Como ajudar seu filho a não tirar notas vermelhas

8.627 visualizações

Publicada em

http://simonehelendrumond.blogspot.com

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.627
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como ajudar seu filho a não tirar notas vermelhas

  1. 1. Como ajudar seu filho a não tirar notas vermelhas Volume 1Autora da Apostila: Simone Helen Drumond http://simonehelendrumond.blogspot.com simone_drumond@hotmail.com (92) 8808-2372 / 8813-9525
  2. 2. O boletim do seu filho estácheio de notas baixas? Não se Gabriel Nascimento de Carvalhodesespere: ainda dá tempo de ajudá-lo a desenvolver suashabilidades para que o mesmo possa projetar competênciascoesas que o faça transcender positivamente e assim seraprovado com bom resultado cognitivo. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  3. 3. Como ajudar seu filho a não tirar notas vermelhasAo fim de cada bimestre ou trimestre, a família toda fica orgulhosa dos filhos. Isso, é claro,quando eles voltam para casa com boas notas.E quando o boletim tem notas vermelha, o que fazer?Bem, antes de sair esbravejando, pare para entender o motivo. Notas vermelhas, ou abaixoda média, nada mais são do que o resultado de um processo. Por isso, é importante,durante todo o bimestre/trimestre, acompanhar o estudo das crianças em casa e marcarpresença nas reuniões com professores. Além de evitar as notas baixas, isso lhe ajudará,também, a identificar onde (você) e seu filho podem melhorar para que o boletim dopróximo bimestre/trimestre não surpreenda mais ninguém!É importante que neste processo os educadores tornem-se parceiros dos pais, sinalizandopor meio de uma conversa amigável os aspectos que necessitam de uma tomada deatitude por parte da família. Este processo de mediação irá direcionar o desenvolvimento deuma educação harmoniosa a todos os envolvidos no processo ensino e aprendizagem.Como educadora e responsável por um adolescente de 14 anos,sei o quanto ésurpreendente receber criticas sem soluções, receber boletins com notas vermelhas sem oeducador não ter comunicado o processo ensino e aprendizagem do seu filho, não sinalizadeveres não desenvolvidos na agenda e ainda se permite estar correto na entrega deboletins. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  4. 4. E como entender o que deu errado?O primeiro passo é ouvir a justificativa de seu filho. Geralmente, as crianças sabemdireitinho onde falharam. Em seguida, é indispensável procurar as pessoas que oacompanham no ambiente escolar: a professora, a orientadora pedagógica ou acoordenadora da série dele para ver se ele não está passando por mudanças oudificuldades no ambiente escolar. Um boletim com notas baixas pode não significar,necessariamente, descaso do aluno.Por último, é preciso mudar algumas atitudes em casa, para estimular seu filho a superar asdificuldades que ele encontrou. Por exemplo, se ele sempre foi um bom aluno e as notasbaixaram repentinamente em várias matérias, é possível que sua autoestima esteja abaladaou que ele esteja passando por conflitos no ambiente escolar. Aí, é importante manter emcasa um diálogo mais aberto e livre de julgamentos.Agora, se ele for indiferente apenas a uma matéria ou outra, procure um reforço escolar ouaulas particulares. Quando o problema é pontual, fica muito mais fácil resolver. Além disso,você também terá de fiscalizar os estudos de seu filho e conferir se as tarefas de casarealmente estão sendo feitas. A questão é saber organizar o tempo e priorizar os estudos,mas sem tirar o tempo de lazer da criança.Você precisa ter em mente: a nota baixa é uma bomba também para o seu filho. Ela mexecom a autoestima da criança, pois desestimula e mostra fracasso. E ninguém gosta de sesentir assim. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  5. 