SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Apostila 7 – Módulo 22 CONTINENTE  ASIÁTICO    Prof.º Luiz Fernando Wisniewski [email_address]
Situada quase totalmente no hemisfério norte, é cortado pela Linha do Equador, Trópico de Câncer e pelo Círculo Polar Ártico. Tomando como base o Meridiano de Greenwich, o continente se encontra no hemisfério ORIENTAL ou LESTE ASPECTOS FÍSICOS Circulo Polar Ártico Trópico de Câncer LINHA DO EQUADOR
O continente asiático é o maior do planeta, com 44.482.000 Km 2  divididos por 45 países, sendo o  mais populoso, com mais de 60% da população mundial.  Devido ao seu tamanho abriga uma rica e histórica diversidade étnica, como indianos, japoneses, árabes entre outros berço das principais religiões como islamismo, budismo e cristianismo. É um continente aonde encontramos as maiores e menores altitudes do globo e países ricos e outros extremamente pobres. ASPECTOS FÍSICOS
A Ásia está sobre cinco placas tectônicas: Eurasiana Arábica Indiana Filipina Pacífico Principal consequência:   INSTABILIDADE SÍSMICA Ou seja Grandes riscos de acontecer desastres naturais como: terremotos, tsunamis e atividades vulcânicas.   . RELEVO
PLACAS TECTÔNICAS
ABALOS SÍSMICOS
ESCALA RICHTER O terremoto chileno (8,8 na escala Richter): (115 Km de distância do epicentro e 35 Km de profundidade)   Haiti (7,2 na escala Richter): (15 Km de distância do epicentro e 13 Km de profundidade) Descrição Magnitude Efeitos Micro < 2,0 Micro tremor de terra, não se sente [3] . Muito pequeno 2,0-2,9 Geralmente não se sente mas é detectado/registado. Pequeno 3,0-3,9 Frequentemente sentido mas raramente causa danos. Ligeiro 4,0-4,9 Tremor notório de objetos no interior de habitações, ruídos de choque entre objetos. Danos importantes pouco comuns. Moderado 5,0-5,9 Pode causar danos maiores em edifícios mal concebidos em zonas restritas. Provoca danos ligeiros nos edifícios bem construídos. Forte 6,0-6,9 Pode ser destruidor em zonas num raio de até 180 quilômetros em áreas habitadas. Grande 7,0-7,9 Pode provocar danos graves em zonas mais vastas. Importante 8,0-8,9 Pode causar danos sérios em zonas num raio de centenas de quilômetros. Excepcional 9,0-9,9 Devasta zonas num raio de milhares de quilômetros. Extremo > 10,0 Nunca registrado.
TERREMOTOS Japão, Turquia, Irã, Índia e Paquistão são países que sofrem com terremotos por estarem nas bordas das placas.
TSUNAMI Quando os movimentos ocorrem no piso oceânico, a energia liberada produz ondas gigantes, denominadas de tsunamis.  Países castigados pela enorme onda : Bangladesh, Índia, Indonésia, Malásia, Maldivas, Mianmar, Sri Lanka e Tailândia
VULCANISMO   Na Indonésia e Filipinas a população convive com vulcanismos ainda em atividade.
MONTE EVEREST 8.844 m Localização: Continente Asiático, Cordilheira do Himalaia A Cordilheira do Himalaia, onde se encontra o Everest, o ponto mais elevado da superfície terrestre, é resultado do encontro das placas tectônicas Indiana e Eurasiana.
ASPECTOS FÍSICOS
HIDROGRAFIA O relevo e o clima exercem forte influência na hidrografia do continente asiático, na região central do continente encontramos as maiores altitudes e é nesta área que originam-se os principais rios. Vertente: encosta montanhosa pela qual descem as águas que originam os rios. Ganges Amarelo
HIDROGRAFIA Os grandes rios da  Vertente do Ártico  permanecem congelados maior parte do ano devido as altas altitudes e invernos rigorosos. Principais rios: Lenissei – 4.506 Km, e o Lena com 4.267 Km de extensão. Lenissei Lena Lena Lenissei
HIDROGRAFIA Na  Vertente do Pacífico , encontramos rios de regimes mistos, abastecidos pelo derretimento da neve no inverno e no verão pelas chuvas provocada pelo regime de monções. Principais rios: Yang-Tsé (Rio Azul) – 5.797 Km, e o Hoang-Ho (Rio Amarelo) com 4.666 Km de extensão. Yang-Tsé Hoang-Ho O Rio Amarelo é utilizado para irrigação, porém seu uso intensivo fez com que diminuísse a sua vazão, fator que preocupa. Yang-Tsé
HIDROGRAFIA A Usina das Três Gargantas como é conhecida, encontra-se no rio Yang-Tsé Kiang, conhecido como Rio Azul, é a maior usina em capacidade instalada no mundo, cuja obra foi concluída em 2006.  A construção da barragem trouxe como impacto ambiental um lago com 600 KM de extensão, e inundou terras férteis levando o governo chinês a deslocar mais de 1,3 milhão de pessoas para outra áreas. O governo Chinês pretende produzir mais energia elétrica, pois a demanda industrial do país é enorme.
HIDROGRAFIA Na  Vertente Índica  Principais rios: Ganges – 2.506 Km, e o Bramaputra com 2.707 Km de extensão. Ganges Bramaputra O Rio Ganges possui um grande valor histórico: diversas capitais de províncias ou impérios, localizam-se em suas margens. O Ganges e seus afluentes abrangem uma bacia hidrográfica fértil de cerca de um milhão de quilômetros quadrados, nos quais vive uma das mais altas densidades populacionais de seres humanos de todo o planeta
