A Adolescência
Quando começa? A adolescência começa com a puberdade, isto é, com a entrada em funcionamento dos órgãos sexuais, e portant...
Quando acaba? Tarefas básicas: -Afirmar a identidade sexual; -Chegar à autonomia sexual. É difícil definir quando acaba a ...
<ul><li>É  o per í odo da vida em que j á  não se  é  crian ç a, mas ainda não  se  é  adulto; </li></ul><ul><li>É  um per...
<ul><li>No corpo; </li></ul><ul><li>Nas rela ç ões com os pais; </li></ul><ul><li>Nas rela ç ões com os outros da mesma id...
As transformações do corpo são: O crescimento acelerado, mas muitas vezes desigual e desproporcional do corpo; A entrada e...
Nas raparigas: <ul><li>O desenvolvimento das glândulas mamárias; </li></ul><ul><li>O aparecimento de pêlos púbicos e axila...
Nos rapazes: <ul><li>O desenvolvimento dos órgãos sexuais; </li></ul><ul><li>A mudança da voz; </li></ul><ul><li>O apareci...
Nos dois sexos: É frequente o aparecimento de acne Possibilidade de expressão física, através da excitação e do orgasmo, d...
<ul><li>Desejo de ser aceite pelos outros, o que muitas vezes se manifesta de  forma especial na importância que assume o ...
<ul><li>Maior preocupação com o futuro; </li></ul><ul><li>Acentuação de desânimos, desistências e hesitações criadas pela ...
<ul><li>O medo de não ser aceite: </li></ul><ul><ul><li>Por não ter bom aspecto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Por não ser in...
<ul><li>As raparigas têm  medo das intenções  dos rapazes; </li></ul><ul><li>As raparigas têm  medo de não serem  suficien...
Problemas mais graves dos adolescentes em Portugal Droga Sexualidade Contracepção Insucesso escolar Ensino Superior Desemp...
Afectividade <ul><li>O namoro dos adolescentes é, por vezes, vivido com muita  intensidade e crença na sua  duração. Mas o...
Rupturas no namoro: <ul><li>Sofrimento pela perda da  relação afectiva; </li></ul><ul><li>Sentimentos de  inferioridade pe...
<ul><li>Sonhos sexuais; </li></ul><ul><li>Desejos e excitações sexuais; </li></ul><ul><li>Fantasias sexuais; </li></ul><ul...
<ul><li>Involunt á rios como todos os sonhos; </li></ul><ul><li>De frequência muito vari á vel de pessoa para pessoa poden...
<ul><li>Nas raparigas aparecem geralmente de  forma menos intensa e relacionados com a  vida afectiva; </li></ul><ul><li>N...
<ul><li>Pela capacidade que têm de nos excitar e  dar prazer; </li></ul><ul><li>Pela sua participa ç ão na masturba ç ão e...
Masturbação: É qualquer processo que uma  pessoa utiliza  para se excitar e atingir o orgasmo. Na maior parte das vezes,  ...
<ul><li>Ninguém se deve sentir obrigado a ter relações sexuais apenas porque: </li></ul><ul><ul><li>Os outros têm; </li></...
Adolescência....
A anorexia nervosa
<ul><li>Distúrbio alimentar caracterizado por  limitação da ingestão de alimentos; </li></ul><ul><li>Obsessão pela magreza...
<ul><li>Perda de peso em curto espaço de tempo; </li></ul><ul><li>Alimenta ç ão e preocupa ç ão com o peso corporal tornam...
<ul><li>Desnutri ç ão e  desidrata ç ão; </li></ul><ul><li>Hipotensão (diminui ç ão  da pressão arterial); </li></ul><ul><...
Causas: O síndroma é considerado multideterminado por um conjunto de factores biológicos, psicológicos, familiares e cultu...
Tratamento: A melhor forma de debelar ou curar a anorexia nervosa é a percepção e diagnóstico precoce e uma intervenção  a...
Segundo uma estimativa, todos os anos cerca de  200 adolescentes tornam-se anorécticas. A  mortalidade entre doentes de an...
