Ped 8 1-coordenação pedagógica-aula 8-un 8-rev3_retomando

1.099 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.099
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ped 8 1-coordenação pedagógica-aula 8-un 8-rev3_retomando

  1. 1. UNISEB Centro Universitário Coordenação Pedagógica 24/03/2014 Profa. Me. M. Alejandra I. Leal
  2. 2. Módulo UNISEB Centro Universitário Retomando as aulas anteriores 8.1
  3. 3. Atuação sem foco Quesito tarefas  rotina bagunçada: 72% costumam acompanhar a entrada e a saída dos alunos diariamente; 55% conferem se as classes estão organizadas e limpas; 50% atendem todos os dias telefonemas de pais e de outras pessoas que procuram a escola (e 70% acreditam que isso é adequado); 19% assumem alguma classe pelo menos uma vez por semana quando falta um professor; 3 http://colegiosantosanjos.com.br
  4. 4. Atuação sem foco 9% admitem não desempenhar nenhuma atividade regular relativa à formação de professores; 26% se ressentem por não dispor de tempo suficiente para se dedicar à elaboração ou à revisão periódica do projeto político-pedagógico (PPP). 4
  5. 5. Dificuldades com a equipe? Sim, elas existem para 31% dos entrevistados, que não sabem como fazer o professor desmotivado trabalhar, não conseguem ajudá-lo a cumprir as metas e ainda afirmam não saber como se firmar como líder dos docentes e exercer sua autoridade perante os colegas. 5 www.brasilescola.com
  6. 6. Conclusão da pesquisa A falta de identidade profissional, e o fato de ser tão solicitado por todos para fazer de tudo na escola, o levam a sentir-se importante, mas sem perceber o quanto isso o afasta de ser um bom formador de professores. 6
  7. 7. Formação em serviço Concluiu-se que, apesar de todos os esforços para que a formação em serviço ocorra com mais frequência e seja focada na necessidade dos professores em sala de aula, há a carência de programas voltados especificamente para aprimorar a prática do coordenador pedagógico. 7 http://revistaescola.abril.com.br
  8. 8. Conclusões "Falta suporte adequado para que ele possa efetivamente exercer o papel de articulador das ações formativas de caráter colaborativo na escola." 8 http://2.bp.blogspot.com
  9. 9. Módulo UNISEB Centro Universitário O campo de atuação da Coordenação Pedagógica – Parte I Unidade 7 8.1
  10. 10. Roteiro da aula • O projeto político pedagógico como eixo norteador das ações educativas • Currículo, conhecimento e cultura • Planejamento http://2.bp.blogspot.com/•http://www.pedagogiaaopedaletra.com 10
  11. 11. PPP Como eixo norteador das ações educativas, revela a visão macro do que a instituição escolar pretende ou idealiza fazer, seus objetivos, metas e estratégias, tanto no que diz respeito às atividades pedagógicas como no que se refere às atividades administrativas. http://files.cempteen.webnode.com.br 11
  12. 12. Quem, por que e para quê? O projeto político pedagógico tem uma dimensão fundamental: ele sinaliza a visão de homem, de sociedade e de mundo que a escola acredita ou quer projetar no seu fazer cotidiano, sem perder de vista que aqueles que se dedicam à educação devem ter por objetivo as gerações futuras e o futuro da geração atual. http://4.bp.blogspot.com 12
  13. 13. O que eu aprendi • De acordo com Veiga (1998), quanto à concepção, um projeto pedagógico de qualidade deve apresentar as seguintes características, EXCETO: a. Ser um processo participativo de decisões. b. Preocupar-se em instaurar uma forma de organização do trabalho pedagógico que desvele os conflitos e as contradições. c. Explicitar princípios baseados na autonomia da escola e na solidariedade entre seus agentes educativos. 13
  14. 14. • Vamos testar nosso aprendizagem • d. Conter opções superficiais na direção da superação de problemas. • e. Explicitar o compromisso com a formação do cidadão. 14
  15. 15. Resposta • Veiga (1998) afirma que o projeto pedagógico de qualidade é aquele que representa a realidade da escola. Para tanto, deve ser construído a partir de processo participativo, baseado nos princípios de autonomia da escola. 15
