SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Realizado por : Sofia Graça
Há dois tipos de abordagens de um
acontecimento:
 A) imparcial
 B) Apreciativa


a)   Quando descrevemos um facto sem
     qualquer tipo de apreciação , chama-se
     juízos de facto;
b)    Quando manifestando as nossas
     preferências e apreciações emitimos juízos
     de valor;
Descrevem a realidade
São:
o Descrições neutras e impessoais ;
o Objetivos;
o Verificáveis ;
o Susceptíveis de serem verdadeiros ou falsos.




Exemplo:
A Lisboa é capital de Portugal
Indicam uma valoração
São:
 Interpretações parciais e subjetivas;
 Relativos
 Discutíveis
 Expressam emoções




Exemplo:
A Lisboa é uma cidade encantadora
Significado técnico
O valor de uma mercadoria, ou o valor de uma
incógnita.

Significado afetivo
O valor das coisas que nos merecem estima? (que
valor damos à amizade?)

Significado moral
O valor que atribuímos a um comportamento : a
coragem, a solidariedade, o altruísmo, o egoísmo.
Valor
É uma qualidade potencial resultante de uma
apreciação de um individuo ou uma população
faz acerca a um objeto , de uma ação, de um
ser real ou ideal, em função da presença ou
ausência de algo que é desejável ou digno de
estima.
 Materiais
          - referem-se ao domínio da
 sobrevivência biológica

 Espirituais
           - referem-se ao domínio de
 aperfeiçoamento das qualidades humanas
Materiais



Vitais- referentes à saúde, robustez, resistência
física;

Do agradável e do prazer- referentes às sensações de
prazer e satisfação ;
Económicos- referentes a bens de consumo: dinheiro,
habitação, vestuário, alimentação.
Espirituais


Éticos-políticos- referentes ao relacionamento com os
outros (lealdade, honestidade, solidariedade)



Estéticos – referentes à apreciação da
harmonia, beleza e elegância


Religiosos – referentes à nossa religião.
 Polaridade;
 Hierarquização   (tabuas de valores)
 Historicidade
 Absolutividade/relatividade
 Polaridade: têm sempre um polo negativo e
 positivo . Ex: belo/feio ; alto/baixo ;
 bem/mal.

 Hierarquização:ordenam-se pelo grau da sua
 importância e poder impositivo , constituindo
 uma escala - tábua de valores (ordenação
 aberta e dinâmica que hierarquiza os valores)
 Historicidade:carácter temporal e relativo
 de alguns valores; padrões valorativos
 próprios de uma época

 Absolutividade/relatividade:
                             carácter perene
 de alguns valores e a dependência histórica e
 cultural de outros.
Aculturação é o processo de transformação de
uma cultura causado por influência de outras
culturas
A)  Sociedades multiculturais – coexistência de
    grupos de culturas diferentes .
B) Novos valores –
- tolerância e respeito pela diferença;
- relativição axiológica;
- valorização da diversidade cultural ; -
direitos humanos
Novos valores originaram:

c) movimentos de defesa dos direitos humanos
e denúncia de crimes contra a humanidade

d) Fenómenos de intolerância
     - xenofobia
     - racismo
     - prática de genocídio
 Defende   que os padrões de cultura
    dos povos sejam julgados e avaliados
    sem referência a padrões absolutos

    Defende a tolerância pelas
    diferenças,       e o respeito pelas outras
    culturas

    Critica a tendência para julgar como
    inferior, irracional e bizarro tudo o que
    é diferente dos próprios costumes
Para além do relativismo…

O  relacionamismo não pode ser invocado
  para justificar praticas injustas,
  discriminatória, e contrárias aos direitos e
  dignidade humana;
 Diversidade de valores deverá subordina ao
  valor supremo: a dignidade humana
 Qualquer ser humano tem igual dignidade,
  com idênticos deveres e direitos.
A intolerância baseia-se no etnocentrismo