 
Fontes: “ E quem disse que para ser gira é preciso  sofrer?” de Editorial Presença “ Educação sexual – Só para jovens” da ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Adolescência e anorexia

3.958 visualizações

Publicada em

1 comentário
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.958
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Adolescência e anorexia

  1. 1. A Adolescência
  2. 2. Quando começa? A adolescência começa com a puberdade, isto é, com a entrada em funcionamento dos órgãos sexuais, e portanto, com o aparecimento da primeira menstruação nas raparigas e com a possibilidade de ejaculação nos rapazes. Em termos de idade é muito variável e acontece habitualmente mais cedo nas raparigas. Estas costumam ter a primeira menstruação a partir dos 10 anos e os rapazes a primeira ejaculação a partir dos 12. Dizemos possibilidade porque um rapaz pode ser já adolescente sem nunca ter ejaculado em sonhos ou na masturbação ou sem ter tido relações sexuais. A possibilidade de ejacular costuma coincidir com o aparecimento dos pêlos axilares (os pêlos púbicos geralmente aparecem antes).
  3. 3. Quando acaba? Tarefas básicas: -Afirmar a identidade sexual; -Chegar à autonomia sexual. É difícil definir quando acaba a adolescência. Considera-se que acabou a adolescência quando uma pessoa já é independente tanto biológica como psicologicamente, sendo muito variável de pessoa para pessoa a idade com que isto acontece.
  4. 4. <ul><li>É o per í odo da vida em que j á não se é crian ç a, mas ainda não se é adulto; </li></ul><ul><li>É um per í odo de transforma ç ões profundas no corpo, nas rela ç ões com os pais e com as outras pessoas, e em muitos outros aspectos da vida; </li></ul><ul><li>É um per í odo da vida em que a sexualidade j á é poss í vel e a independência raramente é poss í vel; </li></ul><ul><li>É um processo de independência com todas as dificuldades e conflitos que estes processos implicam; </li></ul><ul><li>É um per í odo rico em ideias, experiências, sonhos e projectos. </li></ul>O que é?
  5. 5. <ul><li>No corpo; </li></ul><ul><li>Nas rela ç ões com os pais; </li></ul><ul><li>Nas rela ç ões com os outros da mesma idade; </li></ul><ul><li>Nas rela ç ões com os adultos – na fam í lia, na escola, nos grupos desportivos, no trabalho, etc; </li></ul><ul><li>Na forma de encarar o futuro. </li></ul>Quais são as principais transformações na adolescência?
  6. 6. As transformações do corpo são: O crescimento acelerado, mas muitas vezes desigual e desproporcional do corpo; A entrada em funcionamento dos órgãos sexuais; Uma série de modificações muito variadas e provocadas pelas hormonas sexuais, que começam também a ser produzidas na puberdade e que através do sangue chegam a todo o corpo.
  7. 7. Nas raparigas: <ul><li>O desenvolvimento das glândulas mamárias; </li></ul><ul><li>O aparecimento de pêlos púbicos e axilares </li></ul>
  8. 8. Nos rapazes: <ul><li>O desenvolvimento dos órgãos sexuais; </li></ul><ul><li>A mudança da voz; </li></ul><ul><li>O aparecimento de pêlos púbicos, axilares, barba, bigode, etc.; </li></ul><ul><li>Em alguns casos, um ligeiro desenvolvimento das glândulas mamárias, ou apenas uma delas (sem importância e desaparece algum tempo depois). </li></ul>
  9. 9. Nos dois sexos: É frequente o aparecimento de acne Possibilidade de expressão física, através da excitação e do orgasmo, dos desejos sexuais, tornados mais importantes pelas hormonas em circulação
  10. 10. <ul><li>Desejo de ser aceite pelos outros, o que muitas vezes se manifesta de forma especial na importância que assume o aspecto exterior; </li></ul><ul><li>Maior importância das rela ç ões com os outros rapazes e raparigas: </li></ul><ul><ul><li>Cria ç ão de amizades e existência frequente de grandes amigos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Gosto por conversas intermin á veis entre amigos. </li></ul></ul><ul><li>Frequente inser ç ão em grupos mais ou menos definidos, em que existem rapazes e raparigas; </li></ul><ul><li>Aparecimento da atrac ç ão entre rapazes e raparigas, de paixões, de namoros, etc. </li></ul>Transformações nas relações com outros rapazes e raparigas:
