Análise implícita deMestrado Integrado em Engenharia Mecânica             esquemas para a simulaçãoUniversidade de Aveiro ...
Os materiais e Dimensões                  600   Tensão - MPa                  450                  300                  15...
Criação da secção sólida e                                                      Mesh’s     É de tomar em conta as partes a...
ASSEMBLAGEM1º Passo - Instances                                               2º Passo - Steps                            ...
JOBSimulação do problema em Abaqus
JOB1º Simulação com os Dados Iniciais – Tensão-Deformação (Mises)
JOB1º Simulação com os Dados Iniciais – Springback (Mises)
JOB1º Simulação com os Dados Iniciais – Deformação Plástica (PEEQ)                                   – Deslocamentos
GráficoResultado Implícito da SimulaçãoDistribuição da tensão no Punção (com retorno)
JOB2ª Simulação (Dimensões do cerra-chapas igual ao da matriz) Mises
JOB2ª Simulação (Dimensões do cerra-chapas igual ao da matriz)SpringBack
CONCLUSÕESOs resultados das análises actuais têm mostrado que o processo de folha de formação pode ser analisado          ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Análise implícita de esquemas para a simulação de chapas de metal

618 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise implícita de esquemas para a simulação de chapas de metal

  1. 1. Análise implícita deMestrado Integrado em Engenharia Mecânica esquemas para a simulaçãoUniversidade de Aveiro de chapas de metal AUTORES: 32700- Sérgio Martins 34378 - Richard Daniel Carvalhais
  2. 2. Os materiais e Dimensões 600 Tensão - MPa 450 300 150 0 0 0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6 0.7 0.8 0.9 1 Deformação Percentual
  3. 3. Criação da secção sólida e Mesh’s É de tomar em conta as partes a descretizar, o módulo MESH permiteatribuir as malhas á chapa. Para o método dos elementos sólidos foi usada uma malha aproximada de 1mm (na 1ªraSimulação) e no tipo de elemento optou-se pela opção “reduce integration” (o elemento usado para simulação foi o C3D8R elemento hexaédrico).
  4. 4. ASSEMBLAGEM1º Passo - Instances 2º Passo - Steps 4º Passo – Condições Fronteira3º Passo – Configuração dos contactos (Boundary Conditions)
  5. 5. JOBSimulação do problema em Abaqus
  6. 6. JOB1º Simulação com os Dados Iniciais – Tensão-Deformação (Mises)
  7. 7. JOB1º Simulação com os Dados Iniciais – Springback (Mises)
  8. 8. JOB1º Simulação com os Dados Iniciais – Deformação Plástica (PEEQ) – Deslocamentos
  9. 9. GráficoResultado Implícito da SimulaçãoDistribuição da tensão no Punção (com retorno)
  10. 10. JOB2ª Simulação (Dimensões do cerra-chapas igual ao da matriz) Mises
  11. 11. JOB2ª Simulação (Dimensões do cerra-chapas igual ao da matriz)SpringBack
  12. 12. CONCLUSÕESOs resultados das análises actuais têm mostrado que o processo de folha de formação pode ser analisado com sucesso, portanto a análise estática implícita e explícita na análise dinâmica. Simulação No que respeita a simulação, os resultados obtidos estão dentro dos esperados, tomando em conta os dados fornecidos pelo problema. Após a 1ª simulação, denotamos um grande defeito no canto lateral mostrado no ¼ da Placa, por teoria pressupomos que seria derivado á diferença das distancias entre o Punção-CerraChapas e a distancias entre o Punção-Matriz, que comparados com a espessura da Chapa é inferior, o que por efeito causa um defeito em forma de garganta, que por sua vez causa uma maior numero de tensões localizadas pela livre deformação e acumulação do material nessa mesma zona (figura do acetato – nº6). É de denotar o efeito do Springback do material após as simulações, onde o material retorna em certas partes da Chapa como consequência de algumas tensões elásticas e que muitas vezes não tomamos emconta, causando assim ditos defeitos de montagem por pequenas distancias derivadas a este efeito(figura do acetato – nº7). É realizada então uma 2ª Simulação, que após os resultados obtidos verifica a teoria da 1ª Simulação no que consta as distancias entre os diferentes elementos utilizado; a distancia do Cerra-Chapas e o Punçãofoi modificada para a mesma distancia entre a Matriz e o Punção, dando então menos espaço ou folgas para as ditas acumulações já faladas anteriormente, logo como resultado esperado foi obtido um defeito muito menor com uma melhor distribuição das tensões ao longo da chapa (figura do acetato - nº10). No entanto a realização de mais simulações poderia levar-nos a um resultado melhor se continuasse-mos alterar dados, como é o caso do Raio de Concordância (Lateral do Punção, Cerra-Chapas e Matriz que sefosse simétrico aos restantes, melhoraria o contacto entre contornos que consequentemente causaria uma melhor distribuição das tensões); problema já não abordado.

×