Aquisição de Línguas e o Proeja: uma tentativa de diálogo entre o Documento Base e a LA Liberato Santos Professor de Ingl ...
Definições <ul><li>SETEC/MEC: Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. </li></ul><ul><li>PROEJA: Programa Nacion...
O Desafio à LA <ul><li>Que direcionamentos a LA pode propor para o ensino de línguas estrangeiras no contexto do ensino de...
Objetivos deste Estudo <ul><li>1) Promover um diálogo entre as teorias de Aquisição de Línguas Estrangeiras e as de Ensino...
Um olhar sobre o Documento Base <ul><li>Em seu prefácio, o documento base sobre o PROEJA faz um convite à “construção de u...
Do Documento Base para a Sala de Aula : a e xperiência do Cefet-RN <ul><li>Moura e Henrique (2007) defendem que a educação...
Do Documento Base para a Sala de Aula : a e xperiência do Cefet-RN <ul><li>Além disso, é preciso “considerar  as especific...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>De acordo com Brown (2007), a aproximação entre cultu...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Apesar de sermos um país multicultural e multilíngue,...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>O Brasil foi, desde sua origem, e continua sendo um p...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Não estamos aqui tratando da defesa de uma língua A o...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>É claro que, em algum momento, a questão que estamos ...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>“ Uma língua é parte de uma cultura, e uma cultura é ...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>É preciso dizer desde já que a intenção ao se ensinar...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>A nova língua e a nova cultura devem ser adquiridas/a...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Distância Social : conceito que refere-se à proximida...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Essas questões apontam para discussões extra linguíst...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>As políticas linguísticas são um assunto que vem à to...
Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>A política - em todos as acepções do termo -  e os in...
Debate aberto na sala de aula: <ul><li>Língua franca tem nacionalidade? </li></ul><ul><li>O inglês falado na Índia, Canadá...
Obrigado! Liberato Santos [email_address] [email_address]
Refer ências <ul><li>Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica.  PROEJA: programa ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

AquisiçãO De LíNguas E O Proeja Uma Tentativa De DiáLogo

1.377 visualizações

Publicada em

Apresentação III Enple em Brasília 2009.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O objetivo deste breve estudo é descobrir se existe um diálogo possível entre os dois campos do saber no qual possam ser identificadas semelhanças, complementaridades e diferenças teóricas que precisarão ser equacionadas num futuro próximo, para que a LA em geral e as teorias de aquisição/aprendizagem de línguas estrangeiras em particular possam se candidatar a fornecer respostas teórico-metodológicas para a produção de conhecimentos e também fornecer ferramentas de ensino-aprendizagem que respondam adequadamente às demandas desse público e dessa situação de ensino que possui características tão específicas.
  • AquisiçãO De LíNguas E O Proeja Uma Tentativa De DiáLogo