  11. 11. <ul><li>Maior preocupação com o futuro; </li></ul><ul><li>Acentuação de desânimos, desistências e hesitações criadas pela frequente oposição entre as dificuldades e esforços de realização dos seus projectos e desejos de gozar a vida; </li></ul><ul><li>Tendência para fazer grandes projectos irrealizáveis, mas também maior capacidade para realizar os seus projectos. </li></ul>Transformações na forma de encarar o futuro:
  12. 12. <ul><li>O medo de não ser aceite: </li></ul><ul><ul><li>Por não ter bom aspecto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Por não ser interessante; </li></ul></ul><ul><li>O medo de não ser capaz; </li></ul><ul><li>O medo de ser mais fraco ou pior. </li></ul>...Medos... As transformações são acompanhadas por medos:
  13. 13. <ul><li>As raparigas têm medo das intenções dos rapazes; </li></ul><ul><li>As raparigas têm medo de não serem suficientemente atraentes para arranjar um namorado. </li></ul><ul><li>Os rapazes têm medo que as raparigas pensem que eles são mal intencionados; </li></ul><ul><li>Os rapazes têm medo de não serem suficientemente habilidosos para arranjar uma namorada. </li></ul>Aparecem então outros medos:
  14. 14. Problemas mais graves dos adolescentes em Portugal Droga Sexualidade Contracepção Insucesso escolar Ensino Superior Desemprego
  15. 15. Afectividade <ul><li>O namoro dos adolescentes é, por vezes, vivido com muita intensidade e crença na sua duração. Mas o namoro, mesmo não durando é importante ao desenvolvimento do adolescente: </li></ul><ul><ul><li>Pelo reforço de identificação como homem ou mulher; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pela maior segurança que obtém pelo facto de se sentir amado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pela experiência de um diálogo mais profundo e sincero; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pela vivência do prazer em tornar mais feliz o outro. </li></ul></ul>
  16. 16. Rupturas no namoro: <ul><li>Sofrimento pela perda da relação afectiva; </li></ul><ul><li>Sentimentos de inferioridade pela parte do que se sente abandonado; </li></ul><ul><li>Sentimentos de culpa por parte de quem abandona; </li></ul><ul><li>Dificuldade de estabelecimento de futuras relações de namoro, pelo medo de desilusão e sofrimento. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Sonhos sexuais; </li></ul><ul><li>Desejos e excitações sexuais; </li></ul><ul><li>Fantasias sexuais; </li></ul><ul><li>Masturbação; </li></ul><ul><li>Relações sexuais. </li></ul>Sexualidade Manifesta-se através de:
  18. 18. <ul><li>Involunt á rios como todos os sonhos; </li></ul><ul><li>De frequência muito vari á vel de pessoa para pessoa podendo mesmo não existir; </li></ul><ul><li>Acompanhados de excita ç ão sexual e por vezes de orgasmo. </li></ul>Sonhos sexuais:
  19. 19. <ul><li>Nas raparigas aparecem geralmente de forma menos intensa e relacionados com a vida afectiva; </li></ul><ul><li>Nos rapazes, habitualmente de forma mais intensa, e ligados aos mais diversos est í mulos, muitas vezes sem qualquer rela ç ão com a vida afectiva. </li></ul>Desejos e excitações sexuais:
  20. 20. <ul><li>Pela capacidade que têm de nos excitar e dar prazer; </li></ul><ul><li>Pela sua participa ç ão na masturba ç ão e mesmo rela ç ões sexuais. </li></ul>Fantasias sexuais: São muito variáveis de pessoa para pessoa e têm um papel fundamental na sexualidade:
  21. 21. Masturbação: É qualquer processo que uma pessoa utiliza para se excitar e atingir o orgasmo. Na maior parte das vezes, isto é feito estimulando manualmente duma forma ritmada as zonas mais sensíveis dos órgãos sexuais.
  22. 22. <ul><li>Ninguém se deve sentir obrigado a ter relações sexuais apenas porque: </li></ul><ul><ul><li>Os outros têm; </li></ul></ul><ul><ul><li>Acha que já tem idade; </li></ul></ul><ul><ul><li>O parceiro quer. </li></ul></ul><ul><li>Muitas vezes as jovens tem relações porque: </li></ul><ul><ul><li>Os namorados querem e elas têm medo que eles as deixem; </li></ul></ul><ul><ul><li>Os namorados dizem que se elas não querem é porque não gostam deles ou já tiveram relações com outros; </li></ul></ul><ul><ul><li>Têm medo de ser consideradas antiquadas. </li></ul></ul><ul><li>Outras não têm porque: </li></ul><ul><ul><li>Têm medo que os rapazes apenas se interessem sexualmente por elas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Têm medo de parecer levianas. </li></ul></ul>Relação sexual:
  23. 23. Adolescência....
