Universidade do Vale do Rio dos SinosREBLOG: A NOVA MOEDA DE TROCA DO TUMBLR.          COMO BANCO MEMÉTICOALUNA: SiIMONE N...
TUMBLR. DISCURSO, BLOGOSFERA          e REBLOG
REBLOG - recurso c/ características miméticas e reprodutivas quantoao conteúdo (trollagem ou infoentretenimento ),facilita...
REBLOG – republicação ou repostagem de conteúdos por usuários autores/ co-autores. Dissemina informações na blogosfera(med...
Observações nos Tumblogs: http://globoreporter.tumblr.com.br ehttp://reblogays.com.br no período de 03 dias, por 04 horas ...
Te   RECUERO (2005) - TUMBLR / vitrine de novos gêneros hipertextuais c/estrutura organizacional ou interorganizacional / ...
REBLOG - origem mimética e reprodutiva/ conceito de memes(JONHSON, 2003; STROGATZ, 2003) e (ADAR; ADAMIC, 2005;GRUHL et al...
REBLOG: OBJETO DE ESTUDO E SIGNO           DE DIÁLOGO
REBLOG - sintoma diagnosticado /conceitos sobre acontecimento(QUERÉ, 2005; HENN; 2010). Ao reblogar criam-se novos fluxosn...
DELLEUZE (1998 apud HENN, 2010) – perspectiva semióticainspirada em a Lógica do Sentido e na visão sistêmica, consideraque...
BABO - LANÇA ( apud HENN, 2010)- o usuário /reblogador apropriar-se da ordemdo acontecimento e passa a desvendar inúmeras ...
REBLOG - signo em ação que midiatiza os ambientes interpretantes projetadospor usuários (produtores de acontecimentos ) qu...
Reblog This Film Festival 09www.tumblr.com/films
REBLOGAGEM COMO CAPITAL  SOCIAL & CATALISADOR      SEMIOSFÉRICO
RECUERO e ZAGO - A Economia do Retweet : Redes, Difusão de Informações eCapital Social no Twitter , discorrem sobre o Retw...
AMARAL(2007) - o Reblog pode ser pensado como signagem, que parte de uma OrdemSimbólica dentro de uma comunidade. e como m...
COLEMAN ( 1988 apud RECUERO; ZAGO, 2011 )- Reblog /gera difusão e acesso àsinformações / usuários - praticam e apropriam-s...
YATES (1964 apud NUNES)- A Arte da Memória- o Reblog/ prótese difusora ou extensão p/além do corpo físico do reblogador (u...
REBLOG - Seria uma nova versão ou evolução cultural do (meme) ? Ou apenas ummeme repaginado? COLOMBO (1991 apud NUNES, 200...
MEDISCHT ( apud VERÓN, 1995) - REBLOG / ato de reconstrução da realidade social,/ redesenho.BERGER (apud LUCKMANN, 1995) -...
REBLOG - desencadear repautagem dos acontecimentos noticiosos/ promoverfenômeno da ordem da repetição/ meme - reblog como ...
REBLOG: UM CATALISADOR SEMIOSFÉRICO, OBJETO  INTERSEMIÓTICO & CONTINUUM SEMIÓTICO
LÓTMAN (1996 APUD MACHADO 2007) - semiosfera / esfera sígnica que não se restringe a somados códigos, linguagens e textos ...
HENN (2002) - o Reblog entendido como um vetorial-semiosférico, ou uma partículaportadora de fragmentos memorísticos dos T...
LÓTMAN (1981) – a memória semiosférica, concebe o aumento do volume deconhecimentos obtidos por meio dos textos como produ...
LÓTMAN (1996 APUD FERRARA, 2007) - Semiosfera / características - contágio eaglutinação a designarem nomes vindos da natur...
NETNOGRAFIA
DELIMITADO OBJETO - Em Estudos das Redes Sociais, Fragoso, Recuero eAmaral /(2012),redes sociais como metáforas estruturai...
START –sobre o fluxo rebloguístico de Globo Repórter e Reblogays, analisei algunscomportamentos manifestadas pelos dois t...
ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS (ARS) – Das irmãs e adolescentes/ fãs doprograma Globo Repórter/homenageia o programa exibido pe...
AMARAL (2012) - Perfis Identitários - atores sociais apresentam conexões com outros perfis dasRedes Sociais e adquirem car...
AMARAL (2012) - CAPITAL SOCIAL - heterogêneo / conjunto de recursos usufruíveis por todos osmembros de um grupo, no caso o...
FRAGOSO, RECUERO E AMARAL (2012) -nos dois exemplos descritos mostram oiCapitalCognitivoas redes egoou de filiação, que se...
FRAGOSO, RECUERO E AMARAL (2012) - o surgimento de novos atores sociais =cadeia produtiva, de conteúdos,/ pluralidade de i...