5. Como ajudar seu filho a não tirar notas vermelhasComo decifro o que aparece no boletim?As escolas têm diferentes formas de avaliar os alunos. Em alguns casos, dãonotas de 1 a 10; em outros, conceitos (satisfatório e insatisfatório, por exemplo).Informe-se sobre esses critérios na escola do seu filho. Você pode exigir que oscritérios de cada disciplina estejam explícitos em todo os processos de avaliações.O desempenho dos colegas é importante?Sim. Fique de olho na evolução da criança e acompanhe se o desempenho delamelhorou ou piorou. Porém, se a turma toda estiver indo mal na mesma matéria, épreciso avaliar se o problema é mesmo dos estudantes. Nas reuniões, não damosos nomes das crianças, mas posicionamos os pais sobre o aprendizado do grupo.Se a escola não fizer a comunicação, é papel de todos pedir essas informações.Deixo de castigo, dou uma dura ou só converso?Se ele se empenha pouco, seja firme. O melhor é dialogar desde o início do ano.Não converse sobre a escola só quando chegar o boletim. As notas expressam oque ele já aprendeu ou pode aprender. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  6. 6. Como ajudar seu filho a não tirar notas vermelhasQual é o papel da escola na recuperação?O de esclarecer pais e alunos sobre esse processo.A recuperação não deve ser vista como fracasso, mas como uma oportunidade deaprender. Quanto antes isso ocorrer, melhor. No fim do ano, o risco de reprovaçãoé bem maior.De que forma os pais podem ajudar o filho a melhorar?Se o aluno é indisciplinado e recebe uma advertência ou um pedido para mudarde classe, os pais devem apoiar as decisões da escola. É importante cobrar umhorário de estudo diário e incentivá-lo a ir às aulas de recuperação. Um jeitosimples de ajudá-lo é se tornar parceira: pergunte a ele como foi a aula, se gostouou se teve dúvidas. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  7. 7. Muitas notas vermelhas no boletim, baixo rendimento escolar e dificuldades de acompanhar o ritmo da turma podem ser sintomas da necessidade de recorrer ao auxílio de um psicopedagogoA figura desse profissional passou a ser obrigatória nas escolas e em clínicasinfantis em tempos em que os problemas de aprendizagem têm sido cada vezmais diagnosticados.Quando há dificuldades de acompanhamento do desenvolvimento da turma, ospais devem consultar um profissional dessa área antes de recorrer às aulas dereforço escolar, com professores particulares. Não é só uma nota baixa queevidencia o problema. Sinais de dificuldade de aprendizagem devem seravaliados por psicopedagogos, que têm mais condições de fazer um diagnósticocorreto e tratar o problema, seja ele qual for.Os pais precisam estar atentos não só para as dificuldades de aprendizagem. Ocontrário também é preocupante. Se a criança não acompanha a turma, achatudo fácil, também temos um problema que precisa ser resolvido, antes que afrustração escolar de seu filho torne-se latente e reflita neativamente nas notasescolares. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  8. 8. Muitas notas vermelhas no boletim, baixo rendimento escolar e dificuldades de acompanhar o ritmo da turma podem ser sintomas da necessidade de recorrer ao auxílio de um psicopedagogoUm simples questionamento de que algo não anda bem já pode ser um alerta paraa necessidade de auxílio profissional.A família tem de seguir o coração e apostar na sensibilidade.Quando achar que tem algo errado deve procurar um psicopedagogo, nem queseja para bater um papo. É melhor tirar a dúvida para não cair no exagero.Após o diagnóstico, o psicopedagogo irá tratar as causas das dificuldades deaprendizagem e não a dificuldade em si, como ocorre no caso das aulasparticulares de reforço.Quando necessário o tratamento pode demandar a intervenção de outrosprofissionais, como psicólogos e neurologistas, além de ser necessária aintegração com a escola e família. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  9. 9. Ninguém consegue convencer uma mãe instruída que seu filho é incapaz de aprender. Para as mães, todos somos capazes, porém cada um no seu ritmo e no seu limite.Certa vez, li na internet que a partir do auxílio de um psicopedagogo é que uma mãe,conseguiu diagnosticar o déficit de atenção e hiperatividade em seu filho de 15 anos.Ela percebia que o filho era diferente e com o diagnóstico feito pela psicopedagoga eneurologista é que o desenvolvimento escolar e social do jovem melhorou.O rendimento escolar dele ficava sempre no limite, e isso acabou refletindo em baixaauto-estima. Por causa do medo da frustração, ele simplesmente não tentava.Um dos fatores que influenciaram no sucesso da recuperação do jovem, partiu damãe. A mesma revelou em depoimento que não acreditava que seu filho não tinhapotencial. Ela acreditava que ele tinha limitações e que essas limitações poderiam sersanadas por meio de ajuda de um profissional especializado. Hoje o tratamento dojovem está indo bem.LEMBRE-SE: É importante trabalhar a autonomia nas crianças e adolescentes comdificuldade de aprendizagem, para que elas possam sentir bem e desenvolver suashabilidades de forma coesa. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  10. 10. É um bom momento para refletirmos sobre o papel que cada umtem na formação dos futuros cidadãos do Brasil. Por isso, a equipedo Educar separou algumas dicas para que você seja um aliado da escola na educação do seu filho:1)Incentive a leitura. Ler para seus filhos e deixar livros sempre à mão éimportante para desenvolver o hábito da leitura, que facilitará o aprendizado naescola mais tarde.2) Acompanhe a lição de casa do seu filho. É importante reservar uma partedo seu dia para ver o que está sendo abordado na escola e como seu filho lidacom o conteúdo, se tem dificuldades, se precisa de reforço em alguma matéria.3) Conheça a escola do seu filho. Sempre que possível, é bom conversar comos professores e coordenadores da escola, não apenas para saber mais sobre odesempenho de seu filho, mas também para entender o projeto pedagógico daescola e perceber se ele está de acordo com as suas idéias. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  11. 11. É um bom momento para refletirmos sobre o papel que cada umtem na formação dos futuros cidadãos do Brasil. Por isso, a equipedo Educar separou algumas dicas para que você seja um aliado da escola na educação do seu filho: 4) Se seu filho tirar notas baixas, não o pressione. Um boletim vermelho nem sempre é resultado de falta de esforço: ele pode indicar dificuldades de aprendizagem ou outros problemas relacionados à escola. 5) Motive o gosto pelo estudo. Querer aprender e estar na escola são valores que devem ser passados pelos pais, exemplos das crianças, e pelas próprias instituições de ensino. Para você obter outras dicas de como transformar-se em um aliado da escola na educação do seu filho, veja no site: http://educarparacrescer.abril.com.br Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  12. 12. Estás são 10 atitudes negativas que você não deve ter quando chega um boletim vermelho – Educar para Crescer.1.Reagir com agressão física ou verbal é o erro mais grave. Em vez deestimular a criança a estudar, você acaba deixando-a com medo ou raiva.2. Comparar o desempenho da criança com os colegas dela ou com seudesempenho escolar de anos atrás. É importante que o filho sinta que os paistêm confiança nele, mesmo nos momentos de crise. Isso pode ser motivadorpara reverter a situação.3. Usar termos que diminuam a criança ou que mostrem que ela é incapazde reverter a situação. "Dizer eu avisei também não é indicado, assim comoter sermões prontos. É importante agir com a razão e não com a emoção.4. Negociar com a criança, oferecendo benefícios materiais, caso ela melhoresuas notas. Pior ainda é prometer coisas que ela sabe que você nãoconseguirá cumprir.5. Exigir além da possibilidade de rendimento da criança para a idade dela. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  13. 13. Estás são 10 atitudes negativas que você não deve ter quando chega um boletim vermelho – Educar para Crescer.6. Desautorizar a escola e falar mal dos professorespara a criança.7. Aceitar justificativas que retirem aresponsabilidade dela sobre o resultado.8. Fazer drama ou chantagem emocional com acriança.9. Não impor uma rotina de estudos para a criançaou não cobrá-la para cumprir essa rotina.10. Apenas colocar a criança de castigo, sem nemouvir o que ela tem para falar. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  14. 14. 10 atitudes positivas quando chega um boletim vermelho Educar para Crescer 1. Converse e tente entender a situação, sem gritos ou discussões. Mostre para a criança que esses resultados não são definitivos muito menos indicativos de incapacidade. 2. Avalie se a rotina de estudos está adequada e se o local é calmo e silencioso. E, quando seu filho prometer estudar mais, questione-o sobre o que é estudar para ele. Coloque essa rotina em discussão. Fale para ele que não adianta apenas fazer a lição de casa para não tomar bronca do professor. É preciso fazer a tarefa com o objetivo de aprender e tirar as dúvidas. 