  24. 24. A anorexia nervosa
  25. 25. <ul><li>Distúrbio alimentar caracterizado por limitação da ingestão de alimentos; </li></ul><ul><li>Obsessão pela magreza; </li></ul><ul><li>Terror de ganhar peso; </li></ul><ul><li>É mais comum em raparigas entre os 12 e 25 anos, apesar de também afectar rapazes; </li></ul><ul><li>Recusa parcial ou total de comer; </li></ul><ul><li>“ Doença da dieta”; </li></ul><ul><li>Desnutrição voluntária com o objectivo de perder peso. </li></ul>O que é?
  26. 26. <ul><li>Perda de peso em curto espaço de tempo; </li></ul><ul><li>Alimenta ç ão e preocupa ç ão com o peso corporal tornam-se obsessões; </li></ul><ul><li>Cren ç a de que se est á gordo estando mesmo excessivamente magro; </li></ul><ul><li>Interesse exagerado por alimentos; </li></ul><ul><li>Comer em segredo e mentir a respeito da comida; </li></ul><ul><li>Depressão, ansiedade e irritabilidade; </li></ul><ul><li>Exerc í cio f í sico em excesso; </li></ul><ul><li>Obsessão pelo peso, tamanho das roupas, aspecto f í sico pessoal e de terceiros; </li></ul><ul><li>Preferência por roupas folgadas que lhes ocultem o corpo; </li></ul><ul><li>Incapacidade para serem objectivas quanto ao aspecto pessoal (afirmarem « estou gorda » quando na realidade não passam de uns esqueletos); </li></ul><ul><li>V ó mitos; </li></ul><ul><li>Abuso dos laxantes, diur é ticos e inibidores do apetite; </li></ul><ul><li>Pretextos para evitar a comida; </li></ul><ul><li>Progressivo isolamento da fam í lia e dos amigos. </li></ul>O que se sente?
  27. 27. <ul><li>Desnutri ç ão e desidrata ç ão; </li></ul><ul><li>Hipotensão (diminui ç ão da pressão arterial); </li></ul><ul><li>Anemia (insuficiência do n ú mero de gl ó bulos vermelhos no sangue); </li></ul><ul><li>Redu ç ão da massa muscular; </li></ul><ul><li>Intolerância ao frio; </li></ul><ul><li>Aspecto esquel é tico; </li></ul><ul><li>Desnutri ç ão; </li></ul><ul><li>Fraqueza; </li></ul><ul><li>Alucina ç ões; </li></ul><ul><li>Olhos ba ç os; </li></ul><ul><li>Mobilidade g á strica diminu í da; </li></ul><ul><li>Amenorreia (ausência de menstrua ç ão na mulher na idade de ser menstruada); </li></ul><ul><li>Osteoporose (fraqueza ó ssea) e outras lesões ó sseas; </li></ul><ul><li>Perda de cabelo; </li></ul><ul><li>Altera ç ão da pigmenta ç ão cutânea; </li></ul><ul><li>Interrup ç ão do crescimento; </li></ul><ul><li>Em casos extremos a morte. </li></ul>Quais as complicações médicas?
  28. 28. Causas: O síndroma é considerado multideterminado por um conjunto de factores biológicos, psicológicos, familiares e culturais. Alguns estudos chamam a atenção para a extrema valorização da magreza e o preconceito com a gordura nas sociedades ocidentais, que estaria fortemente associada à ocorrência destes quadros.
  29. 29. Tratamento: A melhor forma de debelar ou curar a anorexia nervosa é a percepção e diagnóstico precoce e uma intervenção atempada. Um factor muito importante é o apoio dos familiares e amigos.
  30. 30. Segundo uma estimativa, todos os anos cerca de 200 adolescentes tornam-se anorécticas. A mortalidade entre doentes de anorexia é de 15% a 20%
  31. 32. Fontes: “ E quem disse que para ser gira é preciso sofrer?” de Editorial Presença “ Educação sexual – Só para jovens” da Texto Editora www.google.com

×