Etnocentrismo é a tendência para sobrevalorizar uma
dada cultura, considerada como medida do que é
desejável e estimável para todos

legitima:

    os processos de aculturação forçada no passado
    (colonialismo, genocídio dos índios, destruição das
    culturas Maia, Inca e Azteca, etc.)

    o extermínio de milhões de pessoas (pelos nazis e
    pelos estalinistas), os genocídios na Bósnia, em
    África, no Médio Oriente, etc.
O relativismo cultural propõe a aceitação
das diferenças

Defende

a) o respeito pelas outras culturas

b) a tolerância face às diferenças raciais,
étnicas, religiosas, sexuais, etc.
Cultura              ↔ Agente ↔                 Valores
Realização de valores      Sujeito da ação      Padrões/Guias da ação


                socialização
      integração do agente na cultura
                      ↓
                aculturação                           Atributos
          intercâmbio de culturas
                                                    • polaridade
                                                    • hierarquia
  etnocentrismo                                    • historicidade
                                  ↓
         ↓                                        • Absolutividade /
                        relativismo cultural
   intolerância                                      relatividade
                                  ↓
         ↓
                             tolerância
    Xenofobia
                            e aceitação
     Racismo o de
                           das diferenças
       culturas

                   Todos diferentes, todos iguais !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisDiversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisLuis De Sousa Rodrigues
 
Comparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de millComparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de millLuis De Sousa Rodrigues
 
Cap01.3 Teses, proposições e negação
Cap01.3 Teses, proposições e negaçãoCap01.3 Teses, proposições e negação
Cap01.3 Teses, proposições e negaçãoAntónio Padrão
 
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º AnoDeterminismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º AnoPedro Francisco
 
Posições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrioPosições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrioFilazambuja
 
Teoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de KantTeoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de KantJorge Lopes
 
Argumentos informais
Argumentos informaisArgumentos informais
Argumentos informaisIsabel Moura
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorDanilo Pires
 
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo   a uniformidade da naturezaO conhecimento do mundo   a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo a uniformidade da naturezaLuis De Sousa Rodrigues
 
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)InesTeixeiraDuarte
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radicalpauloricardom
 
Relativismo Cultural
Relativismo CulturalRelativismo Cultural
Relativismo CulturalBruno Pedro
 
Determinismo e liberdade na ação humana.pptx
Determinismo e liberdade na ação humana.pptxDeterminismo e liberdade na ação humana.pptx
Determinismo e liberdade na ação humana.pptxCecliaGomes25
 
Valores subjetivos objetivos
Valores subjetivos objetivosValores subjetivos objetivos
Valores subjetivos objetivosPedro Mota
 

Mais procurados (20)

A Alegoria Da Caverna 2008 09
A Alegoria Da Caverna 2008 09A Alegoria Da Caverna 2008 09
A Alegoria Da Caverna 2008 09
 
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos moraisDiversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
Diversas respostas ao problema da natureza dos juízos morais
 
Kant e Stuart Mill
Kant e Stuart MillKant e Stuart Mill
Kant e Stuart Mill
 
Comparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de millComparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de mill
 
Rede Concetual da Ação
Rede Concetual da AçãoRede Concetual da Ação
Rede Concetual da Ação
 
Cap01.3 Teses, proposições e negação
Cap01.3 Teses, proposições e negaçãoCap01.3 Teses, proposições e negação
Cap01.3 Teses, proposições e negação
 
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º AnoDeterminismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
Determinismo e Livre-arbítrio - Filosofia 10º Ano
 
A teoria ética de kant
A teoria ética de kantA teoria ética de kant
A teoria ética de kant
 
Posições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrioPosições sobre o livre arbítrio
Posições sobre o livre arbítrio
 
Argumentos por analogia
Argumentos por analogiaArgumentos por analogia
Argumentos por analogia
 
Teoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de KantTeoria Deontológica de Kant
Teoria Deontológica de Kant
 
Argumentos informais
Argumentos informaisArgumentos informais
Argumentos informais
 
Juízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valorJuízo de fato e Juízo de valor
Juízo de fato e Juízo de valor
 
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo   a uniformidade da naturezaO conhecimento do mundo   a uniformidade da natureza
O conhecimento do mundo a uniformidade da natureza
 
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
Ética, Direito e Política (Teoria da Justiça de Rawls)
 
Determinismo Radical
Determinismo RadicalDeterminismo Radical
Determinismo Radical
 
Relativismo Cultural
Relativismo CulturalRelativismo Cultural
Relativismo Cultural
 
Determinismo e liberdade na ação humana.pptx
Determinismo e liberdade na ação humana.pptxDeterminismo e liberdade na ação humana.pptx
Determinismo e liberdade na ação humana.pptx
 
A teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de millA teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de mill
 
Valores subjetivos objetivos
Valores subjetivos objetivosValores subjetivos objetivos
Valores subjetivos objetivos
 

Semelhante a Valores culturais e relativismo

A Diversidade Cultural
A Diversidade CulturalA Diversidade Cultural
A Diversidade Culturaljuliana_f
 
DIVERSIDADE CULTURAL
DIVERSIDADE CULTURALDIVERSIDADE CULTURAL
DIVERSIDADE CULTURALcatynes
 
Texto Informativo
Texto InformativoTexto Informativo
Texto InformativoLuis Pinto
 
Cultura e a dimensão axiológica da convivência
Cultura e a dimensão axiológica da convivência Cultura e a dimensão axiológica da convivência
Cultura e a dimensão axiológica da convivência Isaque Tomé
 
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)Cristiane Taveira
 
A diversidade cultural etnocentrismo e relativismo cultural
A diversidade cultural etnocentrismo e relativismo culturalA diversidade cultural etnocentrismo e relativismo cultural
A diversidade cultural etnocentrismo e relativismo culturalMarcos Barros de Miranda
 
Slides Sobre Identidade E DiferençA
Slides Sobre Identidade E DiferençASlides Sobre Identidade E DiferençA
Slides Sobre Identidade E DiferençAFormação FURB
 
Ppt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigido
Ppt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigidoPpt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigido
Ppt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigidoj_sdias
 
Gládis Kaercher - UFRGS - Diversidade
Gládis Kaercher - UFRGS - DiversidadeGládis Kaercher - UFRGS - Diversidade
Gládis Kaercher - UFRGS - Diversidadealexrrosaueja
 
Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12
Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12
Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12Carlos Benjoino Bidu
 
Texto val. e cultura
Texto val. e culturaTexto val. e cultura
Texto val. e culturaFilipe Prado
 

Semelhante a Valores culturais e relativismo (20)

Etnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismoEtnocentrismo e relativismo
Etnocentrismo e relativismo
 
A Diversidade Cultural
A Diversidade CulturalA Diversidade Cultural
A Diversidade Cultural
 
A diversidade cultural
A diversidade culturalA diversidade cultural
A diversidade cultural
 
Cp aula 4
Cp aula 4Cp aula 4
Cp aula 4
 
DIVERSIDADE CULTURAL
DIVERSIDADE CULTURALDIVERSIDADE CULTURAL
DIVERSIDADE CULTURAL
 
Texto Informativo
Texto InformativoTexto Informativo
Texto Informativo
 
.- Racismooo
 .- Racismooo .- Racismooo
.- Racismooo
 
Cultura e a dimensão axiológica da convivência
Cultura e a dimensão axiológica da convivência Cultura e a dimensão axiológica da convivência
Cultura e a dimensão axiológica da convivência
 
Valores e cultura
Valores  e culturaValores  e cultura
Valores e cultura
 
Educação Etnicorracial - Profº Jaime Pacheco
Educação Etnicorracial - Profº Jaime Pacheco Educação Etnicorracial - Profº Jaime Pacheco
Educação Etnicorracial - Profº Jaime Pacheco
 