    1. 1. Aquisição de Línguas e o Proeja: uma tentativa de diálogo entre o Documento Base e a LA Liberato Santos Professor de Ingl ês e Português IFG - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Uruaçu, GO
    2. 2. Definições <ul><li>SETEC/MEC: Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. </li></ul><ul><li>PROEJA: Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) </li></ul><ul><li>Documento Base: texto que orienta conceitualmente o ensino para os programas EJA e PROEJA. </li></ul><ul><li>LA: Linguística Aplicada </li></ul>
    3. 3. O Desafio à LA <ul><li>Que direcionamentos a LA pode propor para o ensino de línguas estrangeiras no contexto do ensino de jovens e adultos (EJA & PROEJA)? </li></ul>
    4. 4. Objetivos deste Estudo <ul><li>1) Promover um diálogo entre as teorias de Aquisição de Línguas Estrangeiras e as de Ensino de Jovens e Adultos; </li></ul><ul><li>2) Identificar semelhanças, complementaridades e diferenças teóricas sobre as quais possa ser construída uma proposta de ensino-aprendizagem de línguas que responda às necessidades do projeto político-pedagógico do PROEJA. </li></ul>
    5. 5. Um olhar sobre o Documento Base <ul><li>Em seu prefácio, o documento base sobre o PROEJA faz um convite à “construção de uma nova sociedade fundada na igualdade política, econômica e social; em um projeto de nação que vise uma escola vinculada ao mundo do trabalho numa perspectiva radicalmente democrática e de justiça social” (Brasil, 2007, p. 6). </li></ul>
    6. 6. Do Documento Base para a Sala de Aula : a e xperiência do Cefet-RN <ul><li>Moura e Henrique (2007) defendem que a educação básica de jovens e adultos deve estar atrelada a “políticas públicas perenes” que “devem pautar o desenvolvimento de ações baseadas em princípios epistemológicos que resultem em um corpo teórico bem estabelecido e que respeite as dimensões sociais, econômicas, culturais, cognitivas e afetivas do jovem e do adulto em situação de aprendizagem escolar.” </li></ul>
    7. 7. Do Documento Base para a Sala de Aula : a e xperiência do Cefet-RN <ul><li>Além disso, é preciso “considerar as especificidades e diversidades desse público , entre as quais podem-se citar a faixa etária , os diversos níveis de maturidade intelectual , de experiência de vida e de domínio no uso dos recursos linguísticos”, pensando-se em “ como aprende o adulto quando se encontra em situação escolar” . (Moura e Henrique, 2007:25). (grifos nossos) </li></ul>
    8. 8. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>De acordo com Brown (2007), a aproximação entre culturas - a nativa e a da língua estrangeira - coloca o aprendiz diante de desafios sócio-culturais que refletirão nos aspectos afetivo, cognitivo, político-ideológico e educacional que envolvem o aluno e seu contexto de aprendizagem. </li></ul>
    9. 9. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Apesar de sermos um país multicultural e multilíngue, o binômio “diversidade cultural & diversidade linguística” ainda não é bem compreendido entre nós. </li></ul><ul><li>A situação agrava-se quando nos propomos a sistematizar processos de ensino-aprendizagem de línguas. </li></ul>
    10. 10. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>O Brasil foi, desde sua origem, e continua sendo um país multilíngue, mas que se declara monolíngue e revela, com essa postura, sua dificuldade em reconhecer e promover o multilinguismo em seu território. </li></ul>
    11. 11. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Não estamos aqui tratando da defesa de uma língua A ou língua B, ou de uma de suas variantes, mas da necessidade de nos reconhecermos herdeiros de várias culturas e várias línguas e de valorizarmos isso como um traço marcante e definidor do que é ser brasileiro. </li></ul>
    12. 12. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>É claro que, em algum momento, a questão que estamos aqui discutindo sobre a formação educacional pensada em relação ao mundo do trabalho e suas tecnologias no contexto do ensino técnico e tecnológico e sua capacidade de dialogar com o princípio da formação integral do educando irá selecionar as línguas que melhor atenderão às necessidades educacionais de nossos aprendizes. </li></ul>
    13. 13. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>“ Uma língua é parte de uma cultura, e uma cultura é parte de uma língua; as duas estão entrelaçadas de forma que uma não pode separar-se da outra sem a perda de significados da língua ou da cultura. A aquisição de uma segunda língua, com exceção da aquisição especializada e instrumental (como no caso em que se adquire conhecimentos de leitura de uma língua para examinar textos científicos), é também aquisição de uma segunda cultura.” (Brown, 2007: 189-190). </li></ul>