  16. 16. Resposta • Sabemos que a realidade de cada escola desvela conflitos e contradições, que são inerentes às instituições sociais, por isso a necessidade da projeto pedagógico ser concretizado em processos de decisões coletivas, que visem o compromisso com a formação do cidadão. Nesse sentido, opções superficiais para a superação de problemas pouco ou nada contribuem para a educação de qualidade que tanto almejamos. 16
  17. 17. Em busca da qualidade Um aspecto relevante para a mudança é a participação responsável de todos na gestão da vida escolar – educadores, alunos, funcionários, comunidade local. A escola pode ser um espaço público privilegiado no qual é possível ouvir opiniões, ouvir outras ideias, discuti-las, propor e estabelecer ações coletivas. http://4.bp.blogspot.com 17
  18. 18. Currículo: sistematização dos esforços pedagógicos “[...] qualquer que seja a concepção de currículo que adotamos, não parece haver dúvidas quanto à sua importância no processo educativo escolar. Como essa importância se evidencia? Pode-se afirmar que é por intermédio do currículo que as „coisas‟ acontecem na escola. No currículo se sistematizam nossos esforços pedagógicos. 18
  19. 19. Currículo O currículo é, em outras palavras, o coração da escola, o espaço central em que todos atuamos, o que nos torna, nos diferentes níveis do processo educacional, responsáveis por sua elaboração. 19
  20. 20. Planejar Planejar é elaborar, decidir que tipo de sociedade e de homem se quer e que tipo de ação educacional é necessária para isso; verificar a que distância se está deste tipo de ação. 20 (Gandin,1985)
  21. 21. Efetivando o planejamento • comprometimento; • descontração; • disponibilidade emocional; • capacidade de aprender; • capacidade de inovação; • capacidade comunicativa; • reconhecimento do impacto das novas tecnologias; 21 http://vocesa.abril.com.br/imagens/0140/140-carreira-003-630x270.jpg
  22. 22. Efetivando o planejamento • atenção à diversidade cultural; • atualização científica através de educação continuada; • integração docência e afetividade; • Desenvolvimento do comportamento ético, solidariedade e cooperação. http://1.bp.blogspot.com 22
  23. 23. O coordenador pedagógico é também um formador! No seu papel de agente formador, o coordenador pedagógico deve explicitar aos professores que, ao longo da história da escola: http://2.bp.blogspot.com 23
  24. 24. [...] na transposição didática dos saberes científicos em saberes escolares, diferentes maneiras de planejar o ensino têm sido preconizadas. Esses saberes vêm sendo organizados através da listagem de conteúdos a serem vencidos pelos estudantes por etapas, da chamada 'educação tradicional‟, 24
  25. 25. passando pelas propostas de organização destes conteúdos em torno de um assunto – como centros de interesse, metodologia de projetos e unidades de trabalho da „Escola Nova‟ – até as 'proposições contemporâneas‟ que retomam as propostas de integração curricular do Escolanovismo ressignificando-as... 25
  26. 26. ...e em alguns casos, politizando-se de forma mais explícita através do uso de „Temas Emergentes, Eixos temáticos, Temas Geradores, temas culturais‟ e, mais recentemente, retomando a „Pedagogia de Projetos‟ (XAVIER, 2000, p. 11-12). 26
  27. 27. Organização do conteúdo • A forma mais clássica de organização do conteúdo escolar, ainda hoje, é o modelo linear disciplinar, ou o conjunto de disciplinas justapostas, na maioria das vezes de uma forma bastante arbitrária. http://www.gazetamaringa.com.br/midia/tn_279_651_horario_050312.jpg 27
  28. 28. Planejamento Participativo A ausência da prática do planejamento participativo democrático ou de experiências como o Planejamento multi/interdisciplinar - que trabalha temas das diversas áreas do conhecimento escolar que possam se complementar - retira da escola a possibilidade de construir coletivamente os sentidos da escola e da educação praticada. 28
  29. 29. • Objetivos: é preciso explicitá-los, tendo como questões básicas “o quê” e “para quê”; • Justificativa: toda proposta tem uma origem, um porquê; • Temática: apresentação do eixo integrador; • Estratégias: momento do “como” ser explicitado; 29 Elementos do Planejamento
  30. 30. • Localização: onde será desenvolvido? Para quem? É importante esta caracterização, deixando esclarecido o contexto; • Recursos: qual o apoio necessário, em termos de materiais, meios a serem utilizados; • Avaliação: como acompanhamento permanente do processo, velar os indicadores, critérios de avaliação (RODRIGUES, 2002, p. 72). 30 Elementos do Planejamento
