SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2

3.461 visualizações

Publicada em

Síntese da apostila 2, da disciplina de Geografia. Aula ministrada pela professora Vera (2012), na escola estadual Deputado Silva Prado.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.461
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.783
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SÍNTESE 3º ANO - APOSTILA 2

  1. 1. SÍNTESE 3º ANO – Apostila 2 – 2ªparteAs principais áreas de conflito no final do século XX
  2. 2. AMÉRICA DO SUL p.22 - Equador/Peru: a reclamação é que o Equador deveria ter acesso à região amazônica.Em 1942, o Protocolo do Rio deJaneiro, pôs fim ao conflito, mas o Equador perdeu boa parte de suas terras amazônicas. - Chile / Argentina: na década de 1970, definição da zonaaustral (canal de Beagle), a favor do Chile(1978, pelo Tratado de Paz e Amizade). - Chile/Bolívia/Peru: no século XIX (1879/1884), protagonizaram a Guerra do Pacífico, vencida pelo Chile. A Bolívia perdeu parte de seu para o Chile ficando, portanto, sem acesso ao Oceano Pacífico.
  3. 3. América Latina: A questão indígena p.33/34 - Os cinco países com maior presença indígena no total da população são:Bolívia, Guatemala, Peru e Equador. Ofator principal é uma expressiva presença de nações indígenas muito bem organizadas,que escravizadas pelo colonizador espanhol, posteriormente, mantiveram-se como base da cultura após a descolonização.A menor presença indígena é verificada no Brasil e Argentina,motivado por um grande extermínio dos colonizadores e em função das enfermidades contraídas em contato com os brancos. No caso dos países insulares (Porto Rico e Jamaica,p.ex.), a colonização espanhola providenciou um grande fluxo de negros escravizados para o trabalho nas plantações de cana.
  4. 4. Colômbia:guerrilhas e paramilitares – p.35
  5. 5. Pesquisa – p.35. Como surgiram? As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), atuam no país desde 1960. É uma organização comunista remanescente de um período de lutas populares da década de 1940, conhecido como La Violencia. A organização conta com cerca de 5 mil a 8 mil membros e ainda controla pontos importantes do território. O Exército de Libertação Nacional (ELN), movimento de esquerda que propõe a revolução popular . Foi organizado em 1960 por grupos ligados a movimentos religiosos inspirados na Teologia da Libertação. A organização “paramilitar” Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), grupo de extrema-direita formado por membros e ex-membros do exército e da polícia que, financiados por latifundiários, grandes empresários e pelo narcotráfico, desde de 1981, com a intenção de combater a guerrilha. No entanto, já foram quase totalmente desmobilizados.
  6. 6. Como agem?Alguns especialistas acusam as Farc de receber dinheiro do narcotráfico, por meio de um “imposto revolucionário” cobrado das pessoas que vivem em sua área de controle. Com 5 mil membros e atuando na fronteira com a Venezuela.O ELN se autofinancia por meio de sequestros e da cobrança de um “imposto revolucionário”.A AUC age como “esquadrão da morte”, amedrontando as populações que supostamente colaboram com as guerrilhas.
  7. 7. Quais são seus interesses?• As Farc e o ELN têm o interesse de promover uma revolução de bases socialistas na Colômbia.• A AUC combate as frentes de esquerda impondo um poder paralelo no interior do país.
  8. 8. Mapa - p.36 a 371 – Países responsáveis pelo controle dos sistemas de vigilância (radares de longo alcance), do território colombiano:- EUA (Virgínia e Texas) e de Porto Rico, Estado associado aos EUA.- Na América do Sul, há o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam), pertencente ao Estado brasileiro (2002).2 – Alguns motivos que levaram a instalar o Sivam foram: a instabilidade política na Colômbia (FARC,ELN e a AUC); as sucessivas invasões ao território brasileiro provenientes de guerrilheiros e narcotráficos; a vigilância contra o desmatamento e a extração ilegal de madeiras e metais preciosos; e a constante invasão de terras indígenas.3 – Os EUA são o maior mercado consumidor de drogas como cocaína e heroína, talvez esta seja a dificuldade de conter o avanço do narcotráfico no país, além dos planos antidrogas focados apenas no combate na repressão à produção e à distribuição.