REDE EGO - traçada por determinados atores, forma uma espécie de condomínio emque os atores sociais apresentam diferentes ...
CONSIDERAÇÕESTUMBLR - banco de possibilidades de estudo sobre os fenômenos da semiodiversidade.GLOBO REPÓRTER E REBLOGAYS ...
REFERÊNCIASADAR, Eytan; ADAMIC, Lada. Tracking information epidemics in blogspace. Disponível em:<http://www.cond.org/trac...
FLORA, Jan L. Social capital and communities of place. Rural Sociology, 63, 1998. p. 481-506. Disponível em:<http://povert...
HEYLIGHEN, F. Memetics. 1994. Disponível em: <http://pespmcl.vub.ac.br/MEMEREP.html> Acesso em: 05 ago. 2011.JENKINS, Henr...
NUNES, Monica Rebecca Ferrari. A memória na mídia: a evolução dos memes de afeto. São Paulo: Annablume:Fapesp, 2001.PRIGOG...
TUMBLR. Disponível em: <http://ficavaiterbolo.com>. Acesso em: 06 set. 2011.TUMBLR. Disponível em: <http://lesbianswholook...
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.

651 visualizações

Publicada em

Apresentação do TCC II de Simone Núñez Reis, para banca de aprovação do curso de jornalismo da Unisnos em julho de 2012.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
651
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reblog: a nova moeda de troca do banco memético do Tumblr.

  1. 1. Universidade do Vale do Rio dos SinosREBLOG: A NOVA MOEDA DE TROCA DO TUMBLR. COMO BANCO MEMÉTICOALUNA: SiIMONE NÚÑEZ REISORIENTADOR: RONALDO HENNDOCENTES EXAMINADORES - BANCA : ADRIANA AMARAL & TIAGO RICCIARDI C.LOPESSALA: 3D103 / DATA: 05/07/2012
  2. 2. TUMBLR. DISCURSO, BLOGOSFERA e REBLOG
  3. 3. REBLOG - recurso c/ características miméticas e reprodutivas quantoao conteúdo (trollagem ou infoentretenimento ),facilita a comunicaçãoe interação entre usuários que a transformam em capital social oumoeda de troca a ex: Commodities ( mercadoria ou bens p/ mercadoao procurar atender às diferenciações de qualidade dos produtos entrevários fornecedores ou marcas . Analise deste estudo baseou-se em:Henn, Zago, Recuero, Castells, Jenkins, Lotman, Babo Lança,Amaral, Nunes e Fragoso e monitorou os Tumblogs Globo Repórter eReblogays , quanto à produção de sentido que os Reblogamentosproduzem na semiosfera coletiva.
  4. 4. REBLOG – republicação ou repostagem de conteúdos por usuários autores/ co-autores. Dissemina informações na blogosfera(mediadora) densamenteinterconectada onde os blogueiros criam enlaces. Reblogar – culturaeletrônica, nova roupagem discursiva / nuance hipertextual/deslinearização daescrita tradicional/ repercute nas novas formas de produção, circulação e ofertade conteúdos na internet.TUMBLR – plataforma que permite publicação de textos, imagens, vídeo,links, citações, áudio e "diálogos" curtos. Categoria intermediária entre oWordpress, Blogger e Twitter.”OBJETIVO- Identificar em reblogagens praticadas por microblogueirosadolescentes, novos gêneros hipertextuais híbridos/ mix de elementos daoralidade e escrita em um mesmo suporte comunicativo.
  5. 5. Observações nos Tumblogs: http://globoreporter.tumblr.com.br ehttp://reblogays.com.br no período de 03 dias, por 04 horas em turnos(M, T e N). Recortes, anotações e acompanhamentos quanto ao: nº dereblogs emitidos, recebidos, conteúdos e rastreamento de perfiscriadores, produtores e distribuidores de Reblogs sistematicamente.Netnografia - descritiva p/ analisar e avaliar as relações entre osTumblogs e seus seguidores (followers), conexões e desconexões ereblogamentos. Como seguidora, orientei-me na ARS da obra Métodosde pesquisa para internet de Fragoso, Recuero e Amaral.
  6. 6. Te RECUERO (2005) - TUMBLR / vitrine de novos gêneros hipertextuais c/estrutura organizacional ou interorganizacional / fomentada por atores sociaisque ampliam a estrutura conceitual blogosférica articulando pessoas,interesses, projetos e/ou objetivos .
  7. 7. REBLOG - origem mimética e reprodutiva/ conceito de memes(JONHSON, 2003; STROGATZ, 2003) e (ADAR; ADAMIC, 2005;GRUHL et al., 2004; CAMPBELL; FOUCHÉ; WEISS, 2005; MARLOW,2004; MAYFIELD, 2005; NUNES, 2001). Unidade de evoluçãocultural/ autopropagadora de idéias, linguagens, sons , desenhos,valores estéticos e morais ou qualquer outra coisa aprendida etransmitida fácilmente/ unidade autônoma que transfereinformações.