HIDROGRAFIA No  Oriente Médio  Principais rios: Tigre – 1.950 Km, e o Eufrates com 2.760 Km de extensão. Tigre Eufrates Os dois nascem na Turquia percorrem, passam pela Síria e Iraque utilizando suas águas para irrigação, assim é possível que  eles acabem se tornando motivos de conflitos entre esses países. Golfo Pérsico Tigre
MAR ARAL O Mar de Aral que já foi considerado o quarto maior lago do mundo, está desaparecendo, a agricultura irrigada sem os devidos estudos ambientais reduziram as vazões dos rios que o abastecem. Sua antigas praias tornaram-se desertos e sua água salobra e contaminada por defensivos agrícolas. Mar Aral
MAR CÁSPIO O  Mar Cáspio  é o maior lago da Terra em área e volume, banha a Rússia, Turcomenistão, Cazaquistão e Irã. Sendo a foz dos rios Volga e Ural. Mar Cáspio
MAR MORTO O Mar Morto tem esse nome devido a grande quantidade de sal por ele apresentada, dez vezes superior à dos demais oceanos, o que torna impossível qualquer forma de vida - flora ou fauna - em suas águas. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço da sua superfície, em grande parte por causa da exploração excessiva de seu afluente, única fonte de água doce da região, o Rio Jordão. Mar Morto
CLIMAS NA ÁSIA   A Ásia se encontra nas zonas intertropical, temperada norte e glacial ártica da Terra, com isso ela apresenta os seguintes climas: LINHA DO EQUADOR Trópico de Câncer Circulo Polar Ártico GLACIAL ÁRTICA TEMPERADA NORTE INTER TROPICAL
CLIMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
BIOMAS - ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object]
BIOMAS - ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
BIOMAS - ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CLIMAS NA ÁSIA Clima Temperado: Temperado Oceânico:  Temperaturas mais amenas e maior índice pluviométrico. Temperado Continental:  Maior rigor climático e amplitude térmica Na região temperada também temos o : Clima Subtropical: Temperaturas amenas durante o inverno e verões bastante quentes.
BIOMAS - ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CLIMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
BIOMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CLIMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object]
BIOMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CLIMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object]
BIOMAS - ÁSIA ,[object Object]
BIOMAS - ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CLIMAS - ÁSIA A  continentalidade  é um fator importante devido  tamanho do continente. Montanhas das regiões impedem que os ventos úmidos provenientes do oceano cheguem aos planaltos entre montanhas o que resulta na formação de alguns desertos como do :  Oriente Médio, Turcomenistão, Usbequistão, Tibet, Pamir e Gobi.
CLIMAS NA ÁSIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
NOTÍCIAS – CHUVAS DE MONÇÕES
RESUMO BIOMAS
RESUMO BIOMAS
RESUMO BIOMAS
POPULAÇÃO E ECONOMIA Ao se comparar o mapa demográfico com o físico notamos que a distribuição da população do continente asiático inferior a 1 Hab/Km2, estão localizadas aonde o clima é mais rigoroso, seja frio ou quente. E são nas regiões aonde o clima é mais ameno e nos vales dos grandes rios da Ásia, encontramos umas densidade maior.
TIGRES ASIÁTICOS Na década de 1970, quatro países da Ásia (Cingapura, Hong Kong, Coréia do Sul e Taiwan) apresentaram um acelerado processo de industrialização. Em razão da agressividade administrativa e da localização dos países, eles ficaram conhecidos mundialmente como Tigres Asiáticos.  O modelo industrial desses países é caracterizado como IOE (Industrialização Orientada para a Exportação), ou seja, as indústrias transnacionais que se estabeleceram nesses países e as empresas locais implantaram um parque industrial destinado principalmente para o mercado exterior. Eles utilizaram estratégia arrojada de atração de  capital  estrangeiro - apoiada na  mão-de-obra  barata e disciplinada, na isenção de  impostos  e nos baixos custos de instalação de  empresas .
TIGRES ASIÁTICOS Hong Kong Cingapura Coréia do Sul Taiwan
BONS ESTUDOS !!! “ NÃO PODEMOS PERMITIR QUE DIFERENÇAS DE OPINIÃO CRIE DESUNIÃO. TOMAI O CAMINHO MEDIANO, EVITAI OS EXTREMOS.” (Ellen G. White)
Professor Luiz Fernando Wisniewski - Geografia Blog do Professor: http://www.educacaoadventista.org.br/blog/lfwgeografia/ E-Mail: [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Tigres asiáticos
Tigres asiáticosTigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
África - quadro natural e regionalização
África - quadro natural e regionalizaçãoÁfrica - quadro natural e regionalização
África - quadro natural e regionalização
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
America latina
America latina America latina
America latina
 
Geopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais IGeopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais I
 
América platina e andina
América platina e andinaAmérica platina e andina
América platina e andina
 
Clima E Climas Do Brasil Aula
Clima E Climas Do Brasil   AulaClima E Climas Do Brasil   Aula
Clima E Climas Do Brasil Aula
 
Geografia a dinamica do clima
Geografia   a dinamica do climaGeografia   a dinamica do clima
Geografia a dinamica do clima
 
América do sul
América do sulAmérica do sul
América do sul
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
áSia Quadro Natural
áSia   Quadro NaturaláSia   Quadro Natural
áSia Quadro Natural
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Domínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do BrasilDomínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do Brasil
 
Geografia e Economia dos Estados Unidos
Geografia e Economia dos Estados UnidosGeografia e Economia dos Estados Unidos
Geografia e Economia dos Estados Unidos
 
Europa aspectos naturais
Europa   aspectos naturaisEuropa   aspectos naturais
Europa aspectos naturais
 
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
 
América central
América  centralAmérica  central
América central
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 

Destaque

Continente Asiático
Continente AsiáticoContinente Asiático
Continente AsiáticoCel Rufino
 
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e SociaisÁsia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e SociaisBruno Araújo Oliveira
 
Guerra Fria na Ásia
Guerra Fria na ÁsiaGuerra Fria na Ásia
Guerra Fria na Ásiaeiprofessor
 
Ásia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres Asiáticos
Ásia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres AsiáticosÁsia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres Asiáticos
Ásia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres AsiáticosGerson Francisco de Moraes
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiáticoFURG
 
áSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticos
áSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticosáSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticos
áSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticosotaviomegda
 
Origem da terra, tectônica, vulcanismo e orogênese
Origem da terra, tectônica, vulcanismo e orogêneseOrigem da terra, tectônica, vulcanismo e orogênese
Origem da terra, tectônica, vulcanismo e orogêneseedu_bessa
 
Cuenca Yang Tse Kiang
Cuenca Yang Tse KiangCuenca Yang Tse Kiang
Cuenca Yang Tse KiangBriaisa
 
áFrica contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidade
áFrica   contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidadeáFrica   contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidade
áFrica contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidadeUiles Martins
 
9º ano - O sudeste asiático
9º ano - O sudeste asiático9º ano - O sudeste asiático
9º ano - O sudeste asiáticoBruno Lima
 

Destaque (20)

Continente Asiático
Continente AsiáticoContinente Asiático
Continente Asiático
 
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e SociaisÁsia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
Ásia - Aspectos físicos, Econômicos, Culturais e Sociais
 
Guerra Fria na Ásia
Guerra Fria na ÁsiaGuerra Fria na Ásia
Guerra Fria na Ásia
 
9 º ano asia
9 º ano asia9 º ano asia
9 º ano asia
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiático
 
Ásia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres Asiáticos
Ásia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres AsiáticosÁsia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres Asiáticos
Ásia: Clima e Vegetação. Japão e Tigres Asiáticos
 
O continente asiático
O continente asiáticoO continente asiático
O continente asiático
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiático
 
Continente asiático
Continente asiáticoContinente asiático
Continente asiático
 
Monções asiáticas
Monções asiáticasMonções asiáticas
Monções asiáticas
 
áSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticos
áSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticosáSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticos
áSia de monções – sul e sudeste asiático e tigres asiáticos
 
Paisajes de Asia
Paisajes de AsiaPaisajes de Asia
Paisajes de Asia
 
Origem da terra, tectônica, vulcanismo e orogênese
Origem da terra, tectônica, vulcanismo e orogêneseOrigem da terra, tectônica, vulcanismo e orogênese
Origem da terra, tectônica, vulcanismo e orogênese
 
Cuenca Yang Tse Kiang
Cuenca Yang Tse KiangCuenca Yang Tse Kiang
Cuenca Yang Tse Kiang
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
ÁSIA
ÁSIAÁSIA
ÁSIA
 
áFrica contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidade
áFrica   contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidadeáFrica   contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidade
áFrica contexto histórico-social e aspectos gerais da atualidade
 
1ª Guerra Mundial
1ª Guerra Mundial1ª Guerra Mundial
1ª Guerra Mundial
 
9º ano - O sudeste asiático
9º ano - O sudeste asiático9º ano - O sudeste asiático
9º ano - O sudeste asiático
 
Economia asiática
Economia asiáticaEconomia asiática
Economia asiática
 

Semelhante a Continente Asiático - Climas, Relevo e Hidrografia

Europa natural
Europa naturalEuropa natural
Europa naturalMessiasgeo
 
Europa natural-130216095208-phpapp02
Europa natural-130216095208-phpapp02Europa natural-130216095208-phpapp02
Europa natural-130216095208-phpapp02Messiasgeo
 
Regiões da ásia aspectos fisicos
Regiões da ásia aspectos fisicosRegiões da ásia aspectos fisicos
Regiões da ásia aspectos fisicosPollyana
 
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptxClimas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptxJOOMARCOSALVESDESOUS
 
Ambientes do Planeta Terra
Ambientes do Planeta TerraAmbientes do Planeta Terra
Ambientes do Planeta Terraadrianafae
 
Aula clima biomas brasil sartre frente2
Aula clima  biomas brasil sartre frente2Aula clima  biomas brasil sartre frente2
Aula clima biomas brasil sartre frente2CADUCOCFRENTE2
 
