BARBOSA & SOARES (2012)
  18. 18. É fundamentalManejo de erros para o desenvolvimento a de habilidades o mo alun “Imag ine-se c aula de orais dos alunos. e e m um a sala d . Como a s trangeir língua e entiria ao ser s o vo c ê s e la correçã pida pe interrom ronúncia, por de sua p r parte de sua o exe mplo, p sora” profes BARBOSA & SOARES (2012)
  19. 19. As três noções quedevemos levar em Acuidade:consideração são: Habilidade de produzir língua (sintaxe, vocabulário, pronúncia) Fluência: Facilidade de expressão Adequação: Habilidade de dizer o que é apropriado a cada situação BARBOSA & SOARES (2012)
  20. 20. Professor-Aprendiz ç ão s tera uno A in s al m o uito co m c a de a s é nte práti da n orta A u imp ing aj orais listen ções in tera A prática em sala de aula deve se tornar cenário de interações reais BARBOSA & SOARES (2012)
  21. 21. Considerações FinaisDe acordo com a autora somentenós, professores, somos capazesde julgar e decidir quais atitudes tomar com base em nossas experiências, no nosso estilo de ensinar e nas necessidades de nossos alunos. BARBOSA & SOARES (2012)
  22. 22. Referência BibliográficaVALÉRIO, Kátia Modesto. Ensinando a falar inglês. In:PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. (Org.).Práticas de Ensino e Aprendizagem de Inglês comfoco na autonomia, Campinas: Editora Pontes, 2010. BARBOSA & SOARES (2012)
  23. 23. Obrigada!! BARBOSA & SOARES (2012)

×