  8. 8. REBLOG: OBJETO DE ESTUDO E SIGNO DE DIÁLOGO
  9. 9. REBLOG - sintoma diagnosticado /conceitos sobre acontecimento(QUERÉ, 2005; HENN; 2010). Ao reblogar criam-se novos fluxosnoticiosos e, um Tumbloger pode estar desencadeando processossemióticos vinculados à produção de material jornalístico. Reblogar- convergência digital ao ser praticado por usuários de aplicativosmóveis que produzem casts noticiosos, conforme (Henn, Zago,Recuero, Castells, Jenkins, Babo Lança, Amaral e Nunes) a fim deconseguir tecer algumas considerações. Cast - elencar, lançar ouprojetar.
  10. 10. DELLEUZE (1998 apud HENN, 2010) – perspectiva semióticainspirada em a Lógica do Sentido e na visão sistêmica, consideraque qualquer produção de conteúdo contém a singularidade deum acontecimento ideal. O conteúdo reblogado está imerso noEstado das Coisas (Delleuze , 1998) REBLOG & ACONTECIMENTO - sob a perspectiva de signo comoum devir da ordem dos acontecimentos. A Reblogagem comosigno de um acontecer/ acontecido pode ser um fatordesencadeador semiótico que modifica a produção de sentido dosconteúdos postados no Tumblr (plano ideal, condutor deconteúdos) REBLOGS- ordem do inapreensível, desencadeiam paradoxos.
  11. 11. BABO - LANÇA ( apud HENN, 2010)- o usuário /reblogador apropriar-se da ordemdo acontecimento e passa a desvendar inúmeras possibilidades no campo deprodução do noticioso. O Reblog traz a possibilidade de impressão,/portador de umacamada de textura causal ( verniz semiótico) ao acontecimento republicado emformatos diversificados (áudio, vídeo, texto e imagens ) que promovem a reputação,poder e status quo dos reblogadores. QUERÉ (2005 apud HENN, 2010)- o acontecimento /conteúdo reblogado, podeser considerado um signo possuidor do componente inaugural que armazenardentro de si, sua própria possibilidade de sentido viabilizada através do Reblog comocampo da experiência .
  12. 12. REBLOG - signo em ação que midiatiza os ambientes interpretantes projetadospor usuários (produtores de acontecimentos ) que avolumam, diversificam epulverizam infinitos graus da experiência através das reblogagens de informações.QUESTÃO: - o reblogar estaria ocupando a função sígnea da mensagem/discurso? Se areblogagem poderia vir a se transformar em uma sintaxe discursiva?FUNÇÃO SÍGNEA - p/ o lingüista Ferdinand Saussure e o semiotista Charles Peirceo signo lingüístico é a síntese de uma relação indissociável entre significante esignificado,. P/ Peirce signo, é a unidade contraída de um fundamento (uma qualidadeque a mente destaca para cogitar), um objeto (a substância concreta de onde estaqualidade se depreende ou nela vai encontrar morada) e o interpretante (a funçãosemiótica pela qual o aspecto e o objeto são unidos, base onde podem ser inferidos .
  13. 13. Reblog This Film Festival 09www.tumblr.com/films
  14. 14. REBLOGAGEM COMO CAPITAL SOCIAL & CATALISADOR SEMIOSFÉRICO
  15. 15. RECUERO e ZAGO - A Economia do Retweet : Redes, Difusão de Informações eCapital Social no Twitter , discorrem sobre o Retweet como moeda de troca a gerarbenefícios individuais e coletivos aos usuários da internet,. Similar, a Reblogagem (Tumblr)como fenômeno crescente, se afirma como valor aos fluxos de informações e comosistema de capital social está inovando .CASTELLS (2009) - Comunicacion Y Poder, questiona: _O que é valor? É o que se processa emcada rede dominante em cada momento, em cada lugar, de acordo com a hierarquia programadana rede por todos que atuam nela.
  16. 16. AMARAL(2007) - o Reblog pode ser pensado como signagem, que parte de uma OrdemSimbólica dentro de uma comunidade. e como moeda de troca, fomenta a manutenção destaOrdem .SHAH ( 2005) - quando os usuários fãs replicam imagens de seus ídolos e celebridades,adquirem status icônico que Amaral (2007) denomina de repositórios de conteúdos praticadospelas populações de fãs no ciberespaço, Assim podemos pensar que os Reblogs, criam uma culturamais participativa e exploratória, através da qual fãs-produtores desenvolvem um papel socialimportante na construção das identidades ao Reblogarem músicas, clipes, vídeos e fotos nas redes..Reblogar gera engajamento e como se os indivíduos criassem um plano econômico rebloguístico.LIN (2001) - o reblog como produto de investimento pelos usuários, produz regras e convençõespraticadas no escopo de escolhas e ações que mobilizam fluxos de capital social (reblogagem) comorecurso, que atinge um patamar de moeda de troca.