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (2)
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (2)2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (2)
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (2)
 
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)
2014 seminário formação de gestores e educadores - direito à diversidade (1)
 
A diversidade cultural etnocentrismo e relativismo cultural
A diversidade cultural etnocentrismo e relativismo culturalA diversidade cultural etnocentrismo e relativismo cultural
A diversidade cultural etnocentrismo e relativismo cultural
 
Slides Sobre Identidade E DiferençA
Slides Sobre Identidade E DiferençASlides Sobre Identidade E DiferençA
Slides Sobre Identidade E DiferençA
 
Ppt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigido
Ppt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigidoPpt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigido
Ppt 10º a divers. e diálogo entre culturas corrigido
 
Gládis Kaercher - UFRGS - Diversidade
Gládis Kaercher - UFRGS - DiversidadeGládis Kaercher - UFRGS - Diversidade
Gládis Kaercher - UFRGS - Diversidade
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Matrizes culturais I
Matrizes culturais IMatrizes culturais I
Matrizes culturais I
 
Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12
Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12
Atividades de Sociologia: módulos 10, 11 e 12
 
Texto val. e cultura
Texto val. e culturaTexto val. e cultura
Texto val. e cultura
 

Mais de Sofia Yuna

Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume
Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume
Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume Sofia Yuna
 
Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Sofia Yuna
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade médiaSofia Yuna
 
D leonor de teles
D leonor de telesD leonor de teles
D leonor de telesSofia Yuna
 
Pintura na idade media
Pintura na idade mediaPintura na idade media
Pintura na idade mediaSofia Yuna
 
Eça de queiroz biografia
Eça de queiroz   biografiaEça de queiroz   biografia
Eça de queiroz biografiaSofia Yuna
 
Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)
Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)
Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)Sofia Yuna
 
Religioes romanas antes do cristianismo
Religioes romanas antes do cristianismoReligioes romanas antes do cristianismo
Religioes romanas antes do cristianismoSofia Yuna
 
A mulher da idade media
A mulher da idade mediaA mulher da idade media
A mulher da idade mediaSofia Yuna
 

Mais de Sofia Yuna (10)

Bocage
BocageBocage
Bocage
 
Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume
Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume
Filosofia Origem e objetos do conhecimento segundo hume
 
Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização Frei luís de sousa Contextualização
Frei luís de sousa Contextualização
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
D leonor de teles
D leonor de telesD leonor de teles
D leonor de teles
 
Pintura na idade media
Pintura na idade mediaPintura na idade media
Pintura na idade media
 
Eça de queiroz biografia
Eça de queiroz   biografiaEça de queiroz   biografia
Eça de queiroz biografia
 
Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)
Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)
Cantigas do amigo (literatura portuguesa- resumo)
 
Religioes romanas antes do cristianismo
Religioes romanas antes do cristianismoReligioes romanas antes do cristianismo
Religioes romanas antes do cristianismo
 
A mulher da idade media
A mulher da idade mediaA mulher da idade media
A mulher da idade media
 