Aspectos naturais do continente asiático.pptx
Aspectos naturais do continente asiático.pptxAspectos naturais do continente asiático.pptx
Aspectos naturais do continente asiático.pptxJoalissonAlvesRodrig1
 
DistribuiçãO Dos Organismos Na Biosfera
DistribuiçãO Dos Organismos Na BiosferaDistribuiçãO Dos Organismos Na Biosfera
DistribuiçãO Dos Organismos Na Biosferaguestcfe5521
 
Paisagens naturais da terra
Paisagens naturais da terraPaisagens naturais da terra
Paisagens naturais da terraNome Sobrenome
 
Biomas
BiomasBiomas
BiomasURCA
 

Semelhante a Continente Asiático - Climas, Relevo e Hidrografia (20)

Continente asiático_CAE
Continente asiático_CAEContinente asiático_CAE
Continente asiático_CAE
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
Geografia continente europeu
Geografia   continente europeuGeografia   continente europeu
Geografia continente europeu
 
3 4 biomas+terrestres
3 4 biomas+terrestres3 4 biomas+terrestres
3 4 biomas+terrestres
 
Europa natural
Europa naturalEuropa natural
Europa natural
 
Europa natural
Europa naturalEuropa natural
Europa natural
 
Europa natural-130216095208-phpapp02
Europa natural-130216095208-phpapp02Europa natural-130216095208-phpapp02
Europa natural-130216095208-phpapp02
 
Regiões da ásia aspectos fisicos
Regiões da ásia aspectos fisicosRegiões da ásia aspectos fisicos
Regiões da ásia aspectos fisicos
 
Relevo -região norte
Relevo  -região norteRelevo  -região norte
Relevo -região norte
 
Continente Europeu
Continente EuropeuContinente Europeu
Continente Europeu
 
Continente Europeu
Continente EuropeuContinente Europeu
Continente Europeu
 
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptxClimas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
 
Ambientes do Planeta Terra
Ambientes do Planeta TerraAmbientes do Planeta Terra
Ambientes do Planeta Terra
 
Aula clima biomas brasil sartre frente2
Aula clima  biomas brasil sartre frente2Aula clima  biomas brasil sartre frente2
Aula clima biomas brasil sartre frente2
 
Aspectos naturais do continente asiático.pptx
Aspectos naturais do continente asiático.pptxAspectos naturais do continente asiático.pptx
Aspectos naturais do continente asiático.pptx
 
DistribuiçãO Dos Organismos Na Biosfera
DistribuiçãO Dos Organismos Na BiosferaDistribuiçãO Dos Organismos Na Biosfera
DistribuiçãO Dos Organismos Na Biosfera
 
Paisagens naturais da terra
Paisagens naturais da terraPaisagens naturais da terra
Paisagens naturais da terra
 
Geografia do brasil
Geografia do brasilGeografia do brasil
Geografia do brasil
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Tiposdeclima
TiposdeclimaTiposdeclima
Tiposdeclima
 

Mais de André Luiz Marques

A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença MantidaA Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença MantidaAndré Luiz Marques
 
A geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-DilúvioA geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-DilúvioAndré Luiz Marques
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroAndré Luiz Marques
 
Minerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - EspecialidadeMinerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - EspecialidadeAndré Luiz Marques
 
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhasA precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhasAndré Luiz Marques
 
Jesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35minJesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35minAndré Luiz Marques
 
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntasCriacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntasAndré Luiz Marques
 
Minerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidadeMinerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidadeAndré Luiz Marques
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço André Luiz Marques
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)André Luiz Marques
 
Universo Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20minUniverso Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20minAndré Luiz Marques
 
Concurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacionalConcurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacionalAndré Luiz Marques
 

Mais de André Luiz Marques (20)

A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença MantidaA Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
A Profecia das 2300 Tardes e Manhãs e a Crença Mantida
 
Impacto profundo 30_minutos
Impacto profundo 30_minutosImpacto profundo 30_minutos
Impacto profundo 30_minutos
 
A geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-DilúvioA geografia pré e pós-Dilúvio
A geografia pré e pós-Dilúvio
 
Pela graca sois salvos
Pela graca sois salvosPela graca sois salvos
Pela graca sois salvos
 
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiroQuem sou eu - a formação do povo brasileiro
Quem sou eu - a formação do povo brasileiro
 
Minerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - EspecialidadeMinerais e Rochas - Especialidade
Minerais e Rochas - Especialidade
 
A Geografia pré e pós-Diluvio
A Geografia pré e pós-DiluvioA Geografia pré e pós-Diluvio
A Geografia pré e pós-Diluvio
 
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhasA precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
A precisao da profecia das 2300 tardes e manhas
 
Jesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35minJesus, da Criação à Restauração_35min
Jesus, da Criação à Restauração_35min
 
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntasCriacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
Criacionismo - Fé e Razão caminhando juntas
 
Minerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidadeMinerais e Rochas - especialidade
Minerais e Rochas - especialidade
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço Panspermia: jogando o problema ao espaço
Panspermia: jogando o problema ao espaço
 
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
Panspermia: jogando o problema ao espaço (versão_20min)
 
Universo Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20minUniverso Criado - versao curta 20min
Universo Criado - versao curta 20min
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Concurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacionalConcurso de literatura denominacional
Concurso de literatura denominacional
 
Qual o Tamanho de Deus?
Qual o Tamanho de Deus?Qual o Tamanho de Deus?
Qual o Tamanho de Deus?
 
Impacto Profundo
Impacto ProfundoImpacto Profundo
Impacto Profundo
 
Selo de Deus e a marca da besta
Selo de Deus e a marca da bestaSelo de Deus e a marca da besta
Selo de Deus e a marca da besta
 
A Arca de Noé e o Dilúvio
A Arca de Noé e o DilúvioA Arca de Noé e o Dilúvio
A Arca de Noé e o Dilúvio
 

Último

Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 

Último (20)

Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 

Continente Asiático - Climas, Relevo e Hidrografia

  • 1. Apostila 7 – Módulo 22 CONTINENTE ASIÁTICO  Prof.º Luiz Fernando Wisniewski [email_address]
  • 2. Situada quase totalmente no hemisfério norte, é cortado pela Linha do Equador, Trópico de Câncer e pelo Círculo Polar Ártico. Tomando como base o Meridiano de Greenwich, o continente se encontra no hemisfério ORIENTAL ou LESTE ASPECTOS FÍSICOS Circulo Polar Ártico Trópico de Câncer LINHA DO EQUADOR
  • 3. O continente asiático é o maior do planeta, com 44.482.000 Km 2 divididos por 45 países, sendo o mais populoso, com mais de 60% da população mundial. Devido ao seu tamanho abriga uma rica e histórica diversidade étnica, como indianos, japoneses, árabes entre outros berço das principais religiões como islamismo, budismo e cristianismo. É um continente aonde encontramos as maiores e menores altitudes do globo e países ricos e outros extremamente pobres. ASPECTOS FÍSICOS
  • 4. A Ásia está sobre cinco placas tectônicas: Eurasiana Arábica Indiana Filipina Pacífico Principal consequência: INSTABILIDADE SÍSMICA Ou seja Grandes riscos de acontecer desastres naturais como: terremotos, tsunamis e atividades vulcânicas. . RELEVO
  • 7. ESCALA RICHTER O terremoto chileno (8,8 na escala Richter): (115 Km de distância do epicentro e 35 Km de profundidade) Haiti (7,2 na escala Richter): (15 Km de distância do epicentro e 13 Km de profundidade) Descrição Magnitude Efeitos Micro < 2,0 Micro tremor de terra, não se sente [3] . Muito pequeno 2,0-2,9 Geralmente não se sente mas é detectado/registado. Pequeno 3,0-3,9 Frequentemente sentido mas raramente causa danos. Ligeiro 4,0-4,9 Tremor notório de objetos no interior de habitações, ruídos de choque entre objetos. Danos importantes pouco comuns. Moderado 5,0-5,9 Pode causar danos maiores em edifícios mal concebidos em zonas restritas. Provoca danos ligeiros nos edifícios bem construídos. Forte 6,0-6,9 Pode ser destruidor em zonas num raio de até 180 quilômetros em áreas habitadas. Grande 7,0-7,9 Pode provocar danos graves em zonas mais vastas. Importante 8,0-8,9 Pode causar danos sérios em zonas num raio de centenas de quilômetros. Excepcional 9,0-9,9 Devasta zonas num raio de milhares de quilômetros. Extremo > 10,0 Nunca registrado.
  • 8. TERREMOTOS Japão, Turquia, Irã, Índia e Paquistão são países que sofrem com terremotos por estarem nas bordas das placas.
  • 9. TSUNAMI Quando os movimentos ocorrem no piso oceânico, a energia liberada produz ondas gigantes, denominadas de tsunamis. Países castigados pela enorme onda : Bangladesh, Índia, Indonésia, Malásia, Maldivas, Mianmar, Sri Lanka e Tailândia
  • 10. VULCANISMO Na Indonésia e Filipinas a população convive com vulcanismos ainda em atividade.
  • 11. MONTE EVEREST 8.844 m Localização: Continente Asiático, Cordilheira do Himalaia A Cordilheira do Himalaia, onde se encontra o Everest, o ponto mais elevado da superfície terrestre, é resultado do encontro das placas tectônicas Indiana e Eurasiana.
  • 13. HIDROGRAFIA O relevo e o clima exercem forte influência na hidrografia do continente asiático, na região central do continente encontramos as maiores altitudes e é nesta área que originam-se os principais rios. Vertente: encosta montanhosa pela qual descem as águas que originam os rios. Ganges Amarelo
  • 14. HIDROGRAFIA Os grandes rios da Vertente do Ártico permanecem congelados maior parte do ano devido as altas altitudes e invernos rigorosos. Principais rios: Lenissei – 4.506 Km, e o Lena com 4.267 Km de extensão. Lenissei Lena Lena Lenissei
  • 15. HIDROGRAFIA Na Vertente do Pacífico , encontramos rios de regimes mistos, abastecidos pelo derretimento da neve no inverno e no verão pelas chuvas provocada pelo regime de monções. Principais rios: Yang-Tsé (Rio Azul) – 5.797 Km, e o Hoang-Ho (Rio Amarelo) com 4.666 Km de extensão. Yang-Tsé Hoang-Ho O Rio Amarelo é utilizado para irrigação, porém seu uso intensivo fez com que diminuísse a sua vazão, fator que preocupa. Yang-Tsé
  • 16. HIDROGRAFIA A Usina das Três Gargantas como é conhecida, encontra-se no rio Yang-Tsé Kiang, conhecido como Rio Azul, é a maior usina em capacidade instalada no mundo, cuja obra foi concluída em 2006. A construção da barragem trouxe como impacto ambiental um lago com 600 KM de extensão, e inundou terras férteis levando o governo chinês a deslocar mais de 1,3 milhão de pessoas para outra áreas. O governo Chinês pretende produzir mais energia elétrica, pois a demanda industrial do país é enorme.