    14. 14. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>É preciso dizer desde já que a intenção ao se ensinar línguas estrangeiras para os alunos do PROEJA – ou para alunos de qualquer outra modalidade de ensino - não é convertê-los para os valores e modos de pensar da língua e cultura estrangeiras. </li></ul>
    15. 15. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>A nova língua e a nova cultura devem ser adquiridas/aprendidas de forma a somarem-se à língua e cultura nativas – e não para as substituírem –, contribuindo assim para formar um cidadão consciente e orgulhoso de sua identidade, origens e valores, mas com capacidade para lidar com o fato de que compartilhamos o planeta com centenas de outras culturas e línguas que merecem ser reconhecidas e apreciadas, assim como a nossa. </li></ul>
    16. 16. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Distância Social : conceito que refere-se à proximidade cognitiva e afetiva de duas culturas que entram em contato a partir da experiência do indivíduo aprendiz. </li></ul><ul><li>Perguntas Identificadoras dessa Distância: </li></ul><ul><li>“ Em relação ao grupo social da língua-alvo, o grupo social do aprendiz é dominante, não-dominante ou subordinado?” </li></ul><ul><li>Em que contexto? Político? Cultural? Tecnológico? Econômico? </li></ul>
    17. 17. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>Essas questões apontam para discussões extra linguísticas que envolvem, entre outros fatores: </li></ul><ul><li>A autopercepção do aprendiz; </li></ul><ul><li>A auto-estima do aprendiz e de seu grupo social; </li></ul><ul><li>O grau de criticidade versus o grau de alenação. </li></ul><ul><li>Todos assuntos importantíssimos para um debate dentro de uma proposta de educação integral e integradora. </li></ul>
    18. 18. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>As políticas linguísticas são um assunto que vem à tona com mais força nessa época de reorganização econômica, social, cultural e linguística que estamos atravessando. </li></ul><ul><li>Brown (2007) aponta que praticamente todos os países têm hoje alguma forma explícita e formal, ou implícita e não oficial de orientação política sobre a própria língua e sobre as línguas estrangeiras oficialmente ensinadas. </li></ul>
    19. 19. Com a palavra, a LA: as dimensões socioculturais do aprendiz <ul><li>A política - em todos as acepções do termo - e os interesses de grupos, geralmente grupos econômicos, geram leituras e discussões que extrapolam a sala de aula de línguas e podem ser realizadas inter e transdisciplinarmente na escola, objetivando levar o aluno a compreender de forma crítica o que está envolvido na escolha das línguas estrangeiras ensinadas nas escolas do país. </li></ul>
    20. 20. Debate aberto na sala de aula: <ul><li>Língua franca tem nacionalidade? </li></ul><ul><li>O inglês falado na Índia, Canadá e Nova Zelândia tem menos valor que o inglês falado na Inglaterra e nos EUA? </li></ul><ul><li>A “conquista” de um sotaque nativo ainda é algo valorizado no mundo globalizado? </li></ul><ul><li>Falamos inglês ou falamos ingleses? </li></ul><ul><li>Cultura Indiana & Língua Inglesa: como assim? </li></ul><ul><li>Aprender língua estrangeira aliena? </li></ul>
    21. 21. Obrigado! Liberato Santos [email_address] [email_address]
    22. 22. Refer ências <ul><li>Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. PROEJA: programa nacional de integração da educação profissional com a educação básica na modalidade de educação de jovens e adultos: Formação inicial e continuada/Ensino Fundamental. Documento base. Brasília, agosto 2007. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>BROWN, H. Douglas. Principles of language learning and teaching. 5.ed. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice-Hall Regents, 2007. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>MOURA, Dante Henrique e HENRIQUE, Ana Lúcia Sarmento. História do PROEJA: entre desafios e possibilidades. In: SILVA, Amélia Cristina Reis e BARACHO, Maria das Graças. (orgs.). Formação de educadores para o PROEJA: intervir para integrar. Natal-RN: Editora do Cefet-RN, 2007. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>SILVA, Amélia Cristina Reis e BARACHO, Maria das Graças. (orgs.). Formação de educadores para o PROEJA: intervir para integrar. Natal-RN: Editora do Cefet-RN, 2007. </li></ul>

    ×