Talk show gramado

181 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
181
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Talk show gramado

  1. 1. O profissional de enfermagem, o que mudou? Enf. Ms Seméia Corral Educadora do Consórcio Brasileiro de Acreditação CBA - Joint Commission International Gestão da Qualidade do Complexo Santa casa - POA
  2. 2. BRAINSTORM – Anos 2000 Modelo de Gestão Assistencial Organizações de Alta Confiabilidade/Mercado Acreditação/ferramentas Liderança Executiva Foco em eficiência Unidades de Inovação Engenharia dos Fatores Humanos WalkRounds que promovem o alinhamento da liderança Accountability Ensino Prática Baseada em Evidência Simulação EAD Telemedicina/Tecnologia Trabalho em Time Padrões/Protocolização Comunicação efetiva Cultura justa Equitativa/ Respeito profissional Atmosfera organizacional Modelagem de Processos Mindfulness Tripla finalidade Turismo Médico
  3. 3. A Gestão Baseada em Evidências • • • • A GBE muda a forma como os gestores pensam e agem, Proporciona o gerir a "realidade" sem emoções ou preconceitos, Usa a lógica, aprofunda mais as situações utilizando metodologia, o que auxilia aos líderes fazer trabalhos de forma mais eficaz. Muitos executivos seniores procuram "conversar" com profissionais do setting de ação, a fim de escutá-los, e compartilhar conhecimento e experiência com o grande grupo. Estratégias da GBE • • Produzir dashboards para avaliar o estado de lucro / perda de cada centro de custo, dos indicadores assistenciais, da adesão aos processos, a fim de manter ativado o status “estado de alerta” de cada departamento, É literalmente “trocar o pneu com o carro andando”! Havard Business,2007
  4. 4. Tecnologia para Educação – Anos 2000 Controle e Salas de Simulação Sala de debriefing The Johns Hopkins Sala de Habilidades Sala de Comando - UMASS
  5. 5. Bad Alarm Queda: Medidas de Cuidado ao Paciente Cinto de Segurança Massachusetts General Hospital, MGH Boston, MA
  6. 6. Sectra Table Visualization STV Tela Touch, imagens reais, 46 polegadas, visualiza ossos, músculos, órgãos e tecidos moles ao remover camadas de pele, fazer cortes e segmentações
  7. 7. Identificação do Paciente por RFID (Radio Frequency Identification)
  8. 8. Cuidado Planejado Unidades de Inovação
  9. 9. Diagnóstico para Osteoporose – Pelas mãos SECTRA - New diagnosis for osteoporosis
  10. 10. Entrevista Qualitativa com Enfermeiros da Santa Casa de Porto Alegre: Opiniões sobre o Futuro da Enfermagem • Que nossa profissão seja realmente reconhecida por todos como a ciência que é. Nosso paciente será em grande maioria de idosos e crônicos (câncer principalmente). As estratégias de acesso devem partir do governo provendo melhores condições na área de saúde, bem como mais hospitais..ampliando a rede para que todos possam ter acesso. Pautasso • A atuação do profissional de enfermagem é complexa, indo desde a assistência direta básica até a gerência-geral de unidade hospitalar. Desta forma, o profissional deve aperfeiçoar-se de modo a aproveitar sua formação acadêmica para direcionamento de sua vocação. Spolidoro
  11. 11. Entrevista Qualitativa com Enfermeiros da Santa Casa de Porto Alegre: • Locais reduzidos para práticas de estágio. Assim, a prática de habilidades em ambiente simulado torna-se não só uma alternativa, mas também um recurso altamente necessário. Maciel Valença • Enfermeiro assistencial, mais a beira do leito, mais cuidador e menos gestor. Trabalhar fortemente os indicadores de qualidade e segurança , menor custo e sustentabilidade. Somensi • Minha expectativa é de uma enfermagem mais preparada tanto na parte técnica quanto teórica, mais preparada para discussões de casos com uma equipe interdisciplinar. Acredito que um mercado cada vez mais exigente, mais especializado. E a Enfermagem não querendo atuar na área hospitalar pela qualidade de vida (sem plantões). Conrad
  12. 12. Pens ar em Re Por s istem de, Mode lo dis as, ruptiv o Envelhecimento da População, Doenças Crônicas e Infecciosas, Obesidade - 1,5 bilhão de obesos até 2015 Diagnóstico molecular, Farmacogenômica, Medicina regenerativa, Medicina baseada na informação, Prontuário integrado, Conectividade Restrições financeiras, Alinhamento dos incentivos, Políticas Governamentais, Telemedicina, Cuidado Continuado, Médico coach Ganha - Ganha ou Todos - Perdem?? Saúde Futura Mercado Educação Liderança Consumidores Prevenção, tratamento, Qualidade, segurança e Custo baixo Educação Profissional Conhecimento Modelo de Gestão Equipes em rede Localizações convenientes, habilidades custos baixos Pagadores Pagamento por desempenho Clinicas minuto (Triagem) Medicina Intensiva Educação dos Consumidores (auto – gestão) Todos devem estar dispostos a mudar, antes que não lhes sobrem outra escolha. A atitude, consertem as coisas, mas não mexam comigo, é irreal. O nível necessário de mudança afetará à todos. IBM – Institute for business Value
  13. 13. “O futuro já está aqui. Apenas não foi ainda Uniformemente Distribuído”. Sacckett DL, Rosemberg WMC, semeia.corral@cbacred.org.br semeia.corral@santacasa.tche.br
  14. 14. Case GBE: Havard Business,2007 • O Meadowlands Hospital, entidade sem fins lucrativos já havia falido por duas vezes. • Atualmente está sendo administrado como um sucesso, desde a implantação da GBE. • Por alguns meses consecutivos, constatou-se várias deficiências de custos diretos com medicamentos no Departamento de Cirurgia. • Após investigação, o maior problema foi o uso indevido de medicamentos nas máquinas Pyxis. • A máquina Pyxis produzia um Relatório de Discrepância diária. Os relatórios foram analisados, mas não apresentaram inconformidades. • • • • • • • • • • • O gerente elencou 9 “possíveis causas de discrepâncias” e novos dados foram observados e cruzados em um novo relatório em uma planilha do Excel. Os dados coletados foram categorizados e classificados em data, a droga, usuário e máquina. Quando os dados foram ordenadas por data, mais uma vez nada de significativo foi encontrado. Mas, quando os dados foram classificados por droga, 50% das discrepâncias eram a droga Propofol. Quando os dados foram classificados por utilizador, 50% das discrepâncias foram causados por ​ dois anestesiologistas. Os dados foram partilhados com o grupo da anestesia. Os dois anestesiologistas disseram que as discrepâncias eram consequências da não observância da instituição. Depois de quatro semanas consecutivas de follow-up, e com a reincidência do problema o grupo de anestesiologia foi desligado. Este exemplo demonstra três elementos críticos da GBE 1 - A Gestão necessita de metodologia para alcançar resultados. 2 – Entretanto, a GBE irá expor uma variação, mas não vai resolvê-lo, e sim, as ações da liderança. 3 - O follow-up é fator crítico de sucesso.

×