  17. 17. COLEMAN ( 1988 apud RECUERO; ZAGO, 2011 )- Reblog /gera difusão e acesso àsinformações / usuários - praticam e apropriam-se destas ferramentas.( HONEYCUTT; HERRING, 2009). A reblogagem gera dois tipos de bens:a) de caráter público : que seriam o acesso à informaçãob) de caráter privado : gira em torno de uma hierarquia formada por quem publica equem filtra a informação. Gerarm benefícios , que funcionam como causa e conseqüênciaque regendo o complexo balanço entre o bem público e o privado, construído pelo capitalsocial.
  18. 18. YATES (1964 apud NUNES)- A Arte da Memória- o Reblog/ prótese difusora ou extensão p/além do corpo físico do reblogador (usuário) ao organizar, sistematizar e lançar informações (Reblogs)na blogosfera. Reblogador / novas formas de resgate da memória ao sistema midiático / co-produtores de uma memória artificial, ao captarem, rememorarem e projetarem sistemas deinformações,/ novos trajetos informacionais/ contornados por idéias-memes / traduzem novoscenários midiáticos expressivos.LOTMAN (1978, 1981 e 1990) - que conceitua o texto como unidade mínima de significação dacultura, dotada de estrutura que forma um conjunto de marcas. Nesse sentido, comparo o sujeito/reblogador a um arquivista que corporifica a memória coletiva a cada Reblog como corpos-arquivos.
  19. 19. REBLOG - Seria uma nova versão ou evolução cultural do (meme) ? Ou apenas ummeme repaginado? COLOMBO (1991 apud NUNES, 2001) - o Reblog segue a lógica doarmazenamento ao gerar transmissão, acesso e abrangência legitimando o discursomidiático como palco da memória do mundo. Similar os meme , o Reblog estarásempre promovendo infinitos processos de circulação de cópias fortalecendo-se numaespécie de caldo cultural, ampliando Os fluxos de circulação de informação aos usuáriosda rede.NUNES (2001) - Reblog /componente dos sistemas simbólicos vinculados a memóriacoletiva e que transmitidos à mídia (internet) que estabelecem um jogo contínuo depermanência e mutação de seus conteúdos culturais reblogáveis.
  20. 20. MEDISCHT ( apud VERÓN, 1995) - REBLOG / ato de reconstrução da realidade social,/ redesenho.BERGER (apud LUCKMANN, 1995) - Tumblr/ instituição criada para aliviar o indivíduo quanto ànecessidade reinventar o mundo e se orientar dentro dele. /práxis individual e coletiva, ( Reblog)atividade produtora de conhecimento /construtora da realidade sócio -intersubjetiva.LIPPMAN (1922)- reblog /esquema tipificador,/ em torno orbitam interações moduladas/ fabricamreblogs como signo da realidade a ser consumida, absorvida e reproduzida .novamente.HENN (2010) - reblogagem de acontecimentos gera a construção da realidade/ alterando ritmos/matizes interpretantes da produção noticiosa. Reblog retorna como signo interpretante do noticioso, (repercussão) ocupando lugar na cadeia dos fatos e provoca ruídos na realidade cotidiana./ Como signoproduz cadeias interpretativas /atingindo a condição de notícia .
  21. 21. REBLOG - desencadear repautagem dos acontecimentos noticiosos/ promoverfenômeno da ordem da repetição/ meme - reblog como signo torna-se uma moeda detroca que agrega Capital Social na rede/ empoderamento Tumblogers. Pouco originais,recombinam idéias antigas agregadas as idéias presentes que garantem suasobrevivência, fecundidade e fidelidade através de cópias originais e não-originais .PROUST (1927 apud NUNES, 2001) – Em busca do Tempo Perdido / ato de lembrarcomo gerador de informações a produzir novos fluxos de memória, recriando ereinventando novas informações sob diferentes formas discursivas que se concretizamdia-a-dia ao teclar / touch um simples Reblog.