3. Procure a escola e converse com o orientador educacional antes de tomar a justificativa da criança como única existente. A partir daí, você conseguirá identificar se é uma dificuldade específica de uma matéria ou se é problema comportamental.Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  15. 15. 10 atitudes positivas quando chega um boletim vermelho Educar para Crescer 4. Veja se a saúde da criança está normal. Problemas de visão, audição ou dificuldades em se concentrar podem refletir nas notas. Pesquise com os educadores se detectaram algo anormal com a saúde de sua criança. No site http://simonehelendrumond.blogspot.com é possível encontrar modelos de fichas diagnósticas que podem auxiliar educadores e familiares a detectar diversos distúrbios , síndromes e problemas emocionais. 5. Verifique a integração social da criança nos grupos. Veja se é tímida, se tem amigos. Às vezes, para serem aceitas nos grupos, as crianças tornam-se bagunceiras e suas notas caem.Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  16. 16. 10 atitudes positivas quando chega um boletim vermelho Educar para Crescer 6. Envolva-se no estudo dele e demonstre interesse pela vida escolar. Diariamente, peça para ver as tarefas e as anotações feitas em sala. Ah, também é importante não deixar seu filho faltar à aula por qualquer motivo, por mais que ele insista. Use a agenda escolar como sua aliada no acompanhamento escolar de seu filho. 7. Estabeleça metas de superação, ou seja, conte para seu filho o que espera dele no fim do ano letivo e diga que vai ajudá-lo a alcançá-las. Porém, respeite o tempo dele. Aos 8 anos, ele deve saber ler e escrever. Aos 10 anos já é hora de somar, subtrair, multiplicar e dividir. Aos 14 anos deve resolver equações e saber produzir e interpretar textos. Aos 15 anos já deve está com as habilidades básicas e do Ensino Médio bem desenvolvidas, para que projete boas competências cognitivas para entrar na Universidade de forma harmoniosa.Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  17. 17. 10 atitudes positivas quando chega um boletim vermelho Educar para Crescer 8. Estabeleça também conseqüências, caso veja que ele não está comprometido. Agora, se ele se esforça e não consegue, procure apoio na escola ou em aulas particulares. Vale descobrir se a escola oferece aulas extras. 9. Explique alguns conceitos que parecem ser básicos, mas que nem sempre as crianças se dão conta, como Lembre-se: Não adianta que é normal - e aceitável - ele tirar dizer que trabalha muito e dúvidas após as aulas com o professor. não tem tempo para seguir as dicas. Seu filho 10. Avalie a possibilidade de ele estar precisa de sua atenção e sobrecarregado, com muitas atividades ajuda para poder recuperar as notas diárias. vermelhas. Simone Helen DrumondAutora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  18. 18. Quem leva o filho pela primeira vez à escolinha parece deixar um pedaço do coração nas mãos de estranhos! Se você está passando por isso, saiba que não está sozinha. Quando bater um aperto nopeito, lembre-se de que a escola fará muito bem a seu filhote. Lá ele não aprenderá só a ler, escrever e fazer contas - fará amigos, saberá trabalhar em grupo e viver melhor em sociedade.Aqui vão algumas dicas para você driblar o desespero nos primeiros dias deescolinha:1. Os filhos são para o mundo.2. Proteger os filhos é função de todos os pais, mas criá-los numa bolha dificulta oamadurecimento deles.3.Erros e frustrações fazem parte da vida de todos.4. Ele precisa fazer novos amigos5. Saber se relacionar com outras pessoas começa na infância. Deixe seu filho visitar acasa dos amigos e até dormir lá de vez em quando (depois que você conhecer bem afamília).6.Esteja sempre em contato com os professores para saber sobre seu filho, assim,você terá mais controle do que acontece quando não está por perto. Eles tambémsabem como você pode ajudar a criança em casa. Autora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com
  19. 19. Agradeço ao site http://educarparacrescer.abril.com.br Por disponibilizar publicamente algumas das dicas postadas nesta apostila. A imagem do aluno GABRIEL NASCIMENTO DE CARVALHO, ele é idealizador do conteúdo desta apostila. Outras dicas para ajudar seus filhos em diversosaspectos do seu cotidiano social e escolar,você pode encontrar em...http://simonehelendrumond.blogspot.comAutora da Apostila: Simone Helen Drumond - simone_drumond@hotmail.com

×