  31. 31. Módulo UNISEB Centro Universitário O campo de Atuação da Coordenação Pedagógica – Parte II Unidade 8 8.1
  32. 32. Roteiro da aula • A Coordenação pedagógica e o planejamento curricular. • Coordenação pedagógica na escola: principais atribuições e desafios. 32
  33. 33. Planejamento curricular Currículo  deve considerar as possibilidades e as aspirações do educando e, ao mesmo tempo, a historicidade, a cultura, as possibilidades, as exigências e as aspirações comunitárias do meio. (MARTINS, 1999) http://t2.gstatic.com 33
  34. 34. Coordenação pedagógica • Fomentar e articular as discussões, bem como definir coletivamente os momentos de realização do planejamento. http://t1.gstatic.com 34
  35. 35. Parceria: coordenação pedagógica, alunos e professores A programação das atividades de ensino e de aprendizagem na sala de aula requer metas estabelecidas, adequando-as àquele grupo específico de alunos. http://t2.gstatic.com 35
  36. 36. Prática docente A prática de todo professor, mesmo de forma inconsciente, sempre pressupõe uma concepção de ensino e aprendizagem que determina sua compreensão dos papéis de professor e aluno, da metodologia, da função social da escola e dos conteúdos a serem trabalhados. http://t1.gstatic.com 36
  37. 37. O coordenador pedagógico na escola • Atento à realidade e competente para localizar os temas geradores (questões, contradições, necessidades, desejos) do grupo, organizá-los e devolvê-los como um desafio para o coletivo, ajudando na tomada de consciência e na busca conjunta de formas de enfrentamento. http://www.carlosbritto.com 37 (VASCONCELLOS, 2011)
  38. 38. Coordenador pedagógico é um intelectual orgânico É aquele que tem um projeto assumido conscientemente e, pautado nele, é capaz de despertar, de mobilizar as pessoas para a mudança e fazer junto o percurso. (VASCONCELLOS, 2011) 38 Cabe ao coordenador fazer com sua “classe” (os seus professores) a mesma linha de mediação que os professores devem fazer em sala: acolher, provocar, subsidiar e interagir.
  39. 39. Quais são suas principais atividades? • Coordenar a elaboração e a realização interativa do projeto político-pedagógico da escola (PPP). • Elaborar o seu plano setorial - o projeto de trabalho da coordenação pedagógica. http://2.bp.blogspot.com/ 39
  40. 40. Quais são suas principais atividades? • Colaborar com os professores na construção e realização interativa do projeto de ensino-aprendizagem/plano de ensino, assim como dos planos de unidade, sequências didáticas, projetos de trabalho, semanários, planos de aula. • Coordenar as reuniões pedagógicas semanais (hora-atividade, horário de trabalho pedagógico coletivo). 40
  41. 41. Quais são suas principais atividades? • Acompanhamento individual dos professores (supervisão não com sentido de controle autoritário, mas de “outra” visão). • Participar da educação da comunidade. http://portais.viverdigitalibipora.com.br 41
  42. 42. E a formação do coordenador pedagógico?  Uma boa formação como professor, como educador, o que envolve as três grandes dimensões da atividade docente: 1. Trabalho com conhecimento; 2. Organização da coletividade (construção da disciplina em sala de aula) 3. Relacionamento interpessoal. (VASCONCELLOS, 2011) 42
  43. 43. E a formação do coordenador pedagógico? Formação voltada para a coordenação pedagógica, com aprofundamento em gestão escolar, planejamento, projeto político-pedagógico, trabalho de grupo, supervisão (acolhimento, acompanhamento, orientação, etc.). 43
  44. 44. Referências ÁVILA, Virginia. Coordenação Pedagógica. Centro Universitário UniSEB Interativo. Ribeirão Preto, 2012. MARTINS, José do Prado. Administração escolar: uma abordagem crítica do processo administrativo em educação. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999. VASCONCELOS, C. S. Coordenação do trabalho pedagógico: do projeto político pedagógico ao cotidiano da sala de aula. São Paulo: Libertard, 2002. VASCONCELOS, C. S. O coordenador pedagógico na escola. Entrevista concedida ao Jornal do Professor. Edição 50 – 1 de fevereiro de 2011. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/jornal.html?idEdic ao=53&x=37&y=9 44

×