  22. 22. REBLOG: UM CATALISADOR SEMIOSFÉRICO, OBJETO INTERSEMIÓTICO & CONTINUUM SEMIÓTICO
  23. 23. LÓTMAN (1996 APUD MACHADO 2007) - semiosfera / esfera sígnica que não se restringe a somados códigos, linguagens e textos que por ela transitam. Espaço necessário ao funcionamento ereprodução das linguagens que traduz suas próprias dinâmicas/Texto - gerador de sentidos einterlocutor/dispositivo pensante,/ Cultura grande texto-mãe portador de três funções 1) Comunicativa2) Geradora de sentidos e 3) Mnemônica. O texto - espaço semiótico gerador de linguagens que seinterferem, auto-organizam-se e auto-regulam-se uns aos outros /. texto porta mecanismos dinâmicosda cultura - construído por inúmeros subtextos que dialogam com vários outros (multi-vocalidade).REBLOG - “função catalisadora” / ritmo mais acelerado à semiosfera e criar novos espectroscomunicacionais (hierarquias) p/ que produção e circulação de conteúdos. Como subtexto, o Reblog éuma espécie de roteiro a compor a memória coletiva da cultura / engrenagem seletiva que organizamnemonicamente as informações (Reblogs) reproduzidas, transmitidas, retransmitidas que trafegarãoem seu espaço semiosférico (blogosfera)..
  24. 24. HENN (2002) - o Reblog entendido como um vetorial-semiosférico, ou uma partículaportadora de fragmentos memorísticos dos Tumblogers gera novos fenônemosculturais-contemporâneos catalisando a semiosfera. Ao se movimentar na direção infuturo, amplia, reconstitui e abastece a semiosfera com novos sistemas sígneos. Trata-seum sistema auto-organizacional, como postula para as dinâmicas sócio-culturais. OReblog forma processos de produção de sentido/ sucessividade temporal gera“linguagens novas” que atendem nossas necessidades de novos conhecimentos.HENN (2006) - imersos em um espaço semiótico onde a memória coletiva funcionacomo programa permanente de transformação sígnea, sobre a qual questionamos osenquadramentos de acordo com o ambiente cultural, contemporâneo e midiatizado emque vivemos.
  25. 25. LÓTMAN (1981) – a memória semiosférica, concebe o aumento do volume deconhecimentos obtidos por meio dos textos como produto cultural, através daredistribuição do fato memoriável/aumenta seu volume de memória e reservasintelectuais da atualidade e do esquecimento como mecanismo seletivo de certos textosem detrimento de outros.HENN (2010) e PRIGOGINE (1996) - semiosfera/sistema aberto, dinâmico e fora do equilíbrio/estrutura dissipativa./ TEMPO - perspectiva determinista (Mecânica Clássica) subordinado ao espaçoque desdobra-se em outro tempo c/ possibilidades reversíveis /ou desgastar seu próprio eixo detemporalidade.
  26. 26. LÓTMAN (1996 APUD FERRARA, 2007) - Semiosfera / características - contágio eaglutinação a designarem nomes vindos da natureza, universo e o homem. O texto /produto de um tempo contínuo e interferente na história e no espaço, polivalenteedialogante a condensar e endereçar mudanças semióticas a semiosfera.REBLOG - caligrafia / gramática automatizada - TUMBLR./ato de comunicação, partículaque usa de sua própria estrutura como portadora e produtora de informação./senhapara que outros TUMBLOGERS texperienciem multi-relações e multiprocessamentos delinguagens (continuum semiosférico ou extensão semiosférica)./ acoplam-se no espaçosemiótico por abdução / papel da palavra longeviva que multiplica novas narrativassemiosféricas. como um objeto intersemiótico (condutor) que em seu agir trama e portasignos sob as mais diversas formas textuais.
  27. 27. NETNOGRAFIA
  28. 28. DELIMITADO OBJETO - Em Estudos das Redes Sociais, Fragoso, Recuero eAmaral /(2012),redes sociais como metáforas estruturais /representadas pelos atores sociais ou usuários/formam infinitas conexões (nós), que integram primeiramente umaRedeEmergente (TUMBLR.)/ Num segundo momento Rede de Filiação ou AssociaçãoPara além da simples trollagem, os Reblogs disparados por Globo Repórter e Reblogaysna semiosfera, estão como moedas de troca ao colaborarem inesgotávelmente parao crescimento de nós (conexões) ou seguidores (followers) dos Tumblogsmonitorados. Realizei o monitoramento Netnográfico dos Tumblogs:http://globoreporter.tumblr.com/http://reblogays.tumblr.com/
  29. 29. START –sobre o fluxo rebloguístico de Globo Repórter e Reblogays, analisei algunscomportamentos manifestadas pelos dois tumblogs que parecem consumir os Reblogs einstantaneamente metabolizá-los para em seguida drená-los aos tecidos semiosféricos deprodução de sentido.Os Reblogs foram observados conforme os quesitos abaixo:Período (três dias), d4 15 a 17 de Abril , durante 04 horas nos turnos manhã, tarde e noite.Total de reblogsNúmero de FollowersAssuntos mais comentados (Trend Topics)Comentários (Notes)Cadeia produtiva e distributiva dos reblogs (quais os produtores e quais os distribuidores)Características de cada perfil (Peculiaridades)
  30. 30. ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS (ARS) – Das irmãs e adolescentes/ fãs doprograma Globo Repórter/homenageia o programa exibido pela Rede Globoc/link que remete ao site oficial no Portal G1/ c/ informações sobre asblogueiras como número de seguidores e visitantes, comentários, tecla“Curtir” do Facebook, fotos pessoais das blogueiras, textos, chat e espaçopara contato, sugestões, reclamações.O tumblog Reblogays- da estudante lésbica que escreve contos/ Reblovelas/ que homenageiam o escritor e jornalista gaúcho Caio Fernando Abreu/pod cast musical seletivo c/ Nirvana, Red Hot Chlly Pepers, Rolling Stones,Cold Play/ seção Plaquinhas onde os Reblogayanos exibem a frase I LoveReblogays e com isto aferem status e agregam novos seguidores para oReblogays.