  9. 9. Movimentos de independência na Europa• Irlanda do Norte: conflito de base religiosa entre católicos (querem separação da Grã-Bretanha, sua base terrorista é o Exército Republicano Irlandês, IRA) e protestantes (não desejam a separação, mas são tão violentos quanto o IRA). Acordo em 1998. Em 2005, o IRA destruiu suas armas.• País Basco: A comunidade Autônoma do País Basco, apesar de ter havido um acordo de paz entre o grupo separatista ETA (“Pátria Basca e Liberdade”) e o governo espanhol, ainda existe um movimento remanescente que busca a independência . Em 2006 o ETA declarou o cessar-fogo permanente.
  10. 10. Bósnia-Herzegovina• Entre as diversas tensões que abalaram o Leste Europeu, destacam-se os conflitos na Iugoslávia. Situada na região dos Bálcãs, essa área sempre foi habitada por povos de diversas religiões: - no norte, o catolicismo romano praticado pelos eslavos e croatas; - na região central, o islamismo adotado por bósnios e kosovares albaneses; - no leste, o cristianismo ortodoxo professado pelos sérvios.• 1991, Croácia e a Eslovênia declararam sua independência por meio de plebiscitos. Em seguida, foi a Bósnia; mas 35% da população de origem sérvia, negou a aceitar um governo mulçumano, iniciaram uma sangrenta “limpeza étnica”, que se estendeu ao Kosovo. O conflito somente foi contido com a intervenção da ONU e a aviação da OTAN no ataque a Sérvia para obrigá-la a por fim às atrocidades.
  11. 11. Península Balcânica ou Bálcãs
  12. 12. • Em 2000, o líder sérvio Slobodan Milosevic foi preso e entregue ao Tribunal Penal Internacional de Haia, na Holanda, acusado de gravíssimas violações dos direitos humanos, como patrocinar massacres durante o conflito.• Desde 1999, a região vive em relativa paz interna, mas tanto a Bósnia quanto Kosovo, anteriormente atacados pelos sérvios, ainda necessitam de monitoramento e proteção internacional.• No início de 2003, a Iugoslávia passou a se chamar União da Sérvia e Montenegro.• Em 17/02/2008, Kosovo tornou-se independente da Sérvia.
  13. 13. P. 25 - O Conflito árabe-israelense• Na Antiguidade, surgiram e desenvolveram na região do Oriente Médio algumas das mais importantes e fascinantes civilizações que a humanidade já conheceu, como da: Assíria, Fenícia, Babilônia. Povos diversos, como: cananeus, hebreus, filisteus, gregos, romanos e árabes ajudaram a formar aí uma cultura de características únicas. E foi nessa região que nasceram as três grandes religiões monoteístas: Judaísmo, Cristianismo e Islamismo. E a luta por uma parcela de terra, a Palestina, motivando guerras se fim.• São as questões de ordem política que nos últimos tempos têm oposto judeus e árabes palestinos e não palestinos, muito mais do que as questões de natureza culturais e religiosas.
  14. 14. Cronologia• 1800 a.C. – os hebreus, migram da mesopotâmia para a Palestina (chamada de Canaã). Organizaram-se nas chamadas doze tribos de Israel (descendentes de Abraão).• 1008 1000 a.C – união entre os reis Davi e Salomão. Promovem grandes construções em Jerusalém. Períodos seguintes marcados por lutas tribais internas, ascensão e quedas.• Durante sua história, os hebreus foram conquistados pelos assírios e pelos babilônios, além de terem sido invadidos por persas, macedônios, gregos e romanos.
  15. 15. • Anos 70 d.C. – os judeus foram impiedosamenteperseguidos pelos romanos e expulsos de sua terra.Dispersão que ficou conhecida como diáspora(povojudeu exilado fora da Palestina).Grandescontingentes de judeus foram para a EuropaOriental, Península Ibérica e Arábica e o Norte da África.. Século VII – a Palestina foi conquistadaprogressivamente por árabes mulçumanos vindosda península Arábica.. Século XVI - passou a dominação do Império Turco Otomano.. Até o final do século XIX – as duas nações, aárabe-mulçumana e a judaica, conviveram em paz.
  16. 16. • Final do Século XIX - 1896: o escritor judeu húngaro Theodor Herzl lançou, em seu livro O Estado judeu, as bases de um movimento político-religioso pela criação de um estado nacional para os judeus (movimento sionista – a volta dos judeus à Palestina).• 1897 – primeiro Congresso Mundial Sionista, realizado na Basiléia, Suíça. Foi aprovado um programa de compra de terras com essa finalidade.• Nasceram os kibutzim (kbutz) – fazendas coletivas compradas e organizadas pelos judeus pioneiros.