Valores culturais e relativismo

  • 1. Realizado por : Sofia Graça
  • 2. Há dois tipos de abordagens de um acontecimento:  A) imparcial  B) Apreciativa a) Quando descrevemos um facto sem qualquer tipo de apreciação , chama-se juízos de facto; b) Quando manifestando as nossas preferências e apreciações emitimos juízos de valor;
  • 3. Descrevem a realidade São: o Descrições neutras e impessoais ; o Objetivos; o Verificáveis ; o Susceptíveis de serem verdadeiros ou falsos. Exemplo: A Lisboa é capital de Portugal
  • 4. Indicam uma valoração São:  Interpretações parciais e subjetivas;  Relativos  Discutíveis  Expressam emoções Exemplo: A Lisboa é uma cidade encantadora
  • 5. Significado técnico O valor de uma mercadoria, ou o valor de uma incógnita. Significado afetivo O valor das coisas que nos merecem estima? (que valor damos à amizade?) Significado moral O valor que atribuímos a um comportamento : a coragem, a solidariedade, o altruísmo, o egoísmo.
  • 6. Valor É uma qualidade potencial resultante de uma apreciação de um individuo ou uma população faz acerca a um objeto , de uma ação, de um ser real ou ideal, em função da presença ou ausência de algo que é desejável ou digno de estima.
  • 7.  Materiais - referem-se ao domínio da sobrevivência biológica  Espirituais - referem-se ao domínio de aperfeiçoamento das qualidades humanas
  • 8. Materiais Vitais- referentes à saúde, robustez, resistência física; Do agradável e do prazer- referentes às sensações de prazer e satisfação ; Económicos- referentes a bens de consumo: dinheiro, habitação, vestuário, alimentação.
  • 9. Espirituais Éticos-políticos- referentes ao relacionamento com os outros (lealdade, honestidade, solidariedade) Estéticos – referentes à apreciação da harmonia, beleza e elegância Religiosos – referentes à nossa religião.
  • 10.  Polaridade;  Hierarquização (tabuas de valores)  Historicidade  Absolutividade/relatividade
  • 11.  Polaridade: têm sempre um polo negativo e positivo . Ex: belo/feio ; alto/baixo ; bem/mal.  Hierarquização:ordenam-se pelo grau da sua importância e poder impositivo , constituindo uma escala - tábua de valores (ordenação aberta e dinâmica que hierarquiza os valores)
  • 12.  Historicidade:carácter temporal e relativo de alguns valores; padrões valorativos próprios de uma época  Absolutividade/relatividade: carácter perene de alguns valores e a dependência histórica e cultural de outros.
  • 13. Aculturação é o processo de transformação de uma cultura causado por influência de outras culturas
  • 14. A) Sociedades multiculturais – coexistência de grupos de culturas diferentes . B) Novos valores – - tolerância e respeito pela diferença; - relativição axiológica; - valorização da diversidade cultural ; - direitos humanos
  • 15. Novos valores originaram: c) movimentos de defesa dos direitos humanos e denúncia de crimes contra a humanidade d) Fenómenos de intolerância - xenofobia - racismo - prática de genocídio
  • 16.  Defende que os padrões de cultura dos povos sejam julgados e avaliados sem referência a padrões absolutos  Defende a tolerância pelas diferenças, e o respeito pelas outras culturas  Critica a tendência para julgar como inferior, irracional e bizarro tudo o que é diferente dos próprios costumes
  • 17. Para além do relativismo… O relacionamismo não pode ser invocado para justificar praticas injustas, discriminatória, e contrárias aos direitos e dignidade humana;  Diversidade de valores deverá subordina ao valor supremo: a dignidade humana  Qualquer ser humano tem igual dignidade, com idênticos deveres e direitos.
  • 18. A intolerância baseia-se no etnocentrismo Etnocentrismo é a tendência para sobrevalorizar uma dada cultura, considerada como medida do que é desejável e estimável para todos legitima:  os processos de aculturação forçada no passado (colonialismo, genocídio dos índios, destruição das culturas Maia, Inca e Azteca, etc.)  o extermínio de milhões de pessoas (pelos nazis e pelos estalinistas), os genocídios na Bósnia, em África, no Médio Oriente, etc.
  • 19. O relativismo cultural propõe a aceitação das diferenças Defende a) o respeito pelas outras culturas b) a tolerância face às diferenças raciais, étnicas, religiosas, sexuais, etc.
  • 20. Cultura ↔ Agente ↔ Valores Realização de valores Sujeito da ação Padrões/Guias da ação socialização integração do agente na cultura ↓ aculturação Atributos intercâmbio de culturas • polaridade • hierarquia etnocentrismo • historicidade ↓ ↓ • Absolutividade / relativismo cultural intolerância relatividade ↓ ↓ tolerância Xenofobia e aceitação Racismo o de das diferenças culturas Todos diferentes, todos iguais !