  31. 31. AMARAL (2012) - Perfis Identitários - atores sociais apresentam conexões com outros perfis dasRedes Sociais e adquirem característica de pertinência.GLOBO REPÓRTER - frase caracteriza Globo Repórter / famosa fala do jornalista Sérgio Chapelin,repetida como trollagem.REBLOGAYS - reblogues de conteúdo intelectualizado/ seção de contos eróticos / reblogadosdiariamente em pequenos capítulos (que alguns seguidores apelidaram de Reblovela) e que falamsobre relacionamentos, festas, consumo de álcool e drogas (remetem à Gossip Girls /literatura teen .
  32. 32. AMARAL (2012) - CAPITAL SOCIAL - heterogêneo / conjunto de recursos usufruíveis por todos osmembros de um grupo, no caso os seguidores dos tumblogs Globo Repórter e Reblogays. Aquiaparece claramente a lógica do capital social.GLOBO REPÓRTER - progressão aproximada / atores sociais Lisandra e Luma,/ dia 15 ao dia 17 deAbril, dispararam 111 Reblogs para 468 seguidores (followers), produzindo aproximadamente15.444 Reblogs ou interações a cada 6,0 minutos e receberam 26 comentários (notes).REBLOGAYS - disparou 82 reblogamentos para 462 seguidores (followers) atingindo um totalaproximado de 13.632 Reblogs a cada 9 minutos. E recebeu 14 comentários (notes).CAPITAL COGNITIVO – temas /manchetes dos jornais/canibalismo, o guarda roupa de pop starsDemi Lovato, Justin Bieber, Rhiana e Kate Perry, memes do Chaves, publicidades de Toddynho, Coca-Cola, Apple, Garnier, All Star e Avon., contos eróticos, fotos de Logan Lerman e capas de Harry Potter,Publicidade( Nestlé, Editora Abril, Revista Gloss, caricaturas, tiras de hqs, mangás japoneses, eplaquinhas: I Love Reblogays,.
  33. 33. FRAGOSO, RECUERO E AMARAL (2012) -nos dois exemplos descritos mostram oiCapitalCognitivoas redes egoou de filiação, que segundo a pesquisadora acontece através da soma de informações disponibilizadas em redescomo Globo Repórtere Reblogays.CADEIA PRODUTIVA E RECEPTIVA DE REBLOGS, LAÇOS E ATORES SOCIAIS-durante o monitoramentoidentifiquei que Globo Repórter e Reblogays eram abastecidospor diferentes cadeias produtoras disparadoras dememes,gifs criados e assinados pelos tumblogs, como se fossem marcas ou grifes: Como cadeia receptiva GloboRepórter eReblogays“drenam”os reblogs recebidos para serem “metabolizados”pelos followrs.http://buicuita.tumblr.comhttp://maravilhanaervilha.tumblr.comhttp://os-sonhos-de-uma-azeitona.tumblr.comhttp://diario-de-retardadas.tumblr.comhttp://rockehumor.tumbr.comhttp://vodkacomlaranja.tumblr.comhttp://tvglobinho.tumblr.comhttp://tekpix.tumblr.comhttp://mulher-maconha.tumblr.comhttp://abestalhado.tumblr.comhttp://willian-banner.tumblr.com
  34. 34. FRAGOSO, RECUERO E AMARAL (2012) - o surgimento de novos atores sociais =cadeia produtiva, de conteúdos,/ pluralidade de interações e manifestações de atores dasRedes Ego e de Filiação no TUMBLR.EPISÓDIO SOBRE INTERAÇÕES DE DESGASTE NO GLOBO REPÓRTER- Observeirompimento de relações entre Globo Repórter (cadeia receptiva) e Biscuita (cadeiraprodutiva). Neste dia Globo Repórter recebeu um total de 23 comentários reblogados( repercussão/ fato noticioso/ acontecimento/ o rompimento reflete um processo deinterações de desgastes, quando há um conflito entre os atores que gera o fim daconexão entre dois atores sociais.NÓS, ARESTAS (CONEXÕES) - observando os disparos de reblogs de Globo Repórtere Reblogays muitos comentavam seu rompimento com biscuita.tumbr.com. Oepisódio aumentou o status do Globo Repórter e lhe trouxe novos seguidores. Oepisódio de Globo Repórter exemplifica o que ela chama de conexões informais emultiplexas ao evidenciar laços específicos de amizade ou outras formas de ligaçãoentre os atores sociais.