  17. 17. • O sionismo cresceu e, com financiamento de judeus do mundo inteiro, seus integrantes compraram muitas terras na Palestina. Por serem agricultores pobres, os paletinos não tinham como competir com os investimentos maciços do movimento. Para os judeus, aquelas terras lhes pertenciam desde a Antiguidade.• Surge o confronto entre o direito de fato e o direito histórico.• 1917 - o Reino Unido, por meio da Declaração Balfour, manifestou seu apoio à criação de um “lar nacional” para os judeus, motivando conflitos cada vez mais intensos. Arthur Balfour (ministro Relações Exteriores), não levou em conta a presença da população palestina, árabe e mulçumana.
  18. 18. • Durante a Segunda Guerra Mundial(1939/45)- a política nazista de “purificação racial” perseguiu e massacrou os judeus. Esse holocausto sem precedentes, somado ao acirramento dos conflitos entre árabes e judeus, fortaleceu a luta pela formação de um “lar nacional”.• Em 29 de novembro de 1947 – a ONU aprovou a partilha da Palestina e a criação do Estado de Israel. O Estado judeu contaria com 14 mil Km₂ e o Estado Palestino com 11.500 km₂, incluindo a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. A cidade de Israel(Jerusalém), localizada na Cisjordânia, assumiria status internacional por ser um importante marco religioso.
  19. 19. A partilha da ONU e as guerras• Julho de 1948 – A Liga Árabe não aceitou a partilha da ONU (1947). A guerra durou até janeiro de 1949. O Estado palestino foi “engolido” pelos Estados envolvidos na guerra, e os palestinos tornaram-se estrangeiros em sua própria terra. Expulsos pelos israelenses e rejeitados como refugiados pelos árabes, viram-se numa situação pior que anterior.• 1967, Guerra dos Seis Dias – Foi o confronto de duas estratégias políticas antagônicas. De um lado, Israel consolidou-se como a nação de maior controle e eficácia militar do Oriente Médio. Do outro, Gamal A.Nasser (presidente do Egito) procurou sacramentar a importância da união do mundo árabe, solidificando a ideia do pan-arabismo.
  20. 20. A Partilha da ONU
  21. 21. • 1970 – com a morte de Nasser, Anuar Sadat assume a presidência e a liderança na união dos árabes contra Israel.• 1973 – a Guerra do Yom Kippur (dia do perdão na tradição judaica) - novo confronto bélico para devolução das terras ocupadas por Israel desde a Guerra dos Seis Dias(Faixa de Gaza, Colinas de Golã e a Cisjordânia).No dia 22 de outubro 1973 foi assinado o cessar-fogo, após a intervenção de Richard Nixon e Leonid Brejnev, presidentes norte-americano e soviético,respectivamente.• 1987 – a Intifada (Revolta das Pedras) – movimento de desobediência civil sem o uso de armas, organizado pela população palestina dos territórios ocupados por Israel exigindo negociações.
  22. 22. p.26 – Rumo dos Conflitos (pesquisa:acordos de paz)• Tratado de Oslo I – assinado em 4 de maio de 1994: os palestinos conquistaram pleno direito da administração civil e a segurança interna sobre a maior parte da Faixa de Gaza e a cidade de Jericó. Israel, permanece no comando da defesa e das relações exteriores da região.• Tratado de Oslo II – assinado em 28 de setembro de 1995, em Washington, por Israel e a OLP (Organização para a Libertação da Palestina – 1964): ampliou o anterior, agregando partes da Cisjordânia ao controle palestino.
  23. 23. • As tensões voltaram em setembro de 2000 quando, em campanha eleitoral, Ariel Sharon, então líder do partido Likud (forças da direita e grupos fundamentalistas religiosos, que defendem o princípio da “terra arrasada”...), fez uma visita à Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, desencadeando forte reação dos palestinos.• Hoje: Israel está disposto a criar o Estado Palestino na faixa de Gaza e parte dos ex- territórios ocupados. Só que os palestinos radicais (Hamas – veja p.30,texto) não querem, querem a destruição do Estado de Israel e tomar as terras dos judeus.
  24. 24. O povo curdo• Os curdos estão espalhados principalmente pela Turquia, Irã, Iraque e Síria.• O atual Iraque começou a ser planejado como um país para dois povos, árabes e curdos. No entanto, a aproximação dos ingleses com as lideranças árabes, que controlavam os poços de petróleo, tirou dos curdos qualquer chance de formar uma nação. Os curdos ficaram numa posição de discriminação e opressão por parte dos árabes e até da Turquia. O governo iraquiano impediu a todo custo que os curdos conquistassem sua independência. Usou inclusive arma químicas para conter essa população muito pobre, concentrada no norte do país.
  25. 25. Bibliografia• Referências do caderno do aluno – Vol.2 3ªSérie – Ensino Médio.• Geografia (Ensino Médio) I. Guimarães, Raul Borges. II. Ribeiro, Wagner Costa 2. ed. – São Paulo: Moderna, 2003.• Palestinos – História em movimento. Yazbek, Mustafa. São Paulo: Ática.

×