  • 17. HIDROGRAFIA Na Vertente Índica Principais rios: Ganges – 2.506 Km, e o Bramaputra com 2.707 Km de extensão. Ganges Bramaputra O Rio Ganges possui um grande valor histórico: diversas capitais de províncias ou impérios, localizam-se em suas margens. O Ganges e seus afluentes abrangem uma bacia hidrográfica fértil de cerca de um milhão de quilômetros quadrados, nos quais vive uma das mais altas densidades populacionais de seres humanos de todo o planeta
  • 18. HIDROGRAFIA No Oriente Médio Principais rios: Tigre – 1.950 Km, e o Eufrates com 2.760 Km de extensão. Tigre Eufrates Os dois nascem na Turquia percorrem, passam pela Síria e Iraque utilizando suas águas para irrigação, assim é possível que eles acabem se tornando motivos de conflitos entre esses países. Golfo Pérsico Tigre
  • 19. MAR ARAL O Mar de Aral que já foi considerado o quarto maior lago do mundo, está desaparecendo, a agricultura irrigada sem os devidos estudos ambientais reduziram as vazões dos rios que o abastecem. Sua antigas praias tornaram-se desertos e sua água salobra e contaminada por defensivos agrícolas. Mar Aral
  • 20. MAR CÁSPIO O Mar Cáspio é o maior lago da Terra em área e volume, banha a Rússia, Turcomenistão, Cazaquistão e Irã. Sendo a foz dos rios Volga e Ural. Mar Cáspio
  • 21. MAR MORTO O Mar Morto tem esse nome devido a grande quantidade de sal por ele apresentada, dez vezes superior à dos demais oceanos, o que torna impossível qualquer forma de vida - flora ou fauna - em suas águas. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço da sua superfície, em grande parte por causa da exploração excessiva de seu afluente, única fonte de água doce da região, o Rio Jordão. Mar Morto
  • 22. CLIMAS NA ÁSIA   A Ásia se encontra nas zonas intertropical, temperada norte e glacial ártica da Terra, com isso ela apresenta os seguintes climas: LINHA DO EQUADOR Trópico de Câncer Circulo Polar Ártico GLACIAL ÁRTICA TEMPERADA NORTE INTER TROPICAL
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. CLIMAS NA ÁSIA Clima Temperado: Temperado Oceânico: Temperaturas mais amenas e maior índice pluviométrico. Temperado Continental: Maior rigor climático e amplitude térmica Na região temperada também temos o : Clima Subtropical: Temperaturas amenas durante o inverno e verões bastante quentes.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36. CLIMAS - ÁSIA A continentalidade é um fator importante devido tamanho do continente. Montanhas das regiões impedem que os ventos úmidos provenientes do oceano cheguem aos planaltos entre montanhas o que resulta na formação de alguns desertos como do : Oriente Médio, Turcomenistão, Usbequistão, Tibet, Pamir e Gobi.
  • 37.
  • 38. NOTÍCIAS – CHUVAS DE MONÇÕES
  • 42. POPULAÇÃO E ECONOMIA Ao se comparar o mapa demográfico com o físico notamos que a distribuição da população do continente asiático inferior a 1 Hab/Km2, estão localizadas aonde o clima é mais rigoroso, seja frio ou quente. E são nas regiões aonde o clima é mais ameno e nos vales dos grandes rios da Ásia, encontramos umas densidade maior.
  • 43. TIGRES ASIÁTICOS Na década de 1970, quatro países da Ásia (Cingapura, Hong Kong, Coréia do Sul e Taiwan) apresentaram um acelerado processo de industrialização. Em razão da agressividade administrativa e da localização dos países, eles ficaram conhecidos mundialmente como Tigres Asiáticos. O modelo industrial desses países é caracterizado como IOE (Industrialização Orientada para a Exportação), ou seja, as indústrias transnacionais que se estabeleceram nesses países e as empresas locais implantaram um parque industrial destinado principalmente para o mercado exterior. Eles utilizaram estratégia arrojada de atração de capital estrangeiro - apoiada na mão-de-obra barata e disciplinada, na isenção de impostos e nos baixos custos de instalação de empresas .
  • 44. TIGRES ASIÁTICOS Hong Kong Cingapura Coréia do Sul Taiwan
  • 45. BONS ESTUDOS !!! “ NÃO PODEMOS PERMITIR QUE DIFERENÇAS DE OPINIÃO CRIE DESUNIÃO. TOMAI O CAMINHO MEDIANO, EVITAI OS EXTREMOS.” (Ellen G. White)
  • 46. Professor Luiz Fernando Wisniewski - Geografia Blog do Professor: http://www.educacaoadventista.org.br/blog/lfwgeografia/ E-Mail: [email_address]