  35. 35. REDE EGO - traçada por determinados atores, forma uma espécie de condomínio emque os atores sociais apresentam diferentes graduações de laços, manifestos em suasconversações quanto à intensidade, continuidade e intimidade entre estes. O Reblogilustra moeda de troca, agrega valor ao capital social, de Globo Repórter que ganhastatus entre seus seguidores.CLUSTERIZAÇÃO - AMARAL (2012) um comentário, ou um meme não trazemintimidade, não convidam à interação e também não mostram o tipo de interaçãoentre os atores sociais. Simplesmente mostram que os usuários estão olhando osReblogs. As interação promovida pelo Reblogays apenas pretendem manter o laçosocial/ Interações de Manutenção .CAPITAL SOCIAL NORMATIVO – AMARAL (2012) – os comportamentos entreatores podem ser normativos, cognitivos, de confiança, desconfiança tanto noambiente social como no comportamento dos indivíduos de um determinado ambienteinstitucional. Ao produzir estes conteúdos de interesse público, Globo Repórter eReblogays geram recursos , produzem sentido e fortificam seus laços sociais à cadacompartilhamento.
  36. 36. CONSIDERAÇÕESTUMBLR - banco de possibilidades de estudo sobre os fenômenos da semiodiversidade.GLOBO REPÓRTER E REBLOGAYS - modelos informacionais / centros geradores e distribuidores demensagens / novas possibilidades de produção de sentido e memória coletiva nablogosfera/semiosfera / Reblogs do acontecer/ devir/ acontecido/portam experiência, empíricaarremessada pelos (followers) / p/ manutenção da Ordem Simbólica,/ alteraram e influenciamestruturas e circulações de informações / geraram status e capital social./ investimento, consumo einfoentretenimento de conteúdo entre usuários do Tumblr. /REBLOGAMENTOS - informaram diversos comportamentos sociais dos atores sociais /trafegaram nasemiosfera reordenaram novos códigos discursivos particularesREBLOGAGEM -ampla e convergente sintaxe discursiva que promove interconexões entre pessoas eseus canais de circulação, informações noticiosas de interesses pessoais e coletivos./ movimentaçãoque cria um jogo contínuo e fluído na blogosfera Tumbloger.
  37. 37. REFERÊNCIASADAR, Eytan; ADAMIC, Lada. Tracking information epidemics in blogspace. Disponível em:<http://www.cond.org/trackingblogepidemics.pdf>. Acesso em: 5 out. 2011.AMARAL, A. Fãs-usuários-produtores: uma análise das conexões musicais nas plataformas sociais MySpace e Last.fm. In:PERPETUO, Irineu F, SILVEIRA, Sergio A. O futuro da música após a morte do CD. São Paulo: Momento Editorial, 2009.Disponível em: <http://www.futurodamusica.com.br>. Acesso em: 27 set. 2011.BERTOLINI, Sandra; BRAVO, Giácomo.Social capital, a multidimensional concept. Disponível em:<http://www.ex.ac.uk/shipss/politics/research/socialcapital/Other/bertolini.pdf>. Acesso em: 17 out. 2004.BLACKMORE, Susan. The Meme machine. Oxford: Oxford University Press, 1999.BLOG NIELSEN. Disponível em: <http://blog.nielsen.com/nielsenwire/social>. Acesso em: 13 ago. 2011BOURDIEU, Pierre. The Forms of Capital. Tradução Richard Nice. Disponível em:<http://www.pontomidia.com.br/raquel/resources/03.html>. Acesso em: 15 ago. 2011.CASTELLS, Manuel Olivan. Comunicación Y Poder. Madri: Alianza Editorial, 2009.DAWKINS, Richard. O gene egoísta. Belo Horizonte: Itatiaia, 2001. (Coleção O Homem e a Ciência, v. 7).DORIA, Tiago. Tumblr cresce e vira fábrica de Memes. Disponível em: <http://www.tiagodoria.ig.com.br/tag/tumblr>.Acesso em: 20 set. 2011.FERRARA, Lucrécia D´Alessio. A circularidade do conhecimento. MACHADO, Irene. In: Semiótica da cultura esemiosfera. São Paulo: Amablume; Fapesp, 2007.
  38. 38. FLORA, Jan L. Social capital and communities of place. Rural Sociology, 63, 1998. p. 481-506. Disponível em:<http://poverty.worldbank.org/files/4183_flora1.pdf>. Acesso em: 05 ago. 2011.FRAGOSO, Suely; RECUERO,Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para Internet.Porto Alegre: Sulina, 2011.Coleção Cibercultura.______. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2012.GYARMATI, David; KYTE, Darrel. Social Capital, Network Formation and the Community Employment Innovation Project.Policy Research Iniciative. Porto Alegre, v. 6, n. 3, Revista FAMECOS, n. 28, dez. 2005, quadrimestral105. Disponível em:<http://policyresearch.gc.ca/page.asp?pagenm=v6n3_art_05>. Acesso em: 04 set. 2011.HENN, Ronaldo. A Semiodiversidade diante da Irreversibilidade do tempo. In: V Encontro dos Núcleos de Pesquisa daIntercom XXVIII durante o Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro: UERJ, 2005.______. Memória e arte na semiosfera midiatizada. Conexão –Comunicação e Cultura. Caxias do Sul: UCS, v. 9, n. 18,jul./dez. 2010.______. O Acontecimento em sua dimensão semiótica. In: BENETTI,Márcia; FONSECA DA SILVEIRA, Mara Pradelina (Org.).Jornalismo e acontecimentos: mapeamentos críticos,Seção I Interfaces Disciplinares. Florianópolis: Insular, 2010.______. Os fluxos da notícia. São Leopoldo: Unisinos, 2002.
  39. 39. HEYLIGHEN, F. Memetics. 1994. Disponível em: <http://pespmcl.vub.ac.br/MEMEREP.html> Acesso em: 05 ago. 2011.JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2009.LOTMAN, Yuri. Apontamentos para a historicidade das idéias precursoras da semiosfera.In: MACHADO, Irene.Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo, Amablume; Fapesp, 2007.______. Cultura y explosión: lo previsible en los processos de cambio social. Barcelona: Gedisa, 1999.______. Por que semiosfera? In: MACHADO, Irene. Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo: Amablume; Fapesp, 2007.LOTMAN, Yuri; USPENSKII, Boris et. al. Ensaios de semiótica soviética.Lisboa: Horizonte Universitário, 1981.MACHADO, Irene (Org.). Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo: Amablume; Fapesp, 2007.MARKETING TECNOLÓGICO. Tumblr é o canal Social Media que mais cresce. Disponível em:<http://www.marketingtecnologico.com/marketingtecnologico/ artigos/default.asp?id=358>. Acesso em: 17 ago. 2011.NUNES, Ferrari; REBECCA, Mônica. A memória da cultura e a memória da mídia em produtos audiovisuais infanto-juvenis.In: MACHADO, Irene (Org.). Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo: Amablume; Fapesp, 2007.
  40. 40. NUNES, Monica Rebecca Ferrari. A memória na mídia: a evolução dos memes de afeto. São Paulo: Annablume:Fapesp, 2001.PRIGOGINE, Ilya; STENGERS, Isabelle. Entre o tempo e a eternidade. Lisboa: Gradiva, 1990.PUTNAM, Robert D. Bowling Alone: the collapse and revival of american community. New York: Simon e Schuster,2000.RECUERO, Raquel da Cunha. Memes e dinâmicas sociais em Weblogs: informação capital social e interação em redessociais na Internet. Intexto. Porto Alegre: UFRGS, v. 2, n. 15, p. 1-16, jul./dez. 2006.______. Teoria das redes e redes sociais na internet.In: XXVII INTERCOM, Porto Alegre, PUCRS, set. 2004a.______. Webrings: as redes de sociabilidade e os weblogs. Sessões do Imaginário. Porto Alegre: Famecos/PUCRS,2004b.______. Weblogs, Webrings e Comunidades Virtuais. Revista Eletrônica do Grupo Ciberpesquisa, Edição 31, ago.2003. Disponível em: <http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/404nOtF0und/404_31.htm>. Acesso em: 18 ago.2011.RECUERO,Raquel; ZAGO, Gabriela. A Economia do Retweet: redes, difusão de informações e capital social no twitter.Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Comunicação e Cibercultura, XX Compós, Porto Alegre: UFRGS, 2011.
  41. 41. TUMBLR. Disponível em: <http://ficavaiterbolo.com>. Acesso em: 06 set. 2011.TUMBLR. Disponível em: <http://lesbianswholooklikejustinbieber.tumblr.com>. Acesso em: 25 out. 2011.TUMBLR. Disponível em: <http://paredepodre.tumblr.com>. Acesso em: 14 set. 2011.TUMBLR. Disponível em: <http://www.tumblr.com/tagged/amy+winehouse>. Acesso em: 18 out. 2011TUMBLR. Disponível em: <http://www.tumblr.com/tagged/lady+gaga>. Acesso em: 12 out. 2011.WASSERMAN, Stanley; FAUST, Katherine. Social Network Analysis. Methods and Applications.Cambridge:Cambridge University Press, 1994.WIKIPEDIA. Tumblr. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Tumblr>. Acesso em: 12 ago. 2011.

×